1. Spirit Fanfics >
  2. 8 Segredos da Máfia >
  3. Quer continuar assim? (part I)

História 8 Segredos da Máfia - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Quer continuar assim? (part I)


Antes que ele falasse mais alguma coisa, desliguei a ligação, quem se importava com o que ele queria? Eu que não…

Guardei meu celular no bolso e adentrei minha outra mão por dentro de sua camisa, chegando em seus seios.

-Sem sutiã… - sorri automaticamente, mordendo meu lábio inferior logo em seguida.

Respirei fundo sentindo minha excitação, fechei os olhos apertando os seios da jovem de leve; Eu tinha tudo para me satisfazer ali mesmo… mas, que graça teria com ela inconsciente… eu queria era ver ela gritar meu nome.

Deslizei minhas mãos até sua cintura, a apertando com força, me ajeitei rapidamente e esperei me recompor; Me levantei saindo do carro e fechei a porta com certa brutalidade.

Observei três jovens que passavam nesse exato momento, e meu olhar abaixou imediatamente para seus corpos, elas são bem gostosas… serviriam muito bem na boate; Voltei meu olhar para uma delas, a que estava "sorrindo" demais, e a encarei firmemente passando entre elas.

-Que gracinhas… - sussurrei mordendo os lábios, e elas ficaram "contentes" com a minha atenção. 

Era uma lástima que moravam bem longe, e eu não podia convidá-las para entrarem no carro, elas iriam se assustar "um pouco" com uma jovem desacordada, e creio que seja da mesma faculdade.

Entrei no carro sem dar mais atenção a elas, observei Mina se mexer um pouco mas nada de acordar, mesmo assim eu ficaria de olho caso ela queira fazer algo; Travei as portas do carro imediatamente logo voltando a dirigir.

Me apoiei na porta do carro e respirei fundo, pensando no que eu poderia fazer com ela, no que eu devo aproveitar… por mais que eu queira me apossar de seu corpo para apenas meu prazer, já que pude sentir o quão ele é belo e me deixa excitado, eu não queria ficar de “babá”, então penso em me desfazer dela o quanto antes… mesmo que com todo sacrifício de vir buscá-la, por isso, eu tenho que tirar vantagem dela, recompensar meu esforço; Mas, uma coisa que está me deixando cismado é, tenho quase certeza que não me esquecerei de seu corpo tão cedo… do meu toque em sua pele…

-Hummm… - ouvi o doce som de sua voz manhosa do banco de trás.

Sorri automaticamente com o tom de voz dela, então, ela era manhosa… a olhei de relance parando o carro aos poucos.

-Fique quietinha docinho… - sussurrei me ajeitando, me virando um pouco para ela.

-Onde estou? O quê… quem é você? - ela disse um pouco tonta, tentando se sentar.

Fiquei encarando seus movimentos, seu belo rosto… sua voz ressoava meu quociente de uma forma tão boa, eu não acredito que ficaria “louco” por essa jovem que ainda nem conhece a vida direito…

Ela tombou para o lado e eu subitamente estiquei meu braço para ajudá-la, não queria que ela se machucasse, não agora… não por algo tão idiota…

-Cuidado meu amor… não quero que se machuque dessa forma… - sussurrei a induzindo a se deitar novamente, e ela segurou minha mão delicadamente com suas mãos gélidas.

-Você me sequestrou? - sussurrou assustada e eu mordi os lábios olhando seus seios.

Seus seios estavam rígidos por conta do frio, e isso me agradou imenso… voltei a olhar seu rosto prestes a respondê-la.

-Sequestrada? - sussurrei acariciando seu rosto, deslizando meu dedo indicado no contorno de seus lábios e descendo para seu pescoço.

E com apenas esse ato tão simples, notei ela se arrepiar com meu toque, sorri satisfeito com o que eu poderia causar nela… mal podia esperar para ser “servido” por ela, e principalmente saber o quanto sua boquinha será maravilhosa em mim…

-Isso é apenas… troca de favores… 

Não me aguentei e desabotoei um dos botões de sua camisa, me dando a bela visão de seu colo, no entanto fitei seu pingente, era uma letra... provavelmente a inicial de um nome… deduzi logo ser a primeira letra do nome de seu namorado; Ri abafado com meu pensamento, com o que eu deduzi ser… que boa garota ela era, parece gostar mesmo de seu namorado…

Isso se me faz imaginar o quanto ele a tem em suas mãos… mas, não mais… agora, ela estaria comigo e quem a teria nas mãos seria eu...

-Troca de favores? O que quer dizer com isso? - abriu os olhos lentamente, deixando a boca entreaberta.

-Seu pai tem contas a serem pagas… e enquanto isso, você ficará comigo. - sussurrei abrindo mais outro botão de sua camisa.

-Pare com isso… - ela tentou segurar minha mão com força, mas ela estava bem fraca e eu só consegui ri um pouco com seu ato falho.

Ela era bem audaciosa, creio que terei problemas com ela, ela deve ser bem geniosa… nada que uma "boa educação" não resolva… comigo ela agirá de outra forma…

Segurei sua mão e a beijei encarando seus olhos atentos a mim, ela deve estar voltando em si; Mina tentou se desvencilhar de mim, mas a segurei com mais força. 

-Acho bom você não tentar nada comigo, você não me conhece. - a avisei calmo e ela parou de se debater.

-Quem é você? - resmungou fechando seus olhos, soltando um gemido baixinho, só por conta do meu jeito bruto de segurá-la mais forte.

Imagina quando eu a mostrar quem realmente sou entre quatro paredes, só eu e ela...

-Você saberá… apenas me obedeça e fique calma que nada irá lhe acontecer. - a expliquei com um sorriso mínimo a soltando aos poucos.

-Por quê tenho a impressão de estar me dizendo uma mentira… - sussurrou desviando seu olhar para meu colo, mostrando sua “fragilidade” de não conseguir encarar nos olhos de alguém quando está sendo pressionada.

Eu sabia muito bem que era isso… aprendi muitas coisas ao decorrer do tempo na máfia...

-Porque é, mas para seu bem... não faça nada imprudente, pois seu que certeza você se arrependerá… - disse indiferente empurrando seu braço, logo me ajeitando no banco do motorista. -Eu não sou uma pessoa boa, então, se eu achar o certo a se fazer com você... como me livrar da pior forma, farei sem ressentimento… - sussurrei a segurando no rosto, para que ela fazer contato visual comigo. -Está me escutando? - balancei o rosto dela devagar.

-Sim… senhor… - sua voz estava quase inaudível, e aquilo era muito bom para mim.

O desespero de jovens como ela era um prazer incomparável para homens do meu tipo...

-Boa garota… - sussurrei me aproximando de seu rosto, levando minha mão para sua nuca e puxando seu cabelo delicadamente. -Boa garota… - sorri maliciosamente querendo provar de seus lábios, mas, não era tempo.

Se fosse para fazer algo com ela, faria meu “serviço” completo…

Voltei a me ajeitar e me encostei para amenizar minha tensão, eu estava com muito calor e sabendo que uma jovem tão boa quanto ela estava bem no meu carro, e submissa a mim, não me ajudava em nada.

...Quebra de Tempo…

Estávamos quase perto de minha casa, foi um longo caminho e torturante para mim; Me mantive calado e ela também, mas algo podia ser ouvido, nossa respiração… Mina ainda estava estática, mas, com um mover bem delicado, talvez para não chamar minha atenção, ela pegou seu celular.

Continuei a olhar do retrovisor e ela estava mexendo no celular, suspirei e deslizei meus dedos em meus lábios, me desencostando da porta do carro.

-Largue esse celular para seu próprio bem… - a avisei com a pouca paciência que me restava.

-Eu… 

-Não se faça de sonsa, eu sou muito reparador, posso até saber que está com seus seios bem rígidos… - a interrompi continuando a olhá-la por inteiro do retrovisor.

-Que? - sussurrou olhando para si. -E porquê desabotoou… 

-Por quê eu gosto assim, não tente fechar se não ficará sem sua camisa. - eu disse um pouco ríspido a fazendo parar de querer fechar sua camisa, e com isso desviei meu olhar para a estrada.

-Não acredito… - murmurou me parecendo bem receosa.

-Está me desafiando? - a perguntei com um sorriso ladino.

-Não...

Não pensei duas vezes e me virei rapidamente pegando seu celular e o desligando, em seguida colocando em meu bolso.

-Me devolvê não pode fazer isso… - estendeu seu braço para pegar seu celular em meu bolso.

Segurei seu pulso assim que ela quis se afastar percebendo a estupidez que fez, a puxei mais para frente a segurando com força, não podia mais me controlar já estava sem paciência, ela estava brincando comigo, mesmo depois de ter a avisado.

-Desde o momento em que eu posso acabar com sua vida, eu posso fazer tudo o que quiser e se você quiser viver, obedeça calada… - sussurrei sem olhar seu rosto, e depois de alguns segundos a soltei.

Já estava bem frio, e começava a ficar mais ainda, na verdade, eu estava com calor, porém alguém não estava com a mesma temperatura que eu… olhei novamente a jovem pelo retrovisor e ela tremia de frio, se encolhendo de uma forma tão fofa e graciosa… confesso que gostei e apreciei demais, e aproveitei que o sinal estava vermelho e dei uma de “bom moço”, por duas coisas… respeitar as leis de trânsito e tirar meu terno para oferecê-la; Peguei o celular do bolso e coloquei em cima do painel do carro. 

-Tome… coloque para se aquecer um pouco. - me virei para ela a entregando meu terno, e ela hesitou um pouco mas acabou pegando.

-Está sendo bom comigo? - perguntou arqueando uma sobrancelha, sua voz tinha um certo deboche que não gostei nada.

-Você me parece com frio o bastante para deixá-la desse jeito… - desviei meu olhar para seu colo e fitando seus seios, para mostrá-la o que eu estava falando. -E com isso você está me deixando com mais calor… - respirei fundo passando a mão no meu cabelo o jogando para trás. -Estou fazendo isso para não reparar muito, porque para mim não me importa se está ou não com frio, eu a vejo como se estivesse excitada… - a expliquei desabotoando minha camisa até a metade.

Fiz isso por conta do calor e também como ela não estava ligando para meu aviso, então, eu estava preparado para “agir”.

-Quer continuar assim? Ou prefere ser molestada por mim, agora mesmo?


Notas Finais


Espero que tenha ficado bom ><
Espero que tenham gostado ^^
Tentarei me superar :3
Chu ~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...