1. Spirit Fanfics >
  2. 7 days. >
  3. DAY 01

História 7 days. - Capítulo 1


Escrita por: auaunosh

Notas do Autor


Surprisee

Fanfic nova a vocês!!!

Espero que vocês gostem dela, mesmo ela sendo talvez um pouco... Triste?

Avisos importantes

História narrada em 3° pessoa.

Contém gatilhos de depressão e tentativa de suicídio.

Bem vindos a: 7 DAYS.

Capítulo 1 - DAY 01


Fanfic / Fanfiction 7 days. - Capítulo 1 - DAY 01

•Narrador•

Era uma noite de trovoadas, o mundo lá fora se acaba d'água com a ventania fria.

Noah se mexia de um lado para outro não conseguindo dormir, já fazia dias que o garoto não era mais o mesmo.

Sorridente, alegre...

Agora era, neutro e tristonho.

O moreno não enxergava a vida mais como antes, tudo ficou preto e branco para o mesmo tendo nenhum gosto de sua vida.

Na cabeça de Noah ele poderia se atirar de um precipício que ninguém daria ao menos atenção a isso. Ou alguém que se preocupasse com suas mudanças.

Eram noites em claro desabando no travesseiro por não ser o "padrão da sociedade" era tão ruim para o pequeno se sentir assim.

Não sentia fome, não sentia sono.

Noah estava quase se entregando a depressão, algo que ele mais temia. Mesmo que ele mesmo não quisesse admitir

Em relação a escola, suas aulas haviam terminado ano passado, mas Noah não se sentia confortável para ter contato social ainda com pessoas. Afinal era a mesma coisa repetitiva de sempre já que ter amigos não era seu forte, algo diferente de anos atrás onde o moreno era especialista em ter amigos por perto.

Noah se sentia tão incapaz de manter uma amizade ou então um relacionamento, que procurou por abraçar a solidão.

Neste momento angustiante o garoto se levantou da cama cansado de chorar, e trajou até ao andar de baixo de pés descalços com apenas seu pijama de tecido fino totalmente desprotegido do frio.

Tocou com sua mão na maçaneta fria da porta a girando e indo mais a fora de sua residência, sendo totalmente molhado pela água da chuva que estava tricando de fria, não demorou muito até que suas roupas se molhassem, mas Noah estava tão cansado mentalmente que o frio não era um problema, suas lágrimas escorriam cada vez mais insistentes e o moreno já estava cansado de as segurar. Noah não pensava em mais nada além de andar pelas ruas escuras e chuvosas de seu bairro até o final da mesma que dava logo em uma avenida perigosa, com vários casos de acidentes já registrados. Noah se sentou sobre o meio fio molhando seus pés e a barra da calça de seu pijama, nem ligando para a água suja da enxurrada.

E, então se levantou olhando os faróis de carros brilhantes que faziam seus olhos verdes sensíveis se estreitarem. A sua maior vontade era atravessar e esperar que algum carro ou caminhão o acertasse encheio. Aqui na terra, Noah já não fazia mais questão de ficar.

...

Enquanto isso do outro lado da história...

Josh havia acabado de receber a notícia de que tinha sido mandado embora de seu único serviço de renda que ajudava nas despesas da casa em que o mesmo se mantia. O loiro estava desgastado de seu dia exaustivo, além de que ainda precisaria estudar para a faculdade que teria de ir ainda hoje, realmente o desespero consumia Josh, ele não poderia ficar desempregado. Afinal tinha que pagar sua própria faculdade, e então o loiro precisaria correr ainda mais rápido atrás de um novo emprego.

A vida de Josh era de um jovem que queria ser independente dês de cedo, o garoto se recusava a ajuda de seu pai que era bem financeiramente. Juntando suas economias, Josh conseguiu um lugarzinho em um prédio para morar, a única coisa que Josh aceitou de seu pai foi o acordo de pagar o aluguel do apartamento. Tirando isso, todas as dispesas iam ao loiro.

Voltando ao foco, o garoto andava de capuz com suas mãos em seu bolso do moletom preto que usava já que não havia trazido guarda-chuva por não esperar por está tempestade, até enxergar uma figura de um menino de cabelos escuros todo encharcado pela chuva, com os faróis dos carros que passavam, Josh tinha cada vez mais detalhes do menino que estranhamente estava vidrado nos movimentos dos carros se aproximando cada vez mais levemente. 

O loiro estava aguniado vendo a cena, precisava fazer alguma coisa. 

Noah cada vez mais se aproximava da via, até sentir a presença de mais alguém ali, logo então se virou com a cabeça para ter visão do que se tratava e se assustou com a figura de um homem que vestia um moletom preto de capuz. Rapidamente o garoto correu para o meio dos carros.

Mas felizmente, o loiro havia sido mais rápido e puxado o corpo de Noah com tudo para trás, fazendo com que o mesmo perdesse o equilíbrio caísse sobre a calçada com o moreno em seus braços. 

Josh podia sentir todo o frio do corpo do garoto que logo se encontrava em choque nos seus braços.


— P-Por que fez isso? Poderia ter morrido! — Repreendeu Noah com a atitude do loiro.


Então logo Josh soltou um suspiro pesadamente prendendo o moreno em seus braços.


— Quem estaria morto aqui agora, seria você! — Falou o loiro se levantando e ajudando o pequeno garoto a fazer o mesmo. 


— A onde você mora?


— E-Eu não quero voltar... N-Não quero apanhar por um erro meu. — Noah dizia choroso com sua voz embargada escondendo seu rosto.


Josh não sabia o que fazer. Estava completamente perdido no que deveria ser feito.

O moreno é um estranho querendo ou não, Josh não poderia simplesmente o levar para sua casa.

Mas o loiro não poderia negar que seria mais arriscado ainda, deixar o garoto aqui correndo risco de perder sua vida. Josh já havia se envolvido demais com Noah.


— Vamos para minha casa... — Disse Josh exausto segurando firmemente na mão do moreno em que havia encontrado.


Na cabeça de Noah, ele já nem ligava mais que estava indo com um estranho, com tanto que ele realizasse seu desejo. A morte.

Assim que os jovens chegaram a residência de Beauchamp. Josh foi em busca de uma toalha para o garoto que estava em pé na porta, o loiro enrolou a toalha sobre os ombros do moreno e logo disse:


— Acho melhor você tomar um banho para não pegar resfriado, posso te emprestar algumas roupas minhas que devem servir.


— Não precisa. — Falou, Noah.


Josh então suspirou.


— Como se chama?


— Urrea... — Noah deu uma pausa antes de terminar, afinal na cabeça do moreno ele não sabia se era ao certo falar o seu verdadeiro nome a um desconhecido que veio parar até a casa dele. — Noah Urrea!


— Me chamo, Josh! — Sorriu o loiro mas não teve nenhuma retribuição de sorriso do moreno. — Bom, então posso lhe oferecer roupas quentes e confortáveis?


Noah assentiu.

Josh então foi até seu quarto em busca de roupas confortáveis e quentinhas para o garoto em sua sala vestisse. Retornou ao cômodo em que Noah se encontrava ainda na mesma posição.


— Aqui pega, o banheiro fica ao final do corredor.


— Obrigado! — Logo então Noah foi até o local para se trocar e finalmente se livrar daquelas roupas encharcadas.


Enquanto isso, Josh transportava um coxão de visitas do seu quarto até a sala para o moreno poder descansar depois de todo o ocorrido, voltou ao seu quarto para pegar um cobertor e travesseiro levando até a sala ajeitando tudo sobre o colchão o mais aconchegante possível para Noah.

Logo então o moreno havia saído de seu banheiro com as roupas emprestadas pelo loiro que caíram até que bem em Noah. Josh então deu espaço deixando que logo o garoto se sentasse ao sofá.


— Eu vou só ali me trocar e voltou até aqui para ficar com você.


Noah fez um sinal de confirmação com a cabeça, aguardando o loiro.

Não demorou muito até que Josh voltasse a sala se juntando com o moreno ao sofá.


— Quer beber alguma coisa?


— Não, obrigado... 


— Se importa em assitir algo? — Perguntou, Josh.


Noah negou.


— Gosta de algum filme, série ou algo do tipo? — Olhou para o moreno.


— Tanto faz. — falou simples, e cansado.


Não demorou muito para um clima estranho se estabelecer entre os garotos. E, então Noah resolveu quebrar o silêncio.


— Você é louco...


Josh havia entendido nada.


— Você nem me conhece e já logo me trouxe a sua casa, eu poderia ser um maníaco que te mataria e ainda por cima roubaria todos os seus pertences. 


Noah falava enquanto Josh apenas prestava atenção no moreno soltando alguns risos nasais em negação.

Josh então começou a falar:


— Isso é o que todos deveriam pensar, mas, com todo respeito, não era eu em que estava prestes a ser atropelado.


Noah respirou pesadamente.


— Obrigado por me salvar... Eu acho, não sei o que havia dado em mim.


O moreno no fundo sabia o que se passava com ele, só não queria revelar para não ser julgado.

Josh então sorriu se levantando.


— Você precisa de um belo descanso agora. — Falou desligando a televisão. — Tente descansar, e amanhã te levo para casa.


Noah se deitou sobre o colchão pensando totalmente em sua burrada, seus pais não sabiam que o garoto havia saído de casa, então Noah não poderia aparecer lá depois que eles estivessem acordados.

Josh ajudou o garoto a se cobrir e logo apagou a luz.


— Boa noite... — Disse Josh.


— Boa noite, Josh.


Logo o garoto desapareu da visão de Noah que encarou a janela da sala vendo as gotas da chuva caindo, pensando em uma forma de ir para casa antes do amanhecer.


Notas Finais


É isso guys.

Capítulos novos de domingo.

Por favor, votem e comentem muito para ajudar na continuação da fanfic.

Um beijo, amo vocês <3.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...