História 50 Toques Dele - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Daniel, David Nolan (Príncipe Encantado), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Visualizações 50
Palavras 4.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Suspense
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite Baby Cakes 😍

Maisssss um capítulo...espero que gostem...

Gente nesse capítulo a Robin estará um pouco irritado pela atitude de Regina e pelo que causou a Zelena e ele percebe gosta mais da ideia de ser pai do que ele poderia imaginar ou querer e isso faz com que Regina veja o quanto ela está sobrando e atrapalhando tudo e isso faz com que eles tenham problemas.
Espero que gostem… Boa leitura 💚❤️

Capítulo 12 - Precisa decidir


Fanfic / Fanfiction 50 Toques Dele - Capítulo 12 - Precisa decidir


* Pov Regina Off.

* Pov Robin On.

 

Não acreditei quando vi aquilo, não queria o bebê, mas fiquei desesperado ao ver aquilo, será que isso tem a ver com tudo que a Regina me disse? Não sei, só sei que sentir a necessidade desesperada de proteger eles. Zelena já estava baixada sendo vista pelos pais e a irmã, Branca abraçada com Regina, quem tinha um olhar de culpa e a fitei.

 

— Não podia ter feito isso! Não tinha o direito! Acho melhor ir embora. - Digo deixando ela com os olhos marejados e eu fui ajudar a pegar Zelena, e lhe dou as costas. — Meu amor, fica calma… vem… vai ficar tudo bem!- Pego ela no braço e olho para Emma. — Onde levamos ela?

— Aqui vem… - Diz Emma, passando a frente.

 

* Pov Robin Off.

* Pov Regina On.

 

Ele a segurava e eu estava devastada e com muito medo, se Zelena perdesse o bebê eu jamais me perdoaria, nem muito menos o Robin.

 

— Vem amiga, fica calma, não chora! - Diz Branca, me puxando e entramos no quarto de David.

 

Branca me sentou em uma poltrona e se ajoelhou diante de mim, enquanto fazia carinhos em meu cabelo e enxugava minhas lágrimas me fez uma pergunta.

 

— Você não sabia da gravidez, porque está tão mal? Aconteceu, foi só um acidente, não precisa se culpar assim! - Diz Branca, com um sorriso amarelo.

— E-eu… eu sabia! - Revelei.

— Co-como? - Pergunta Branca, assustada!

— Descobrir na viagem, inclusive, eu e o Robin brigamos por isso, e voltamos brigados! E-eu sou a pior pessoa do mundo Branca, eu quero morrer. - Digo chorando.

— Não, não fica assim, ela te provocou, olha a Emma é muito boa no que faz, ela vai ajudar a Zelena! - Disse Branca, ainda me sorrindo.

— Emma?

— A Emma é obstetra, então ela está nas mãos de uma das melhores e é irmã dela, então, não tenha medo, vai dá tudo certo! - Diz Branca, alisando meu rosto.

— Não consigo parar de pensar nela! - Rebato.

— Eu sei, e sabe porque?

— Porque?

— Porque você não é má, não fez de propósito, você é uma pessoa boa e a mais generosa, gentil e amorosa que conheço, por isso que está assim tão mal, mas por favor, fica calma, já, já temos notícias. - Me conforta Branca.

— Branca, eu quero ir embora! - Peço.

 

* Pov Regina Off.

* Pov Robin On.

 

Eu carregava Zelena no colo enquanto ouvia ela chorar, isso me preocupava um pouco, eu sempre protegi ela e odiava vê-la assim. Seus lindos cachos ruivos dançavam com o vento e batiam na minha barriga enquanto fazia cocegas no braço.

 

— Emma? Falta muito? - Pergunto nervoso.

— Não, mais um corredor! - Afirma ela.

— AII...- Grita Zelena, se contorcendo e estava começando a sentir dor.

— Amor? O que foi?

— Zel? Já tá doendo? - Pergunta Emma, que conhecia todo o processo e, com certeza, sabia exatamente o que ela estava sentindo.

— SIM, FAZ PASSAR… - Grita ela e sinto meu coração gelar.

— Calma filhinha! - Diz a mãe de Zelena, enquanto alisa seus cachos.

— EMMA? - Grito desesperado por não termos chegado ainda e por sentir minha camisa a cada passo molhar mais.

— Aqui entra! - Pede Emma, apontando a porta.

 

 

* Pov Robin Off.

* Pov Regina On.

 

Branca havia me dado água e me deitou num sofá que tinha no quarto luxuoso que David estava internado, e acariciava meus cabelos.

 

— Me desculpe… - Sussurra Branca, num tom tristonho.

— Por-por que? - Pergunto espantada.

— Por ter feito você passar por tudo isso a culpa foi minha. - Diz ela, e eu levanto, lhe olhando.

— Tá louca? Eu acredito em você, sei que não sabia dela. - Rebato, segurando suas mãos.

— E-eu não lembrei dela no restaurante, eu vi uma foto dela muito mais nova, e o Robin, eu só conheci uma vez, ele não gostava de sair com a gente, sempre disse que não era vela e como morava em Londres, ele e David se viam quando David ia visitá-lo ou ele vinha, mas isso era entre eles só. - Desabafa Branca.

— Amiga, sério tudo bem, não se preocupa com isso, aconteceu porque tinha que acontecer, e é bom, você estava certa, não devia ter me metido nisso. - Admito.

— Amiga, não precisa ficar aqui, eu sei o quanto vai ser difícil para você, quero que vá embora! - Pede Branca e meu coração fica gélido.

— E-e você? - Pergunto.

— Você me conhece, sei me virar. - Diz ela, sorrindo e piscando para mim.

— Branca, não sei não…

— Escuta, fica aqui até recebermos notícias da Zelena, depois você vai, ok? E quando eles não tiverem aqui eu te chamo pra ficar comigo! - Diz ela, com um sorriso amarelo.

— Ok, você está certa, não posso mesmo ficar aqui, não estou fazendo bem a ninguém, nem mesmo a mim e é duro reconhecer, mas tenho que me afastar do Robin. - Digo.

— Sinto dizer também, mas precisa! Pelo menos até que ele decida quem realmente ele quer. - Conclui Branca.

— É eu sei! - Admito.

Assim que digo aquilo encostei de novo no colo da minha amiga e acabei cochilando um pouco, mas cerca de quase duas horas depois, acordo com a voz da Branca me chamando.

— Ei, acorda, Robin está vindo! - Diz ela.

E eu logo dou um pulo e sento no sofá! E vejo Robin entrar com tudo no quarto.

— Vem cá! - Diz ele, me puxando pelo braço.

— Calma Robin… - Pede Branca, se levantando.

— Tudo bem Branca, já venho! - Digo fitando ela, mas depois torno a fitar ele. — Calma, onde tá me levando? - Pergunto e vejo ele me levar para o corredor, chegamos ao corredor e ele me coloca de frente a ele.

— O que deu em você? Porque fez aquilo com a Zelena, você quem estava apoiando em relação ao bebê, que foi, mudou de ideia? - Pergunta ele, furioso.

— O que deu em mim? Ela me provocou! Não, claro que não. Porque pergunta? - Pergunto também irritada.

— Porque parece que fez de propósito, você sabe que ela está grávida. - Rebate ele, brigando comigo, mas fico feliz de ouvir um está invés de um estava.

— Então, ele está bem?

— Sim, só foi um susto, mas Emma disse que a gravidez dela é de risco e que se acontecer mais alguma coisa a ela vai ser fatal para bebê, então precisamos ter cuidado com isso e precisa se manter longe dela. - Diz ele, sério.

— Você não sabe como estou aliviada! E-eu sinto muito Robin, eu perdi a cabeça, ela me provocou, eu jamais machucaria uma grávida. - Digo com os olhos marejados.

— É mas fez, deveria ter pensando nas consequências, poderia ter acontecido algo a Zelena. - Diz Robin, quase alterando a voz.

— Eu não sei o que realmente te preocupa!? - Confesso.

— Co-como assim? - Pergunta ele, parecendo mesmo não saber o que eu falava.

— Não sei se é pior você se preocupando com a Zelena ou com os dois!

— Como assim? Você não quer que me preocupe com eles?

— Não é isso, é que cada vez que tento não pensar assim, você me prova que realmente ama ela e quer esse bebê, o que é bom, mas não pra mim, eu não me encaixo na sua vida perfeita Robin, não há espaço para uma amante aqui… Quer saber, a Zelena está certa, preciso de um pra chamar de meu. - Digo dando de ombros, mas ele me para e me faz tornar a fitá-lo.

— Do que porra tá falando, eu não quero bebê nenhum, e a Zelena, eu gosto e quero ela, mas necessito de você. Regina, você é diferente de todas.

— É eu sei, mas essa sua indecisão está acabando comigo, sinto muito! - Digo com a voz embolada pelo choro preso.

— Nã-Não Regina, não posso deixar você ir. - Protesta ele.

— Me solta, não torna isso mais difícil, por favor. - Peço com lágrimas nos olhos.

— Regina, por favor, vamos conversa direito, por favor me escuta! - Pede ele, mas eu tento me controlar.

— Robin, eu espero de coração que a Zelena e o bebê fiquem bem e espero que decida ficar com ele, mas eu vou embora, já baguncei muito tudo isso. - Digo soltando da sua pegada e caminho, mas ele me alcança novamente.

— Es-espera… quando posso te ver?

— Acho melhor não me ver mais! - Sugiro.

— Como? Não, você não está entendendo! - Insiste ele.

— Você quem não está!

— Me diz quando? - Pede ele.

— Quando decidir só por mim… e não para dividir você com a Zelena. - Disparo.

Robin me lançou um olhar decepcionado e não conseguiu dizer mais nada, apenas me soltou e deixou que eu caminhasse, Robin me lançou um olhar decepcionado e não conseguiu dizer mais nada, apenas me soltou e deixou que eu caminhasse, sem si quer dizer uma palavra.

* Pov Regina Off.

* Pov Robin On.

Eu não conseguir impedir que ela fosse, o que ela tinha me dito era tão verdade que me deixou sem palavras e sem jeito, queria mesmo ela, mas também a Zelena, e sabia que não era certo, mas não conseguia escolher.

— Ela precisa de um tempo e você uma escolha! - Diz Branca, tocando meu ombro.

— Eu sei, mas não é uma decisão fácil, me desculpe deve me achar o maior safado do mundo!? - Digo com sinceridade.

— Sinceramente, eu espero que o David não se espelhe em você na questão amorosa, mas digamos que entenda você, mas precisa mesmo escolher uma, isso não é justo nem com você, nem com elas. - Diz Branca, com um sorriso amarelo.

— Eu sei, e eu sei que é amiga dela, mas a Zelena só tem essa defesa dela, por causa do medo, medo de me perder, mas ela é doce e gentil, não tão boa quanto a Regina, ela não cuidaria do filho de outra, mas ela é boa e me ama, apesar de não achar isso tão bom, mas devo admitir que é verdade, gosto do jeito em que ela aceita meu verdadeiro eu e gosto de como ela cuida de mim! - Confesso.

— Robin, já te passou pela cabeça que ama a Zelena? - Pergunta Branca, me deixando sem jeito.

— E-eu não amo ninguém Branca. - Digo tentando me manter sério.

— Você seria um péssimo ator, mente muito mal! - Disse Branca, segurando novamente meu ombro e sorrindo.

— E você uma péssima conselheira, como pretende me ajudar me deixando mais confuso? - Crítico.

— Ué, a resposta está bem na sua frente.

— Do que está falando Branca? - Pergunto confuso.

— Você entendeu! Você é apaixonado pela Zelena e ela está grávida, acho que deve deixar a Regina seguir o caminho dela sozinha e vocês vão se machucar bem menos! - Dispara Branca sem pestanejar.

— Mas não consigo deixar ela partir…

— Então deixe a Zelena… - Sugere ela.

— Quando você fala parece tão fácil, estou acostumado a acordar com a Zelena ao meu lado.

— E quando vai acordar com a Regina? E quando acordar com ela não vai sentir falta da Zelena? - Pergunta Branca, parecendo querer mesmo me confundir mais.

— Branca, e-eu preciso ver a Zelena! Eu só vim avisar que eles estão bem e que ela vai ficar de repouso essa noite e eu vou ficar com ela, pode dá notícias do David e também cuidar da Regina, só enquanto eu… - Antes que eu terminasse ela me poupou.

— Eu entendi, pode deixar, eu cuido dela e dele, espero que cuide da Zelena e do seu filho. Agora vai ficar com ela, deixa a Regina comigo! - Diz Branca me dando um sorriso amarelo.

E assim eu seguir até o quarto da Zelena.

* Pov Robin Off.

* Pov Regina On.

Depois de um bom banho e de comer algo a minha cama foi o lugar que achei mais confortável para ficar sozinha e chorar um pouco. Eu me sentia tão culpada pelo que houve com a Zelena, pelo que fiz com o Robin, pelo transtorno que a família da Zelena, o quanto eu estava sendo péssima amiga para a Branca agora, ela precisava de mim, mas eu não tinha cara de voltar lá, não depois de tudo que aconteceu. Meus pensamentos e lágrimas foram interrompidos pelo toque do meu celular, o toque conhecido por mim, me alertava uma mensagem.

* Mensagem On.

 

" E eu sinto muito por tudo, e não conseguir impedir a raiva dela. Por favor me atende!" - Robin.

 

* Mensagem Off.

 

Olhei a mensagem no visor e ignorei, assim como as 20 ligações perdidas dele e não tive nenhuma vontade de responder ou atender, só de chorar mas, não acredito que ele nem admitiu o erro dele, ele também tinha uma parcela de culpa, eu queria mesmo nunca ter ido aquela viagem, melhor, nunca ter conhecido o Robin. Meu celular tocou mais uma vez me deixando aflita e o coloquei debaixo do travesseiro, mas aquele maldito toque não para e estava me irritando extremamente, então resolvi atender.

 

* Ligação On.

 

— O que houve? Não notou ainda que não tenho mais nada a falar para você Robin? - Digo irritada.

— Si-sinto muito! - Diz ele, na defensiva.

— Sente muito? É tudo que tem a me dizer?

— Já sei, quer que me declare culpado? Ok, me desculpe, por ter me atraído por você e ter me deixado ser levado pela luxúria. Mas você é deslumbrante Regina Mills e eu um fraco, mas essa não é a maior questão eu sei que não! - Rebate ele.

— D-do que está falando? - Pergunto sem entender ao certo.

— Você sabe, o que mais lhe deixou triste foi o fato de ter machucado Zelena e o bebê e não tê-la traído. - Argumenta.

— N-não, claro que não, é tudo, não posso lidar com tudo isso agora, inclusive com você! - Digo num tom tristonho.

— Regina, eu sei que foi complicado, mas ela está bem, melhor eles estão, vamos marcar algo, o que acha? - Pergunta ele.

— Sério? Nada do que aconteceu abalou você? Ela quase me mata, com razão, por causa da confusão que arrumei. Robin, eu falei sério, não quero mais me envolver nisso. Sabe, você, Zelena, bebê… chega… bota uma coisa na sua cabeça, não há espaço para mim na sua vida! - Digo com pesar.

— Regina, me diz o que eu tenho que fazer para você ficar comigo, e-eu quero você! - Diz ele, aflito.

— Nã-não sei o que dizer…

— Qualquer coisa eu faço! - Implora ele.

— Não tem o que dizer, se eu pedir que escolha, e escolher a mim, quer dizer abandonar uma mulher grávida, ai você vai me dizer que o bebê não vai ser um problema, já que não quer ser pai. Robin, tudo é tão confuso e tudo me leva a uma decisão horrível, melhor, a sua decisão horrível e isso tudo para ficar comigo, eu não valho tanto assim… - Confesso.

— Claro que vale, deixa que eu decido isso, e se não quer me dizer, eu farei de tudo, vou lutar por você, tá ouvindo? - Pergunta.

— Claro! Faz o que quiser, não me importo mais.- Digo com tristeza e desligo a ligação.

 

* Ligação Off.

 

Não estava acreditando que Robin achava que ia fazer com que eu mudasse de ideia, aquilo era ridículo, ele não poderia escolher, não as escolhas que ele achava que tinha, eu sabia que nenhuma na verdade seria boa!

 

* Pov Regina Off.

* Pov Robin On.


 

Assim que ela desligou a ligação pensei em ligar novamente, mas a mãe de Zelena me chama e avisa que a filha quer me ver. Assim, entro no quarto e quando vejo Zelena deitada naquela cama, rodeada pelos pais, me dá um aperto no coração e vejo que Regina tinha razão em tudo que disse.

— Oi querida, estou aqui! - Digo entrando e sentando ao lado da ruiva. — Você está mesmo bem?

— Sim, eu estou me sentindo um pouco fraca e com fome! - Diz ela, com meio sorriso.

— Onde a Emma foi? - Pergunto fitando meus sogros.

— Pegar o resultado do último exame! - Responde minha sogra. — E onde você estava?

— Fui atender uma ligação! - Respondo.

— Foi ligar para sua amante? - Pergunta meu sogro com ira em sua voz.

— Cla-claro que não. - Gaguejo ao ser tão pressionado.

— Vai mesmo mentir para mim sabe que sou aposentado pelo FBI, não sabe? - Pergunta meu sogro me intimidando.

— Sim senhor, mas vai me prender por ter passado uma noite com outra mulher? - Provoco.

— Não por trair a minha filha, mas o que acha de ser preso por agressão? - Diz meu sogro, se aproximando.

— Querido, por favor… podemos conversar sobre isso depois! - Pede minha sogra segurando o homem pelo ombro.

— Como? Como chegaram a essa conclusão? - Pergunto me levantando da cama e o fitando seriamente.

— Pa-Pai… - Pede Zelena numa voz fraca.

— Zelena, fica calma, só estamos conversando. - Diz o meu sogro.

— É querida, tá tudo bem… acredito que posso esclarecer essa mal entendido. - Me defendo.

— Robin, não precisa explicar nada. Pai por favor… - Pede Zelena.

— Parem, estão deixando a Zelena nervosa! - Pede a minha sogra.

— Eu só estou me defendo… - Digo abrindo os braços. — Por favor, não vamos brigar, nunca fomos disso.

— Nunca bateu nela antes…Já pensou no que o David vai achar disso? - Rebate meu sogro. — Vamos lá fora conversa. - Diz ele me fitando com ira.

— Não tem o que dizer a ele, sabe, não é verdade… mas se você insiste… vamos… - Digo sem querer contrariar mais ele e sigo caminhando atrás dele.

— Que loucura é essa? Parecem meninos de escola! Vão se bater lá fora? - Rebate minha sogra segurando o braço do marido, o impedindo de continuar.

— Não, vamos apenas conversar e acho melhor você me deixar passar. - Diz meu sogro num tom sério e permaneço atrás esperando a passagem.

— Mas que droga… - Diz Zelena, passando como um foguete por mim e antes que eu a pare, ela já está diante do pai. — Pai…

— O que pensa que está fazendo ai em pé? - Pergunta ele, fitando Zelena.

— Impedindo o senhor! - Diz ela, tocando o peito do pai com o dedo. — Já disse que ele não me machucou eu cair só isso, acha mesmo que se ele me batesse estaria com ele, pai por favor… eu amo ele, e ele cuida de mim, por favor pai… - Antes que eu pudesse reclamar com Zelena, sua irmã entra no quarto, e se espantou ao ver a ruiva de pé e reclamou por todos.

— O que porra tá fazendo em pé? Zelena, você sabe o que quer dizer repouso? Olha seu braço, você é louca? - Diz Emma, erguendo o braço de Zelena que sangrava um pouco.

— Eu tive que arrancar a merda do soro e a culpa foi do papai. - Diz Zelena, quase irritada.

— Mais um motivo para não levantar, porque não fica quieta? Pai, o que está aprontando agora? Robin, mãe, estão de enfeite? Deixaram que ela levantasse? Vem, acho que tenho que ficar no quarto cuidando de você. - Diz Emma, guiando a irmã de volta para cama.

— Só queria conversar com o Robin! - Se depende o meu sogro.

— Queria brigar com o Robin, sem motivo! - Rebate Zelena.

— Eu só não queria confusão na frente da Zelena. - Digo.

— CALADOS TODOS! SEM DESCULPAS. - Grita Emma, tentando bota ordem no local.

— Emma… - Diz Zelena, assustada!

— Emma? Sério, eu sou a única sã aqui? Você está sentindo algo? - Pergunta Emma, fitando a irmã.

— Uma cólica chata, mas estou bem, porque não para de ser tão paranoica? - Pergunta Zelena irritada com o zelo da irmã.

— Vou dizer algo e quero que preste atenção, melhor prestem, todos vocês. Zelena, um vacilo… um susto, um grito, uma briga! Maninha, seu bebê não é tão forte como gostaríamos que fosse, então… - Disse Emma, fitando Zelena. — O que tá pensando? Tem que cuidar dele querida, por favor…

— Ems, eu estou cuidando… - Argumenta Zelena alisando sua barriga.

— Jura? Não parece, Robin, preciso de você nisso… - Diz Emma, me fitando.

— Pode deixar, eu vou cuidar bem deles… - Digo beijando Zelena.

 

Um mês depois…

 

Apesar do acidente do David ter sido feio e de algumas cirurgias ele tinha recebido alta. Zelena havia ficado de repouso por duas semanas, nas quais me dediquei a ela, e resolvi que Regina estava certa eu deveria ficar com o bebê. Regina não me atendia, e depois de tentar de tudo em três semanas e sem nenhum retorno resolvi dá o tempo dela.

 

* Pov Robin Off

* Pov Regina On.

 

— Regina… Regina… - Me chama Branca e a fito assustada.

— O que? O que houve? - Pergunto assustada.

— Estou te chamando a um tempão, assim como esse pão está esperando que você o coma… - Diz ela, apontando para o pão que estava em meu prato do café da manhã.

— Desculpa, fala…

— Escuta, tem que reagir, está assim desde que o Robin se foi. - Diz ela, mas eu baixo minha cabeça e não lhe dou atenção, mas ela segura meu queixo e me obriga a fitá-la. — Presta atenção, você fez o melhor para você e pra ele e salvou uma vida, você leu a matéria eles vão ficar com o bebê, conseguiu isso, deveria estar feliz. - Diz Branca, me lembrando da merda da matéria da People, na qual Robin e Zelena saíram na capa, bem sorridentes e segurando a barriga dela, daria tudo para não lembrar disso.

— BRANCA, NÃO VÊ QUE ESSE É O PROBLEMA, EU DEVERIA FICAR BEM, MAS NÃO CONSIGO, EU PRECISO DELE, EU O AMO… MALDITA HORA QUE VI AQUELES BELOS OLHOS E AQUELE SORRISO ENCANTADOR NAQUELE MALDITO CRUZEIRO, SEMPRE SOUBE QUE EU NÃO DEVERIA TER IDO. QUER SABER EU ME SINTO PÉSSIMA, MAS EU QUERIA ELE AQUI COMIGO E NÃO COM ELES. E QUER SABER NÃO QUERO COMER MAIS…- E com meus olhos marejados deixo o local, mas isso não impediu a Branca de vir atrás de mim, e invadiu meu quarto, já que não lembrei de trancar a porta.

— De novo? Não vai comer de novo… Regina, vai ficar doente, por favor come algo! - Pede Branca, alisando meus cabelos, enquanto estou deitada de costas para ela, precisava esconder meu choro, que havia se tornado um hábito.

— Nã-não consigo… - Murmuro, com uma voz falha devido ao meu choro.

— Nem acredito que vou dizer isso, mas… - Começa Branca.

— Mas… - Pergunto curiosa e me viro fitando-a, a final conheço aquele tom, queria me dizer algo que não aprovava, mas tinha que dizer.

— Acho que deve ir atrás dele, quer saber que se dane, a maioria dos casais tem filho e logo se separam, acho que o Robin pode pegar o bebê nos fins de semana, mas saiba que vai ter que ajudar! - Diz ela, com um sorriso silencioso.

— Acha mesmo?

— O que? Que vai ajudar? Sim… - Diz ela, gargalhando.

— Branca, não é isso… acha que devo mesmo ir, mas você disse… - Antes que eu terminasse ela silencia minhas palavras, colocando seu dedo sobre meus lábios.

— Eu sei o que eu disse e ainda acho que seja o certo, mas não acho certo te ver assim, triste e sem vontade de viver, estou preocupada, não come, não sai…até pediu demissão, então estou preocupada demais para pensar em meus princípios. - Admite ela.

— Branca, eu estou bem…

— Regina, você mente muito mau.

— Quer saber? Você está certa, eu vou atrás dele, que se dane tudo. E-eu te amo, obrigada por me apoiar. - Digo lhe abraçando. — Agora preciso encontrar alguém… - Digo sorrindo.

— Toma um banho e troca essa roupa. - Diz Branca sorrindo e puxando meu pijama.

— Claro…

 

Eu tomo um banho e troco de roupa, pego meu carro e sem demoras estou estacionada em frente da mansão, desci e logo toquei a campainha…

 

— Regina, o que está fazendo aqui? - Pergunta ele, parecendo surpreso em me ver.

 


Notas Finais


Genteeeeeeeeee e ai o que acharam??? O que acham que a Regina vai conseguir o Robin de volta? E esse amor vai superar isso?
Estão gostaram? Comentem...favoritem e compartilhem...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...