História 5th Sense - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Tags Nct Fanfics Sobrenatual
Visualizações 17
Palavras 964
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIIE! Como vocês estão? Espero que bem!!
Estou sem criatividade para os nomes dos capítulos KKKKKK
Boa leitura meus amores!❤️❤️

Capítulo 17 - Possível Passado 2


Fanfic / Fanfiction 5th Sense - Capítulo 17 - Possível Passado 2

                   Capítulo 17

   Senti que algo queimava o meu rosto e me lembrei que não tinha fechado a janela do meu quarto,então virei para o outro lado afim de desviar o sol que entrava pela janela e senti que alguém estava do meu lado,foi aí que a ficha de que eu estava no quarto de Doyoung caiu.Abri os olhos devagar e subi o olhar para o rosto do mesmo que estava com um sorriso angelical enquanto me observava.Sorri e o abracei colocando a cabeça em seu peito,fechei os olhos quando o mesmo começou a passar a mão na minhas costas fazendo um carinho suave.

    Ficamos quietos por alguns minutos,aproveitando o tempo juntos,já que nós sabíamos que quando encontrássemos os outros,Ten e eu teríamos que “voltar” ao meu passado e reviver memórias nem tão felizes assim.

    -Podemos parar o tempo e ficar aqui pra sempre?-Eu digo suspirando.

     -Bem que eu queria...mas nós temos coisas a resolver.-Ele responde-Vamos preguiçosa,você tem que tomar o café da manhã pra ter energia.

     Fiz cara de choro e levantei me espreguiçando.Calcei a pantufa e mandei um beijo no ar para Doyoung que já havia se levantado na velocidade da luz e estava parado no porta do closet.Fui para o quarto e me arrumei,amarrando o cabelo e colocando uma roupa confortável.Depois de encontrar todos e desejar um bom dia,fui tomar o café da manhã com um Winwin meio tristonho por ter discutido com o namorado.

    O dia parecia correr normalmente até que Todos se reuniram na sala do subsolo.E assim Que Ten veio para o meu lado ele sorriu abertamente me acalmando.Procurei Doyoung e o vi de braços cruzados com um olhar preocupado.

    -Ten...eu já volto!-Eu digo para o garoto que conversa com Taeyong e ele balança sua cabeça concordando.

    Caminho até Doyoung e paro em sua frente com as mãos na cintura,o observo por um tempo e decido acalma-lo,seguro seu rosto com as duas mãos e o beijo.Rapidamente a sala ficou em completo silêncio,somente assistindo o nosso beijo,mas assim que nos separamos os meninos começam a bater palmas e fazer piadinhas com o líder do Fifth Hearing que havia ficado com muita vergonha.Então para o ajudar...ou não,eu o abraço apertado e dou risada.Me afasto e caminho novamente para o lado de Ten que sorria maliciosamente para nós dois.

    Estiquei minhas mãos e o mesmo logo ficou sério segurando-às,respiramos fundo e fechamos os olhos juntos.Senti de novo a minha mão ficar cada vez mais quente e logo nós estávamos no passado.

    Dessa vez o que eu via era um porta preta e em frente à ela uma mulher me segurava no colo,a porta preta foi aberta por uma mulher que eu logo reconheci como a minha mãe adotiva.Ela sorriu e eu logo fui entregue na mão da mesma ,que chamou pelo marido.Eu dormia calmamente no colo dela enquanto a mesma acariciava o meu rosto e sorria emocionada.O meu pai Encostou o queixo no ombro da mesma enquanto me olhava encantado.

    Eu podia ver a pessoa que me entregou chorar,escutava os soluços de agonia da mesma.Mas não parecia a mesma mulher da outra visão.Essa parecia mais velha mas eu não enxergava o seu rosto devido a grande touca da capa cinza que usava.

    Olhei para Ten e o mesmo estava com um olhar triste.Estiquei o braço e segurei a sua mão a apertando de leve,como se eu dissesse que estava tudo bem.Porque apesar de não ter conhecido os meus pais verdadeiros,eu tive muito amor e uma ótima criação.Meu coração acelerou ao vê-los novamente,ali naquele dia eles não faziam ideia que iriam bater um carro enquanto viajavam para me ver.

    Voltei a olhar para frente e agora a mulher com a capa cinza se despediu dando um beijo na testa da pequena S/n.Mas me enganei quando pensei que ela fosse embora,já que ao dar o suave beijo uma luz branca se acendeu como um enorme clarão enquanto ela recitava algumas frases que não pude entender.Os meus pais apenas observavam como se estivessem acostumados com isso,e sorriram quando tudo voltou ao normal e assim a mulher se foi,os agradecendo e com a cabeça baixa ainda chorando pelo acontecido.

     Franzi a testa em confusão,já que não estava entendendo o que havia acontecido.Em um piscar de olhos a imagem mudou e agora eu já estava com os meus 10 anos de idade e brincava com a minha melhor amiga enquanto nossas mães tomavam o chá da tarde.Me lembro perfeitamente desse dia,pois foi quando eu senti a primeira dor de cabeça.As dores de cabeça que começaram a ser frequentes e cada vez mais fortes.E de repente a dor apareceu novamente,depois de anos sem aparecer. Eu gemi de dor e agachei com as mãos na cabeça,flashbacks  passavam pela minha cabeça e parecia que meu cérebro iria explodir a qualquer momento.Ten veio em minha direção e a sua voz estava longe enquanto ele perguntava o que estava acontecendo.

    A visão acabou e voltamos a realidade,Ten ainda segurava a minha mão,mas agora estávamos agachados.Eu apertava os olhos e da minha garganta saíam grunhidos.Eu podia escutar a voz de todos em minha volta mas não podia entender já que pareciam estar longe demais.

    Senti alguém me pegar no colo e percebi ser Doyoung,o apertei e encostei a cabeça em seu peito enquanto era carregada escada a cima.Aos poucos a dor foi passando e eu pude respirar tranquila.

     Deitada na cama eu tentava entender o que havia acontecido para a minha cabeça doer tanto assim.Escutei uma leve batida na porta que foi aberta por um Doyoung sério.Em suas mãos ele trazia uma bandeja que segundos depois eu vi que havia um sanduíche e uma xícara de chá.Sorri para ele que havia se sentado na ponta da cama e comi em silêncio aos olhares curiosos do vampiro que faz meu coração bater mais forte.

  

     


Notas Finais


É isso aí,espero que tenham gostado!
Qualquer dúvida podem me perguntar ok?ainda temos bastante perguntas para serem respondidas,muito mistério SHAIAHAH e eu espero que esteja indo de acordo com o que tem passado na minha cabeça!
Um beijão pra todos,adoro vocês até o próximo❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...