História 50 Tons de Perna - Capítulo 6


Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Lemon, Nsfw, Yaoi, Yuri
Visualizações 2
Palavras 829
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


<Stephane>
Voltei porr

Capítulo 6 - 3 Dias de Derrota


1° dia

Anna estava confiante no dia , não parou de pensar por um segundo , suas facas estavam organizadas e ela entusiasmada com o grande dia que se aproximava cada vez mais.

Já brindando a sua vitória , quando viu Guilherme e suas expectativas sumiram . Ela passou do seu lado fingindo não conhecer ele.

A idéia de beijá-lo dava vontade de vomitar,  então Anna tentou escapar dele , mas ele a pegou em seus braços .

- Quando eu vou ter o que eu quero?

- Quando você me ajudar em uma coisinha.

Anna o puxou até a sala em que seu Bonequinho e Cabralzinho estavam.Ela abriu a porta e viu os dois se beijando.

Ciúme, ódio e desejo entraram em sua cabeça como uma bomba. 

- Guilherme , mate eles ! Prove que você é igual a mim ...

Antes de Anna terminar de falar seu Bonequinho e Cabralzinho estavam mortos , ela não sabia que ele tinha experiência em matar pessoas , ou ele estava louco por suas pernas.

Eles arrastaram os corpos e jogaram na caçamba,  colocando fogo. Ainda tinha sangue metálico no chão e Anna estava envergonhada de catar com uma garrafinha do chão. 

Ele em cima da poça de sangue metálico pegou Anna e beijou-a , ela lambeu o sangue que estava em seus dedos,  tinha sangue por todo o corpo de Guilherme e isso estava a deixando louca.

Sem perder tempo Anna e Guilherme tiraram suas roupas , ela sentia a mão de Guilherme passear em suas curvas , e começou a sentir sua  pele contra a dela .

Guilherme passou a faca em suas pernas e lambeu seu sangue metálico,  pegava ela pelo pescoço e puxava seus cabelos. Beijava suas curvas e feridas , ela o derrubou na possa de sangue metálico e lambeu todo seu corpo.

Quando a brincadeira acabou eles estavam deitados na grande poça de sangue metálico e suor . Anna colocou sua roupa e um casaco por cima para tentar disfarçar o sangue.

Sua mãe a esperava na saída, ela não queria ir pra casa. 

- Olá minha filhinha .

- Oi mãe.

- Tomou?

- Não mãe  , eu não vou tomar esses remédios.

- Mas eles são essenciais para você. Você não é normal filha , esse seu desejo e raiva , isso não é você.

- Você paga caríssimo para aquele médico e ele só receita merda pra eu tomar. Vamos pra casa ? 

No carro sua mãe falava sobre a importância do remédio . Por dentro Anna estava chorando e gritando , seu Bonequinho estava morto e Cabralzinho também.

Ao chegar em casa ,ela se trancou no quarto  e começou a chorar baixinho até cair no sono.

2° dia  

Anna acordou restaurada,  "nada aconteceu ontem " ela repetia em sua cabeça , a polícia não havia chegado nela ainda , mas em minutos ou segundos Guilherme poderia entregala á polícia .

Ela comeu seu café silenciosamente,  ignorando as perguntas de sua mãe que entregou os remédios , Anna como sempre esperou ela sair e os jogou fora.

Já na escola , Anna entrou atrasada na sala de aula , organizou rapidamente suas coisas . Durante a explicação chata sobre adjunto adnominal , ela reparou que Guilherme olhava frequentemente para ela , mas isso não era novidade , a novidade era uma menina olhando fixamente pra ela.

No intervalo , ela olhava suas redes sociais, quando chegaram várias notificações de "Maria Luísa curtiu sua foto" , Anna sabia que quem curte várias fotos de uma vez tem o intuito de chamar atenção. Ela acabara de mandar uma mensagem para ela.

" Eu sei o que você fez. Se junte a mim ou morra nas celas " 

O sinal tocou e todos voltaram para a sala de aula, Anna ao ver que a menina a olhava querendo saber a resposta confirmou com a cabeça. 

O sinal tocou acordando Anna de seu sono profundo no último horário , ela tentaria encontrar a menina à qualquer custo.

Ela encontrou a menina junto a polícia, depois de algum tempo eles saíram de perto dela, "O que será que ela falou?" Se perguntava.

- Oque você fez?

-  Tornei as coisas mais interessantes para o grande dia.

- O que tem de tão importante amanhã?

- O que vc mais esperou!

3° dia

Anna levantou cedo,  cada um tinha um plano em mente não tinha algo certo.

Na aula , Anna percebeu que a menina não estava lá, " pensando bem ela deve ter adiado para outro dia " ela pensava .De qualquer forma os fios da  câmera estavam cortados e haviam várias facas em sua mochila.

Quando Anna escutou o barulho de um tiro, seguido por barulho de chaves , era a menina . A professora estava morta e a porta trancada.

Sem pensar ela pegou suas facas e cortou um por um até chegar em Guilherme , ela amarrou ele , ela queria um final triste para ele , em minutos todos estavam seriamente feridos e a polícia estava a caminho.

-FILHA?










Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...