História 9 Meses Para Aprender A Te Amar - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Nalu
Visualizações 1.026
Palavras 3.930
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal :3
Como sempre, quero agradecer ao apoio que ainda tenho nessa fic ><
Vocês são os melhores leitores <3
Espero que gostem do capítulo novo <3
Título do Capítulo: Eu não quero perder você
Titia Blood ama vocês <3
Boa Leitura.. e nos vemos nos comentários <3

Capítulo 49 - I Do Not Want To Lose You


~ Lucy Povs ~  

Aquele cheiro era tão bom. 

Cheiro de café, salgados, sucos. Eu já estava quase salivando na fila. 

_ S-Senhorita Heartfilia. Por favor, venha até aqui, a senhora tem total prioridade. Não precisa ficar na fila. – Olho para a moça do caixa que me encarava espantada. Sorrio. 

_ Tudo bem, eu espero. 

_ Senhorita, mas--- -  

_ Eu insisto. Logo chegará minha vez. – Ela assenti com a cabeça. 

_ C-Claro. – E vai atender outra pessoa. 

Ao chegar minha vez escolho tudo o que tenho direito. 

Diversos salgados, pães, bolos, sucos, e até mesmo um belo hambúrguer de quatro queijos e um enorme Milk Shake de chocolate. 

Já devorava tudo com rapidez, afinal estava há várias horas sem comer, e agora como por dois, ou seja, meu apetite aumentou, e muito. 

_ Nossa, cuidado para não se engasgar. – Olho para minha frente e lá estava Gray Fullbuster, com um copo de café na mão. 

_ Bom dia Gray. – Limpo a boca com o guardanapo de papel. _ Faz tempo que não nos falamos. 

_ Nos falamos ontem Lucy. – Arqueio as sobrancelhas. 

_ Jura?  

_ Sim. O que houve? A gravidez está afetando sua memória? – Sorrio e coço a cabeça. 

_ Acho que estou trabalhando demais ultimamente. 

_ Pega leve mocinha. – Ele aponta para minha barriga, que por sinal já estava enorme. _ O Lucas precisa de cuidados. 

_ Luke. Você deve aprender a falar o nome dele direito Gray. 

_ Até ele nascer eu vou aprender. 

_ Nee Gray, eu quero te falar uma coisa. 

_ Pode dizer. – Olho para baixo. Não sei porque, mas estava com vergonha de dizer isso. 

_ É que eu, bom eu e o Natsu nós... etto... – É, ainda não era a hora. Melhor deixar mais pra frente. _ Esquece. Não é nada. 

_ Garota agora você me deixou curioso. Diz logo vai, se não nem vou dormir a noite. – Sorrio. 

_ Ainda não é a hora certa. Vou esperar o Natsu e--- - Mas na mesma hora me calo. O pedaço de salgado em minha mão cai sobre a mesa, e minhas mãos vão diretamente a minha barriga. 

Uma agulhada muito forte me fez abraça-la com força e me envergar sobre a cadeira. 

_ Oe! Lucy! – Gray já havia se levantado e estava ao meu lado. _ Lucy! – Fecho os olhos com força. Essas dores eram as piores que já senti em toda minha vida. 

Uma cólica horrível. A impressão era de que alguém estava com a mão dentro da minha barriga puxando todos os órgãos com força, querendo os arrancar pra fora. 

_ Ahhh! – Não contive o grito de dor. 

_ LUCY!! – Gray e toda a cafeteria estavam ali me olhando, preocupados. 

_ N-Não é nada Gray. Já vai passar. – Então sinto sua mão pegando na minha, e isso fez com que eu a apertasse com força. _ D-Desculpe. 

_ Lucy, vou te levar ao médico. 

_ N-Não precisa.... – Começo a respirar e soltar o ar. Era um dos exercícios que o Dr. Merelo havia me ensinando para aliviar essas dores. _ Já vai passar.... já vai passar.... – Mas aquela dor era diferente. Era centenas de vezes pior que as outras. Mais forte, mais demorada e muito mais preocupante. 

_ Lucy, está passando? – Mas algo faz com que eu arregale os olhos e meu coração acelere muito rápido. 

Olho para debaixo das minhas pernas e sinto o liquido quente escorrer, e ao olhar melhor vi o que eu não queria ver... 

_ S-Sangue.... – Passo a mão sobre ele e levanto a mão encarando-a espantada. O sangue quente estava ali. 

Meu sangue, o sangue do meu bebe... 

_ M-Meu Deus!! Isso é sangue!! – Sinto meu corpo sendo levantado, era Gray. 

As lágrimas já rolavam sem parar pelo meu rosto. 

Aquilo não podia estar acontecendo. Devo estar em um pesadelo.  

_ L-Luke.... – Começo a chorar mais e mais, enquanto Gray me carregava para fora da Companhia. 

_ Gray! Lucy? O que houve? – Erza que estava na recepção grita para nós, mas não tínhamos tempo para parar. 

_ Erza, a Lucy está perdendo o bebe. – Só de ouvir Gray dizer aquilo em voz alto fez com que meu corpo inteiro gelasse e começasse a tremer. 

_ O-O que???  

_ Eu vou leva-la ao hospital. Ligue para o Natsu. Agora! 

_ C-Claro. Eu também já estou indo. 

** 

_ Erza, a Lucy está perdendo o bebe. 

** 

Essas eram as únicas palavras que ficavam se repetindo na minha mente. 

Eu não posso perder o Luke. Ele já faz parte da minha vida. Ele não pode ir embora. 

_ G-Gray... – Seguro com força sua camisa social, que já se encontrava molhada com minhas lágrimas. _ P-Por favor... salve o Luke. Por favor.... – Eu já nem conseguia falar direito. Só consegui chorar. 

_ Eu vou Lucy, prometo que vou salvar ele e você também. – Fecho os olhos, pois a dor ainda era forte. 

** 

~ Erza Povs ~ 

_ Natsu atende!! Caramba!! – O telefone do idiota só chamava. Deve estar em alguma audiência. Sei que celulares não são permitidos, mas agora era urgente! 

Seu filho está morrendo. A Lucy precisa de você ao lado dela neste momento. 

Limpo as lágrimas que escorriam dos meus olhos. 

Só de imaginar o que a Lucy está passando e o que vai passar meu coração se quebra de tristeza. 

_ Luke, por favor, aguenta firme. A titia precisa te conhecer. – Termino de arrumar a bolsa e corro para o meu carro. 

Ir ao hospital era minha prioridade neste momento. 

** 

~ Natsu Povs ~  

_ A corte fará uma pausa de 15 minutos. Por favor, não se atrasem. – Levanto-me rapidamente, estava apertado e precisava ir ao banheiro.  

_ Natsu-san. – Olho para o lado, era minha cliente.  

_ O que foi Harumi? Está preocupada? – Ela nega com a cabeça e sorri.  

_ Eu confio no seu trabalho, sei que iremos nos sair bem. 

_ Apenas permaneça confiante que eu farei o resto. – Ela sorri ainda mais. 

_ Sim. – Mesmo aquela mulher tendo quase 30 anos ela aparentava ter 18 anos no máximo. _ Natsu-san, eu estava pensando, que tal irmos tomar alguma coisa depois da audiência? Pode ser o que você quiser.  

_ Me desculpe Harumi, mas eu tenho um compromisso.  

_ Ah, entendi. – Pego o telefone da minha mala, que até agora estava no modo silencioso, afinal era deveras ofensivo e proibido o telefone tocar durante uma audiência. Me surpreendi com a quantidade de chamadas perdidas da Erza, e até mesmo do Gray. _ Desculpe Harumi, preciso fazer uma ligação. 

_ Claro claro. – Disco o número da Erza e vou me direcionando para fora do salão.  

_ Natsu! – Erza grita do outro lado. 

_ Nossa Erza, vai me deixar surdo desse jeito. 

_ Onde você está??  

_ Em uma audiência. O que houve?  

_ Natsu, saia daí e venha para o hospital. 

_ Hospital? – Na mesma hora senti um frio passar por todo meu corpo. _ Oe Erza, não me diga que a Lu--- -  

_ A Lucy está tendo uma hemorragia Natsu! – Meu coração parou por um momento. _ P-Por favor, venha logo, você precisa estar aqui. – Erza chorava. _ O Luke precisa de você! – E sem pensar duas vezes corri em direção ao carro.  

Não avisei minha cliente, nem o Juiz, muito menos os outros advogados. Isso pouco me importava agora. 

Minha mulher e meu filho estavam correndo risco de vida, e eu só me preocupava com isso nesse momento. 

** 

Chego ao hospital, e nem sabia como tinha conseguido chegar, apenas sei que cheguei e fora tão rápido que com certeza tomei todas as multas por atravessar o semáforo vermelho. 

Adentro a recepção do hospital desesperado e vou até a recepcionista. 

_ Lucy Heartfilia, onde ela está? – Ela me encara. 

_ Olá. Como posso ajuda-lo? 

_ Lucy Heartfilia! Onde ela está?? – Falo alto, chamando atenção de todos. Meu desespero estava estampado em meu rosto. 

_ Natsu! – Olho para o lado e vejo Gray. Ele estava com a camisa branca suja de sangue, e ao ver isso congelei. Minhas pernas bambeavam. _ Natsu! – Mas seu grito me faz encara-lo. _ Venha logo! Ela está aqui. 

_ S-Sim. – Mas a recepcionista se levanta e me impede de prosseguir. 

_ Senhor, preciso da sua documentação e--- -  

_ Moça, isso pode esperar! A esposa e o filho dele estão ali, morrendo, e você quer documentos? – Ela nada diz, apenas abaixa a cabeça. Sigo correndo Gray, que adentra o corredor que dava acesso às salas e quartos do hospital. 

_ Gray, como eles estão? Por favor, me diga que o Luke não morreu... p-por favor... – As lágrimas finalmente começam a rolar. 

Lágrimas de desespero, de tristeza, de preocupação. 

_ A Lucy está passando por uma cirurgia agora. Ainda não sabemos como ela ou o Luke estão. – Ele se vira e me encara. _ Sou seu amigo, então já quero te falar a verdade. – Novamente um arrepio toma conta de meu corpo. Nunca tinha visto Gray sério daquele jeito, e isso estava me assustando. _ Por favor, se prepare para o pior. Luke pode não sobreviver. – E aquilo foi a deixa para que as lágrimas escorressem ainda mais. 

_ N-Não... meu filho ele... ele precisa nascer. E-Eu....  – Paramos em frente a uma sala, e logo vejo Erza se aproximando de nós. Ela também chorava. _ E-Erza.... – Mas ela nada diz, apenas me abraça forte e chora ainda mais em meus braços. _ Erza meu filho... a Luce.... e-eu quero vê-los... e-eu--- -  

_ Eles vão ficar bem Natsu. Sei que vão. Luce é forte, e o Luke deve ser ainda mais forte, afinal vocês dois são os pais dele. Ele vai ficar bem, e logo logo estará aqui com a gente, aprontando, chorando, rasgando e babando em todos os processos importantes que ficam sobre nossas mesas. – Ela ri entre o choro. _ Então não perca as esperanças. – Assinto com a cabeça. Ela me solta. 

_ Venha Natsu. – Gray coloca os braços sobre meu ombro. _ Você precisa lavar essa cara, ou vai assustar a Luce. – Rio de canto. 

[...] 

Foram quase duas horas sem saber nenhuma notícia sobre a Luce. 

Erza já havia tomado duas garrafas de café, e não parava de caminhar de um lado para o outro. Gray já havia acabado com os doces que tinha em uma máquina no final do corredor. E eu só consegui ficar sentado, quieto, orando, implorando que aquela porta se abrisse e que o Dr. falasse algo bom. 

E atendendo ao meu pedido a porta finalmente se abre, e duas pessoas se dirigem a nós. 

Me levanto rapidamente e me aproximo deles. 

_ Quem é Natsu? 

_ Eu. – Falo ao Dr. _ Dr. como a Luce está? E o Luke?  

_ Bom, não precisamos fazer uma cirurgia.  

_ Não precisaram?? Então significa que--- - Ele sorri. 

_ Os dois estão bem. – E aquelas foram as melhores palavras que já ouvi em toda minha vida.  

O alivio foi tanto que meus joelhos cederam e cai no chão. 

_ N-Natsu?? – Erza corre até mim. 

_ E-Eles estão bem... – Sorrio em meio as lágrimas que novamente escorrem. _ Estão bem... meu filho, a Luce... – Erza sorri. 

_ Eu te falei.  

_ Nada aconteceu a eles. – Me levanto com a ajuda de Erza e presto atenção ao que o Dr. falava. _ Lucy passou por uma hemorragia leve, como se fosse uma menstruação, mas claro, como está grávida isso não pode acontecer. Fizemos todos os exames possíveis, tanto na Lucy quanto no bebe, e verificamos que não seria necessária uma intervenção cirúrgica. Conseguimos conter a hemorragia e já fizemos uma pequena transfusão de sangue, por sorte o sangue da Lucy não é tão difícil de ser achado. – Erza, Gray e eu respiramos aliviados. _ Bom, perguntei sobre Natsu pois ela acabou de acordar e disse que quer vê-lo. 

_ P-Posso ver ela? – Ele assenti com a cabeça. 

_ Claro, podem ir os três. E vocês não verão apenas ela. – Arqueio a sobrancelha confuso. _ Vocês logo entenderão. – Sem demoras adentramos a sala e já nos deparamos com ela, sentada sobre a cama tomando sopa. Assim que ela nos vê sorri e acena. 

_ Natsu! Erza! Gray! – Corro até ela. _ Natsu você precisa ver o--- - A calo com um abraço. _ Natsu... 

_ Você não faz ideia de como me deixou preocupado. Sua idiota! – Sinto suas mãos alisarem meus cabelos. _ Nunca mais me assuste desse jeito. 

_ Me desculpe, mas agora está tudo bem. – A encaro.  

_ Você está bem mesmo? – Ela sorri e acena com a cabeça. 

_ Estou. Eu e seu filho estamos bem. – Ela passa a mão de leve sobre a barriga. _ Inclusive você pode vê-lo. 

_ Hã? – Ela aponta para a TV ao seu lado, que mostrava uma imagem estranha. Um fundo preto e vários pontinhos cinza se mexendo. Os pontinhos cinzas formavam um corpo. Levo a mão a boca. _ Luke?  

_ Sim. Nosso bebe está bem, e olha como está enorme. – Ela fala toda empolgada. _ Estou vendo que vou sofrer no parto. – A empolgação some. 

_ Boba. – Coloco a mão em seu rosto e aliso. _ Eu estarei do seu lado, prometo que tudo vai dar certo quando a hora chegar. – Ela sorri. 

_ Sim. – Aproximo lentamente meu rosto do seu, e já estava pronto para selarmos aquilo em um beijo. 

_ U HUM! – Mas os dois que estavam na sala nos impede de prosseguirmos. Nos afastamos rapidamente. 

_ E-Erza! Gray! – Ela estende os braços. _ Venham me dar um abraço também.  

_ Só agora que viu a gente? – Gray coça a cabeça. _ Perdemos essa Erza. 

_ Idiota, eu não vim pra ver ela, vim pra ver o Luke. – Rimos. _ Você está bem? – Erza diz daquele jeito marrento de sempre. 

_ Sim senhora.  

_ Lucy, de quantos meses está agora? – Todos olhamos para Gray que se mantinha sério um pouco atrás, encarando a tela onde estava a imagem de Luke. 

_ Completei 6 meses recentemente. 

_ Então ele já poderia ter nascido? 

_ Tecnicamente sim, mas seria muito arriscado para ele e para mim, principalmente para ele. O Dr. perguntou se eu queria arriscar, mas optei por não fazer isso. Ver ele é o que mais quero, pega-lo em meu colo, sentir seu cheirinho. – Sorrio sem querer. _ Mas quero fazer quando realmente chegar a hora, e ainda não é a hora para isso. 

_ Entendo. – Ele se aproxima, ainda encarando a tela. _ Tomará que puxe você Lucy, ou será feio igual ao papai. – Me levanto e o encaro. 

_ O que você falou seu tarado seminu? 

_ Hã? Repete, rosinha! 

_ Rosinha? 

_ Algodão doce! 

_ Nudista! 

_ Hey! Vão brigar lá fora, vocês estão em um hospital! – Erza nos dá um sermão que nos faz calarmos na mesma hora. 

_ Seus amigos são divertidos Lucy-chan. – Olhamos para a porta, e reconheço na mesma hora o Dr. que adentra por ela.  

_ Dr. Merelo! – Ele me olha. 

_ Ora ora. Natsu, certo? 

_ Sim. – Me abaixo em forma de agradecimento. _ Obrigado por ter ajudado a Luce, por ter cuidado do meu filho. – Ele ri. 

_ É o meu trabalho Natsu. Já disse, acompanharei a teimosa Lucy até entregar o Luke em suas mãos. 

_ Não sou teimosa. – Ela cruza os braços e faz bico. _ Dr. Merelo, posso ir embora? – Todos se surpreendem. _ Nossa, o que foi? Que caras são essas? 

_ Lucy, você acabou de quase perder o Luke. É claro que não pode ir embora. 

_ É, sua idiota! Você tem que ficar muito tempo aqui ainda. 

_ Está louca Erza? Eu quero ir embora. 

_ Luce, eu vou ficar com você, não se preocupe. 

_ Eu odeio hospitais. 

_ Nós sabemos Lucy. – O médico se aproxima e coloca a mão sobre sua testa. _ Mas ficará um tempinho com a gente. Precisamos observar de perto esse bebezão que está na sua barriga. Ele quase nos matou de susto. 

_ Tá. – Ela suspira. _ Eu fico, só por causa do Luke. – Sorrio. 

_ A enfermeira logo trará sua comida, afinal deve estar faminta. 

_ Por favor, Dr., me traga um hambúrguer, eu não quero sopa. – O Dr. ri. 

_ Verei o que posso fazer. 

_ Você é demais Dr. Merelo. – E ele começa a se retirar da sala.  

_ Natsu, será que podemos falar a sós? – Assenti com a cabeça. 

_ Claro. – E o segui para fora da sala. 

Fechamos a porta. 

_ Natsu, preciso que fique de olho na Lucy. 

_ Claro Dr., mas por que? Tem alguma coisa de errado? 

_ Lucy está com exaustão, e também não anda se alimentando direito. 

_ Exaustão? 

_ Ela deve estar trabalhando demais. Sei que ela é uma advogada de renome, mas ela precisa dar uma pausa, principalmente nesse estagio final da gravidez. Peço que faça ela concordar com isso. 

_ Eu farei Dr. 

_ Conto com você. Não quero te assustar, apenas te alertar, mas se Lucy tiver novamente uma hemorragia igual essa será preciso fazer o parto do Luke antes da hora. – Engulo em seco. _ Tome conta dela para que isso não aconteça. Ela precisa ficar em repouso e comer coisas saudáveis. 

_ Certo. – Ele dá leves tapinhas em meu ombro.  

_ Qualquer coisa retorne ao hospital e me procure. – Assenti com a cabeça e ele começa a se retirar. 

Mas eu apenas me perguntava uma coisa... como vou fazer a Luce parar de trabalhar? Principalmente agora que as ações da empresa estão correndo o risco de serem compradas? 

_ Vou precisar de ajuda para isso. 

_ Ajuda com o que? – Dou um pulo de susto ao ouvir a voz da Erza bem atrás de mim. 

_ E-Erza! Meu Deus, não faça isso mulher. 

_ Quer ajuda com o que? 

_ Para parar a Luce. 

_ Parar? Como assim? – Olho para trás e me certifico de que a porta do quarto ainda estava fechada. Luce não podia ouvir isso. 

_ Luce está com exaustão, e também não está se alimentando direito. Dr. Merelo me pediu para fazê-la repousar até o final de sua gestação. 

_ Isso vai ser difícil, quase impossível. Você sabe a crise que estamos passando, e Lucy está determinada a enfrentar isso. 

_ Eu farei isso no lugar dela. – Erza ri. _ O que foi? Eu consigo. 

_ Eu sei que sim, mas--- -  

_ “Todos preferem Lucy Heartfilia do que um simples estagiário novato”. 

_ Isso. Mas eu tive uma ideia. – E ela sorri de um jeito malicioso, o qual me deixou intrigado. 

_ Que ideia?  

_ Assuma o relacionamento de vocês dois e então todos ficarão interessados em seus serviços. 

_ H-Hã? Assumir meu relacionamento com a Luce?  

_ Isso.  

_ I-Isso é repentino demais Erza, e a Luce certamente não concordaria e--- -  

_ Vamos descobrir isso agora. – Ela pega minha mão e me puxa para dentro do quarto depois de abrir a porta. Luce e Gray conversavam e riam, mas pararam assim que nos viram. 

_ Nossa, não precisa abrir a porta desse jeito. 

_ Natsu, o que foi? – Luce me encara. _ Está pálido. 

_ Lucy. – Erza começa, ainda segurando minha mão. _ Natsu quer te falar uma coisa. – Arregalei os olhos. 

_ Eu??? – Ela assenti com a cabeça. _ Mas foi você quem deu a ideia. 

_ Do que estão falando? – Olho para Luce que me encarava confusa, a espera do que eu ia falar. Respiro fundo. 

_ Luce, nós dois devemos assumir nosso relacionamento publicamente. – Gray arregala os olhos, e Erza bate em meus ombros, com aquela força super-humana dela, enquanto Luce apenas me encarava com a mesma expressão. 

_ Tudo bem. – Os lábios dela se mexem e tais palavras são ditas. 

_ Mas se não quiser daremos outro jeito e---- - Paro de falar imediatamente. _ Que? Você concordou? 

_ Claro. Já está na hora de fazermos isso. Todos já desconfiam que você seja o pai do Luke, então vamos expor isso de uma vez. – Ela sorri. _ Que tal? – Sorrio de volta imediatamente. 

_ Concordo. – Me aproximo dela e lhe abraço. _ Mas há um motivo muito importante para isso também. – Nos separamos. 

_ E qual seria? 

_ Você terá que parar de trabalhar até o final da gestação. – Ela arregala os olhos. 

_ Que? Claro que não. Eu não posso! É impossível. – Erza se aproxima de nós. 

_ Lucy, não estamos pedindo, estamos ordenando. São ordens médicas. Você teve uma exaustão, e também não anda se alimentando direito, foi isso que causou o que você acabou de passar. 

_ Mas Erza, Minerva está quase comprando a companhia e--- -  

_ Deixe que eu mesma cuidarei da Minerva. 

_ Erza, você sabe muito bem do que ela capaz. Eu não posso me afastar nesse momento de maior crise da companhia. 

_ Você quer ver o seu filho bem? Quer que o Luke nasça saudável. 

_ Claro que eu quero. 

_ Então faça o que estamos pedindo. – Erza suspira fundo. _ Confie em mim, no Natsu, e até no Gray. Confie em nós Lucy. Eu prometo que salvaremos a companhia das mãos daquela megera. – Lucy ri. _ Tá bem? Apenas descanse, e deixe que nós cuidaremos de tudo. 

_ Okay. Mas eu também tenho uma condição para aceitar isso. 

_ E qual seria? – Ela aponta para Erza. 

_ Peça para Sting assumir meu lugar temporariamente como Presidente da Companhia. – Erza assenti com a cabeça. Em seguida ela aponta para mim. _ E a partir de hoje você será o Vice Presidente da Companhia. – Arregalo meus olhos na mesma hora. Vice Presidente? Eu? 

_ E-Eu? Luce, eu não posso aceitar isso, eu--- - Mas ela me interrompe. 

_ Ou será isso, ou nada feito. Se não concordar amanhã mesmo voltarei ao trabalho. É apenas temporário, até o meu retorno. 

_ Mas as pessoas vão dizer coisas e--- - Erza bate em minhas costas. 

_ Quem liga para o que elas vão pensar? Você apenas vai fazer o trabalho da sua esposa, que mal há nisso? – Corei ao ver Erza chamando Luce de minha esposa. 

_ E então Natsu, você aceita minha condição? – Olho para ela e assinto com a cabeça. 

_ Eu aceito. – Ela sorri. 

_ Ótimo. Erza, informe Sting sobre isso, e se ele reclamar demais, diga que Natsu tomará a posição como Presidente.  

_ Claro. Ele será muito bem informado. – Luce agora aponta para Gray. 

_ E Gray, por favor, seja o novo Diretor de Relações Internacionais da empresa. – Ele também se surpreende. 

_ E-Eu? Por que? 

_ Porque eu já sei que você é capaz. Pude ver que posso confiar em você. Você é um ótimo advogado Gray Fullbuster. Não teria conseguido deixar tudo certo na França se não fosse por você. – Ele sorri envergonhado. 

_ Tem certeza?  

_ Claro. 

_ T-Tudo bem Lucy, eu aceito, e prometo que daremos um jeito no que está acontecendo na Companhia. – Ela sorri orgulhosa. 

_ Eu confiarei em vocês. – Ela alisa a barriga. _ E também prometo que cuidarei bem do Luke, e de mim mesma também. – Sorrio de volta. 

~ TOC TOC  ~ 

A enfermeira adentra o quarto. 

_ Peço licença, mas agora a senhorita Heartfilia vai precisar descansar. 

_ Claro. – Me aproximo da Luce e deposito um beijo em sua testa. _ Fica bem. _ Coloco minha mão sobre sua barriga delicadamente e olho para o monitor, que ainda mostrava a imagem do meu filho. _ Você também Luke.  

_ Ficaremos bem. Pode ir tranquilo, qualquer coisa eu peço para te ligarem. – Assenti com a cabeça e me retirei da sala junto com Erza e Gray. 

** 


Notas Finais


Primeiramente quero agradecer a Miiley_ pela capinha lindaaa que ela fez pra fic
EU AMEI <3
E então, assustei vocês? Hahaha
Me perdoem, mas eu adoro dramas, etc, etc haha
Titia Blood ama vocês, e os comentários também <3
Jya-nee <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...