1. Spirit Fanfics >
  2. 5 graus abaixo de zero-Markhyuck >
  3. Uma manhã Estranha e a Insegurança

História 5 graus abaixo de zero-Markhyuck - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Obrigada pelos 69 fav's(#chorando)

📌Ler notas finais!

Amo vocês e boa leitura ;)🤓

Capítulo 22 - Uma manhã Estranha e a Insegurança


Fanfic / Fanfiction 5 graus abaixo de zero-Markhyuck - Capítulo 22 - Uma manhã Estranha e a Insegurança

Pov's Haechan 

Depois da tal cena, o que me fez gelar, eu saí de cima dele e fui ajudar o mesmo a levantar.

-Você está bem? Se machucou?-perguntei-.

-Sim, sim. Só quero ir ao banheiro fazer minhas higienes e tomar um banho.-falou se soltando de mim e indo banheiro, mas logo sua perna fraquejaram e eu o ajudei de novo-.

-Deixa que eu te ajudo.-foi eu que falei, mas meu coração ficou muito quente-.

-Tudo bem!-Ok, ele estava estranho demais-.

O levei e o ajudei a tirar suas peças, menos a cueca, óbvio.

-Vou te segurar enquanto escova os dentes e depois te coloco na banheira, pra você tomar banho.-ele acentiu-.

E assim se fez, eu o ajudei. Enchi a banheira e depois que eu o coloquei na mesma, o deixei numa posição confortável, eu logo me virei para me retirar e ele poder retirar a última peça.

Atravessei a porta e fui em direção à cama, para arrumar. Passam-se uns 3 minutos e ouço um soar da voz de Mark me chamando.

-Que cara chato!-bufei-.

Saí em direção ao banheiro, mas logo perguntei:

-Está com as partes baixas escondidas?

-Sim, claro!-respondeu simplista-.

-Ok, tô entrando.-hesitei, mas entrei-.

Assim que adentrei o local, Mark nem tinha tomado banho ainda, estava apenas posto sobre a banheira no meio da água.

-POR QUÊ AINDA NÃO TOMOU BANHO?-me exaltei um pouco-.

-Você vai me ajudar, oras. 

-Você só está machucado e não aleijado.-falei num tom de brincadeira-.

-Eu ando muito dolorido-fez cara feia-.

-Isso não te impede. Mas vou te ajudar, que coisa!-me sentei na bordas da banheira e o ajudei a tomar banho.

Enquanto o ajudava, ele me jogava água, parecia uma criança. Ele realmente está estranho, a bancada deve ter sido muito forte mesmo.

Ele me jogava água e mais água, já estava praticamente eu já tinha tomado banho junto. Mas estávamos nos divertindo, a gente esqueceu por um momento de nossos problemas ou intrigas. 

Até que ele tentou e tentou me puxar para a banheira, nossos rosto ficaram em uma distância perigosa, e o mais engraçado e imprevisível, ELE NÃO RECUOU!

Ainda na mesma posição citada, eu me arisquei a perguntar:

-O que aconteceu que você acordou todo atirado assim, Mark? Não era você o hétero topzera?!

-Eu decide estar disponível para mudar de opinião, agora depente se você conseguir mudar.-falou num tom sarcástico e se aproximou mais-.

-Mas todos os gays não são iguais?-retruquei-.

-Talvez somente você, seja diferente.

Estávamos tão próximos,  que eu já nem o olhava nos olhos, sem estar sobcontrole na situação, acabo olhando para seus lábios. São tão convidativos!

Mas antes mesmo de olhá-los, eu percebi que o mesmo fez isso antes em direção a minha boca; aproveitei a situação.

Desviei de seu rosto, ainda paralisado, e fui em direção à sua orelha e falei:

-Você quer sentir os meus lábios nos seus, certo?-ele acentiu vagarosamente-.

Percebi que estava no controle de seus pensamentos e arrepios, no comando da situação; mesmo que por dentro eu estivesse me borrando de nervosismo, não sabendo de onde tirei tamanha ousadia.

Depois de ele acentir, voltei ao seu campo de visão e rocei meus lábios ao dele, vagarosamente, o mesmo se encontrava entregue; mordi levemente seus lábios inferiores e soltei, me retirando. Vendo o mesmo que continuava com os olhos fechados, como se estivesse nas nuvens.

Saio de seu campo de visão, e antes de atravessar a passagem para fora do cômodo, falei:

-Não vai ter esse corpinho aqui tão cedo.-soltei uma risada eufórica e saí-.

-Você vai ver o que tem por vir, Sr. Mark.-falei baixo e continuei a arrumar o quarto-.

Pov's Mark

Eu não sei o que está acontecendo comigo. Quer dizer, talvez eu saiba, depois do sonho de ontem, eu percebi que fui um tolo todo esse tempo.

Só de pensar em perder o Donghyuk, eu sinto algo apertar. Eu ainda posso dizer: "Estou gostando de Haechan", mas também não posso negar algo do tipo. 

Eu acho que eu deveria pedir ajuda ao Jaemin, não sei. Mesmo sentindo essa coisa por Haechan, o que eu acho, eu ainda permaneço com a minha visão sobre os gays e sobre o amor. 

No fundo, lá no fundo, cavando uns três mil metros, eu acredito em soulmates. Jaemin comenta comigo sobre isso as vezes, mas eu fingo não crê.

-Será que...-me pergunto-.

Não pode ser, seria muia ironia do destino; do universo. Talvez tudo isso seja apenas coisas da minha cabeça;ou  não.

Aquela cena no banheiro, fez atiçar meus sentimentos e vontades, que ficaram à flor da pele. Eu sou homem, tenho meus desejos e necessidades, mas eu NUNCA pensei em querer satisfazê-las com alguém do mesmo sexo que eu. Ainda por cima, Haechan!

Inacreditável!

Quando ele disse:

"-Não vai ter esse corpinho aqui tão cedo."-soltando uma risada eufórica e saindo-.

Ele conseguiu despertar o meu eu desafiador, me provocou. 

Quando ele SÓ roçou seus lábios nos meus, toda a tensão subiu pelo meu corpo, quando ele deu uma mordida suave no meu lábio infeiror então...

-Calma, Mark! Calma. Se contenha, você ainda nem tem certeza de nada, não avance. Talvez ele te machuque, assim como Líndice fez com você.

Tirei meu pensamento e terminei meu banho, já me sentia renovado. Saí do banheiro e voltei para o centro do quarto. Já com as peças de baixo, calça leve. Apenas as partes baixas, pois meu tronco estava exposto, eu iria morrer de calor; ou teria outro motivo.(?)

Quando saí, como dito, eu estava secando meu cabelo na toalha e Haechan estava no meu campo de visão, sentado na cama, pensando em algo.

- Terminei, vamos comer? Estou com fome-falei simples e ele acentiu-.

Tudo estava bem, não trocamos toques nem nada, talvez pequenos olhares, mas nada além disso.

Até ele se levantar e sair do quarto, para ir deixar as louças na pia.

Enquanto ele o fazia, sentei vagarosamente na cama e fiquei olhando para o teto.

Eu gosto de ser independente, mas às vezes sinto vontade de ter alguém pra abraçar ou algo assim. Mas não confio em ninguém para isso, nem mesmo em Haechan. Eu disse que não iria me apaixonar por ele e nem coisas do tipo, mas sentir de longe seu carinho e preocupação, sentir sua falta no decorrer do dia das suas palhaçadas ou das tentativas de ser "meu amigo", saber que Renjun o teria todo o tempo, e por um fio de momento, eu "o perderia", TALVEZ tenha me feito pensar um pouco diferente.

Depois de vagar com esses pensamentos, senti o pesar das minhas pálpebras cansadas e acabei dormindo, de novo!

Pov's Haechan

Já na pia, senti uma lágrima escorrer pelo meu rosto, só de pensar que talvez Mark esteja apenas brincando comigo e esteja pronto para me lançar fora no momento que eu resolvesse me entregar, tão rapidamente, me fez ficar pensante.

Ainda não entendo toda essa mudança repentina. Até ontem me odiava e disse aquelas coisas sobre mim e ele, e agora...ele fica com gracinha; só me assusta. 

Não que eu esteja reclamando, finalmente consegui sua amizade ou pelo menos um pouco de tempo, depois de meses tentando, me faz ficar feliz. Mas o que está em jogo são meus sentimentos, que são sempre descartáveis, como lixo.

-Não brinque comigo, Mark.-sequei as lágrimas- Mas eu sim, brincarei com suas vontades.

Me recompus e lavei a louça, logo me lembrando de avisar à Jaemin o estado de Mark, que talvez estivesse dormindo novamente nesse momento.

E assim o fiz, avisei que o mesmo estava bem, ainda fraco, mas bem; até certo ponto. O mesmo logo suspirou aliviado. 

Mas o avisei que eu queria conversar com ele e se ele poderia vir aqui, agora. O mesmo concordou e está à caminho.

Enquanto o esperava, eu guardei as louças e arrumei algumas coisas da casa. Logo ouvindo o soar da campainha:

-Deve ser Jaemin!-corri para atender-.

-Bom dia, Jaemin. Entre!-dei espaço e o mesmo entrou-.

-Bom dia, Hyuck.

Nos sentamos no sofá; confortável. E então comecei a contar:

-O Mark está bem, ele está dormindo nesse momento; de novo. Tomou café  e tudo mais, e caiu no sono. Eu até o entendo.-falei-.

-Que bom, espero que eel descanse bem. Não quero ficar mais preocupadodo que já estou. Mas então, o que queria falar comigo, Hyuck.

Eu senti meu coração errar a batida e a respiração falhar, pensei em até não contar. Mas era necessário!

-Bom, eu acho que Mark esqueceu de sua sexualidade.-falei simples e ele gargalhou-. 

-Como assim, Hyuck?!-falou entre risadas-.

-É sério! Hoje ele acordou todo atirado pra cima de mim, estou com receio. A pancada deve ter sido forte.

-Tanta coisa pra ele esquecer, vai esquecer de sua sexualidade, Haechan? Essa foi boa.

-Mas nunca se sabe, Jaemin.

-Verdade, mas não, ele não esqueceu. Talvez tenha percebido que você é o amor da vida dele e resolveu dar uma chance pra isso. Não acha? Eu acho; na verdade, tenho certeza.-soltou uma piscadela-.

-Eu, amor da vida dele? De onde tirou isso, Jaemin?

-Claro, você. Dos fatos! Eu acredito em soulmates.-falou soltando uma risada nasal-.

-Eu também acredito, mas será?-falei com receio-.

-Essa é a minha teoria, que sera comprovada de um jeito ou de outro, isso já com o universo.-riu e eu o acompanhei-.

-Veremos essa sua teoria.

-Que está certa! E Mark com certeza virá comentar comigo sobre isso, daí te darei certeza e segurança de algo. Ok?-falou confortante-.

-Ok!!-respondi alegre-.

 A partir daí o servi um café da manhã e conversamos, rimos e trocamos ideias. Foi uma ótima manhã!

(...)

-Mark! Como se sente?-falou Jaemin me assustando e se levantando para ir até onde o nome citado-.

-Ah, Mark. Acordou!-falei alegre e fui onde o mesmo-.

-Bom dia, Jaemin. Acordei, Haechan. E sim, eu me sinto bem. Ainda com dores, mas bem.-falou com um sorriso no rosto-.

O levamos até o sofá e nos sentamos juntos.

-Poderiam me responder uma coisa?-falou Mark-.

-Claro!-respondemos uníssono-.

-Quem de vocês cuidou de mim ontem? Ou como me acharam? Me contem detalhes.-falou convicto-.

-Bom-pronuniciou Jaemin- eu te achei depois de procurar por toda aquela boate. Você estava horrível, e isso nem é literalmente, é real. Avisei a Haechan, que se desesperou, e te trouxe pra casa. Haechan disse que ele poderia cuidar de você, que não era pra eu me preocupar, ele sabia que eu estava cansado e então o obedeci e fui pra casa. Agora você, Haechan.-disse e eu prossegui com a história-.

-Então eu cuidei de seus ferimentos, os limpei e coloquei curativo. Te dei um banho de cama, com a tolha molhada, então te coloquei em uma posição confortável. Mas aí você me abraçou fortemente e disse pra eu não te deixar, chorando. Não aguentei e chorei também, como se tudo o que você sentira, eu também sentisse. Depois de um tempo você dormiu e eu fui dormir. O resto você sabe!-completei e deixei um sorriso-.

-Poxa, obrigada à vocês. Mas Jaemin, você só me deixou na mão desse louco.-falou irônico e então apenas o joguei uma almofada bem na sua face, que fez o mesmo gritar de dor-.

-Desculpa, eu esqueci de seus ferimentos.-me aproximei passando a mão suavemente sobre seu rosto, que fez o mesmo rir junto à Jaemin, percebi e me afastei.- Mas bem que você mereceu!

-Mas obrigada à vocês, por terem me ajudado. Nunca mais saio de perto de você, Jaemin.-falou Mark em tom humarado-.

-Agora aprendeu a lição!-eu e Jaemin falamos uníssono, e logo fizemos um high five.

E nós três soltamos gargalhadas, o que deixou o clima agradável.

-Jaemin, precisamos conversar.-disse Mark simplista, mas pareceu ríspido-.

-Vou deixar vocês conversando, tenho que arrumar algumas coisas mesmo e já já vou sair com Renjun. Tchau, meninos.-e saí, deixando um sorriso simpático e subi as escadas-.

Pov's Mark 

-Então, o que quer conversar?-falou Jaemin indo direto ao ponto-.

Eu tinha que comentar isso com Jaemin, aproveitei enquanto ele se encontrava na minha casa. Eu deveria contar o mais rápido, antes que eu pirasse. E se eu não contasse logo, ele iria ficar só me jogando verde.

-Bom, eu não sei se Haechan já comentou sobre, mas...

-Mas...-fez um sinal para eu continuar-.

-Eu meio que acordei atirado pra cima dele hoje pela manhã. Do nada!; ou não.-essa última parte falei baixo, o que foi uma tentativa falha, pois o mesmo acabou ouvindo-.

-Ou não? Me explica isso.

-Eu não posso contar agora, quer dizer, talvez sim, mas isso não vem ao caso. 

-Vem sim, me diz como foi tudo isso.

-Ok!!!

Flashback❄


Continua(...)


Gente, eu estou tão insegura sobre essas aproximações de Mark, vocês acham que eu estou indo rápido demais? Me contem, eu estou insegura sobre. 





Notas Finais


Estão gostando desses capítulos grandinhos ou querem que eu diminua?

Bjs da tia Oli✨
;)♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...