História 6 AM - The Ninth Pair Of Eyes - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Personagens Originais, Purple Guy
Tags Animatronic's, Comedia, Five Nights At Freddy's, Fnaf, Mistério, Originais, Purple Guy, Terror, William Afton
Visualizações 2
Palavras 3.410
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi galeru, tudo bom? Tô postando atrasada mas é melhor que nada Ksksksks, semana que vem tem o capítulo 4 pelo menos isso é certeza... Eu acho.... Kkkk boa leitura ;3

Capítulo 3 - A Nova Pizzaria


Fanfic / Fanfiction 6 AM - The Ninth Pair Of Eyes - Capítulo 3 - A Nova Pizzaria

O trio havia acabado de sair da fábrica onde conheceram os novos mascotes, e agora eles irão partir para a Pizzaria

- Então vamos, eu vou levar vocês no meu carro novo! - Anunciou Chester, com animo no rosto.

- O quê? E passar por aquela situação de quase morte de novo? Não mesmo! - Com um leve ar de desespero, Sally nega a oferta de seu patrão.

- Deixa que eu levo vocês dois. - Francis sugeriu para eles ao ver que Sally quase teve um ataque de pânico ao ouvir a sugestão do mais novo.

- E deixar de usar aquela maravilha lá fora? Nem ferrando, vocês dois podem ir sozinhos se quiserem.

- Vamos Sally, eu te levo no meu carro.

Francis andou até uma parte one estavam estacionados os carros de alguns funcionários de sua fábrica, lá destrancou sua Kombi enquanto Sally observava com um olhar de perplexidade.

- Algum problema Sally? - Perguntou Chester, enquanto ascendia um cigarro, estava sentado no porta malas de seu carro, observando o grande letreiro branco que nomeava a fábrica do mais velho, nela estava escrito "Robotic Inc.".

- Eu... Só.... Me recuso a acreditar que o dono de uma fábrica dirija essa velharia... -Sally disse enquanto apontava para a Kombi de Francis.

- Velharia? Essa coisa linda foi lançada em 1957, ela ainda tem muita estrada para andar.

- "Ela" ? Você acabou de se referir a sua Kombi no sexo feminino? - A mulher parecia mais intrigada com o fluir da conversa, enquanto o mais jovem apenas ria dos dois e da Kombi também.

- Obviamente! Chester, o que você está esperando para entrar no seu carro? Perguntou Sally.

- Ah, eu não gosto de fumar dentro do carro, por causa do cheiro ruim que fica, então eu só vou ir quando eu acabar de fumar.

- Então por quê você começou a fumar do nada? Apaga logo esse cigarro!

- Calma Sally, eu vou chegar lá a tempo.

- Espero que você esteja falando a verdade!

Então, os mais velhos entraram na Kombi e partiram para o local da nova pizzaria, o carro fazia um barulho que Sally só ouvira antes vindos de veículos velhos em seus últimos dias de vida.

- Tem certeza que essa coisa vai aguentar até chegarmos na pizzaria?

- Se acalma um pouco, a Martha está em perfeitas condições!

- Tudo bem... Se você está dizendo... Espera aí, Martha?!?

Após quase 45 minutos dirigindo, foi possível ouvir o som absurdamente alto do carro de Chester se aproximando só para então ultrapassar o veículo de Francis com facilidade.

- A diferença entre a velocidade dessa porcaria e daquela armadilha sobre rodas é absurda!

Ao pronunciar essas palavras, quase como um karma instantâneo, um barulho de estouro foi ouvido, junto de fumaça, saindo do motor do carro em que os dois estavam, Francis levou um susto e deu um grito fino demais para um homem adulto, e rapidamente abriu a porta de seu carro e saiu para verificar o que tinha acontecido, Sally também saiu e ficou olhando maior com um olhar furiosos.

- Eu vou fingir que não sei o que aconteceu e vou perguntar... O que aconteceu com a MERDA do seu carro?

- Eu... E-eu não sei, ela estava funcionando bem, eu mandei ela pra fazer uma revisão semana passada, eu não sei por que, mas o motor parou de funcionar do nada...

- Droga, Francis, agora como é que nós vamos chegar na pizzaria?

- Ah... Táxi...?

20 minutos depois

Chester esperava impacientemente pela chegada de seus dois sócios, enquanto não chegavam, ele observava a aparência de sua pizzaria, a parede tinha como cor predominante o cinza, a única exceção eram duas listras amarelas que ficavam no topo da parede, elas duas só eram separadas por uma listra cinza que passava em seu meio. No topo de sua pizzaria tinha um grande letreiro formando a frase "Peter's Pizza Word" ao lado de uma versão meio cartunisada de Peter, que estava sorrindo e acenando em uma imagem estática, a entrada era composta por uma escada que levava direto para uma porta de vidro de cor cinza.

- Bom, dava pra ser melhor, mas ficou legal...

A concentração do loiro era interrompido pelo barulho de um carro, quando se virou, o carro era amarelo e azul, e tinha uma placa escrito "táxi".

- Cacete... Isso deve ser uma piada!

Chester começou a rir alto ao ver que Francis e Sally estavam dentro do veículo amarelo, sentados no banco traseiro, sendo que o maior estava escorado pois era grande demais para caber no veículo, e era possível ver sua cabeça pela parte onde ficava o banco do passageiro ao lado do assento do motorista, quando ele sai, é possível ver uma expressão de dor em seu rosto.

- Minha coluna e meu pescoço jamais serão os mesmos novamente... Acho que eu preciso ir pra um hospital.

- Eu não acredito que tô perdendo meu tempo com vocês dois, e ainda por cima vou me atrasar pro meu compromisso! - Disse a loira, enquanto saia do carro, ela caminhou até o motorista do táxi e então pagou pelo serviço. - Vamos Francis, mostra logo essa porcaria de pizzaria pra gente, pra eu poder ir embora logo!

- Por quê você está tão apressada Sally? Vocês dois mal chegaram, além do mais, eu te paguei pra vir aqui comigo hoje pra me dizer se está tudo indo bem, até nós vermos cada canto da minha pizzaria, ninguém sai daqui.

- Eu sei, é só que eu tenho um compromisso importante.

- De novo essa história de "compromisso importante", parece até que você tem um encontro!

Nesse momento, Sally cora e tenta rapidamente esconder seu rosto abaixando ele para que não olhassem-no.

- Espera um pouco, é isso, não é? Você tem um encontro! Alguém corajoso abriu as portas para esse seu coraçãozinho frio!

- Senhor Chester Moriarty Friendkins!! Seja mais profissional por favor!

Disse a mulher, enquanto tentava evitar gritar com o jovem, Francis apenas observava a cena, tentando evitar dar risada do quanto os dois eram infantis, até mesmo Sally, apesar dela conseguir mascarar sua vergonha naquele momento.

- Esse dia não pode ficar mais estressante, primeiro a porcaria daquela Kombi quebra e agora você vem com essas infantilidades, e mais, a minha vida pessoal não é da sua conta!!

- Eu ainda não acredito que a Martha morreu no meio da rua... - Francis lamentou sozinho.

- Olha Sally... Espera... Quem é Martha? Perguntou Chester

- É o nome daquela lata velha do Francis!!

Francis olhou meio irritado para Sally e sussurrou. - A Martha e você tem quase a mesma idade...

- O que o senhor está falando aí de mim Francis?!

- Eu? Só disse que... devemos entrar logo!

- O Francis está certo, aliás, você tinha um compromisso, lembra?

- Esqueça esse assunto Chester, não vamos perder mais tempo, não quero chegar atrasada.

- Me sigam entao. - Francis subiu as escadas e caminhou até a porta de vidro que se abriu sozinha, os outros dois seguiam ele.

- Eu mandei instalar portas automáticas, gostaram?

- Isso ficou meio escroto pra uma pizzaria... - Sally pronunciou em um tom frio, obviamente ainda zangada com a conversa anterior.

- Que nada Sally, eu gostei! Devemos mostrar que minha pizzaria tem o que é melhor da tecnologia!

Os três avançaram mais um pouco até que chegaram em uma sala, a esquerda tinha um balcão e a direta uma espécie de loja com prateleiras e decorações coloridas.

- Chester, Sally, essa é a recepção, onde as pessoas reservam mesas e pagam as pizzas, à direita por pedido da Sally eu mandei instalar essa banca que será uma pequena loja aonde venderemos pelúcias, camisas, chaveiros e essas coisas.

- Sim, espero que entenda Chester que precisamos ter fontes de lucros extras para sustentar a pizzaria.

- Eu já disse várias vezes que dinheiro pra mim não é problema, mas se a Sally pediu então está tudo bem, ah,  Francis, depois pode me mandar as pelúcias de cada animatronic?

- Claro, Chester, mas só na semana que vem, quando os produtos chegarem.

- Estou muito ansioso! E quando será a inauguração da Peter's Pizza World?

- Acho que dia 8 de Setembro.

Os três andam pelo local, seguindo o corredor até seu limite, onde tinha um  caminho na esquerda e na direita.

- O caminho da direita é onde ficam os banheiros, e na esquerda fica o salão principal, que é o local que dá acesso ao resto da pizzaria, alí também vai ser o lugar onde o show vai acontecer e onde as pessoas vão comer.

Eles chegam ao salão principal, o chão do lugar era formado por vários quadrados vermelhos, que se estendiam até a maioria das salas ao redor. O palco era feito de uma madeira escura, tinha uma cortina vermelha que cercava a parte em que os animatronics ficariam, mais dois holofotes na frente, virados prós cantos onde Peter e Widow ficariam posicionados, o resto do local estava vazio, tinham algumas mesas grandes em um canto separado da sala, junto de cadeiras e alguns caixotes.

- Por quê está tudo desorganizado? Achei que tinha pedido para de arrumar a pizzaria o quanto antes.

- Calma, Chester, eu dei um horário de folga para os funcionários por hoje ser a nossa visita ao local.

- O quê? Eu queria que adiantassem a organização, não que parassem!

- Assim que formos embora eu ordenarei que esse lugar seja pronto ainda hoje.

 

Então continuam seu passeio, eles chegam até a cozinha, que se não fosse pelos fornos estaria vazia, a pintura da cozinha era um pouco diferente da pintura dos demais locais, a parede era completamente branca, e o azulejo quadriculado do chão era preto e branco, por não terem muito o que olhar passaram para o depósito. O depósito era o local mais "morto" da pizzaria, seu chão e sua parede eram cinzas, com uma leve diferença de claridade em seus tons, a única coisa em seu interior eram algumas prateleiras e um espaço maior vazio onde seriam guardados coisas no futuro.

Após saírem da cozinha e da parte Norte do local, o trio seguiu um pouco para o Leste e estraram em uma sala meio grande, parecia um local bem vivo, no chão por toda a sala tinha um carpete roxo, a parede era parecida com a do resto do local mas em vez do amarelo havia um roxo claro e em vez do cinza era a cor azul clara

- Que sala agradável! O que ela é Francis?

Chester perguntou se abaixado e tocando no carpete

- Ela será a área infantil, as crianças mais pequenas ficarão aqui

- Então tecnicamente Boby ficará aqui, não é?

Sally Indagou

- Está certa, Boby ficará ali. - Francis apontou para uma pequena sala em meio formato de meio círculo

- Isso me lembra meus tempos de criança!

Chester se jogou no chão, abriu os braços e os mexeu deixando um "Anjo" marcado no carpete

- Senhor Chester! Levante-se!

- Ah Sally! Vamos lá! Se deite aqui também!

- Claro que não! Estou de saia e também estou aqui a trabalho!

- Você é bem chata as vezes, me pergunto se teve infância.

- Tive infância como qualquer um, mas eu cresci e me tornei uma mulher madura e nas fiquei em pleno meus 18 anos me comportando feito uma criança.

- Sally, sabia que eu poderia te demitir por isso né?

- Me desculpe, Senhor Chester, mas foi você que pediu.

- Olá? Alguém aí se lembra da pizzaria?

Francis interrompeu a pequena briga. Todos se entreolharam por alguns segundos e o silêncio tomou a sala, Chester se levantou do chão meio envergonhado.

- Vocês tem razão, vamos logo com isso. - Disse o jovem.

Os três sairam da Área das Crianças e seguiram em diagonal para a direção Sudoeste e chegaram em uma sala, era grande e continha a mesmo sistema das paredes e chão do resto da pizzaria.

- Bem Vindo à Sala de Jogos! Aqui ficarão Fliperamas, brinquedos, tudo para os pequenos clientes se divertirem!

- E arrancar mais dinheiros deles, temos de ter lucro.

- Francis, teremos jogos dos nossos mascotes??? - Perguntou Chester bastante alegre.

- Bem... uh... infelizmente não...

- Sally, me explique o porquê disso!!

O jovem ficou alterado

- Heh... Chester... bem... não conseguimos fechar contrato com nenhuma produtora de jogos... Mas... se isso te alegre... achei alguns Fliperamas que estiveram na Silver Days e vou mandar coloca-los aqui.

- Ah! Sério? Que ótimo! Acharam aquele do Macaco que pula em tartarugas?

- Uh... sim... eu acho...

- Vamos logo, esse "passeio", já está quase acabando.

Ao saírem da área de jogos, eles viraram a direita e caminham até o final do corredor, onde ficavam três portas levando para salas diferentes, uma na esquerda e as outras duas na direita, então eles entraram onde ficava a Partes e Serviços, ao entrarem avistaram uma mesa de concreto no centro da sala, algumas prateleiras na parte superior que se estendiam quase até o limite da parede e um grande armário esverdeado de porta dupla no centro da parede que ficava no fundo, também havia um painel na parede, tirando isso, a sala estava vazia e era quase claustrofóbica de tão pequena, parecia ter sido feita para suportar apenas duas ou, no máximo, três pessoas.

- Aqui é a partes e serviços, onde ficaram as peças de reparo dos animatronics e onde eles virão quando precisarem de concerto, o painel na parede serve para dizer o estado dos animatronics e de coisas sobre a pizzaria em si, como o estado da energia do gerador.

- Achei que aqui seria maior... Francis, você acha que daria pra expandir ou até mesmo fazer uma outra sala nesse fundo onde fica o armário?

- Talvez, mas não sei qual seria o objetivo de fazer isso, não precisa de muita gente pra concertar os meus animatronics, até porque eu vou deixar dois dos meus melhores funcionários cuidando do reparo deles.

- Bom, olha a hora, se já terminamos aqui então é melhor passarmos pra próxima sala!

Os três então se dirigem para a sala ao lado onde ficava o escritório do futuro guarda de sua pizzaria. O escritório era do tamanho do local anterior, o lugar onde deveria ficar a porta estava aberto e a sala estava vazia, contendo apenas um pequeno painel em sua parte frontal e logo acima uma ventilação além de uma segunda porta do outro lado da sala que levava à outro corredor, eles entraram e aquele sentimento de claustrofobia só não era o mesmo porque não tinha nada lá.

- Que lugar é esse? Por quê ele é tão pequeno? E onde caralhos tão as porta daqui?

- Aqui é a sala do guarda, ela é pequena porque só vai ter um aqui dentro, e as portas... - Ao falar isso, Francis se aproximou do painel, apertou um botão, ativando ele, e então apertou outro botão, um barulho feito atrás de Chester e Sally assustou ambos e, quando olharam, o buraco retangular por onde entraram foi preenchida por uma porta de metal. - ...Aí está a porta!

- Caraca, isso é demais!

- Esse painel controla tudo nessa sala, desde as portas até o sistema de ventilação, ele também dá acesso as câmeras de segurança e ao sensor de movimento da ventilação, também tem um localizador que ajuda a saber aonde os animatronics estão, caso parem de funcionar em algum lugar que seja difícil de localizar, o painel também energiza as portas.

Francis aperta o botão novamente e então a porta abre, ele desliga o aparelho e então eles saem da sala pela outra porta e vão caminhando pelo corredor até uma última porta, Francis checa seu bolso e tira um amontoado de chaves, e começa a testar cada uma delas na porta.

- Isso deve ser algum tipo de piada...

Após alguns minutos, ele finalmente abre a porta, revelando mais uma sala de tamanho parecido com o da Partes e Serviços, um grande gerador podia ser visto dentro do local.

- Aqui é onde fica o coração desse lugar, essa é a sala do gerador, é ele que dá energia para todo esse lugar e mantém ele funcionando em cada mínimo detalhe!

- Não é meio estranho você deixar um trabalho tão importante pra um só gerador?

- Do que você tá falando? Olha o tamanho dessa beleza! Esse gerador é ultra moderno, ele conseguirá sustentar esse lugar até não dar mais!

- Algo nessa sua frase soou estranho, só não sei o que é...

Os três caminham pelo local até sua saída, Chester interrompe a caminhada e pede para conversar em particular com Francis, Sally sai do local e então eles começam a conversar.

- Francis, como vocês não vão fazer uma versão do King, o que eu acho um completo absurdo, ele também não vai ter uma versão plush, né?

- Não, não vai, por quê?

- Eu queria saber se você podia fazer um plush King, só pra mim é claro, não precisa ser comercializado, eu só quero ele pra ficar na minha coleção, eu pago ele.

- O quê? Você tem certeza?

- Nunca tive mais certeza em toda minha vida!

- Tudo bem então...

- Só não fala nada pra Sally!

- Ah, ok.

Enquanto isso, do lado de fora...

Sally falava ao telefone com alguém, o telefone era enorme, branco e mal podia ser segurando pela mão que ela estava usando, seu telefone era guardado em sua bolsa, a qual tinha metade de seu espaço ocupado pelo mesmo e parecia ridiculamente vazio sem ele, ela pensava muitas vezes em deixá-lo em casa, mas como foi um presente, ela não fazia isso pelo seu significado.

- Oi, Will, eu tô aqui na rua onde a pizzaria vai ser construída... Sim, eu sei que prometi que a gente ia passar o dia junto, mas não deu, tá. Pelo menos ainda vamos poder jantar.

Alguns minutos se passam e ela continua sua conversa de forma incessante com o homem do telefone, até que os Chester e Francis saem de dentro do estabelecimento, Sally toma um susto, quase deixando seu celular cair.

- Ah... Eh... T-tchau, Will, vem logo!

- Eh?! O que foi isso? Quem é esse tal de Will, Sally?

- Ninguém que você precise saber!

- Há, ele é o seu namorado! Você tava estranha esse tempo todo por causa dele, eu aposto que é isso! O quê é que vocês marcaram de tão importante? Um encontro?

- E-eu... E-ele... N-nós... Isso não é da sua conta seu imbecil sem cérebro!

Um barulho repentino de carro interrompe Sally, os três se viram para então notar um carro roxo vindo em sua direção, a cor forte daquele veículo brigava com o por do sol, desarmonizado por seu exagero excêntrico e elegância. Ele para em frente a Sally e então a porta é aberta de dentro pra fora.

- Olá, querida, estou atrapalhando alguma coisa?

Meio corada, Sally sorri de uma forma que Chester nunca viu antes, uma genuína felicidade força os lábios dela em um sorriso.

- O quê? N-não, eu estava te esperando  faz tempo.

O homem dentro do carro tinha cabelos escuros com um corte formal, parecia ter passado bastante gel no cabelo, por sua aparência exageradamente bem penteada, seus olhos eram de um lindo e incomum tom prateado, profundos e claros combinando de forma estranha com seu tom de pele branco, mesmo com a escuridão dentro do carro trabalhando contra a claridade. Vestia um terno preto com uma gravata roxa, um relógio dourado em seu pulso, e um sapato social com fivela prateada, era um pouco alto, e sua barriga era um pouco cheia, mas ainda assim, parecia estar em forma. Ele olha para os dois homens o encarando e com um simpático sorriso diz:

- Olá, vocês são os dois que trabalham com a minha namorada, né? É um prazer conhecê-los, eu sou...

- Ei!

Interrompe Sally, ainda meio envergonhada.

- Não precisa ser tão legal com esses palhaços! Vamos logo, eu ainda quero passar em casa pra trocar a roupa!

Sally entra no carro e então fecha sua porta, é possível ouvir pequenos murmúrios não identificáveis vindo de dentro do veículo roxo, que então é ligado, acionando seu potente motor e então parte em alta velocidade, deixando um rastro de fumaça pra trás.

Chester e Francis ficaram boquiabertos e em silêncio por alguns segundos até que um deles decidiu se pronunciar.

- Francis...

- O que foi Chester...?

- É impressão minha ou...

- "Ou"...?

- O namorado da Sally... é... o William Afton?!


Notas Finais


É isso meus amores, obrigada e tchau /('3')/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...