História 7 dias para se apaixonar. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Anos 80, Chanbaek, Fluffy
Visualizações 131
Palavras 3.219
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, amores! Olha quem está de volta em tempo record. Pois é. Estou feliz por estar conseguindo escrever por esses dias. Essa história está me empolgando muito. Espero que estejam gostando também. Queria agradecer por todos os favoritos e os comentários do primeiro capítulo. Muito obrigada! Até a próxima, amores. Boa leitura! Ah, se quiserem saber mais da história ou só ver as besteiras que posto, me sigam no twitter. Meu user é: @firelightnai

Capítulo 2 - Fever.


“ And If I seem a little strange, that’s cause I am. “

Unloveable - The Smiths

Dia 1

Chanyeol não conhecia muito sobre os anos 80. Suas referências baseavam-se apenas nas velhas mixtapes que sua mãe tanto venerava e guardava como tesouro. Conhecia algumas bandas e até gostava bastante delas. As músicas dos Smiths geralmente eram trilha sonora de seu trabalho quando colocava os fones e deixava que a música embalasse e até tornasse razoavelmente animada sua função de organizar pilhas e mais pilhas de livros. Entretanto, fora isso, não conhecia mais nada. Estar em um ambiente estranho como aquele era mais do que assustador. Era inquietante de um modo que ele não conseguia nem explicar. Vários pensamentos surgiam na velocidade da luz.

 “Por que estou nos anos 80?”

 “Quem é o baixinho invocado?”

“Estou ficando louco?”

“Isso é possível?”

“Sim, eu estou louco.”

 - PARK! NÃO ME FAÇA IR AÍ!

A voz do tal baixinho o trouxe novamente para aquele quarto, deixando seus pensamentos inquietantes de lado por um momento. Chanyeol, então, ainda incerto atravessou a porta daquele quarto encontrando um pequeno apartamento. Era bem pequeno mesmo e bagunçado. Haviam caixas de pizza pela pia da cozinha e o sofá parecia meio sujo e velho. Uma pequena televisão residia sobre uma mesinha minúscula e, parado no meio da cozinha estava novamente o baixinho de mullets. A cara fechada dele denunciava seu aparente mau humor matinal. Chanyeol sentiu mais medo ainda.

- Desculpe o atraso. Estava... admirando meus pôsteres. – O Park disse, sorrindo amarelo.

- Aconteceu alguma coisa com você, cara? Você nem bebeu ontem. Tá usando alguma coisa?

Chanyeol imediatamente arregalou os olhos ao entender o que o garoto estava insinuando.

- O que? Não! Claro que não!

- Tudo bem, então... Você sabe que pode beber o quanto quiser, mas não pode se envolver com isso, beleza?

Por uma fração de segundo Chanyeol percebeu uma expressão triste no rosto do baixinho. Algo tão rápido que quase passou despercebido.

- Tudo bem. Eu sei.

- É uma das nossas regras principais de convivência. Lembra quando a gente fez o contrato de divisão do apartamento? Porra, a gente se odiava muito! Você era insuportável.

Chanyeol apenas assentiu, sorrindo amarelo pela milésima vez no dia. Obviamente não sabia nada sobre isso. Quase teve uma síncope com toda aquela situação. Odiava não saber nada do que o baixinho estava falando. Por Deus! Não sabia nem mesmo o seu nome.

- Você que era.

O outro franziu o cenho retornando a sua cara enfezada de costume. Chanyeol imediatamente parou de rir ao passo que o outro começou a rir descontroladamente.

- Você é mesmo uma figura, Park! Se assustando com tudo hoje. Até parece que não conhece mais essa minha cara de cu de sempre. Prazer, Byun Baekhyun, bonitão. – Disse, estendendo uma das mãos enquanto a outra ajeitava os cabelos.

- Eu acho que eu dormi pouco demais ontem, Baek. Foi mal.

- Vê se hoje dorme o suficiente. Amanhã não te quero estranho desse jeito. Tá pronto?

- Tô, mas... Pra onde nós vamos?

                                                        ***

 

A lanchonete McFly’s. Esse era o destino daquele dia. Baekhyun mencionou que a banda precisava se reunir para escolher um repertório para o Show de Talentos do campus que aconteceria no fim do mês. Disse tudo isso com a cara enfezada de sempre por ter de repetir aquilo por várias vezes até que Park pegasse todos os detalhes. A lanchonete era muito bonita esteticamente. Possuía aqueles característicos bancos vermelhos e uma Jukebox no canto. O fundo musical contava com o recém lançado álbum In Between Days do The Cure. Chanyeol amava aquele álbum.

- Bom dia, pombinhos. – Baekhyun mencionou, ao chegar na mesa onde outros dois garotos estavam sentados. Chanyeol reconheceu os dois da capa do jornal. Eram os outros dois integrantes da banda Black Wings. – Passaram a noite juntos?

- Vá se foder, Byun. – O mais baixo entre eles disparou.

- Ih, alá, Jongin. Ele sabe xingar! Estou muito feliz de ver que nosso querido e certinho Kyungsoo está deixando a moral e os bons costumes no fundo da gaveta...

- E não é? Muito feliz de levar meu gostosinho pro mau caminho. – O moreno de cabelos lisos proferiu, dirigindo uma piscadela para o tal Kyungsoo, que corou imediatamente, levantando o dedo do meio em seguida.

- Bom dia pra você também, Park. Não fala mais com os amigos não, é? – Jongin disse, pela primeira vez na conversa incluindo Chanyeol na conversa.

- Esse tá estranho hoje, Kim. Nem tenta. Parece que esqueceu tudo de ontem pra hoje.

- Tá pegando brisa, Park?

- Tá nada. Eu já perguntei. Um dia desses eu li que falta de sexo prejudica a memória. Certeza que esse é o problema dele.

- Vocês vão decidir a música ou vão discutir sobre a minha vida sexual frustrada?

- Esse é o Chanyeol que eu conheço. O que ri da própria desgraça. – Kyungsoo mencionou, fazendo com que todos rissem na mesa.

- Muito bem. Foco, filhos da puta. Não viemos aqui pra sentir pena do pau com teias de aranha do Chanyeol. Estamos aqui pra agir. Vamos pensar direitinho. Estamos ganhando popularidade na faculdade e eu não quero perder os privilégios que os famosinhos ganham. Tudo bem que pra conseguir a matéria eu tive que subornar algumas pessoas, mas que nossa evolução é inevitável, ela é. – Baekhyun iniciou, chamando a atenção de todos. – Ok. Vocês tem alguma ideia do que podemos tocar? Qual o repertório? – Kyungsoo levantou a mão, como um aluno quando quer responder a uma pergunta do professor. Chanyeol achou aquela atitude engraçada e sorriu com o ato. – Muito bem, Soo. Pode falar.

- Pensei que poderíamos começar com Modern Love do Bowie. Estou trabalhando nessa música e acho que pode ser uma boa...

- Ok, Modern Love. Eu gosto. Mais alguém?

O segundo a levantar a mão foi Jongin.

- Pensei em tocarmos algumas desse novo álbum do The Cure e também alguma dos Smiths.

- Eu quero músicas, Jongin. Seja mais específico.

- In Between Days e How Soon is Now?

- Na mosca! Bom garoto. E você, Park?

- Hmm... Should I stay or Should I go?

- Cantamos essa no show passado, cabeça de vento. Não podemos repetir esse repertório. A ideia é renovar. Onde tu tá com a cabeça hoje, Park? Eu já disse isso mil vezes.

- Ok. Desculpa. Desculpa! – Disse, erguendo as mãos na defensiva. Kyungsoo riu. – Então, talvez, mais Smiths?

- Seja mais específico.

- Unloveable.

- Agora sim eu reconheço o grandão das boas ideias. Eu amo essa música. Então tá fechado? Bowie, Smiths e The Cure. Vocês são os filhos da puta que eu mais amo nesse mundo todo. Têm um bom gosto do caralho.  – Baekhyun abraçou Chanyeol de lado, sorrindo. Os outros apenas assentiram.

- Ok, mas essa não é a única pauta da reunião hoje. O Jongin trouxe outra. – Kyungsoo proferiu, apontando para o garoto do lado.

- Ah, sim. Já ia esquecendo. Vocês ouviram falar da festa que o Kim Minseok vai dar hoje na casa dele?

- Até agora não sabia. Você soube de alguma coisa, Park?

Chanyeol negou e sentiu vontade de rir. Nunca tinha ouvido falar em ninguém com esse nome, ainda mais que aquela pessoa daria uma festa.

- Não.

- Então, ele convidou a galera toda. Bebida de graça e música. Quem topa?

- Ah, mas eu não perco de jeito nenhum. Eu e o Chanyeol estaremos lá. É hoje que tua memória volta, garotão!

Chanyeol sorriu amarelo mais uma vez. Tinha pavor de festas. Odiava o ambiente e era péssimo em interagir com pessoas. A última festa que havia frequentado tinha sido uma balada com Sehun e Junmyeon. Ele saiu de lá meia hora depois fingindo estar com diarreia.

- Bom dia, vocês vão pedir algo? – Uma voz interrompeu a conversa dos colegas de banda. Provavelmente era a atendente. Estranhamente, porém, Chanyeol pensou conhecer aquela voz. Quando levantou a cabeça para olhar para o rosto da mulher que havia falado quase teve uma síncope. Ali, ao vivo e a cores, vestindo o uniforme do Mcfly’s e com um crachá que dizia: “Hello, I’m Mary.” Estava ninguém mais ninguém menos que Madame Mamá sorrindo maliciosamente para Chanyeol. O garoto esfregou os olhos 30 vezes antes de ter certeza de quem era.

- Ah, sim, por favor. Um milk-shake de morango com fritas pra mim. E pro casal aqui um milk-shake de baunilha com dois canudos e em um só copo. – Baekhyun disse, rindo.

Sob os protestos de Kyungsoo e os sorrisos maliciosos e as piscadelas de Jongin, a garçonete anotou os pedidos. Enquanto isso, Chanyeol não conseguia falar nada. Abria a boca várias vezes mas som algum saía.

- Quem mordeu a tua língua, Park? Ele vai querer o mesmo que eu, moça. Desculpa é que esse cara tá estranho hoje.

- Ok, Baekhyun. Em alguns minutos eu trago.

- Valeu, Mary.

- Você... a conhece? – Chanyeol finalmente conseguiu falar.

- E por que não conheceria? Eu hein, Park. O que aconteceu com você? Até parece que foi abduzido e trocado.

Chanyeol riu imediatamente e escandalosamente em seguida. Até batia na perna de tanto rir. Literalmente a maior definição de rir de nervoso.

- Imagina que hilário seria! Nossa, claro que não! - Chanyeol obviamente não sabia disfarçar muito bem nada. – Eu vou ao banheiro, ok? Volto já.

Em alguns minutos, Chanyeol estava no banheiro lavando o rosto ininterruptamente. Agora tinha total certeza de que estava louco. Quer dizer, era a única explicação plausível pra todas as coisas que estavam acontecendo, não?

- Confuso, gracinha?

Quase teve uma síncope quando uma voz interrompeu seus pensamentos que antes o atormentavam de forma veemente. Ela estava ali, agora do mesmo jeitinho que Chanyeol a havia conhecido.

- Ok, se isso é uma brincadeira, já pode parar. Eu tô ficando louco ou coisa do tipo?

- Depende do que você considera como louco.

- Eu odeio isso. Essas frases sem sentido que você diz!

- Calma, docinho! Eu estava brincando. Você não está louco. Só não está na mesma época.

- Muito obrigado por me dizer o óbvio.

- Sempre irônico não é, Park? Então. Você pediu o amor e eu resolvi te dar. Seu amor está aqui.

O Park apenas franziu o cenho e em seguida estreitou os olhos sem saber o que responder.

- Você só pode estar brincando.

- Nunca falei tão sério em toda a minha vida.

- E posso saber quem é o amor da minha vida que, por um acaso fodido do destino, está há alguns anos de diferença?

- Isso eu não vou dizer, meu lindo. Você tem sete dias pra descobrir.

- Isso é tipo uma praga? Você me rogou uma praga por eu ter dito aquelas coisas pra você? Olha, desculpa, eu não queria...

- Tarde demais, meu anjo. Vai ter que completar os sete dias aqui. Não se preocupe, os dias serão muito legais se souber aproveitar bem. Ah, boa festa hoje. – Disse, sorrindo maliciosa e sumindo porta afora deixando um Chanyeol mais confuso ainda olhando seu reflexo no espelho.

                                                          ***

 

O tal Kim Minseok, dono da festa da noite, era um dos garotos mais descolados da faculdade. Tinha característicos cabelos verdes que o diferiam bastante e, segundo Baekhyun, era um dos caras mais disputados entre garotas e garotos do campus. De vez em quando dava umas festas legais em sua casa já que seus pais não estavam nem aí pra ele e apenas jogavam dinheiro na, já gorda, conta bancária do jovem. Minseok dizia aos quatro ventos que curava a solidão com álcool apesar de que, por dentro, estava sempre destruído.

- Ora, ora quem encontramos aqui! Byun Baekhyun e Park Chanyeol. A famosa dupla dinâmica. Sejam bem vindos. Mí casa, su casa, chicos!

- Gracias, muchacho! – Baekhyun disse, rindo. Chanyeol apenas franziu o cenho enquanto o amigo dava de ombros. – Fazemos a optativa de Espanhol juntos.

Chanyeol assentiu enquanto entravam no local. A festa já estava completamente lotada. Universitários por todos os lados. Alguns beijando, outros bebendo ou apenas conversando. Imediatamente Chanyeol cogitou fingir diarreia de novo.

- Qualé, Park. Desfaz essa tua cara de nojo, porra. Toda festa é a mesma coisa. Vai curtir. Beber, beijar. Vamo lá, cara. Cadê meu garanhão?

- Morreu junto com a minha vontade de viver.

- Credo! Sai daqui, filho da puta. Vaza com esse teu mau humor. Hoje eu quero aproveitar. Opa, oi gracinha! – Disse, acenando para uma das meninas que passavam por ali. A garota sorriu de orelha a orelha, cumprimentando-o em seguida. - Tá na hora de ir, Park. Em direção a conquistalândia. Vai socializar, seu merda! Até mais tarde. Não use drogas e não saia sem transar, hein.

E simplesmente saiu, puxando a garota e deixando Chanyeol ali no meio daquele furacão sem ter a mínima ideia do que fazer. Então, por alguns momentos apenas observou Baekhyun. O garoto estava usando uma calça jeans colada demais, uma camisa vermelha com alguns detalhes na cor branca e uma jaqueta de couro marrom.  Era charmoso aquele baixinho. Isso ele não podia negar.

- E aí, Park? Secando o Byun, é? – Era Jongin. Usava uma camisa branca com estampa de palmeiras e estava aberta até quase o meio do peito e, assim como o Byun, usava uma calça bem apertada.

- Nada. Eu só tava... observando.

- Sei. Observar, soletrando: S-E-C-A-R. - Chanyeol apenas riu, dando de ombros em seguida. – Você viu o Soo por aí? Ainda não vi ele por aqui. Cheguei agora.

- Ah, não vi não. Deve estar chegando.

- Hmm. Estou pensando em apostar quem vai ficar bêbado primeiro dessa vez. Ele ou o Byun. Vamos?

- Eles bebem muito?

- Perdeu a memória mesmo, garoto? Até parece que não sabe da fama de Baeksoo, os bebuns oficiais. Kyungsoo só tem cara de santo e o Baekhyun nem isso.

- Ahhh sim. Claro. Claro. Vamos apostar. Eu vou no Soo, então. E você?

- Mas é óbvio que no Byun. Boa sorte em levá-lo pra casa hoje, garotão. Boa sorte.

- Já estão apostando de novo em quem vai ficar bêbado mais tarde?

Kyungsoo havia chegado, interrompendo a conversa entre os dois. Usava uma camiseta amarela e uma camisa verde estampada por fora. O cabelo estava impecável, como sempre. E, na mão direita, já carregava uma dose de alguma bebida. Chanyeol não soube identificar o que era pela cor.

- Minha gracinha você está a coisa mais linda do mundo hoje. Que tal me deixar experimentar esse drink direto da tua boca?

Kyungsoo fez uma careta em reação a fala do outro. Chanyeol riu imediatamente.

- Me erra, Jongin. Vai procurar alguém pra você tirar o atraso. Credo. Parece cachorro no cio.

- Só por você, meu amorzinho. Só por você.

- Ok, percebi que tô sobrando. Vou pegar algo pra beber. – Chanyeol disse, afastando-se um pouco dos outros dois.

O Park andou um pouco pela multidão e procurou as bebidas. Mais precisamente, um copo de água. Foi quando algo chamou a sua atenção. Em cima do sofá, cantando com a música, Baekhyun iniciou seu pequeno show. Ao fundo, a antiga música de Ray Charles na versão do The Jam tocava. Fever.

You'll never know how much I love you
Never know how much I care
'Cause when you put your arms around me
I get a fever I can hardly bear
You give me fever
When you kiss me
Fever when you hold me tight
Fever through the daytime
I get a fever all through the night

Acompanhando a letra perfeitamente, Baekhyun cantava e rebolava atraindo olhares e palmas de todos ali. Jongin gritava loucamente enquanto Kyungsoo apenas ria do amigo. Chanyeol permaneceu estático observando minuciosamente os movimentos de seu colega de apartamento. Era engraçado e ao mesmo tempo igualmente sexy o modo despreocupado com que ele se mexia. Naquela noite Chanyeol conheceu uma das faces de Baehkyun. A primeira delas.

                                                                ***

Uma noite inteira de bebida e beijos fez com que Baekhyun chegasse completamente acabado em casa. A calça estava molhada de bebida. A camisa completamente amarrotada. A jaqueta tinha se perdido em algum canto da casa de Minseok, Os cabelos estavam desarrumados e a boca manchada de batons de várias cores. O pescoço estava roxo em alguns pontos. Porém, mesmo estando acabado, o Byun cantarolava canções no ouvido de Chanyeol e ria escandalosamente enquanto o maior tentava equilibrá-lo em suas costas.

- Grandão, voxê não pegou ninguém? Não quer me pegar não? – O garoto proferia com a voz embolada e soluçando periodicamente.

- Baek, cala a boca por uns segundos, pelo amor de Deus. E para de se mexer, porra! Eu vou te derrubar!

Baekhyun riu mais uma vez. Finalmente, alguns minutos de luta depois, Chanyeol conseguiu abrir a porta do apartamento com dificuldade, empurrando Baekhyun em direção ao banheiro o mais rápido possível.

- Ahhhh, não, Grandãaaaao. Não quero tomar banho. Eu tô bem limpinho. Olha só. – Disse, apontando para o próprio corpo.

Chanyeol apenas riu, puxando-o mais uma vez e jogando-o embaixo do chuveiro, finalmente.

- Eu deveria te deixar sem tomar banho mesmo. Todo horroroso e sem dignidade. Tô com ódio dessa sua fuça. Me levou pra essa festa e ainda me fez perder dinheiro. – O garoto referia-se ao fato de ter perdido a aposta com Jongin. Baekhyun, obviamente, ficou bêbado primeiro.

- Me desculpaaaaaa, bebê. Eu não queriaaaaa. – Ele continuava a resmungar e cantarolar algumas músicas até que Chanyeol finalmente terminasse de auxiliá-lo com o banho e o jogasse na cama dele depois de ajudá-lo a se vestir.

Quando deitou na cama, Baekhyun estava com um sorriso no rosto. Chanyeol apenas observou por alguns minutos. O baixinho, então, abriu os olhos observando o Park atentamente.

- Seus olhos são muito bonitos, grandão... Eu sempre quis dizer isso. – Apenas soltou aquilo e sorriu abraçando o travesseiro em seguida e virando para o outro lado, deixando Chanyeol com uma expressão de surpresa no rosto.

Quando percebeu que o baixinho havia dormindo, recolheu todas as roupas que havia usado e levou para o cesto na cozinha. Quando quase estava adormecendo, porém, sentiu o celular vibrar mais uma vez, coisa que não havia feito o dia inteiro. Era uma notificação do mesmo aplicativo estranho.

Notificação de Amor Verdadeiro: Você possui 1 mensagem de MM.

Clicou, rapidamente na notificação e percebeu que era uma mensagem enorme. Uma foto estava anexada. Aparentemente, era uma foto sua e de Baekhyun. Abaixo, o texto:

“Byun Baekhyun e Park Chanyeol conheceram-se por afinidade dos pais, mas nunca gostaram muito um do outro. A relação, porém, teve uma mudança quando compartilharam um momento muito especial juntos: a entrada na faculdade. Tendo que dividir apartamento, reconheceram gostos em comum e criaram a banda Black Wings, São melhores amigos até hoje.”

- Então era sobre isso que ele estava falando hoje. – Chanyeol disse, ainda visualizando a foto.

Os dois estavam lado a lado. Chanyeol segurava uma guitarra vermelha na mão e Baekhyun um microfone. Ambos sorriam. O Park continuou a olhar a foto por mais alguns minutos até que outra notificação chegasse.

“Bom trabalho hoje, docinho. Você está pegando o jeito. Boa sorte com os ensaios da banda. A propósito: você sabe tocar guitarra? Eu espero que sim...

Segundo dia: iniciado.

- MM.”

 

 

 

 

 


Notas Finais


E aí, o que acharam? Espero que tenham curtido. Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...