1. Spirit Fanfics >
  2. 7 Dias Para Morrer >
  3. Dia 3-A

História 7 Dias Para Morrer - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Dia 3-A


A garçonete derrama o café na xícara sobre a mesa,o homem sorri em agradecimento.

‘’Se precisarem de mais alguma coisa,é só me chamarem.’’,ela diz antes de se retirar,deixando ambos os homens sozinhos.

‘’Então....’’,o cara do outro lado da mesa começa ‘’Soube que um certo livro foi aberto.’’

O outro cara suspira,antes de dizer assentindo levemente:

‘’Parece que ouviu certo.’’

O homem da um gole em sua bebida,saboreando-a antes de perguntar:

‘’O que tem pra mim?’’

‘’Não muito,mas o suficiente.’’,o outro respondeu.

‘’Que é?’’

‘’A localização do livro...e um presente especial no porta malas.’’,o outro diz fazendo o homem franzir a testa.

‘’Então o que estamos esperando?’’,ele pergunta se inclinando.

‘’A conta.’’,o outro sorri chamando a garçonete por um sinal com a mão.

Depois de pagar a conta,eles saem,caminhando pelo estacionamento até o devido carro,que por acaso está no fundo do local.

Destrancando o carro,o outro coloca a chave na fechadura do porta malas girando-a pelo menos umas três vezes.Um estralo veio do carro,sinalizando que tinha abrido,ele puxou pra cima.

E lá dentro uma Cassie bem brava grita  furiosa.

O homem não mostra nenhuma emoção.

‘’É ela?’’,ele pergunta.

‘’Aham.’’,o outro diz assentindo,antes de fechar novamente o porta malas. 

‘’Como conseguiu ela?’’

‘’Do Kurt,aparentemente ele estava tentando queimar ela em um  fábrica abandonada da Scorpion.’’,o outro explica.

‘’Kur,Kurt,Kut sem criatividade como sempre.’’,o homem diz parecendo um pouco decepcionado  ‘’Vendo ela aqui,acho que ele não teve sucesso....e onde ele está agora?’’

‘Bebendo,fumando ou fazendo qualquer outra coisa ridícula como sempre.’’ ,o outro diz com rispidez,o homem parece pensar sobre isso.

‘’E o que eu deveria fazer?’’

‘’Ahh eu não sei,matá-la no meio do nada,algo do tipo.’,o outro diz encolhendo os ombros ‘’Sinceramente,eu não me importo,desde que se livre dela.’’

‘’A Scorpion não ficaria muito feliz vendo sua despreocupação.’’,o homem aponta.

‘’Desde que ela esteja morta,a Scorpion não se importara comigo.’’,o outro diz ‘’E todos sabemos a divida que você nos deve.’’

‘’Será que é só sobre a divida?Ou é mais sobre a Scorpion não querer sujar as mãos?’’

O outro ri,como se tivessem contado uma piada,antes de dar um sorriso ameaçador.

‘’Dom,Dom eu teria cuidado com o que diz,nunca se sabe o que pode acontecer.’’,seu tom baixo faz com que pareça mais assustador,sua mão vai por baixo da camisa revelando uma arma por baixo dela.

Dom não recua em ver o objeto,em vez disso ele sorri falsamente.

‘’Parece que eu tenho trabalho a fazer.’’,ele diz ‘’Bem,tchau Alan.’’,ele diz indo em direção a porta do carro.

‘’Ei,Dom!Esqueceu isso aqui!’’,Alan diz levantando as chaves do carro ‘’E também,esse carro não é seu.’’,ele diz fazendo Dom suspirar e caminhar de volta na frente de Alan.

‘’Tem razão,não é.’’,Dom diz,em menos de um segundo ele tira a  arma das costas e atira em Alan na cabeça.

O corpo de Alan cai no chão,uma poça de sangue se formando sob seu corpo.

Dom pega a chave da mão de Alan e volta a caminhar em direção ao carro.

‘’Agora é.’’

                      7 DIAS PARA MORRER

‘’Caramba,o tempo realmente não fez nada bom desse lugar.’’,Isis diz entrando na  velha casa Heisten,sua irmã Iris seguindo logo atrás.

Isis era Guardiã da Infidelidade,ela era sedutora,assassina e muito boa em manuseamento de facas.

Iris,sua irmã,era Guardiã da Doença,com um simples olhar ou suspiro vindo de si ela poderia infectar uma só cidade,embora isso fosse opcional ainda era bem letal.

Ambas eram membras das Fifters.

‘’O que o tempo faz de bom?’’,Iris pergunta,fazendo Isis revirar os olhos.

‘’Tá,de acordo com os demônios,o livro deve estar aqui.’’,Isis diz.

Iris morde o lábio levemente,a doença sussurrando em sua mente algo sobre estar no segundo andar.

‘’Segundo andar?’’,ela pergunta.Isis olha pros lados,antes de assentir confirmando.

‘’Segundo andar.’’

Quando seus pés tocavam nos degraus,eles rangiam como se estivessem prestes a desabar.

Chegando no final da escada,Isis olhou para ambos os lados antes de seguir para o lado direito,Iris atrás dela.

‘’E aqui está.’’,Isis fala avistando o livro a poucos metros de si.Caminhando lentamente para não quebrar as tábuas,ela se abaixa pegando o objeto com sua mão.

‘’Bem,missão concluída.’’,Iris diz balançando/mexendo os braços,enquanto Isis folia as páginas do livro que ela ficou tanto presa.

O silêncio pairava no ar,até que um barulho de um rosnado animalesco soou pelo corredor sujo e desgastado.

Ambas as guardiãs se viraram para avistar um monstro muito parecido com o que Liz tinha visto.Seus olhos eram vermelhos sangue,sua cor uma mistura de preto e cinza e seus dentes afiados e amarelados juntamente com suas garras.

‘’Ahh é só um Blaster.’’,Iris diz sem se importar com a presença inesperada do ser.

‘’E parece que está com fome.’’,Isis sugere.

‘’E qual Blaster não está?’’,Iris responde,Isis inclina a cabeça pensando nisso.

‘’É bem,parece que já terminamos aqui.’’,Isis fala se levantando e caminhando pra fora da casa,Iris atrás dela ‘’Alguma notícia dos outros?’’

‘’Falei com a Rebekah ontem,parece que ela encontrou a Liliam junto com alguns agentes da Scorpion e um monte de Helm Akrep.’’,Iris explica.Isis xinga com a última notícia.

‘’Mas e os outros?’’

‘’Nada,além da Selene que está com o Torin,Ícaro,Hunter e aparentemente alguém próximo da marcada.’’

‘’Bem,então teremos que dar um oi pra Selene.’’,Isis diz abrindo a porta do carro ‘’Ela disse algo de sua localização?’’

‘’Só que vão estar no ponto de encontro de sempre.’’,Iris diz abrindo a porta e sentando no banco do passageiro.

‘’Bem,então,ponto de encontro.’’,Isis assente antes de pisar no acelerador.

Escócia,1876

‘’Violet!!!’’,a voz de sua mãe soou pelas paredes finas de  sua casa.Violet tira seus olhos do livro em sua mão,antes de deixá-lo de lado e descer as escadas indo em direção a sala de jantar onde sua mãe estava preparando a mesa.

‘’Mãe.’’,ela diz em saudação.

Sua mãe vira rapidamente para avistar Violet na porta,seu rosto parece preocupado enquanto ela prepara as coisas em sua pressa habitual.

‘’Ahh Violet,ainda bem que está aqui.Por favor vá a feira e compre um pouco de tempero.’’,sua mãe pede soltando um suspiro de alívio antes de lhe entregar moedas para a compra ‘’Por favor se apresse,tente voltar antes de seu pai chegar.Você sabe como ele fica quando alguém se atrasa.’’,Violet assente antes de caminhar para fora da casa em direção a feira.

Chegando lá,ela foi direto para a  principal barraca de temperos.Enquanto ela estava revirado os potes pequenos de tempero,alguém chegou ao seu lado fazendo o mesmo que ela.

‘’Eu não acredito que potes tão pequenos são esse absurdo de caro.’’,a mulher reclama ‘’Eu posso muito bem ir em um jardim ou algo assim e pegar eu mesma,e não gastarei dinheiro com isso.’’,a mulher reclama de novo.Violet tenta focar nas coisas a sua frente e ignorar a tagarelice da mulher ‘’A menos que...ela estejam com veneno!E se tiver veneno lá?Como eles tiram?E se eles não tiram?Todos da aldeia vão morrer?O que vai acontecer?!!!’’,a mulher agarra os ombros de Violet e exclama alto a última frase.

Os olhos de Violet se arregalam.Essa mulher é louca!

Mesmo vendo os olhos arregalados da garota,a mulher sorri.

‘’Oiii,eu sou Elina!E você é?’’,a mulher Elina pergunta.

Elina,Guardiã do Desespero,além de causar situações de sério desespero,ela é um pouco carente.

‘’Violet.’’,ela diz depois de um longo tempo de hesitação.

Elina sorri,se mais possível;

‘’Eu sou nova aqui,poderia me mostrar e alguns amigos o lugar um dia desses?’’,ela pergunta.Violet encolhe em seco,amigos não é uma coisa que ele tem freqüentemente e normalmente  sua família a força a focar na vida de caçadora.Então ‘’ter amigos’’ ou algo do tipo não está na lista de se fazer.

‘’É....’’,Violet começa,sua hesitação claramente sendo mostrada.

‘’É só um dia e não vai demorar muito!’’,Elina insiste.

Era só um dia,que mal faria?-,Violet pensa.

‘’.........Tudo bem,eu vou.’’,ela concorda.Elina faz um barulho de vitória.

‘’Ultimamente não temos tempo,mas dizem que vai ter um festival aqui poderia ser no mesmo dia.Começaríamos a manhã e terminaríamos a tarde.’’,Elina sugere.

Embora Violet soubesse que o festival fosse uma coisa bem importante para sua família,ela não pode deixar de pensar que seria uma boa idéia conhecer outras pessoas.

‘’Te vejo no festival então.’’,Violet diz antes de pegar alguns temperos e pagar a pobre moça que vendedora ali era.

Então ela parte de volta pra casa,deixando uma Elina muito feliz na feira.

‘’Ahh graças as minhas prezes você está aqui,Violet!’’,sua mãe fala desesperada como sempre,suas mãos chacoalham no ar antes de pegar os temperos nas mãos de Violet ‘’Tenho que trabalhar rápido,seu pai logo chegará de uma caçada....Violet venha e me ajude!!’’

‘’Sim,mãe.’’,Violet diz seguindo a mãe para ajudar ao preparo da comida.

 

‘’Cara,eu não sei por que tanta preocupação.’’,Tyler diz seguindo Raphael para a casa de Liz.

‘’Olha a gente só vai perguntar se ela sabe algo da Liz,só isso.’’,Raphael diz subindo os degraus da varanda de Liz e tocando a campainha.

Clara Allen estava tendo um dia difícil,primeiro seus filhos não voltaram para a casa tem quase dois dias.Se eles não voltarem até essa noite ela ligará para a policia.

Ela anda ansiosamente pela casa,enquanto roe suas unhas.Ela fica de olho no seu telefone flip caso chegue algum torpedo.

A campainha toca,algo que ela vai ansiosamente atender.Ela abre a porta para revelar Tyler e Raphal.

‘’Ahh meninos.’’,ela diz um pouco decepcionada por não ser nenhum dos seus filhos ‘’Entrem.’’,ela dá um sorriso educado antes de dar espaço para eles entrarem.

Algo que eles aceitam educadamente e eles entram,fazendo Clara fechar a porta.

‘’Então...o que traz vocês nessa visita inesperada?’’

‘’Ahh bem,queríamos saber se a senhora sabe alguma coisa do paradeiro da Liz ou da Cassie?’’,Raphel pergunta.

‘’A Cassie também sumiu?’’

‘’.....Sim?’’

‘’E elas não estão com vocês?’’,ela pergunta em choque.

Raphael e Tyler trocam olhares,se perguntando se devem responder ou não.

Com isso Clara já sabe a resposta.

‘’Eu sabia que deveria ter chamado a policia.’’,ela murmura.

Raphael e Tyler trocaram olhares novamente.

‘’Ahh quer saber,eu lembrei que a Cassie convidou a Liz para visitar um amigo dela fora da cidade.E que elas só voltariam no final de semana.’’,Raphael mente.

‘’E o Billy?’’

‘’Foi junto.’’

‘’Mas por que a Liz não me avisou?’’

‘’Ahh foi de última hora.’’,ele mente de novo.

‘’E quanto a mensagens?’’

‘’O telefone deve ter morrido.’’,Raphel sugere tentando parecer o máximo despreocupado.

‘’Hum...’’,Clara diz pensativamente sentando no sofá com um olhar focado em algo não especifico enquanto ela roia mais as unhas.

‘’Tyler,a gente não tinha um treino pra ir?’’,Raphael pergunta,Tyler olha pra ele confuso mas Raphel dá um olhar que diz claramente ’Só segue a minha deixa.’

‘’Ahh sim,é vai começar em poucos minutos.’’,Tyler diz,continuando com a mentira.

‘’Podem ir meninos,e se tiverem contato com a Liz digam para ele me ligar.’’,Clara fala.

‘’Tá,okay.’’,eles dizem assentindo antes de saírem.

‘’Por que mentiu pra ela?!’’,Tyler pergunta batendo no braço de Raphael enquanto eles andavam.

‘’Porque se nem ela sabe onde a Liz está,então chamar a policia não adiantará muito.’’

‘’Na verdade,chamar a polícia seria uma ótima opção.’’

‘’Ainda assim,eu não sei,eu sinto um pressentimento sobre isso.’’

‘’Ahh sim claro,esqueci que você fica todo sensível quando menstrua.’’,Tyler zomba.Raphael revira os olhos ‘’Mas mesmo se quiséssemos resolver isso sozinhos,não é como se estivéssemos um rastreador nas duas ou fossemos hackers para rastrear os telefones.’’

E como se uma luz iluminasse  sua cabeça,Raphel teve idéia.

‘’Na verdade.....’’,ele começa.

‘’Tem certeza que é aqui?’’,Tyler pergunta quando ele e Raphael encostam suas bicicletas em uma árvore.

A sua frente tem uma casa igual as outras.

‘’Sim.’’,Raphael assente,então eles caminham circulando a casa ‘’Um,dois,três.’’,ele conta as janelas,quando chega na terceira ele pega uma pequena pedrinha e joga no vidro.

Causando um pequeno barulho,baixo mais auto o suficiente.

E em menos de 5 segundos um adolescente da mesma idade deles aparece,seus cabelo é ruivo e bagunçado,seu rosto é cheio de espinhas e um óculos com as lentes redondas enfeita seu rosto.

‘’O que vocês querem,idiotas?!’’,ele pergunta quando vê Tyler e Raphael no seu quintal.

‘’É     sempre bom te ver,Garret.’’,Tyler murmura.

‘’Então se lembra daquele favor que tava me devendo?’’,Raphael pergunta fazendo Garret bufar.

‘’Entrem.’’,Garret rosna.

Pontos iluminam a tela do computador,enquanto Garret está digitando alguns códigos Tyler e Raphael observam de trás dele.

‘’O que são esses pontos?’’,Tyler perguntam.

‘’Sua amiga provavelmente está em algum lugar no meio do nada,com isso tem poucas redes de telefone.O ponto vermelho é a localização dela,os pontos cinzas as torres de telefone e essas linhas são a estrada.’’,Garret explica.

‘’E você diria que o ponto vermelho está a quanto tempo daqui?’’,Raphael pergunta.

‘’Não sei ao certo,mas ir até lá é pelo menos algumas horas no carro.’’,Garret responde.

‘’Você pode imprimir isso pra gente?’’,Tyler pergunta.

‘’Como quiser.’’,Garret murmura antes de apertar mais alguns botões e as impressões começam a ser feitas.

 

 

 

Cassie sente seus olhos se abrindo.

Quando foi que ela dormiu?

Ela olha em volta,ela não está mais em um porta-malas.

Ela ainda está em um carro,mas no banco de trás.

Levantando de sua posição deitada,ela fica sentada.

‘’Ahh você acordou.’’,Dom diz vendo a garota  se sentar pelo retrovisor rapidamente,seus olhos se voltando para a estrada a sua frente.

Cassie olha para o motorista pelo retrovisor.Ela fica boquiaberta quando reconhece a pessoa.

‘’Não.....não você.....’’,ela murmura.

Dom sorri.

 

 

Grécia Antiga,VIII AC

Os olhos de Blair focam na página em sua frente.Seus rabiscos ficam intensos.Normalmente Blair é doce e sempre com um sorriso gentil em seu rosto,mas quando está desenhando já é outra coisa.

Alguns dizem que ela nasceu com o dom da arte,mas ela simplesmente responde que eram só alguns rabiscos.Embora sim,ela desenhasse bem,jamais teria coragem para mostrar a mais alguém além de sua família.

A imagem de uma das flores de seu reino se formava,vistas pessoalmente as flores seriam uma cor intensa de vermelho mas no desenho elas eram pretas pelos rabiscos.Ainda assim a arte estava belíssima.

Um toque gentil e suave bateu em sua porta.

‘’Blair?’’,veio a voz de sua querida e amada mãe.

‘’Sim?’’,ela pergunta de volta,como se fosse um convite sua mãe entra.

‘’Querida lhe trouxe maravilhosas notícias.’’

‘’E isso seria?’’,Blair pergunta sem tirar os olhos do desenho.

‘’Você entrou para as Fifters!!’’,sua mãe diz empolgadamente.

É isso,eufemismo dizer que Blair está chocada,o lápis cai de sua mão.

‘’O que?!!!!’’

‘’Você entrou para-‘’,sua mãe está prestes a repetir a frase,antes que Blair interrompe-a.

‘’Não isso eu compreendi,mas como eu consegui isso?’’

Sua mãe encolhe os ombros.

‘’Milagres dos Deuses!Liliam veio dar as notícias hoje.’’,sua mãe exclama ainda empolgada enquanto Blair está incrédula ‘’Ela disse para encontrá-la depois do banquete a noite.’’

 ‘’Ela mesmo pediu isso?’’,Blair pergunta insegura,se a própria Liliam tenha pedido então talvez seja verdade.

‘’Sim,claro que pediu,você é uma das Fifters agora.Ahhh eu tenho que ir mandar os cozinheiros prepararem um grande banquete e especial  para hoje!Tenho que ir.’’,sua mãe despede-se as e as pressas sai do quarto.Deixando uma Blair bem incrédula e pensativa no quarto silencioso.

O banquete passou rápido,para o desespero de Blair.

E se tudo aqui fosse simplesmente uma piada de mal gosto?

E se uma platéia espreitasse as árvores e risse dela?

E se a própria Liliam risse dela?

E se ela chorasse?

Ela seria mais que uma fracassada?

Ela ainda teria pretendentes?

Perguntas rodeavam sua cabeça,enquanto ela caminhava para os jardins onde sua mãe disse depois do banquete que ali Liliam esperaria.

E lá estava realmente ela,Balir sentiu seu sangue gelar,o suor começar a escorrer pela sua testa,algo que ela limpou rapidamente antes de se aproximar da guerreira.

‘’Vi o que você fez com a Mors.’’,Liliam diz sem desviar seu olhar do rio a frente.Blair engoliu em seco,como se tivesse visto isso Liliam falou de novo; ‘’Não se preocupe,ela merecia.’’

Alívio inundou o corpo de Blair,ela quase resistiu a vontade de rir de prazer com uma Fifter dando a benção para bater em Mors.

‘’Já vi você em ação antes,sua luta com a Mors foi só um bônus.’’,Liliam fala ‘’Devo dizer que você tem uns movimentos bons,claro que um pouco atrapalhada.Mas com algum treinamento,você se qualifica o suficiente.’’

‘’Então?’’

‘’Me encontre quando o sol nascer toda manhã e resolveremos o seu problema com espada.’’

‘’Eu não tenho problema com espadas.’’,Blair defende.

‘’Sabe manusear uma?’’,Liliam pergunta franzindo a testa um pouco divertida.Blair fica quieta,e como se estive conseguido sua resposta Liliam responde: ‘’Foi o que eu pensei.’’

‘’Senhora!’’,um guarda vem as pressas.

‘’Qual o problema?’’,Liliam pergunta,sua expressão divertida rapidamente escorre do seu rosto.

‘’Os demônios...’’,ele fala tomando um segundo para respirar ‘’Eles foram vistos no pasto.’’,ele termina ainda tentando recuperar o fôlego.

Agora,Liliam está totalmente séria.

‘’Avisou as outras?’’

‘’Elas estão a caminho do pasto já.’’,ele explica.

Então Liliam se vira para Blair,puxando duas espadas de suas costas.Ela joga uma para Blair,que pega-a assustada.

‘’Eu vou ir também?’’,ela pergunta em choque.

‘’Disse que sabe lutar com uma espada certo?’’

‘’É-é.....não tem nenhum arco e flecha não?’’,ela pergunta.

Liliam levanta uma sobrancelha,enquanto olha estranho pra Blair.Que vendo o olhar da guerreira rapidamente suspira desistindo.

‘’Tá,eu uso a espada então.’’,então as duas saem correndo em direção ao pasto.

 

 

 

‘’Então como uma senhora tão adorável e bonita veio parar no meio de animais como eles?’’,Hunter pergunta aparecendo na frente de Liz,ele pega a mão dela curvando-se e beija as costas de sua palma.

O ato faz Liz corar furiosamente,ela sente seriamente as pernas tremerem,o que faz parecer que ela vai cair em cima dele....não que seja algo ruim.

Hunter,era o Guardião da Lúxuria,não importa se ele quisesse ou não as mulher automaticamente  caiam por ele(algumas literalmente).Claro que quando quisesse ele poderia ser assustador,mas na maioria das vezes era principalmente um garanhão.

‘’Eles me seqüestraram.’’,Liz responde tentando parecer o máximo casual com a proximidade deles.

‘’Perdoe-me pelos meus companheiros,eles simplesmente não sabem como tratar uma dama.’’,ele fala a frase se aproximando cada vez até que Liz sinta seu hálito no ouvido.

‘’Arranjem um quarto!’’,Selene grita.

Claro que mais uma vez,Liz cora e dessa vez mais se possível.

 E enquanto Liz cora,Hunter simplesmente sorri divertido e manda uma piscadela para Liz antes de se afastar.

É isso,Liz está viajando totalmente no espaço.

‘’Que que foi isso?’’,Billy pergunta em choque.

E ai que Liz percebe que ele estava ao seu lado o tempo todo!

‘’Nem um piu sobre isso,viu?’’,Liz avisa,Billy assente,então ela se afasta.

‘’Esse dia não poderia ficar mais estranho.’’,ele murmura antes de segui - lá.

 

 

Dom tem um arma apontada pra Cassie.

‘’Tenho certeza que você está surpreso em me ver Cassie,mas fossamos um acordo.’’

‘’E que acordo seria?’’

‘’Você não faz um escândalo e eu não te mato.’’,ele diz casualmente.

‘’E o que eu ganho com isso?’’

‘’O que você ganharia em gritar?Nada,porque estamos no meio do nada.Mas se você prometer não gritar,ai você já ganha sua vida.É um bom negócio certo?Então o que me diz...qual vai ser?Uma bala na sua cabeça ou umas respostas da minha parte?’’

‘’Vou ficar com a segunda parte.’’,Cassie diz depois de um curto silêncio.

Dom sorri.

‘’Garota esperta.....’’,ele murmura ‘’Então me diz como tem passado?’’

‘’Ahh tudo ótimo até o pai da minha melhor amiga me seqüestrar.’’,Cassie fala rudemente.

Dom ri.

‘’Agora eu sei por que a Liz gosta de você.Mas não sejamos mal-educados.Todos sabemos o por que você está aqui.’’

‘’Sério?Porque eu não faço a mínima idéia do porque estou aqui.’’

‘’Ahh sim você sabe.O livro que você abriu na casa Heisten;Tá lembrada,Cassie?’’

Cassie rapidamente fica tensa.

‘’Como sabe disso?’’,ela pergunta com um pouco de medo,Dom sorri ainda mais.

E antes que ele possa responder,Cassie abre a porta do carro e pula.

Ralados e machucado formam-se em sua pele.

‘’Merda.’’,ela diz tentando andar,mas percebe que seu pé está torcido.O carro para,Cassie tropeça no meio da estrada.Dom sai com a arma na mão.

‘’Eu não queria fazer isso,Cassie,eu realmente não queria.’’,ele diz erguendo o braço,a arma apontada diretamente para ela.

O dedo dele está no gatilho.

Ele destrava a arma.

Mira.

E.........

Um carro bate em Dom com tudo,ele voa pela estrada.O carro faz uma curva e volta parando próximo ao corpo de Dom.

Uma mulher sai do banco do motorista com uma arma.

Ela atira em Dom,antes de se virar para Cassie.

‘’Então você é a marcada.’’,a mulher diz,para a confusão de Cassie.

‘’O que?’’

A mulher suspira.

‘’Só entra no carro.’’,ela comanda. Cassie sem querer desobedecer manca até a porta de trás e entra.

O carro dá partida,seguindo um rumo desconhecido e sombrio.

 

 


Notas Finais


Falem o que achão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...