História 7 Tons de Desejo (Imagine - BTS) - Capítulo 5


Escrita por: ~, ~IAmCrazy, ~KyKai, ~unnieminnie, ~xbaby e ~FireGirls

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 18.730
Palavras 2.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~IAmCrazy aqui õ/

Então, amores, como devem ter notado, saiu um pouco da ordem hahahahahahaha... VOU EXPLICAR...

É porque as meninas estão atarefadas com vestibulares, estudos, ENEM, problemas pessoais, então não conseguirão postar seguindo uma da outra, como o meu já estava ali quase pronto só finalizar, falei com a Fer e ela também achou bom que eu postasse, afinal estou com risco de ficar sem internet, então quanto mais cedo melhor.

Espero que entendam e gostem desse imagine do Jeon policiai ¬u¬

AAAHAHH OUTRA COISINHA...

Antes que venham nos comentários falando que não curtem anal... sim... esse capítulo também tem anal, gente, me perdoem, mas não esperem algo fofo, muito menos contido vindo de uma fanfic onde os meninos sejam garotos de programa.

Espero mesmo que gostem ^^
Dei meu melhor nesse cap até mesmo fui ouvir música trepante a rodo HAHAHAHA

Boa Leitura ~*

Capítulo 5 - O Policial - Jeon Jungkook


Fanfic / Fanfiction 7 Tons de Desejo (Imagine - BTS) - Capítulo 5 - O Policial - Jeon Jungkook

Quarta — 23:00

Abri os olhos estendendo a mão para pegar meu celular, estava perto do meu novo presente chegar, havia marcas por todo meu corpo, pescoço, pernas, bunda, barriga, até mesmo braços, algumas estavam desaparecendo, já outras estavam bem presentes em minha pele.

Suspirei olhando a carta que minha amiga havia deixado fixando na última linha, o policial, sorri de canto, marota. Levantei depressa da cama indo até a caixa, retirei dali uma lingerie preta com detalhes em renda brancas, a vesti olhando para o espelho. Ficou ótima.

—O que será que nos aguarda? – Sussurrei passando a língua entre os lábios.

Minutos depois alguém bateu em minha porta, caminhei lentamente enquanto respirava fundo, olhei pelo olho mágico vendo que não havia ninguém ali. Abri a porta e um homem fardado como um policial apareceu segurando um cassetete. Ele encostou ao batente me olhando da cabeça aos pés, parou em meus olhos abrindo um sorriso no rosto.

—Olhe só. – Disse dando um passo em minha direção, recuei o vendo entrar em minha casa, o policial fechou a porta. Segurou meu quadril e virou de repente batendo minhas costas contra a porta, ofeguei surpresa. Ele sorriu colando nossos corpos, uma de suas mãos desceu por minha coxa erguendo minha perna a envolvendo em seu próprio quadril. —Fiquei sabendo que você foi uma menina má com meus colegas.

—Fui sim. – Sorri mordendo de leve seu lábio inferior o puxando. —Como pretende me punir? – Sussurrei pendendo um pouco a cabeça. Ele me virou de frente para a parede envolvendo sua mão em meu cabelo passando o nariz por meu pescoço.

—Vou bater nessa sua bundinha gostosa até que implore para que te faça gozar muito, marcar essa sua pele macia muitas vezes, só ai então meter meu pau nessa sua bocetinha gulosa que provavelmente está muito molhada. – Sussurrou passando seu cassetete por minha bunda subindo pelas costas.

Ele passou a ponta do objeto por meu ombro, o aproximou do meu rosto em um gesto claro que iria cumprir tudo o que disse, passei a língua pelo material o provocando ainda mais. O ouvi gemer claramente excitado, deu uma mordidinha no lóbulo da minha orelha me arrepiando.

—Estou tão duro. – Confessou me fazendo sorrir, minha mão foi até sua calça apertando seu pênis por cima de todos os panos, podia senti-lo extremamente duro, o que me fez salivar ainda mais, querendo lamber seu pau de cima a baixo.

—Pude notar. – Disse após uns segundos de silêncio, ele riu baixo e rouco, fechei os olhos puxando ar porque sem dúvidas meu corpo clamava por ele. Retirou minha mão de sua calça a colocando na parede, como se fosse me revistar.

—Preciso lhe revistar, checar se não está portando nada perigoso a mim. – Sussurrou passando as mãos lentamente por meus seios, costelas, braços e barriga, parando na minha calcinha.

Baixou logo atrás de mim fazendo o mesmo com minhas pernas, suas mãos eram grandes e macias, causavam arrepios por meu corpo todo, continuei com as mãos na parede sentindo seus dedos passando por minha calcinha, senti o pano ser afastado e minhas pernas mais abertas.

—Está tão molhadinha. – O ouvi dizer, olhei para baixo e o encontrei mordendo o lábio, rasgou minha calcinha com força, arfei sentindo a peça descer por minhas pernas, as movi jogando-a longe.

Suas mãos abriram minha bunda e tudo o que senti foi sua língua em meu ânus, deixei um gemido alto sair pela surpresa, ela é habilidosa, passava lentamente, mas logo fazia pressão afundando o músculo molhado e quente em meu cuzinho, fechei as mãos sem nada para puxar.

—Já está tremendo? – Perguntou dando um tapa em minha bunda, assenti ainda entorpecida, o senti sorrir dando leves mordidas em minha pele, ficou em pé e me virou, arrancou meu sutiã segurando meus seios em suas mãos, aproximou de um deles pegando o bico entre seus lábios o puxando lentamente, passou a língua por cima e chupou enquanto apertava o outro e beliscava com os dedos.

Tentei firmar minhas pernas, que mais pareciam gelatinas, mas por pouco não fui ao chão, o policial passou um braço por minha cintura após soltar meu seio, colidiu nossos corpos com força me deixando ofegante. Fechei os olhos sentindo seus lábios brincarem com os meus, ergui minhas mãos segurando seus cabelos, o beijei cheio de volúpia e um desejo que era desconhecido.

Mordeu-me com força puxando minhas pernas ao redor de seu quadril, fiz o que queria sem ao menos separar de sua boca, era tentadora, macia, e seu perfume parecia me embriagar cada vez mais. Caminhou até meu quarto e me soltou na cama, cai de costas sendo aparada pelo colchão. Olhei em seu uniforme e pude ver uma pequena identificação em seu peito no lado direito. Policial Jeon.

—Parece que descobri seu nome. – Sorri marota sentando na beirada, ele abriu a camisa escura lentamente, deixando seu peitoral a mostra a cada botão aberto, passei a língua entre os lábios o puxando pelo cinto até que seu pau estivesse bem em frente ao meu rosto. —Agora tenho certeza para quem vou gemer e gritar. – Provoquei ainda mais enquanto aproximava.

Passei a língua pelo tecido sentindo-o tremendo, ergui os olhos piscando rapidamente, retirou a camisa a largando no chão, abri seu cinto e o botão da calça a abaixando junto com sua cueca até o joelho. Segurei seu pau dando um beijo na cabecinha, ele arfou me fazendo sorrir ainda mais, não sou a única louca por aqui.

Coloquei-o em minha boca até onde pude, senti encostar-se a minha garganta, soltei o deixando molhado o suficiente com minha saliva, Jeon arrumou meu cabelo em um rabo improvisado olhando meu trabalho. Movi minhas mãos para cima e para baixo, também em círculos o lambendo e chupando, seu quadril estocava seu pau em minha boca com força. Por um momento quase me afoguei, mas ele retirou bem a tempo, tossi um pouco, rodei minha língua na cabeça vendo o pré-gozo já saindo, sorri marota o levando novamente a boca. Jeon gemeu afastando, passou a mão em meu rosto o erguendo pelo queixo.

—Você tem uma boquinha muito assanhada e deliciosa. – Elogiou aos sussurros enquanto me beijava, retribui ainda o masturbando. Separou erguendo seus dedos a  minha boca. —Chupa direitinho princesa. – Pediu enfiando seus dedos, seus dedos ficaram cheios de minha saliva então fui empurrada deitada novamente.

Jeon ajoelhou em frente à cama erguendo minhas pernas as deixando abertas e apoiadas na beirada. Passei minhas mãos por trás de minha coxa me mantendo aberta. Ele sorriu e baixou passando a língua do meu cuzinho ao meu clitóris, gemi arqueando as costas, seus lábios moviam com se estivesse beijando, abri a boca fechando os olhos com força.

Sua língua vibrava em uma frequência que enviava espasmos por meu corpo, segurei meus seios os apertando, Jeon não permitia que eu fechasse as pernas, pois suas mãos me mantinham bem aberta. Sua cabeça mexeu de um lado para o outro, sua língua e lábios o seguiram. Sugou meus lábios para dentro de sua boca o soltando em um estalinho, levei uma de minhas mãos a seu cabelo o puxando rebolando contra seu rosto.

Seus olhos fixaram nos meus logo quando dois de seus dedos massagearam minha entrada a penetrando quando estava molhada o suficiente, ele ergueu seus dedos dentro de mim os mexendo para dentro e para fora. Soltei um grito sentindo meu orgasmo poderoso chegando. Ele retirou e afastou me deixando mole, sorriu me pegando pela cintura, virou me deixando de quatro.

Baixou encostando seu peito em minhas costas, pude sentir seu pau encostando-se a mim, arfei puxando o lençol da cama com força.

—Onde está seu brinquedinho princesa? – Perguntou sussurrando em meu ouvido, respirei fundo procurando minha voz.

—Criado-mudo. – Consegui dizer baixo, ele sorriu e afastou indo até o lado de minha cama, abriu uma das gavetas retirando um vibrador rosa choque dali, sorriu me encarando.

Saiu da cama indo até sua calça, retirou dela uma algema, um pequeno recipiente, provavelmente lubrificante e camisinhas. Aproximou ficando logo atrás de mim, passou a mão em seu pau o revestindo com uma das camisinhas, levando a minha entrada, penetrou lentamente me fazendo gemer. Seus dedos pressionaram em minha cintura com força, quase deixando sua digital em minha pele, joguei a cabeça para trás tirando o cabelo de meu rosto.

—Deus, essa sua bocetinha está tão molhada e apertadinha. – Sussurrou aumentando as estocadas, gemi assentindo. —Uma perdição para meu pau. – Disse passando as mãos por minhas costas parando em minha bunda dando um tapa em um dos lados.

Continuou estocando com força e rápido, encostando em lugares dentro de mim que jamais imaginei, meus gemidos ficavam cada vez mais roucos e minhas voz ameaçava desaparecer se prosseguisse dessa maneira. Meu rosto foi ao travesseiro e tentei ao máximo controlar minha respiração, o que parece ter sido em vão, porque logo fui virada de costas na cama. O policial pegou um dos travesseiros e ergueu meu quadril colocando-o embaixo dele.

—O que pretende? – Perguntei sorrindo de canto, claramente querendo mais. Ele me encarou e pude ver que a luxúria estava clara em seus olhos. Pegou as algemas erguendo minhas mãos, as prendeu na cabeceira da cama, puxei meus pulsos falhando em me soltar.

—Foi apenas um orgasmo princesinha, estou lhe dando muito mais. – Disse afastando, pegou o lubrificante e o abriu jogando em minha vagina a lambuzando, molhou seus dedos e pau também.

Jeon passou o dedo lubrificado por meu clitóris, entrada e parou em meu ânus, ofeguei o sentindo massagear lentamente, seu dedo ficou rígido e logo o senti entrando em meu cuzinho, joguei a cabeça para trás segurando a cabeceira com toda minha força. Ele ligou o vibrador o colocando em cima de meu clitóris, gritei sentindo tudo ao redor virar um borrão.

Pude sentir seu indicador movendo lentamente abrindo espaço, me beijou rapidamente mordendo meu queixo, gemi alto rebolando contra o dedo e o vibrador que Jeon segurava com firmeza.

—Vamos lá princesinha, goza de novo. – Praticamente ordenou e meu corpo obedeceu, tentei fechar minhas pernas, mas não foi permitido novamente.

Jeon acrescentou mais um dedo em meu ânus, dando um choque entre minhas pernas; arfei sentindo a camada de suor em meu corpo era mais grossa a cada orgasmo poderoso que eu tinha. Ele sorriu e moveu os dedos beijando as laterais de minhas coxas, subiu a boca por minha barriga sugando e lambendo meu seio, seus dedos separaram levemente me arrepiando pegando de surpresa.

—Shhh. – Disse beijando meu pescoço, meus gemidos eram praticamente gritos, meu corpo implorava por mais, queria todos os orgasmos que o policial Jeon prometeu. —Adoro saber que esses gemidos são para mim, mas seus vizinhos não precisam saber da nossa pequena brincadeirinha. – Disse e assenti.

Retirou seus dedos e afastou enquanto abria outra camisinha com a ajuda de seus dentes, fechei os olhos por alguns instantes tentando encontrar minha sanidade, mas falhei.

—Abra esses olhos princesinha. – Ouvi a voz de Jeon muito próxima, seu rosto estava em frente ao meu, sorriu afastando, segurou minhas pernas as erguendo e apoiando em seu corpo. —Quero veja enquanto fodo esse seu cuzinho essa bocetinha deliciosa. – Sussurrou sujo me fazendo gemer.

Jeon levou seu pau ao meu ânus e o penetrou lentamente, em uma velocidade quase parando, abrindo caminho, senti uma fisgada, mas fiz o possível para relaxar, suspirei evitando que meu corpo ficasse tenso e ele parasse. O policial sorriu finalmente finalizando a penetração. Ligou o vibrador e o levou até minha outra entrada. O passou lentamente para baixo e para cima parando e o pressionando em meu clitóris, reprimi um grito na hora.

O policial não satisfeito, levou o objeto a minha entrada e a penetrou lentamente com ele, foi nesse momento que senti seu pau movendo lentamente, saindo e entrando, enquanto o vibrador fazia o mesmo em minha bocetinha, puxei as algemas fazendo um pequeno estrondo na cabeceira da cama. Ligou o vibrador novamente no médio movendo-o rapidamente.

—J-Jeon. D-Deus. – Gemi ofegante e completamente desarmada, o vi rir aumentando ligeiramente ambos, o vibrador e seu pau.

—Deus não princesinha. Somente meu nome. – Ordenou estocando com força em meu cuzinho, gemi alto assentindo. —Tão deliciosa, seu cuzinho está me sugando todo guloso, assim como essa sua bocetinha com o vibrador. – Provocou aumentando a vibração, deixando no máximo.

—S-Sim... Jeon. – Consegui soltar seu nome depois de certo esforço. Ele sorriu aumentando as estocadas, gritei sentindo meu corpo explodir, o ouvi gemer alto jogando a cabeça para trás.

Ele gozou logo após eu, tentei regularizar minha respiração quando senti minhas mãos serem soltar, baixei os braços passando as mãos nos seios, ainda estava sensível e excitada. Jeon caiu na cama ao meu lado e vendo meu estado sorriu apoiando-se em um braço ficando parcialmente sobre mim, o beijei puxando seu cabelo da nuca. Soltou espalhando beijos por meu pescoço, mandíbula e ombro.

—Ainda está excitada princesinha? – Questionou sussurrando, assenti o vendo arquear uma sobrancelha. —Temos aqui uma princesinha completamente safada. – Pendeu a cabeça me olhando nos olhos.

—Pura verdade. – Sorri de canto o vendo deitar novamente na cama, olhou para o teto logo sorriu me puxando por um lado da cintura.

—Vamos resolver isso. – Murmurou enquanto eu ficava de joelhos, o vi puxar meu corpo para mais perto de seu rosto, arqueei uma sobrancelha logo entendendo o que ele queria dizer. Passei uma perna por sua cabeça a deixando no colchão ao lado, seu rosto ficou preso diretamente contra minha bocetinha. —Você está brilhando de tão molhadinha. – Murmurou passou as mãos por minha cintura, sentei lentamente em direção a sua boca.

Sua língua varreu lentamente toda minha boceta, fez círculos enquanto seus dedos separavam os lábios dando-lhe visão completa, apoiei as mãos no colchão levando meu corpo um pouco para trás. Senti seu dedo me penetrando novamente enquanto o músculo quente e molhado ainda pressionado contra meu clitóris.

Soltei um grito chegando a mais um orgasmo, esse foi potente e deixou meu corpo feito gelatina, suspirei caindo na cama, Jeon riu e sentou na cama retirando a camisinha de seu pau, levantou indo até o banheiro e a jogou. Foi recolhendo suas coisas e colocando novamente sua roupa.

Levantei colocando um roupão rápido, ainda nua por baixo dele, saímos do quarto indo em direção a porta, Jeon parou em frente a ela e me encarou, aproximou e segurou meu queixo dando um selar um pouco demorado em meus lábios, abriu a porta e passou metade do seu corpo por esta.

—Espero que esteja aproveitando muito bem nossos serviços princesinha. – Segurou meu queixo enquanto sussurrava.

—Estou aproveitando sim, muito. – Arqueei as sobrancelhas com um sorriso safado nos lábios, Jeon piscou e saiu me deixando sozinha. Fechei a porta me encostando a ela, passei uma mão na testa sentindo um ardor leve entre minhas pernas.

Ouvi meu celular tocando, corri até ele o pegando vendo que era uma mensagem da minha amiga.

“Espero que esteja aproveitando muito bem meus presentes.”

—Aproveitando até demais. – Sussurrei com um sorriso no rosto, ansiosa para que o meu próximo presente.


Notas Finais


Tia Crazy não manja de Dirty Talk então, né... Me perdoem qualquer coisa, dei meu melhor HAHAHAHAHAHA...
(já disse isso né?! ¬¬)
É isso amores, aguardem os próximos ok?
Como eu disse, posso ficar sem internet, por isso postei hoje, pra não ter problemas nem estresse ^.~

Não esqueçam de seguir as Spirit Girls >> @xbanshee, @IAmCrazy, @KyKai, @xdragon, @xBaby, @unnieminnie e @jangguk

Logo logo tem mais amores, fiquem calmas XD

Kissus ~*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...