1. Spirit Fanfics >
  2. 5 coisas que eu (não) odeio em Jeon Jungkook (Imagine) >
  3. Bobão cagão e a maconha

História 5 coisas que eu (não) odeio em Jeon Jungkook (Imagine) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Gente me desculpa a demorakkkk eu só consegui finalizar ontem o capítulo do meu outro imagine por alguns problemas.

Boa leitura aaa💕

Capítulo 2 - Bobão cagão e a maconha


Fanfic / Fanfiction 5 coisas que eu (não) odeio em Jeon Jungkook (Imagine) - Capítulo 2 - Bobão cagão e a maconha

— E o que você vai fazer? — Jimin perguntou.

— Eu vou ajudar ela, e quem sabe até me declarar — sorri encarando o céu através do óculos escuro. Eu me encontrava com os meus amigos, sentados na beira da piscina enquanto aproveitamos o final de semana.

— Você? Se declarar? É capaz de você até se cagar assim que ficar perto dela, mas não se declarar — Yoongi bagunçou, e eu fiz um pequeno bico, emburrado.

— Hyung, assim você não ajuda — bufei.

— Jeongguk, estamos no Brasil, me chame de "Mano". Gostei dessa gíria — bebeu sua cerveja.

— Quê? — me levantei da cadeira de sol e olhei com minha expressão de esquisito. — Mano…

— Jeongguk! Cuidado! — senti algo bater na minha cabeça e caí com o copo e tudo na piscina.

***

— Namjoon, você é muito mal… mano! — reclamei, assim que apareci na sala da minha casa, encontrando meus amigos.

— Certo, as gírias daqui não combina com ele — Yoongi sussurrou para os outros, mas eu escutei, fazendo-me bufar.

— Gente, é o seguinte. Eu esqueci de falar com ela como seria as aulas e não tenho o número dela — andei até o sofá e me joguei nele.

Tudo dá errado na minha vida, não é novidade.

— Toma — de olhos fechados, olhei vagarosamente para o lado, os abrindo em uma lentidão, como em filme de terror que parecia aqueles capeta, para ver o que Taehyung mostrava.

— Que isso?

— Número da ______.

— Como você… — o olhei. — Como assim?

— Eu só tenho, o que há de errado?

— Por que você nunca me passou? — gritei indignado, sentando-me normalmente no sofá.

— Você nunca pediu.

— Vocês são um chato.

— E você é o bobão cagão — Yoongi rebateu, se levantando e indo pegar mais bebida.

— Me dá — peguei o celular de suas mãos e encarei o número. — Saiam — mandei, vendo que eles me encaravam. — Não vou deixar vocês escutarem nossa conversa — apertei o celular e sem querer apertei para chamar e arregalei os olhos. — Rápido, rápido. Ela vai aten-... Oi, ______! — sorri meio desajeitado e coloquei o celular no ouvido, assim que ela atendeu. Os meninos saíram rapidamente e eu agradeci a quem pôde fazer com que eles saíssem.

— Jeongguk? O que você quer? — seu tom de voz mostrava estar entediante. Tão um amor.

— Olá, docinho… q-quer dizer, ______.

— Fala logo o que você quer.

— Queria falar sobre as aulas, sabe?

— Certo, abre a porta.

— O quê?

— Abre a porta, caralho. Eu tô aqui, nesse sol dos inferno, na frente da sua casa.

— Como você sabe onde é minha casa?

— Jeongguk você saiu pulando que nem uma gazela depois que soube que vai me ajudar para a prova, não esperou nem eu falar com você e então peguei seu endereço nos registros da escola — replicou, irritada. Assim você me deixa todo derretido.

— Ah- — a ligação foi encerrada assim que comecei a falar. Me levantei em passos apressados e caminhei até a porta da minha casa. — Oi! — sorri. Ela passou por mim e entrou para dentro da minha casa em passos apressados. Segui ela, e ela se encontrava na cozinha, bebendo água.

— Você é muito lerdo, cara.

— Você é muito linda — suspirei, sorrindo. Ela ficou me encarando e eu senti meu coração acelerar, assim que ela se aproximou de mim. Me beije e me possua, pelo o amor de Brasil.

— Jeongguk… — tocou meu rosto. — Você tá usando droga de novo? — gritou.

— O quê? Droga? Como assim? Eu tô normal.

— Jeongguk tá usando droga? — olhei para o lado e vi meus amigos de olhos arregalados. Por que todo mundo aparece do nada?

— Tá! — ela respondeu. — Sabiam que ele me chamou de "linda"? Não é a primeira vez, e quando foi a primeira, rolou boatos de que ele estava cheirando maconha — me olhou. — Garoto eu vou te agredir!

— Mas eu não fiz nada! — tentei me defender com os meus braços assim que ela vinha para cima de mim, logo escutando a risada dos garotos.

Eu sempre sou uma piada para esse pessoal.

***

Às aulas na minha casa estavam sendo boas, digamos assim. Eu sempre dava um jeito de ser carinhoso com ela, mas ela me tratava com sua ignorância. Essa menina é perfeita.

Nunca tinha passado tanto tempo assim com ela igual nessa semana, isso fez com que eu me apaixonasse mais ainda por essa doce de cacau. Ela era inteligente, mas preguiçosa. Hoje seria nosso último dia de aula na minha casa, já que a prova seria amanhã. Eu estou mais nervoso que ela, por céus, alguém me socorre.

— Jeongguk — soltei um grito fino após ______ me chamar. Eu estava no pátio da escola esperando ela, enquanto encarava o céu como se fosse  única coisa que existisse no mundo. — Para com esses chiliques e vamos logo — bufou, caminhando na minha frente enquanto eu a seguia.

— Vamos conversar, ______. Eu quero pelo menos ser seu amigo — apressei meus passos, para ficar ao seu lado.

— O que você quer falar?

— Não sei.

— Soube que a Anne quer ficar com você?

— Quem é Anne?

— A garota que se joga para cima de você. 

— São muitas, ser popular não é fácil — falei, para provocar. Olhei de canto para ela, e ela pareceu não ligar. Menina marrenta muito docinho.

— Não venha se achar para o meu lado, se não quiser levar um soco.

— Certo, certo. Mas saiba que eu nunca ficaria com essa… essa… Ana.

— Anne.

— Anne. Sim, Anne.

— Por que você é lesado?

— Eu não sou — a olhei confusa.

— Você é.

— Por quê?

— Por várias coisas — me olhou como se eu fosse a pessoa mais estranha do mundo e apressou mais ainda seus passos. Tentei acompanhar ela, mas aquela menina era mais rápida que eu na cama.

Sorri e corri para o seu lado. O caminho para minha casa foi rápido, eu sorria feito um bobo a todo minuto. Ela era muito areia para o meu caminhãozinho. Ela era meu docinho de cacau. Meu sorvete de morango. Dona do meu coração. Minha donzela. Futura docinho deitada na minha cama.

— Jeongguk! — saí dos meus pensamentos e encarei a menor. — Você me escutou? — fiquei olhando para alguns segundos. — Aposto que não. Nem percebeu que já estamos no seu quarto.

— Ah, estava com os pensamentos lá no alto — cocei a nuca.

— Eu percebi — ela me olhava intensamente, como se quisesse ver minha alma. Ai, não me olha assim. Vou ficar bobo. — Olha, eu acho que terminamos nossas aulas.

— Hm? Por quê?

— Porque só falta a parte da orientação sexual, e isso eu sou bem experiente — sua fala era tão lenta, tão sensual que eu podia agarrar ela ali mesmo. Queria muito!

— Mas, vamos estudar na prática? Porque, sabe… você pode ter esquecido algumas coisas, eu posso se te ajudar ainda. É…

— Eu sei o que você tá querendo fazer. Tô na seca faz um tempo, por que não? — sorriu, de lado.

***

— Jeongguk! Você tá maltratando meus seios! — escutei ela resmungar pela quinta vez. Acabei arregalando os olhos, e por impulso, empurrei meu membro para dentro dela com mais força, fazendo ela soltar um gemido alto.

— Meu Deus! Eu te machuquei?

— Até que melhorou — riu perversa. O quê?

— Eu tô nervoso, mesmo que não seja a primeira vez — ela deu leve tapinhas no meu rosto e sorriu.

Não sei o que estava acontecendo, mas ela reclamava a todo momento que eu a estocava. Não prestava atenção, já que eu me viciei em seus seios. Bem macios como um algodão doce, e grandes como minha mão. Minha docinho de cacau era gostosa, por céus.

— Jeongguk, você tá quase me rasgando — sussurrou, com dificuldades. Olhei para seus olhos e eu via prazer, não dor. Sua safadinha, me engana que eu gosto.

Ela gemia meu nome e falava que eu era perfeito, mesmo eu sendo desastrado. Como não ficar nervoso transando com a garota que você gosta?!

Esse foi o orgasmo que eu mais amei na minha vida.

— Cara, você realmente não era virgem? — perguntou, deitada ao meu lado.

— Juro que não. Eu gosto de você, e eu fiquei nervoso — sorri e ela arregalou os olhos.

Meu Deus, eu falei merda?


Notas Finais


Então, né...KKKK

Nada a declararkkkkkkk

Divulgação de novo pq sim hehehe

O Tatuador::
https://www.spiritfanfiction.com/historia/o-tatuador-imagine--jeon-jungkook-18601290


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...