História 69 Tons do Amor - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Personagens Personagens Originais
Tags Bad, Novela, Revelaçao, Romance
Visualizações 16
Palavras 896
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - 9 capítulo


Fanfic / Fanfiction 69 Tons do Amor - Capítulo 10 - 9 capítulo

Mia Potter

Estou somente algumas horas com ele, ou minutos ,e estou realmente gostando da nossa conversa ,ele é totalmente o oposto do que pensava ,mais por um lado ,parece que o conheço a muito tempo, o engraçado é que não estou com medo de ir pra algum lugar desconhecido com meu chefe ,que virou ex chefe ,eu nem sei o que perguntar a ele ,eu simplesmente quero puxar assunto ,então ele percebe que eu estou o olhando após ter ligado varias vezes pra alguém ,então eu lhe perguntei ,no começo senti um arrepio quando me disse "mulher da minha vida" senti algo ,um aperto talvez ,coisas estranhas ,mais quando a situação foi esclarecida ,meio que ouve um alívio passageiro ,mais de uma hora pra outra ele consegue ser totalmente grosso e ríspido. Definitivamente eu odeio esse outro lado ,onde ele esconde completamente seus sentimentos ,gostos ou seus piores medos ,tudo bem, eu não o conheço o suficiente para ter uma grande intimidade ,mais creio que ele seja assim por dentro ,afinal ,todos nós temos um segredo a esconder ,um monstro talvez, algo que possa parecer com a escuridão em alguma parte de todos nós, em alguns sentidos invasivos ,desesperados ,ou simplesmente sofridos a longo tempo.

A cidade parece tranquila em meio a esse tempo frio ,me deixo preocupar um pouco pela falta de ânimo em minha vida em alguns momentos, até escutar um estalar de garganta ,ao perceber que o olho ele simplesmente diz.

Dylan -Olha ,eu não sou o cara mais gentil do mundo ,e nem pretendo ser. Então sugiro que se acostume ,pois eu não vou ser um docinho pra você e nem pra ninguém. Vamos pra minha casa ,ficaremos um dia ,vou lhe dar roupas já que não trouxe nenhuma com tigo ,e depois voltaremos até aqueles caras não estarem atrás de você.

Mia -Você é completamente um ogro ,não sei como sua "segunda mãe" te aguenta ,e obrigado por me explicar o que vai acontecer nos últimos dias miss simpatia.

Dylan -Mais que merda Mia ,será que você não pode tentar entender as coisas!?

Mia -Ah ,como se houvesse alguma coisa pra entender ,nessa droga de sequestro.

Dylan -Eu não sou um bandido pra fazer isso, pelo contrário ,estou te ajudando a NÃO MORRER!

Mia -Não grita comigo!

Puta é a definição do meu humor ,não sei como cogitei pensar que ele era um docinho de coco ,mil vezes droga. Em pensar que talvez eu pudesse estar gostando dele, afinal que droga eu estou pensando ,tem momentos que sinto tanta falta dos meus pais ,momentos esses em que ninguém está ali pra me proteger como se eu fosse um bebê ou uma criança ,que não conhecesse o mal da vida ,e as coisas ruins que nos rodeiam ,eu acho que esse é um momento em que eu preciso de um abraço, a tanto anos eu evitei vim pra esse local do acidente ,por muito tempo eu me escondi, mais acho que já se foi esse tempo ,quem sabe o tempo não cure as próprias feridas que ele abriu em mim. A quem dera, se fosse tão simples assim, como se o mundo não cobrasse mais do que os dias tranquilos ,em que a cada momento você não torce pra lembrar de nada. Em algum momento desse caminho que percorremos ,meus pensamentos foram para o mais profundo mar de dor ,não querendo me fingir de coitada ,longe de mim prestar se a fazer esse tipo de papel, mais pelo simples fato de ainda ser sentido ,e não poder apagar ,não é como um amor da adolescência ,é como um fato que marcou todos os dias ,que foi parar nos jornais e em todos os feriados serem lembrados ,recordações de fotos ,roupas, perfumes ou qualquer objeto que no passado fez algum sentido pra ser usado.

Dylan -Chegamos!

Não digo nada ,apenas observo o local ao descer do carro, uma casa elegante ,composta por janelas enormes de vidro ,paredes cor marrom fortes ,uma porta bem grande ,uma varanda imensa. Ao adentrar o local ,observo atentamente os pequenos detalhes da casa ,o lustre acima de nossas cabeças ,os quadros muito bem pintados ,por pintores como Vincent Bleyk ,com sua mais belas e detalhadas obras, os vasos, as decorações, as cortinas de cor salmão ,os móveis detalhados a madeira mais fina ,realmente era uma casa impecável, linda ,mais minha atenção no momento estava em alguém se aproximando em minha direção ,com algo na mão o que parecia ser uma enorme blusa. Observava atentamente cada paço dado ,cada gesto feito ,até ele parar em minha frente.

Dylan -Me desculpe! Eu sei que fui um tanto grosso com você, e estou disposto a fazer um acordo. Você não me chama de ogro ,e vai tentar me entender quando eu estiver furioso ,e eu serei completamente calma e um doce ,o que acha?

Mia -Tá, eu concordo..

Dylan -Eu não tenho nada de feminino aqui ,então você vai ter que usar isso, mais amanhã eu vou comprar algo pra você, tem uma cidade aqui perto.

Mia -Tá bem. Será que pode mostrar meu quarto.

Sim eu estava completamente cabisbaixa ,pelos pensamentos ,eu não gosto do meu passado ,só me trás lembranças ruins ,e acho que ele percebeu minha tristeza temporária.

Dylan -Ei!? Da um sorriso... Ele é muito bonito pra ficar sendo escondido...

Não pude evitar de sorrir ,e ele também deu um sorriso lindo. Quem sabe não exista uma possível amizade! Afinal nada é impossível...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...