1. Spirit Fanfics >
  2. 7 Ways To Be S/N (Imagine BTS One-Shot) >
  3. Yoongi: The 4Level Vampire

História 7 Ways To Be S/N (Imagine BTS One-Shot) - Capítulo 2


Escrita por: e shinws


Notas do Autor


(shinws)

Capítulo 2 - Yoongi: The 4Level Vampire


Fanfic / Fanfiction 7 Ways To Be S/N (Imagine BTS One-Shot) - Capítulo 2 - Yoongi: The 4Level Vampire

15/05 ⇔ 21/05 



A escola de Vane's nunca exalou tanto medo para os demais seres humanos. O fato de existirem dois turnos – diurno e noturno – onde estudantes humanos habitavam pela manhã e seres vampiros pela noite. No entanto, os únicos que sabiam deste detalhe, eram os monitores do colégio, junto do diretor. Estes, que tinham o trabalho de fazer vigilância assim que as aulas dos seres sobrenaturais começassem, para que, nenhum aluno ultrapassasse o grande muro que dividia as duas classes. 

S/N, filha do diretor, era um dos monitores. Ela e seu grande amigo Min Yoongi, o mesmo que odiava vampiros por ter tido a família devorada por um quando mais novo. O diretor sempre apoiou a comunidade vampira, então não era um problema tê-los por perto. A não ser que fossem os de nível 4. 

Existiam duas espécies de seres vampíricos: as do sangue puro, vampiros que nasceram vampiros, os únicos que podiam transformar um ser humano em sua própria espécie; e os de nível 4, seres que foram transformados e, portanto, não eram considerados de sangue puro, e sim, criaturas horrendas que se transformavam com o passar do tempo. O único antídoto para estes sobrenaturais, era beber o sangue de um puro. Assim, não se tornariam mais um nível 4. 

Porém, isso era muito raro de se acontecer. A maioria se modificava e era morta por caçadores. Exatamente por esse motivo, existiam as pequenas cápsulas de sangue, onde os originais se controlavam para que não bebessem o sangue dos seres humanos e, consequentemente, os transformassem em nível 4.


⇔ S/N 


— Está pronta? — Min Yoongi, meu parceiro de vigilância, abre a porta de meu dormitório. 

— Sim. Como estou? — Ele me olha de cima a baixo e esboça uma cara de desgosto. — Que cara é essa? Tá tão ruim assim? 

— Por que você tá se arrumando toda, só pra monitorarmos a escola? — Prenso os lábios, ele sabia exatamente o motivo disso. — Já sei. Lim Jaebeom? Acertei? 

— Aish, claro que não. Eu me arrumo para mim mesma. 

— Tsc. Tanto faz, vamos. 

Assinto e o sigo pelo extenso corredor do colégio, em direção ao muro enorme. Sempre quis saber o que passa lá dentro, o que aquele lugar sombrio e tenebroso, esconde? Bom, essa oportunidade eu, com certeza, não teria. 

— Tá, eu fico com a parte de fora e você com a de dentro. Fechado? — Digo, preparando meu arpão de ferro especial. 

— Tem certeza? Aqui tá bem frio e você tá usando esse... — Suas bochechas coram. — Short curto. 

— Não me importo, fico aqui. Bom trabalho, Yoon. — Sorrio largo e o maior apenas acena com a cabeça, indicando que havia entendido. 

Balancei a cabeça em negação, sempre se preocupando comigo, esse bobo. Ele sabe que sei me virar sozinha. E, de fato, sei mesmo. Aprendi desde pequena com o senhor Kristy, a me defender e lutar quando preciso, especificamente contra um vampiro. Mesmo que, apoiemos a comunidade, temos de temer a certos. Afinal, são todos poderosos e podem nos manipular a conseguir o que querem. Esses me dão medo. 

Em suma, o único que eu podia confiar não ter perigo algum, era Lim Jaebeom. Certo porque, minha família fora atacada por um nível 4 há muito tempo atrás. E bem, eu fui a única sobrevivente. Jae me salvou, como sempre fazia, me salvava de emboscadas. Umas que eu mesma me metia, só para ver seu lindo rosto e tocar sua pele macia novamente. Acontece que, sempre tem alguém para atrapalhar, não é mesmo?

 Yoongi gostava de atrapalhar esses meus momentos, então nunca rolava nada de romântico, o que me abatia. Mas, eu o entendo, ele tem muito ódio de vampiros, era filho de um caçador e agora, tem de proteger o muro que ficava entre nós e os seres sobrenaturais. 

Senhor Kristy o acolheu ainda novo, quase a minha idade, o diretor do colégio. Nós fomos treinados para lidar com essas circunstâncias, e Min não tinha o porquê de reclamar. De vez em quando, ele dizia que precisava ficar sozinho, e barulhos muito estranhos começavam a surgir de seu dormitório. Todos do colégio acreditavam que ele deveria ser problemático, mas eu nunca me importei com isso. Yoongi só tem essa sua cara de mal, mas é uma manteiga derretida, uma boa pessoa.

— O que uma bela dama anda fazendo sozinha por estes lados? Ainda mais, vestida desse jeito? — Seokjin, um dos estudantes do turno da noite, aproxima-se, beijando a palma de cima da minha mão. 

— Ah, Seokjin! Não tinha o visto, estou apenas vigiando. Desculpe o incômodo. — Me virei para que pudesse deixar o vampiro sozinho, já que não podia ter muito contato com os mesmos. 

— Poxa, por que não fica mais um pouco? Estou sozinho. — Ele sorri maliciosamente e eu já sabia o que estava por vir. 

— Foi mal, tenho trabalho. Deixa pra próxima, ok? — Sorrio sem graça.

O maior que esboçava uma expressão sorridente, acaba por desmancha-la, prensando meu corpo contra uma árvore. 

— O que está fazendo? 

— Apenas exalando seu perfume doce, o perfume do seu delicioso sangue. Me pergunto se é tão bom quanto o cheiro. 

— Tenho certeza que isso você nunca irá descobrir. — Um arpão de ferro fura uma de suas mãos, o que o faz relutar e deixar-me sair. 

— Suga. — O apelido de Yoongi, por ser branco como o açúcar. — Seu merdinha, olha o que fez! — Ele mostra a mão furada, mas logo em seguida, se regenerando. 

— Desculpe, mas atacar uma aluna, ainda por cima monitora, é considerado transgressão grave. Você infringiu uma regra, Kim Seokjin. — Yoongi me puxa para seu lado, onde me aperta em seu corpo. Sinto meu coração acelerar a medida em que escuto passos ao longe. Eu sei quem está vindo. — Acho que o senhor Kristy não vai gostar de saber disso. 

— Por favor, Min Yoongi. Não precisa disso, irei ter uma breve conversa com Seokjin. Peço desculpas por seus atos. — Lim Jaebeom, líder dos estudantes vampiros, aparece em meio a mata despercebida. 

— Essa é a segunda vez, Lim. Da próxima, usarei a Croier 94. — Diz Yoongi, apertando-me ainda mais contra si.

 A Croier 94, é um estilo de arma baseado em atributos sobrenaturais, especial para matar estes seres, feita para isso. E os únicos autorizados a terem-na são caçadores e seus demais parentes.

— Não é necessário, você sabe disso.

— Tanto é, como irei fazê-lo. Portanto, controle seus estudantes. Vamos, S/N. — Ele me carrega, mas eu me solto de seus braços.

— Posso fazer isso sozinha. 

— Tá. 

Caminho por entre a grama recém aparada, arrumando a roupa que, agora, estava um pouco amassada. Droga, tenho que parar de usar esse tipo de vestimenta pra trabalhar. 

— S/N. — Paro em um instante, quando sinto o arrepio de suas palavras sussurrando meu nome. Parecia tão doce em sua boca.

— Lim...Jaebeom. 

— Não está machucada, está? Por favor, me desculpe. Seokjin não vem se controlando esses tempos. 

— Estou bem, não precisa se preocupar. Agora, irei voltar para o dormitório. Se cuide, sim? 

— Certo. Qualquer coisa, sabe que pode gritar meu nome.

— S-sim. — Me senti envergonhada por pensar besteira com sua fala inocente. 

Em um piscar de olhos, ele desaparece pelo lugar e eu apenas me recupero do ar perdido. Buscando por mais uma desculpa à Yoongi por ter demorado. Ele odeia quando deixo-o sozinho. 

— Oi. — Me aproximo do mais alto, empurrando-o de leve.

— Por que demorou? 

— Anh...o dia está lindo hoje, não acha? — Sorrio sem graça.

— Está de noite, S/N. — Revirou os olhos. — Deixa eu adivinhar, parou para conversar com seu amado? — Ele diz irônico.

— Ele não é meu amado! Aish, você é tão chato com isso, ele me salvou de um ataque, ok? Eu confio nele. 

— Nunca confie em vampiros, S/N. — Ele levanta da cama onde estava sentado, me encarando de perto. — Você nunca sabe o que eles escondem. 

— Tsc, esse papo de novo? Eu sei me cuidar, Yoongi. 

— É, eu vi. Se eu não tivesse chegado a tempo, teria sido transformada na porra de um nível 4! — Arregalo o olhar com seu tom avantajado. 

— Desculpa. 

— Só me deixa sozinho, S/N. Estude para os testes de amanhã, ok? 

— Tá. — Me retiro e antes de fechar a porta de seu dormitório e paro em frente à ela, ainda aberta. — Yoon.

— Quê? 

— Se cuida. — Assim que profiro a frase, fecho o móvel de madeira, sem tempo para que o maior respondesse. Me dirigindo ao meu respectivo cômodo. 



[...]



Chegando lá, tomo uma ducha convincente e deito em minha cama, buscando alguns materiais que revisaria para o teste do dia seguinte. Meu deus, quanta coisa. Deveria ter vindo mais cedo. 

Às vezes me deixo pensar que, eu e Yoon brigamos tanto, mas o que eu faria sem o mais velho ao meu lado? Nunca teria saído de tantas encrencas sem ele por perto, sempre me protegendo de idiotas, como Seokjin, e me ajudando com algo escolar. Ele talvez não saiba ou não se importe, mas eu me preocupo muito com ele. Esses dias, ele tem estado bem mais estranho que o normal. Não sei, deve ser apenas o jeito dele de lidar com as situações da vida. 

Estava concentrada em meu livro, o relógio marcando quase meia noite, quando escuto barulhos muito estranhos do quarto ao final do corredor. Merda, Yoongi com seus surtos diários. De primeira, pensei em não ligar, como sempre faço. Mas, algo me dizia para ir até ele. 

Algo como “você tem de ajudá-lo”. 

Saí de meus pensamentos e comecei a me locomover rapidamente até o dormitório de Min. 

— Merda, merda, merda. Não tá funcionando. — A voz que eu ouvia por de trás da porta de madeira, se alterava entre a voz de Suga e uma outra voz. Parecia demoníaca. 

— Yoon? O que tá acontecendo? Você tá bem? — Digo, enquanto tento forçar a tranca da porta. Como esperado, ele não me responde. Forço mais ainda a fechadura e acabo por conseguir destranca-la. Visualizando a imagem de Yoongi caído ao chão, tremendo-se todo, como se estivesse com alguma doença psicológica. — Yoon! 

— Não se a-aproxime! Posso te machucar! — Ele dizia, enquanto continuava a se contorcer. 

— Eu quero te ajudar! 

— S/N, vá embora. — Me assustei com seu grito. —  Agora!

Permaneço parada no mesmo lugar e, em questão de segundos, ele salta do chão em minha direção, segurando meus pulsos. Tento me debater contra seu corpo, porém algo me fazia parar, como se eu precisasse fazer isso. Sinto dentes serem cravados em meu pescoço e um belisco em seguida. Meus olhos reviram-se e eu não consigo me mexer, as orbes pesam e eu já não enxergava nada. Aos poucos, fui amolecendo, caindo ao chão. 


[...]



— Ai! — Meu braço formiga. — Mas que por-

— Sem palavrões, S/N. — Kristy, que estava ao meu lado e espetava uma pequena agulha em minha veia, sorri. — Prontinho, como está se sentindo?

— Um pouco tonta. — Levanto a cabeça à procura de Suga, mas sem sucesso. — Cadê Yoongi? 

— Ah, bom...precisamos conversar sobre ele. — Toco com a ponta dos dedos o ferimento em meu pescoço e automaticamente todas as lembranças de horas antes haviam se passado em minha cabeça. Ele me mordeu. — Não toque aí, já vou enfaixar. 

— E-ele que fez isso...

— Eu sei, e é sobre isso que temos de falar. — Ele busca uma gaze e alguns esparadrapos, cortando-o em tiras. — Sabe, parece que a família de Yoongi não foi simplesmente atacada. 

— Como assim? — Ele passa um pequeno produto em cima de meu machucado, fazendo-o arder. Resmungo algumas palavras e ele logo continua. 

— Quem atacou a família Min, foi Sephorah. Uma vampira de sangue puro, acontece que, sua espécie é bem mais rara. Ela é de uma raça muito eminente, fazendo com que a modificação de Yoongi se espalhe mais rápido, já que ele foi mordido por ela.

— E como ele vai voltar ao normal? — Ele enfaixa meu pescoço com cuidado. 

— Ele precisa beber o sangue de um vampiro puro. 

— Então, qual o problema? Temos uma legião de vampiros de sangue puro em Vane's! 

— O problema é que, como eu havia dito, a espécie é rara, então precisamos de um vampiro da mesma linhagem. 

— E onde o encontramos? — Pergunto, vendo-o terminar o pequeno curativo. 

— Eu não sei. 

— Como? Você não sabe? — Sento-me rapidamente, em busca de uma pequena esperança de conseguir ajudar Yoongi. 

— Não é tão fácil assim, S/N. Vá descansar e voltamos a falar disso pela manhã. — Kristy dá alguns tapinhas em minha panturrilha, enquanto se retira do quarto em que eu estava.

 Yoongi...como socorre-lo? Preciso acha-lo. 

Levanto-me com delicadeza da cama, colocando um pequeno casaco de seda, me locomovendo em direção ao dormitório de Min. Chegando lá, percebi que a porta estava totalmente aberta, nenhum sinal do mais velho ali. Me pergunto aonde ele poderia estar. Entro no cômodo e vejo algumas pílulas de sangue artificial, que são usadas por nossos vampiros para que não ataquem os alunos. 

— Ele poderia ter usado isso. — Seguro uma delas em minha mão.

— Não funcionaria. — Me assusto com a imagem de Jaebeom em minha frente, soltando a cápsula ao chão e levantando-me rapidamente. 

— Você me assustou. — Me acanho. — Por que não f-funcionaria? 

— Porque ele é um vampiro nível 4, aos poucos, vai se transformar em um monstro e não há nada que possamos fazer. — Olho-o com desprezo. 

— Yoongi não é um monstro.

— Mas vai virar um. Olha o que ele fez com seu pescoço. — Ele se aproxima e toca a região afetada. Lentamente retiro sua mão de lá. Nunca havia rejeitado nenhum toque de Lim Jaebeom, mas não conseguia evitar aquilo, o jeito que ele se referiu à Suga...como se tivesse nojo. 

Idiota. 

— Se me der licença, irei procurar por meu amigo. — Me afasto, ajeitando o pano em meus braços e saindo dali o mais rápido possível.

Não gostaria de ter de lidar com a realidade, não agora. Eu precisava encontrar Yoongi, precisava salvá-lo. 

Eu preciso de você, Min.


⇔ Yoongi 


Eu precisava me curar, precisava achar um jeito de ficar a salvo. S/N não poderia me encontrar, ela provavelmente iria surtar e não tenho como me controlar no momento. Lim me mandou ficar longe dela e, por precaução, resolvi obedece-lo. Ela é uma das coisas mais preciosas para mim, não poderia perde-la. 

Trancado em uma sala totalmente isolada, percebo que vou criando pequenos ferimentos evasivos involuntariamente, todos com um aspecto horrível e uma série de dores diferentes. Parecia algo, realmente, monstruoso. 

— Yoon! — A tela de S/N aparece em minha frente, eu sorri. — Yoon, você está bem? Meu deus, o que é isso? 

— S/N...— Seguro seu rosto com delicadeza e afeto, espero que ela perceba que isso é uma despedida. Eu não quero deixá-la, mas ou é a minha vida, ou a dela. E está bem óbvio qual foi que eu escolhi. — Eu te amo.

Ela arregala os pequenos olhos de jabuticaba, um filete aquoso saindo de um dos seus olhos, caracterizando uma face chorosa, fazendo-me soltar mais um sorriso. 

Tão linda, S/N.

— Yoon, eu...

— S/N, afaste-se! Esse é o último estágio de transformação! — Jaebeom diz adentrando o local, com a minha Croier 94, provavelmente, esse será meu terrível fim. — Vamos, não seja idiota! 

— Cale a boca, ele vai ficar bem! Né, Yoongi? Você vai ficar bem, não vai? — S/N diz, aos prantos, esperando por alguma resposta que vanglorie suas esperanças. Mas, ela sabe que no fundo, esta expectativa é apenas uma ilusão. — Yoon..


⇔ S/N 


— Ei, fique calma e cuide-se, sim? — Ele dizia com dificuldade. — Talvez, esse não seja o nosso destino, vá enquanto pode, S/‘z  Eu ainda irei continuar te amando, sempre e por toda eternidade. 

— Eu não vou sair daqui. Yoon, eu também...

Um tiro é disparado em sua direção e eu fiquei sem reação. Minha vista é embaçada com lágrimas e mais lágrimas, isso não era possível. Havia acabado de descobrir que amo Min Yoongi. Ou, já faz muito tempo que o amo, desde a primeira vez em que o vi, ensanguentado na porta de minha casa, calado e apenas me observando cuidar de si. Min Yoongi sempre foi e sempre será meu amado. E eu não sabia isso, até sentir que havia o perdido. 

— O que você fez, seu imbecil!? — Empurro Lim, o mesmo que estava estagnado, observando Yoongi daquele jeito, naquela situação. Ele que sempre fora um homem digno de respeito para mim, agora tornou-se minha única fonte de amargura e desprezo. — Eu te odeio, eu te odeio, eu te odeio! 

— E-eu..

Estapeio seu peito, o que não adiantou de muita coisa, mas servia de saco de desconto. Eu estava muito fora de mim, continuo estando. Eu quero Min Yoongi de volta, eu o amo. 

— Cheguei, eu tenho o antídoto! — Kristy entra surrando a porta de metal, segurando um pequeno saco em mãos, fazendo com que nos assustemos. — Espera, o que você fez, Jaebeom? 

— Eu..

— Ele o matou! — Digo aos gritos, esperando por alguma ação. 

— S/N, fique calma, não se desespere assim, só irá atrapalhar! 

— Atrapalhar? Você sabe o quanto eu o amava?! — Me sinto ser segurada por trás, aonde me debatia máximo que podia, isso não poderia estar acontecendo. — Eu te odeio, me solte! 

— Tire ela daqui, vou salvá-lo. — O diretor diz à Lim, o que obedece e me leva para fora. Apesar de me debater tanto, acabo adormecendo pela força que fiz. Eu não era páreo para um vampiro, ainda mais poderoso, como Jaebeom era. 

Meus olhos pregam e eu me anestesio com a sensação de ainda ter Yoongi por perto. Kristy disse que ia salvá-lo, mas e se ele não conseguir? E se, meu Yoon já não pudesse mais ser salvo? Droga, Min. Por que fez isso? Por que me fez te amar? Suga, seu idiota! 


 


...



— S/N? S/N! — Sinto um leve incômodo em minha testa, fazendo-me abrir os olhos, ainda sonolentos. — Finalmente, você acordou. 

Me surpreendi ao ver a face de Suga ali. Era ele mesmo? Eu estava sonhando? Paraliso ao sentir sua mão acariciando meus cabelos, em seguida, minha bochecha seguido de meus lábios. Isso..está acontecendo mesmo? 

— Yoon...É...é você de verdade? — Digo ainda, surpresa. 

— Em carne e osso, bobinha. — Ele sorri fraco e eu o observo, sorrio de volta. Era ele. Meu Yoon. — Parece que Sephorah tinha um sucessor, ele cedeu um pote de seu sangue puro à Kristy. Olha, juro que eu não gostei...tem um aspecto meio diferente, o seu é muito melhor. — Ele sorri.

Abraço-o impulsivamente, passando a mão por todos os seus curativos enfaixados, a medida em que chorava em seu peito. Olho em seus olhos e encosto minha testa à sua, criando um pequeno beijo de esquimó. Ele me afasta e aproxima seu rosto, um pouco machucado, do meu. 

Juntando nossos lábios em um perfeito ósculo harmonioso. Eu suspiro contra sua pele sensível, o mesmo que agora, subia sobre meu corpo, tangendo seu corpo pelo meu. O beijo é aprofundado a medida em que nos mergulhamos um no outro. 

Querendo ou não, nossas almas sempre estarão interligadas, aonde quer que estejamos, seja em outra vida ou nessa. Somos nós. 

— Senti sua falta, S/N. — Ele diz, ofegante. 

— E eu mais ainda, Min. 

Yoon retira minha blusa, deixando-me apenas com meu sutiã bege, levando as mãos até minha saia listrada, retirando-na no mesmo instante. Ajudo-o a tirar suas peças de roupa, fazendo o mesmo que fez comigo. Deito-o na cama e fico por cima de si, acariciando seu peitoral exposto, ainda enfaixado pela gaze. Começo a distribuir pequenos beijinhos por seu pescoço, descendo-os pelo abdômen inteiro, até chegar no que mais me interessava ali. Por cima da cueca, estimulava seu membro já duro, esperando a oportunidade perfeita para tira-la e colocar o que eu tinha na mente, em ação. 

— S/N, por favor, não me torture assim. 

— Shiu... — Retiro sua única vestimenta, envolvendo seu falo com minhas pequenas mãos. Fazendo movimentos de cima à baixo, além disso, abocanho-no, recriando os mesmos movimentos de agora pouco. Suas mãos, acariciavam meu cabelo e, de vez em quando, me ajudavam no processo delicioso de boquete. Com precisão, acelero o afluxo, fazendo com que Yoongi revirasse os olhos de puro prazer. 

Prestes a gozar, ele levanta meu rosto e puxa meu corpo contra si, beijando-me desesperadamente, como se estivesse desejando aquilo por muito tempo. O maior, leva os braços de encontro com minhas costas, apalpando minha bunda com uma força de vampiro, deixando-me arfar de frente à sua pele. 

— Você é muito gostosa, não sei como consegui me controlar todo esse tempo. — Sorrio e o mais velho me acanha no colchão, ficando por cima de mim. Ele desabotoou meu sutiã, jogando-o pelo cômodo e voltando o olhar sobre meus seios desnudos. Parecia aprecia-los com certa admiração, o que me deixou levemente corada e constrangida.

— Yoon, pare. Vá logo com isso. — Desvio o olhar de suas orbes intensas. Ele segura com seus dedos meu queixo, direcionando meu visor ao seu, sorrindo. 

— S/N, você é linda. Não tente se esconder, meu bem. — Ele beija meu queixo, subindo a boca até meus lábios e selando ali, com afeto. — Eu te amo. 

Levou a boca até um de meus peitos, chupando e mordendo, em seguida, fazia isso no outro. Gemia como uma louca, e ele nem havia começado o mais importante ainda, e pelo visto, estava gostando de descer a boca sobre minha barriga e passar a língua por meu clítoris, estimulando-o em círculos. A cada arfada sobre minha região, sentia seu hálito quente ali, fazendo-me tremer em ansiedade. Após isso, Yoon introduziu dois dedos de uma vez em minha entrada, fazendo-me gemer cada vez mais alto e sentir um prazer absurdo. Meu deus, esse homem..

Yoongi, sugando e sugando, cada vez mais meu clivo. Me inclino contra sua face e o maior levanta-se, buscando em uma das gavetas do quarto, um preservativo. 

— Droga, por que parou? — Entristeço a cara. 

— Quero me divertir também, S/N. — Ele sussurra em meu ouvido, fazendo com que um arrepio estridente percorresse minha espinha. Beijo seu pescoço, observando-o envolver seu falo com a capa preservativa. Lentamente, ele abre minhas pernas com delicadeza, distribuindo selares sob minha coxa interna. Esfregando a cabeça de seu falo em minha entrada molhada, Min aproxima seus lábios dos meus mais uma vez, nossas línguas brigam por mais espaço, saliva contra saliva. 

O maior aperta minha cintura com mais força, pedindo permissão para adentrar minha região, eu cedo e ele rapidamente o faz. Meu sexo o envolve por completo, e o mesmo espera que eu me acostume com a sensação, dando a primeira estocada depois disso. Grito em resposta, fazendo com que o maior sorria maliciosamente, voltando aos movimentos de ida e vinda. Acelerando o afluxo, sua virilha batendo contra minhas nádegas, corpos suados. Aquilo estava sendo o paraíso, sentia-me nas nuvens.  

Ofegando e em busca de mais oxigênio, ele mostra-se cansado. 

— Yoon...deite-se, minha vez. — Sussurro em um de seus ouvidos, empurrando o maior à cama. Subo em seu abdômen, movimentando minha entrada e rebolando em seu sexo, ainda ereto. Ele morde os lábios, e eu seguro seu falo, colocando-o de volta à minha região. Ele geme rouco, o que me faz quicar e rebolar em seu colo, subindo e descendo de acordo com meus prazeres. Min agarra minha cintura, me auxiliando com a afluência, aumentando a concentração. Onde o único objetivo era gozar. 

Apoio-me em seu peitoral esgotado com suor, fazendo ainda mais pressão em cima de seu pênis, o mesmo que não se aguentava em gemidos. Gemo uma ultima vez, atingindo meu limite, deixo com que o orgasmo alcance minha estrutura sexual. Ainda por cima, Yoongi movimenta-se mais um pouco e logo se desmancha em prazer, junto à mim. 

Deito-me sob seu peito, ele retira seu membro dali e me agarra ao seu corpo. Suados e exaustos sobre o colchão, trocando carícias apaixonadas. 

— Yoon.. — Viro de frente para que o maior pudesse me ver. 

— Sim, meu bem? 

— Eu queria dizer..— Olho o mais profundo que consigo para seus olhos. — Que eu também te amo. Desde a primeira vez que te vi. Mas...eu não havia percebido isso antes e...

— Tá tudo bem, S/N. Isso pra mim já é um sonho. Sei que não tem como perceber que é amor logo de cara. — Sorrio com suas palavras, eu me sentia totalmente confortável em sua presença, acho que talvez, nunca amarei alguém como amo Min Yoongi. — Sabe...

— Hum? — Digo, ainda prestando atenção em suas orbes, agora vermelhas. 

— Como eu te disse...— Ele puxa-me para mais perto, entrelaçando nossas pernas, e me fazendo descansar em seu peito. — Eu ainda continuo te amando e, irei sempre e por toda a eternidade te amar. 

E com essa confissão, eu dou um pequeno selar em seu pescoço exposto. Quando dei por mim, havia adormecido em seus braços. Os braços de Min Yoongi.

Desejando nunca sair dali. Meu cantinho individual preferido.


Notas Finais


Essa história foi inspirada no anime Vampire Knight, algumas cenas foram alteradas, assim como nomes e parte da história.
Foi escrita com muito carinho, espero que tenham gostado! ❥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...