História 50 tons de Kim - Taekook - Vkook - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 218
Palavras 4.671
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Slash
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal!
Carpe Noctem!
Boa leitura!

Capítulo 1 - Kim House.


Fanfic / Fanfiction 50 tons de Kim - Taekook - Vkook - Capítulo 1 - Kim House.

 

Me olho no espelho pela última vez, tentei dar uma cor na minha pele pálida com um pouco de base e blush, pois estive doente nos últimos dias, uma gripe que me fez querer morrer, mas enfim, agora estou melhor e feliz, pois hoje é meu primeiro dia no emprego novo, comecei a me arrumar um pouco mais cedo para não ter nem um imprevisto, estou vestindo o uniforme da empresa, uma roupa social preta que fica perfeita em meu corpo, mal consegui dormir ontem de tanta ansiedade, o que me sujeitou pequenas olheiras e, depois tive um dia cansativo na faculdade, mas graças aos céus consegui consertar com a maquiagem de meu amigo Park Jimin, ele era uma pessoa muito cuidadosa e  vaidosa ao contrário de mim que não me cuidava direito, bom, eu ia na academia, isso para mim já era o bastante, pelo menos minha saúde não me mataria aos meus dezenove anos.

 

Saio do banheiro um pouco mais contente com o resultado da roupa mais a maquiagem, estava bonito, pelo menos não ficaria tão deslocado perto dos meus novos colegas, acho que o senhor Kim deve ter os escolhidos a dedo, pois todos são bonitos e elegantes, me pergunto o que ele pensará quando me ver, fui orientado que quando chegasse na empresa eu iria ter uma pequena reunião com ele, na verdade era uma apresentação formal para o dono da empresa, todos lá passaram por isso e, isso está me deixando ansioso novamente, ele é absurdamente lindo e tem uma confiança invejável em sua voz, acho que nada deve afetá-lo, lembro de algumas palestras que ele deu na universidade em que estudo, todo mundo ficou em silêncio para admirá-lo, as meninas soltaram suspiros apaixonados.

Pego minha pasta e me dirijo até o andar debaixo, sinto um cheiro gostoso vindo da cozinha.

-E aí? - Jimin  fala animado assim que adentro o cômodo.- Animado para o primeiro dia?

-Sim, um pouco ansioso também. Falo limpando as mãos suadas em minha calça.

 

Jimin e eu somos amigos desde que nos conhecemos por gente, mas ele teve que se mudar no meio do Ensino Médio, a empresa do seu pai e do seu tio estava lucrando bastante lá em Busan, então sua família resolveu abrir uma filial aqui em Seoul, seu tio que era mais velho ficou tomando conta da matriz, então a família de Jimin teve que se mudar para cuidar da nova empresa. Quando mais novos nós sempre falávamos que moraríamos juntos na faculdade, então isso se concretizou, eu consegui uma bolsa em uma das melhores faculdades daqui e Jimin também, estudamos na mesma instituição porém, em cursos diferentes, ele cursa Marketing com enfoque em vendas para ajudar na empresa da família, já eu curso Administração com enfoque em comércio exterior, acho que foi por isso que consegui a vaga de estagiário na empresa Kim Participações e Empreendimentos Inc. , não ia atuar na minha área por ainda não ter experiência e por estar apenas no segundo ano do curso, mas já era um grande avanço em minha carreira como profissional ter conseguido entrar lá.

-O que tanto pensa? - A voz dele me tira das minhas divagações.

-Só...estou imaginando como vai ser. Falo reprimindo um sorriso ansioso.

-Vai almoçar ou ficar aí em pé? - Ele pergunta de forma divertida e franze a testa.

-Engraçadinho! - Reviro os olhos e coloco a bolsa preta que havia ganhado do próprio na cadeira ao meu lado, acho que ela custaria todo meu mês de salário, Jimin amava gastar em coisas caras, segundo ele deveríamos seguir a moda, ele é um super fashionista. Depois de colocar a bolsa de marca italiana na cadeira ao meu lado comecei a me servir, não poderia chegar atrasado por nada nessa vida.

-As provas estão chegando, você está indo bem nas aulas? - Jimin faz uma cara de tédio revirando a comida com o ohashi, uma mania muito feia por sinal.

-Sim, por que? Não me parece muito animado. Olho para ele ternamente.

-Porque não estou. Ele fala frustrado.- É uma matéria chata e meio difícil, acho que todos vão estar em uma enrascada, o professor Choi é muito severo. Fala de forma irritada e eu rio, nunca nem tinha visto este professor, mas já não gostava dele, Jimin vivia reclamando do mesmo.

-Por que você não combina com Hoseok e faz um grupo de estudo? - Eu sugiro, Jung Hoseok era um amigo do curso de Jimin, ele era muito divertido, e assim como Jimin ele era popular na faculdade, não sei o que eu fazia entre eles, pelo menos não estava sozinho nessa, tinha meu amigo Kim Yugyeom também, ele não era popular, mas era uma pessoa muito legal e estava sempre me ajudando, ele cursava fotografia, nos conhecemos de forma inusitada, eu estava na biblioteca do campus fazendo uma pesquisa para um trabalho, e como sou azarado o computador pifou, eu comecei a xingar pois achava que havia perdido  todo o trabalho que eu havia feito, e eu não sou de xingar, sou uma pessoa calma, mas já havia feito aquele mesmo trabalho umas tres vezes por achar que não era bom o suficiente, portanto ele que até então não tinha visto por ali se aproximou e me ajudou com a máquina danificada, ele tinha curso técnico na área, eu fiquei muito agradecido e, desde esse dia nós nos cumprimentávamos na saída, ou na entrada, não importava onde nos víamos, sempre cumprimentávamos um ao outro, dessa forma acabamos nos tornando amigos, eu convidava ele para festas, ele me convidava para exposições de fotografias e assim foi até chegar na nossa amizade hoje, é sempre nós quatros, Jimin, Hoseok, Yugyeom e eu.

-Será que vai sair algo que preste? - Sorriu.- Ele também parece estar bem desanimado. Ele contorceu os lábios fazendo um bico.

-Convida ele e você saberá, algo que não presta é melhor do que nada. Brinco com ele antes de me levantar e caminhar para o banheiro.

-Jungkook! - Ele pragueja.- Você não comeu, você bebeu a comida. Sua voz soou divertida.

Escuto a voz dele um pouco longe e abafada pela porta fechada do banheiro, escovo meus dentes rapidamente e faço xixi, não queira perder tempo no trabalho para ir ao banheiro, sei lá, talvez pensem que estou procrastinando no serviço. Ando rapidamente até a cozinha novamente e pego minha bolsa preta.

-Olha só. Jimin me encara de cima abaixo.- Estou tão orgulhoso. Ele se levanta e me abraça.

-Obrigado. Sussurro com um sorriso indo de orelha a orelha.- Agora, espero que ele não seja aqueles chefes doidos que nem dos filmes, que me faça fazer coisas estranhas.

-Tipo, mandar você fazer os trabalhos de escola dos filhos dele, ou te fazer esfriar o café dele porque está muito quente. Jimin brinca.- Ou te pedir para lixar as unhas do pé dele...Relaxa! Vai dar tudo certo, boa sorte!

-Obrigado. Agradeço novamente e sigo para a garagem, meu Sonata já está um pouco velho, mas ele ainda funciona e me leva a todo lugar, ganhei o Hyundai preto dos meus pais, eles haviam economizado por dois anos para me dar o carro, mesmo sendo alguns anos ultrapassados, o carro foi dado de coração e, eu fiquei muito agradecido por isso. Por falar em meus pais, tenho muita saudades deles, eles são separados, meu pai Jeon Myungdae, tem uma pequena marcenaria lá em Busan, nada sofisticado, mas é algo que ele gosta de fazer, é uma paixão para ele ficar construindo móveis e ele nunca se casou novamente, já minha mãe Khan Minhye é corretora de imóveis, ela se casou uma tres vezes depois de meu pai, seu atual marido é chefe de cozinha, ele tem um restaurante famoso lá em Busan.

 

Saio da garagem apressado, não estou atrasado, mas o trânsito daqui é meio difícil e muda de hora para outra, vou observando as pessoas nas ruas, os comércios, o tempo está bonito hoje, me deixa feliz, como quando eu era criança e meus pais  me levavam para tomar sorvete em dias assim, era uma nostalgia boa. Assim que vou me aproximando do prédio vejo alguns carro adentrando o mesmo, dou seta e sigo para o estacionamento, ao erguer os olhos consigo ver melhor o prédio, na primeira vez que vim aqui fazer a entrevista não consegui observar direito, estava muito ansioso, na verdade não foi bem uma entrevista foi uma visita preparatória e eu tinha que assinar alguns papéis com o pessoal do RH, as primeiras entrevistas foram feitas na faculdade, meu professor de economia havia me indicado para a vaga, mas agora posso observá-lo melhor, é um edifício comercial todo em vidro curvo e aço, muito alto aliás,o nome Kim House está escrito em aço acima das portas dianteiras de vidro. É tudo muito elegante. O porteiro do estacionamento me encara da janela da pequena cabine cinza.

-Nome por favor! - Ele pede com a voz calma e bem treinada, quantas vezes ele não deve falar isso? Me questiono mentalmente.

-Jeon Jungkook, sou o novo estagiário. Dou um pequeno sorriso.

Ele folheia um caderno grande de brochura e assente com um sorriso pequeno.

-É seu nome está aqui. Ele me encara de forma divertida.- Boa sorte meu jovem, sua vaga é qualquer uma da quadra E. Fala por fim com um sorriso amigável.

-Obrigado, tenha um bom dia! - Agradeço com um pequeno sorriso e saio dali.Sigo olhando atentamente, cada quadra é indicada com uma placa pregada em um pilar separando as alas, acho por fim a quadra E e estaciono meu carro na última vaga, é a mais espaçosa. pego minha bolsa do banco do carona e sigo para o elevador.

Assim que entro no primeiro pavimento sinto meu estômago congelar e minhas pernas bambear, isso também aconteceu da primeira vez, droga! Caminho meio zonzo até  o balcão, o som de saltos batendo contra o piso de mármore ecoa alto em meus ouvidos, as folhas que as algumas funcionárias arrumam, o elevador avisando que havia chegado, tudo parecia fazer barulho demais.

-Olá, boa tarde! - Falo ao me aproximar da recepcionista, Haewon, lembrei o nome dela.

-Oi, boa tarde Jungkook. Ela fala animada, ela é alta e usa o cabelo preto num perfeito coque, seu rosto é pequeno e bem desenhado, um batom rosado enfeita seus lábios de forma elegante.- Então, está animado? - Pergunta puxando o telefone do gancho.

-Muito. Falo animado e  rezo para ela não ter percebido minha inquietação.

-Haecha, o Jungkook já chegou. Ela fala ao telefone, Haecha é a secretária, ela é responsável em manter a empresa em ordem, dando dicas de como agir ou o que fazer, ela é a pessoa mais próxima do senhor Kim.- Haecha já está vindo. Ela sorri para mim.- Pode aguardar sentado ali. Aponta para uma poltrona no canto.

-Obrigado. Caminho até a poltrona e olho para as horas em meu relógio de pulso, falta dez minutos para as duas, a hora em que começo aqui.

Minutos depois Haecha acena do elevador para mim, eu caminho em passos rápidos até ela, vejo a mesma apertar um botão, provavelmente para o objeto esperar mais um pouco.

-Você é pontual. um sorriso brinca em seu rosto.

-Acha que eu deveria ter chegado mais cedo? - Indago com medo da afirmação dela ter sido sarcástica.

Ela ri.

-Não, você está dentro do horário. Sua voz soa divertida. Haecha era baixinha, usava um salto enorme e um blazer cinza que nem ao das recepcionistas, assim como Haewon seu cabelo estava preso num coque, me pergunto se isso tudo é a pedido do Kim, por falar nele, como será daqui alguns minutos?

O elevador abre no último andar, o número vinte pisca acima da porta, indicando nosso destino. Caminhamos pelo extenso corredor até uma grande porta dupla de madeira, elas eram pretas com grandes maçanetas cromadas, ao lado e um pouco a frente da mesma tinha uma pequena sala, ela era ornamentada de vidro jateado e tinha uma porta de madeira, ao lado da porta um pequeno coqueiro, assim que aproximamos da mesma eu pude ver uma plaquinha com o nome Choi Haecha, ela tinha uma sala só para ela, quanta mordomia.

-Entre. Ela deu espaço para eu passar primeiro e, fechou a porta em seguida que entrou.- Sente- se. Falou caminhando para o outro lado da mesa de madeira preta.- O senhor Kim ainda não chegou, ele saiu para almoçar, mas daqui a poucos minutos voltará. Assenti com a cabeça.- Quando for falar com ele seja direto, ele não gosta de enrolação e conversa paralela, responda a tudo que ele perguntar e evite fazer perguntas se não for sobre a empresa ou alguma dúvida sobre seu cargo. Ela falava ao que digitava algo no computador. assentia a tudo que ela ia falando, senti meus dedos começaram a formigar e meu corpo a tremelicar.-Você está bem? - Sua voz soa preocupada.

-Sim. Respondo a meia voz.

-Não precisa ficar nervoso. Ela se levanta e caminha até o canto da sala onde havia um filtro de água.- Pegue. Me estende o copo com um sorriso terno.- Eu sei que ele tem aquele jeito meio misterioso e confiante, mas é uma boa pessoa, ele só não está para brincadeira, ok?

-Sim. Falo um pouco mais calmo agora, a água realmente me fez acalmar, acho melhor tomar alguns litros antes de ir falar com ele. Saio de meu devaneio com o som do telefone tocando.

-Oi. Haecha fala no aparelho, ela conversa por alguns segundos antes de devolvê-lo para o gancho.- Haewon avisou que o senhor Kim chegou.

 

Oh Deus!

 

Acho que vou ter um treco, encaro a secretaria pasmo, engulo seco e me obrigo a ficar calmo, não tinha nada demais nisso, ele era meu chefe, e era uma pessoa boa como Haecha acabara de falar, ia dar tudo certo. Ela se levantou e caminhou até a porta.

-Espere um pouco aqui, já te chamo, ok?

-Ok. Sussurro e volto para minha crise existencial, por que Haecha não parece abalada ao saber que ele está aqui? Será que ela já está acostumada com ele? Será que se eu não fosse gay esse sentimento não existiria? Levei os dedos  até os lábios e comecei a roer as unhas, depois de alguns minutos ela volta para sala.

-O senhor Kim está te esperando. fala calmamente e volta a se sentar.

-Ok, obrigado, me deseje sorte. Brinco e me levanto.

-Boa sorte Jeon! - Um sorriso divertido brinca em seus lábios.- Relaxa, vai tudo dar certo.

-Depois que terminarmos é só ir para minha sala? - Pergunto antes de abrir a porta.

Ela para de digitar e me encara por debaixo dos cílios.

-Sim, você sabe o caminho, né? - Sua voz soa duvidosa.

-Sei. Sorrio mais uma vez e abro a porta.- Até mais.

Caminho devagar até a porta preta, bato duas vezes e escuto uma voz abafada permitindo minha entrada. É agora!

O ar me falta quando adentro o cômodo, é um escritório amplo com janelas que iam do chão até o teto, no centro dele uma enorme escrivaninha de madeira escura, o chão de granito branco parecia mais limpo que o normal fazendo as luzes reluzir nele, na parede vários quadros de arte abstrata.

-Boa tarde! - Falo com a voz trêmula e me martirizo por isso.

-Boa tarde! - Sua voz soa..brincalhona? - Pode se aproximar senhor Jeon eu não mordo. Ele me encara e eu engulo seco.

-Desculpa. Peço educadamente e me aproximo, ele se levanta e estende a mão para mim, sinto um leve choque ao tocar sua pele macia, seus dedos longos e finos pareciam sensíveis. Droga! Me esqueci de como ele é lindo, acho que não existe pessoa mais linda quem ele, chega ser desconcertante.

-Kim Taehyung! - Sua voz grossa me causa um arrepio no corpo.

-J-Jeon Jungkook. Droga, minha voz saiu mais como um grunhido.

-Sente-se. Ele ordena e aponta para a cadeira a meu lado, ele tinha vinte e sete anos, mas parecia ser mais novo, é alto com a pele levemente bronzeada, veste um terno preto, camisa branca e uma gravata  preta, seu cabelo castanho é brilhoso provavelmente macio também.

Ele me encara de forma divertida, mas ao mesmo tempo séria, como se estivesse me estudando, eu e minha maldita falta de modos, sinto minhas bochechas corarem e desvio o olhar para vista linda que as janelas proporcionam.

-Então senhor Jeon, quais são suas perspectiva trabalhando aqui? - Kim pergunta profissionalmente e droga! Por que ele tinha que ser tão bonito? Isso me desconcerta, Procuro minha voz em algum lugar do meu corpo, dessa vez ela se escondeu muito bem.

-Ah...eu espero dar o melhor de mim, estou cursando o segundo ano ainda, mas espero evoluir tanto na faculdade quanto aqui na empresa, assim crescendo profissionalmente e pessoalmente. Isso foi o que li na internet uma vez, foi a única coisa que veio em minha cabeça, nem sei se isso respondeu a pergunta dele, mas sorrio tentando ser confiante e torcendo para que isso baste e ele me dispense logo.

-Entendo. Diz ele.- Você pretende fazer o que quando terminar a faculdade?

-Eu pretendo atuar na área de Comércio Exterior, é para isso que estou estudando. Respondo nervosamente, sinto minha perna tremer e não consigo para-lá, ele parece notar minha inquietação.

-Oh..Comércio Exterior!? Muito bom, nós temos duas filiais fora do país, uma em Londres e uma em Los Angeles, até o ano que vem pretendemos abrir uma no Brasil. Ele aparenta sorrir, mas só aparenta, sua feição séria não sai dali por nada, até parece que estou o aborrecendo, mas isso não é minha culpa, ele quem criou essa pequena reunião de apresentação, eu poderia apenas falar oi para ele quando o visse no corredor, já estava de bom tamanho, pelo menos para mim estava. Espera! Calma! Ele ficou feliz com minha área de atuação e ainda disse muito bom? Será que ele pretende me dar uma chance de seguir minha carreira aqui? Não, estou pensando muito alto, para com isso Jungkook, uma empresa famosa dessa e eu achando que assim de primeira iria conseguir tal feitio, tenho que sonhar com os pés nos chão, é isso que meu pai vive dizendo.

-Você está muito pensativo senhor Jeon, algum problema? - Ele parece reprimir um sorriso.

-Oh..não. Respondo rápido e, mais uma vez aquele fantasma de sorriso volta, mas que merda! Ele está zombando de mim, sempre me achei um pouco trouxa, mas palhaço não, palhaço era demais. O encaro um pouco sério e ele pareceu se divertir me encarando de volta com mais afinco, recuo e desvio o olhar para minhas mãos, ele esboça um pequeno sorriso de canto dessa vez, como se comemorasse uma vitória.

-O seu professor de economia, o senhor Choi que o recomendou, disse que você era o melhor aluno da turma. Eu assenti.- Você trabalhará com mais quatro funcionários nessa área. Ele fala parecendo estar no automático. Seus olhos castanhos me encararam com intensidade e eu congelo.- Você não me parece muito animado.

-O que!? É claro que estou. As palavra saem da minha boca sozinhas, elas soam um pouco rudes e eu me martirizo por isso novamente, ele me encara com uma feição fria.

 

Deus!

É meu fim, com certeza ele irá me jogar pela janela, ou me colocará para fora daqui a pontapés.

-Eu estou animado. Falo novamente, dessa vez um pouco mais gentil.

Ele me olha de forma impassível.

-Você mora longe?

O que!? Que pergunta é essa? Haechan foi bem clara quando disse que ele não gosta de enrolação..Ah...ela também foi bem clara quando disse para eu responder todas as perguntas dele. Por que a vida não facilita as coisas para mim?

-Não, algumas quadras daqui. respondo com a voz suave. Seu olhar está preso em mim, sinto meu coração acelerar.

-Mora com seus pais?

-Não, moro com meu amigo. Respondo simples, não consigo falar muita coisa com aquele olhar sem humor dele em cima de mim.

-Faz algum curso de idioma?

Ele estava me entrevistando, o pessoal do RH já tinha feito isso, será que deveria avisá-lo disso. Por que ele queria saber de tudo?

-Não no momento.

-Gosta de ler? - Ele muda de assunto do nada, sua voz é alta e ele parece me provocar, ele parece saber que estou nervoso, acho que essa entrevista já deveria ter terminado, mas ele está me fazendo de palhaço por pura diversão.

-Você gosta? - Indago de volta automaticamente, mas me xingo mentalmente.

Ele arqueia uma sobrancelha e um brilho diferente surge em seus olhos, como se eu tivesse acabado de o desafiar.

Batidas na porta são deixadas.

-Entre. Ele diz alto, sua voz soa irritada.

-Desculpa senhor Kim. É a Haechan.- O senhor tem uma reunião as duas e meia. Kim e eu olhamos para o relógio em nossos pulsos, o dele com certeza anos luz mais caro que o meu, faltavam quinze minutos para as duas e meia.

-Desmarque. Ele falou de forma simples como se não fosse nada e se virou para mim, senti o olhar dele queimando em cima de mim, mesmo assim continuei a encarar Haechan, pedindo socorro mentalmente.

A secretária o encarou confusa.

-Mas senhor Kim...Ela parou de falar ao que ele a encarou e elevou a sobrancelha.

-Eu não quero atrapalhar senhor Kim, podemos deixar isso para outro dia. Eu falo ainda que hesitante.

-Não, está tudo bem senhor Jeon, Haechan? - Ele a chamou, a mesma deu alguns passos a frente e o encarou apreensiva.- Desmarque a reunião, ainda não terminamos aqui.

A funcionária assentiu e saiu fechando a porta em seguida.

Respirei fundo me virando novamente para ele.

-A onde estávamos? - Ergueu os olhos pensativo.- Ah..é mesmo. Ele me encarou seriamente antes de voltar a falar.- Sobre ler, sim Jeon eu gosto de ler. Seu tom de voz é simples. Ele dobra a cabeça para o lado e me encara de forma divertida, correndo seu dedo indicador por seu lábio inferior. Puta merda! Engulo seco, Concentre-se Jungkook! Retomo minha sobriedade.

-Eu também. Respondo seco, nunca tratei ninguém assim, mas ele conseguiu me irritar de uma forma…

-O que gosta de ler? - Ele cruza as mãos em cima da mesa.

-Romance, ficção de romance. Rolo os olhos, ele nota e parece não gostar, sua expressão muda para uma mais autoritária quando meus olhos se conectam com os dele, minha testa franze sem entender sua feição.

-Então é um jovem romântico? - Sua voz soa desinteressada e eu ainda me pergunto o porquê dele estar esticando tanto essa entrevista.

-Desculpa senhor Kim, mas você tem uma reunião eu não quero que perca seu tempo comigo. Me levanto da cadeira e ruborizo, nunca na minha vida eu iria fazer isso, o que está acontecendo comigo meu Deus?

Seus olhos castanhos me encaram de forma curiosa e ele parece inalar o ar com força, merda! Devo estar em maus lençóis, com o maxilar travado e os lábios cerrados ele também se levanta.

-Tudo bem, se minha companhia não te agrada muito. Sua voz é sarcástica, ele dá a volta na mesa e para próximo a mim.- Foi bom te conhecer Jeon, espero que você se adapte rápido e tenha um bom desempenho aqui na Kim House. Ele estende a mão novamente.

-Desculpa senhor Kim, não quis ser grosseiro, eu só não quero te atrapalhar. Pego na mão dele, dessa vez o aperto é mais caloroso, fazendo meu corpo inteiro esquentar, ele umedece os lábios de forma sensual e retira a mão vagarosamente da minha, merda de novo! Minhas bochechas ardem, com certeza estão escarlates.- Até mais senhor Kim. Saio rapidamente da sala.

 

O ar do corredor é mais gostoso, mais respirável, parecia que eu estava embaixo d'água por horas e só agora consegui chegar na superfície, suspiro fundo e volto a andar, passo pela sala da Haechan, mas ela não está lá, então desço com o elevador para o piso treze onde fica minha sala.

*-*-*-*-*-*-*-*

 

-Boa tarde! - Namsook o líder do setor de economia fala se aproximando.- Haecha falou que iria demorar. Ele sorriu de forma gentil.- Meninos esse é novo estagiário, Jeon Jungkook. Fala para os outros três que estavam sentados, os mesmos se levantam e se curvam minimamente.

-Boa tarde! - Eles falam em uníssono.

-Ah..então foi você que estacionou na minha vaga? - O da direita indaga de forma divertida.

-Sua vaga? - Pergunto desentendido.

-É, o Myung não dirige bem, então ele sempre estaciona lá por ser a vaga mais espaçosa. O da esquerda fala com humor.- Eu sou o Sunghyu.

-Ah..me desculpa Myung! - Eu viro para o cara da esquerda.

-Tá tudo bem. Ele sorri e volta a se sentar.

-Bom, essa será sua mesa. Namsook aponta para a mesa próxima de Sunghyu.

-Ok, obrigado. Me aproximo da mesma e me sento. A sala é espaçosa, há uma mesa no meio que é a do líder e duas de cada lado da sala. O outro cara ao lado de Myung está sério, talvez não fosse muito de conversar.

-Bem vindo Jungkook. Sunghyu sussurra, ele aparenta ser o mais novo depois de mim.

-Obrigado. Agradeço com um pequeno sorriso.

 

O tempo passou rápido, Namsook me trouxe algumas folha de cálculos e Sunghyu me ajudou em tudo, ele contou como a empresa funcionava na prática, falou como alguns funcionários eram, mas o que mais me chamou atenção foi quando ele falou sobre a entrevista com o senhor Kim, ele me disse que ninguém ali tinha passado tanto tempo naquela sala assim, e que era tempo demais para uma frase de boas vindas e saber como a pessoa estava em seu primeiro dia, ele não falou nada sobre kim fazer perguntas pessoais, eu sabia! Kim estava brincando com a minha cara, eu só não sei o por quê. Depois de cinco horas na empresa, sim você ouviu bem, cinco horas, eu estudo na parte da manhã, então só me resta a tarde para trabalhar e como sou estagiário o tempo máximo permitido é cinco horas, o que coincidiu certinho com o horário da empresa, eu e Sunghyu somos os últimos a sair com outro pessoal de outros setores, Sunghyu entra um pouco mais tarde no serviço, então ele vai fica responsável por mim quando Namsook e outros vão embora. Apesar das mancadas que eu dei com o senhor Kim, foi  um bom dia de trabalho, fiz amizade com quase todos do meu setor, menos com o Kwan, ele era mais quieto e, não dirigiu a palavra a mim em nenhum momento, Sunghyu disse que ele era um pouco sério, mas que com o tempo com certeza ele me trataria como amigo. Eu estou animado com o próximo dia, pois não terá mais a entrevista com o kim, isso me deixa muito mais animado.

 

*-*-*-*-*-*-*-*

 

Guardo o carro na garagem, Jimin está na sala deitado no sofá quando chego, são sete e vinte, como falei, a empresa não fica muito longe, quando saí dela era sete horas em ponto. Jimin não trabalha, o que me deixa com um pingo de inveja dele, eu queria poder ficar a tarde toda jogado no sofá assistindo à séries e filmes, mas não posso, minha conta bancária não é que nem a dele, ele tem os pais para bancá-lo, já eu não.

-Como foi? - Ele se senta de supetão e me enca curioso.

-Foi legal. Eu coloco minha bolsa na mesa de centro e me jogo a seu lado no sofá.

-Nossa quanto animo. Ele revira os olhos.- Vai, fala sério, como foi a entrevista com o gostoso do Kim Taehyung? - Ele sorri de forma maliciosa. Jimin assim como eu também é gay.

-Gostoso? - Eu elevo a sobrancelha.

-É, vai me dizer que não acha ele gostoso? - Ele indaga descrente.- Ah Jungkook, me poupe!

Ele fala cético enquanto eu subo as escadas, rio da voz manhosa dele quando ele me xinga de tudo que é nome por tê-lo deixado sozinho.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
desculpe-me caso haja algum erro.

Gente essa história é velha eu havia escrito ela antes da fic "Me chame de Seu" , mas o que aconteceu? Eu não havia gostado dela, eu achei ela muito pequena e resolvi não postar, então eu criei a fic "Me chame de seu" com base nela, não totalmente é claro, mas esse fim de semana eu a achei essa história nos meu arquivos em nuvem, então eu a reli, e sei lá, agora ela me pareceu mais interessante, então eu resovi postá-la, ela é curtinha, tinha apenas dois capitulo, mas eu dividi em três, irei postar um por dia, epsero muito que gostem, e não, eu não me esqueci da soutras fics, em breve atualizarei elas.

(O enredo como podem ver é o mesmo do livro, algumas citações e algumas descrições eu retirei do mesmo.)

Boa noite!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...