1. Spirit Fanfics >
  2. .7 Days >
  3. Sexta - Feira

História .7 Days - Capítulo 5


Escrita por: e jenoland


Capítulo 5 - Sexta - Feira


Fanfic / Fanfiction .7 Days - Capítulo 5 - Sexta - Feira





Renjun acordou próximo ao meio dia, mal conseguia abrir os olhos de dor de cabeça que sentia. Demorou muito tempo para que percebesse que estava na sua cama, e que estava sozinho.




Era sexta-feira, dia em que todos os alunos eram dispensados depois do período da manhã, e só retornavam no domingo a tarde. Renjun em todos os anos que estava ali, nunca saiu. Arrumava coisas para fazer, ia a biblioteca, ajudava as funcionárias na cozinha e até mesmo na limpeza, mas claro, ninguém sabia disso.




Pegou seu celular, vendo sua notificação preferida. O loiro dizia que não quis acordar o Renjun quando saiu do quarto, também disse que tinha que resolver um assunto. Quando foi bloquear a tela, uma nova mensagem chegou.




" Me encontre às 15h na frente do internato, quero te apresentar um lugar "




Sorriu como de imediato só de imaginar que passaria o dia ao lado do outro. Se levantou para tomar um banho relaxante. 




Depois de terminar o banho, se sentou na mesinha do quarto, sentiu uma inspiração e decidiu colocá-la no papel. Pegou seu velho caderno de desenhos que não abria a tempos. Passou os olhos por seus desenhos antigos, sentindo uma nostalgia grande. Começou a rabiscar depois de encontrar uma folha branca. Os rabiscos foram tomando forma, a forma de um rosto, um menino, tão conhecido pelo chinês. Quando terminou, já era perto do horário que se encontraria com o loiro.




O clima estava razoável, Renjun resolveu vestir uma roupa simples. Optou por uma blusa fina de mangas, listrada em preto e branco, junto com uma calça preta com rasgos nos joelhos.




Quando deu o horário, saiu em direção ao portão principal. Ficou surpreso com o que viu. 




O desconhecido estava encostado em uma Range Rover branca, vestia uma camisa de manga curta preta lisa, deixando a mostra seu braço esquerdo todo tatuado. Uma calça quadriculada preta, e um cinto também preto. Mas o que mais chamou a atenção de Renjun, foi o cabelo do garoto. Estava em um tom de castanho e o chinês não poderia se apaixonar mais por ele.




- O seu cabelo - observou quando se aproximou.




- Como eu fiquei? - perguntou, fazendo uma pose fofa com os dedos em 'V'.




- Lindo, como sempre - Renjun estava hipnotizado, analisando todo o rosto do outro.




- Ganhei o dia - riu divertido - Vamos bonitinho, o lugar é um pouco longe - abriu a porta para o chinês, como um verdadeiro cavaleiro. Entrou no carro, dando início a viagem.




- Não sabia que dirigia - olhou o carro por dentro - Nem que tinha um carro.




- A habilitação tirei a pouco tempo, e o carro é do meu irmão. Ele sabe da gente - olhou para o Huang - E quer muito te conhecer, tanto que te convidou para ir almoçar na casa dele amanhã - o chinês acenou, aceitando o convite. O trajeto se seguiu com conversas aleatórias entre os dois.




Quando chegaram, Renjun ficou encantado. Era uma cachoeira, com a água bem cristalina, sendo possível ver as pedras no fundo. 




- Moro aqui a anos e nunca soube desse lugar - disse assim que sairam do carro.




- Encontrei por acaso e se tornou meu lugar preferido desde então - começou a tirar seus calçados e o cinto. Quando ia retirar a camisa, olhou para Renjun, que arregalava os olhos surpreso - O que? Achou que eu iria ficar só olhando? - riu. Retirou o resto das roupas, ficando apenas com uma boxer preta. Correu e pulou na água.




O chinês não pode evitar reparar nas marcas que se espalhavam pelo tronco do outro, lembrando da noite passada. Espantou esses pensamentos ao que viu o enorme sorriso no rosto do, agora, moreno. Percebeu também que este estava cada vez mais perto.




- Não, não, não - disse, quando notou as intenções do desconhecido, e começou a correr pela grama.




O desconhecido era maior e mais rápido que Renjun. O que ocasionou a um chinês sendo carregado no ombro até a água, onde o moreno mergulhou, molhando o outro com roupa e tudo.




Quando emergiram da água, Renjun estava prestes a protestar, mas foi calado por um beijo calmo do outro. O coração acelerado, sentindo as línguas se enroscarem, enquanto as mãos grandes do moreno exploravam seu corpo por baixo da água.




Depois de vários minutos as vezes brincando de guerrinha de água, as vezes se beijando, sairam da cachoeira. Estenderam um pano na grama, para poderem fazer seus lanches.




- Acho melhor você tirar essa roupa, para ela secar até a gente ir embora - observou.




- Mas eu não trouxe outra muda.




- Você pode colocar a minha camisa, e já que está calor não precisa colocar a parte de baixo - sorriu malicioso. 




Renjun apenas negou com a cabeça, indo até atrás do carro, onde tirou suas roupas molhadas e vestiu a camisa do moreno. A peça ficava, até perto dos seus joelhos. A cueca molhada começava a incomodar, então resolver tirar ela, torcendo que não fosse perceptível que estava sem nenhuma roupa íntima.




Terminaram seus lanches e se deitaram, aproveitando o sol gostoso. Renjun estava de olhos fechados quando sentiu uma movimentação ao seu lado. 




Beijos molhados passaram a ser distribuídos pelo pescoço branquinho do chinês, que tremia a cada toque. Sabia onde aquilo daria e estava ansioso para isso. Renjun já havia feito aquilo apenas uma vez, mas não foi algo muito bom. Abriu os olhos, segurando o queixo do outro, colando ambos os lábios. 




Em um impulso se levantou e sentou no colo do outro, sentia seu corpo esquentar as poucos. O beijo cada vez mais selvagem. O desconhecido levou ambas as mãos a bunda redonda do chinês, deixando um aperto forte. Subiu as mãos para a cintura pequena, segurando e começando a incentivar o outro a se mover.




Renjun passou a rebolar da melhor forma que conseguia, se separando do beijo, jogando a cabeça para trás. O moreno aproveitou para maltratar o pescoço do outro, deixando vários chupões por todo o lugar. 




Sorrateiramente enfiou uma das mãos por de baixo da camisa, passando a mesma pelas coxas do Huang. Subiu um pouco mais, percebendo que não havia nenhuma outra peça ali.




- O que temos aqui - sussurrou no ouvido esquerdo do chinês - Estava sem nada esse tempo todo bonitinho? - diz, deixando um aperto no pau já desperto do garoto, ouvindo um gemido engasgado do outro. 




Inverteu a posição, colocando Renjun deitado na grama, retirou sua camisa do corpo do outro, se sentou nos próprios calcanhares no meio das perna do chinês. Observou o corpo do Huang era lindo, a pele branca feito porcelana, com os pelinhos arrepiados, a cintura pequena e definida, a boca vermelha e as bochechas rosas, o membro duro, pingando pré-gozo. Aquilo era a perdição.




Se deitou sobre o outro, atacando um dos mamilos, que enroscou os dedos no cabelo do moreno. Lambia, chupava e mordia o bico rosa, ouvindo os gemidos manhosos de Renjun. Trocou de mamilo, fazendo o mesmo processo, adicionando também as falsas estocadas que dava contra o quadril do chinês. 




Passou a descer, deixando uma trilha de chupões por todo o troco. Quando chegou próximo ao membro do outro, apenas deixou um beijo na cabecinha inchada. Desceu um pouco mais, passando a língua por toda a parte interna da coxa direita e deixando mais algumas marcas na outra.




Renjun se surpreendeu ao ter a língua do outro rodeando sua entradinha. Foi do céu ao inferno assim que sentiu aquele músculo molhado entrando e saindo de si.




Sua respiração estava pesada, arqueava as costas, apertando o tecido em que estava deitado, descontando do o prazer que estava sentido. 




Soltou um grito ao sentir seu pau ser abocanhado sem aviso. O moreno começou a subir e descer a cabeça rápido. Renjun se contorcia, revirava os olhos de puro prazer. Não conseguiu avisar o outro e se desfez na boca do mesmo, estava extasiado.




- Fica de quatro - diz, deixando um selinho no chinês, antes de se levantar para retirar sua última peça de roupa. 




Renjun fez o que foi pedido, se apoiando com seus cotovelos no chão. Sentiu uma mão nas suas costas, o forçando a se deitar mais. Encostou seu peito no chão, ficando mais empinado e exposto. Aproveitou que o outro estava perto, e esfregou sua bunda no pau duro do moreno, arrancando uma risada breve do desconhecido.




Recebeu um tapa forte em uma das bandas da bunda e uma mordida na lateral da coxa direita. Renjun sentiu uma fisgada em seu membro somente com aquilo.




O moreno entrou de uma vez só no chinês, ouvindo Renjun soltar um xingamento. Gemeu rouco com o aperto que sentia eu seu pau. Começou a se mover rápido, as estocadas eram fortes e certeiras. 




Renjun estava adorando aquela brutalidade, ter seu ponto sensível sendo surrado daquela forma era demais para a sanidade do chinês. Sentiu que estava próximo do seu segundo orgasmo do dia e então ergueu seu tronco, vendo o moreno parar os movimentos o olhando.




- E-eu quero gozar olhando para você - disse com um pouco de dificuldade, devido a respiração desregulada. O outro atendeu seu pedido, saindo de dentro do chinês e se sentando ao lado.




Renjun engatinhou até o moreno, encaixou o membro do outro na sua entradinha e sentou com tudo. Sem enrolação começou a quicar rápido. Os gemidos estavam sincronizados e altos o suficiente para que qualquer pessoa que passasse ali pudessem os ouvir.




Vendo que o Huang já estava cansado, segurou firme a cintura pequena, o ajudando a descer e subir. Renjun iniciou um beijo necessitado. Sentia que estava chegando no seu limite, e o desconhecido também não estava longe. 




- Hey bonitinho - Renjun abriu os olhos o encarando - Eu te amo - e deu uma última estocada, enquanto puxou o corpo do outro para baixo, gozando dentro do chinês. Renjun gozou logo em seguida, sujando a barriga do moreno.




O chinês abraçou o outro, ficando com o rosto escondido no pescoço do mesmo. Depois de conseguir controlar sua respiração, saiu de cima do moreno, sentindo a porra quente escorrer por sua entrada, arrepiando seu corpo. 




Sentou ao lado do moreno, este que se deitou, cobrindo o rosto com o braço esquerdo. Sem pensar muito passou a deixar um beijo em cada marca e machucado que encontrava pelo tronco do mesmo. Finalizou com um selinho demorado. Olhou para o desconhecido, que o encarava curioso.




- Eu também te amo - sussurrou.








Notas Finais


Obg por ler 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...