1. Spirit Fanfics >
  2. 911 [taekook] >
  3. 004

História 911 [taekook] - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - 004


Fanfic / Fanfiction 911 [taekook] - Capítulo 4 - 004

- Você deve pensar que eu sou louco. - Era sábado e Jeon trabalhava naquele final de semana. - Ele acha também, então acho que somos três! - Jeongguk anotou essa frase em específico, havia algo nela que o incomodava. - Eu gostaria que você conseguisse intervir, mas não sei se está nessa posição senhor "se der merda, manda o imprestável ligar para esse número" - anotou aquilo também, era estranho como ele sentia que conhecia tudo aquilo o que ele dizia, mas não se lembrava de onde poderia ser. - É o segundo dia que ele não volta para casa, e-eu não estou pre-preocupado! - escutou um baque vindo do outro lado da ligação, e soube que ela iria se encerrar. 


Colocou o telefone no gancho e saiu para seu almoço. 


Em sua mesa não havia nada além de frases, mas ele não esperava que naquele dia em específico, seu telefone havia tocado duas vezes. 


- 911, qual a sua emergência? - atendeu Junghyun - 911, qual a sua emergência? - repetiu quando ouviu uma respiração do outro lado. - Alô? 


- Nunca mais atenda esse número! - uma voz grossa disse do outro lado da linha e Junghyun estranhou o pedido. - Está me ouvindo, nunca mais. - desligou o telefone e o beta olhou para o aparelho, estranhando o pedido. 


"Jeon, um maluco disse para você não atender esse número XXXXX-XXXXX faça o que quiser"


911, 𝖜𝖍𝖆𝖙'𝖘 𝖞𝖔𝖚𝖗 𝖊𝖒𝖊𝖗𝖌𝖊𝖓𝖈𝖞?


Taehyung e Jeongguk andavam um ao lado do outro em direção a saída da delegacia e todos os olhavam, isso acabava deixando o ômega incomodado com tantas pessoas prestando atenção nele. 


Quando percebeu o desconforto do ômega ao seu lado, Jeon olhou para todos com a sua feição típica de irritação e isso fez com que todos voltassem as suas atividades. 


- H-hm - ouviu o murmúrio do ômega e olhou para o mesmo. - Você é irmão do, hm... dele? - Jeon assente e olha para a porta da delegacia, vendo sua mãe parada em frente a mesma o esperando e vendo o ômega ao seu lado. 


Merda. 


Olhou para Taehyung um pouco desesperado e pegou na mão do mesmo, o assustando de primeira e depois olhando no fundo dos olhos do ômega. 


- V-Você vai m-me machucar? - o loiro pergunta não quebrando o contato visual com o moreno, que nega e ele assente um pouco apreensivo, mas aliviado. 


- Taehyung... aquela ali é a minha mãe. - Jeon aponta para a mulher do lado de fora da delegacia. - Se ela te insultar, mexer com você ou qualquer outra coisa, pode falar para mim, tudo bem? - o menor assente e segue o moreno em direção a saída. 


- Jeonie... - ele escuta a sua mãe falar e tenta ignorar ao máximo a mulher. - Jeonie você não pode fazer isso! 


- Tanto eu posso, quanto eu já fiz, ele vai ficar na delegacia até o julgamento. E não adianta você querer pagar a fiança, que eu vou recusar qualquer tipo de suborno que você pensar em dar aos meus homens, ou até mesmo a promotoria. - ele sabia do que sua mãe era capaz, já tinha passado por essa situação anos antes, quando Dokgoo apareceu na delegacia por causa de drogas e tráfico de ômegas. 


- É tudo culpa sua! - ela apontava e jogava suas palavras de ódio contra o ômega. - Você pediu para ser estuprado, eu tenho certeza, seu omegazinho de merda, olha o que você fez, está destruindo a minha família! - senhora Jeon gritava e tentava se aproximar do ômega, que estava sendo protegido pelo Jeon mais novo. - Saia da frente, eu irei ensinar uma lição a esse maldito. 


- Você quer ir para a cadeia também, mãe? - ele pergunta e vê a mulher irada o observar. - Porque ameaças de morte a vítima ou agressões física são consideradas crime, além de que você tem relações com o agressor. 


- O único que deveria ser preso é esse ômega por destruir a minha família! - ela repetia diversas vezes que o garoto havia acabado com a família dela, mas isso era porque a família Jeon iria ficar com o nome manchado na elite, bom. Pelo menos uma parte do nome Jeon, o outro ficaria bem reconhecido por ser um bom policial e fazer o seu trabalho bem. 


- Se retire de frente da delegacia, não quero ter que ouvir amanhã que minha própria mãe foi presa por ser uma mulher que liga mais para a reputação de seu sobrenome doque para a justiça! - Jeongguk fala duro e segue em direção de seu carro, com o ômega atrás de si. - Perdão por isso, minha família liga demais para a aparência. 


- T-tudo bem - ele percebe a inquietação do ômega ao seu lado e fica esperando o menor falar algo. - S-senhor Jeon? 


- Pode me chamar de Jeongguk. 


- J-Jeongguk. - ele acena com a cabeça esperando que o ômega fale algo. - P-por que seu pai não ficou b-bravo? 


- Uh, meu pai é o mais correto da família, ele não gosta de injustiças e não acha que seria justo um filho dele cometer um crime e sair impune, para ele a justiça tem que ser feita com quem fosse, independente de ser alguém de sua família ou um completo estranho. - abriu a porta do carro para o garoto e o mesmo entrou no veículo. 


Andou apressado para o lado do motorista e entrou no carro, ligando e indo em direção ao seu apartamento.


- Então... - Jeongguk tenta encontrar um assunto para distrair o ômega mas não pensa em nada. 


- Uh - Taehyung vira para o moreno e percebe o mesmo concentrado no volante, querendo ainda dar um pouco de atenção para ele. 


Achou o gesto nobre! 


- Você está com fome, ou algo do tipo? - Jeon pergunta. Ótimo, essa foi a pior pergunta que você fez Jeongguk! - Quer dizer, óbvio que você está com fome... você está bem? Digo, se sente bem indo para a minha casa? 


O Kim não respondeu naquele momento, estava pensando sobre o que o alfa falou. 


Claro que ainda tinha medo do irmão dele, e ficava apreensivo por confiar nele, mas não queria pensar em passar mais um dia perto daquele cara...


- Hm... - Taehyung assente para Jeongguk que não pode ver a sua concordância por estar focado nas ruas. - Estou com fome sim. 


- Okay, teremos que parar em algum lugar então. Como é difícil eu ficar em casa, o meu último pacote de ramen eu ia comer hoje, antes de me ligarem avisando que haviam te encontrado. - Jeon vira na esquina de seu apartamento, deixando o carro ali na rua para ir na loja de conveniência. 


- Oh, perdão... - o garoto loiro se desculpou por atrapalhar a jantar do moreno. 


- Não tem problema nenhum, o importante não é a minha janta, e sim sua segurança! - Jeongguk sai e tranca o carro para a segurança do menor e entra na lojinha, pegando alguns ramens e algumas outras coisas que considerava gostosas. 


Em torno de dez minutos, Jeon voltou para o carro com duas sacolas cheias de coisas. Destrancou o carro e havia deixado tudo no banco detrás. 


- Quanta coisa... - Taehyung sussurra para as duas sacolas cheias de comida. Naquele momento lembrou de seus pais e seu irmão mais novo, que agora já estaria com cinco anos. 


Fazia muito tempo que não via eles... 


Jeon se sentou no banco do motorista e dirigiu ao seu prédio, que já era ali naquela rua. 


- Você mora aqui? - Taehyung perguntou curioso quando viu o carro entrando no estacionamento. Claro que ele mora ali Taehyung, por que perguntou? Aish... 


- Sim, não é o melhor lugar do mundo, mas como eu sou sozinho e não paro em casa, é bom! - ele estaciona o carro na sua vaga e desce do carro, pegando as sacolas e passando por detrás do veículo para abrir a porta para Taehyung. - Talvez demore um pouco, mas eu juro que tentarei fazer os ramen o mais rápido possível, você deve estar com fome. 


- Não se preocupe comigo, eu já fiquei muito tempo sem comer, mais uma hora não faz diferença... - o alfa quis se bater por ouvir isso. Aquele babaca não alimentou ele? Que tipo de monstro ele tinha dentro da sua família? 


- Não ligue para a bagunça, se sinta à vontade. - Jeongguk abriu a porta de seu pequeno apartamento para o ômega entrar e se acomodar ali dentro. - Fique à vontade, se precisar tomar um banho, tem o banheiro no corredor que está com toalhas limpas. - falou indo para a cozinha e deixando o loiro na sua sala. 


Taehyung seguiu para o tal banheiro do corredor com o pensamento em sua família e no policial gentil. 


Porque conheceu Dokgoo? Poderia ter evitado toda essa confusão se tivesse ouvido seu melhor amigo...


Ah, ele sentia falta do Park! 


Como ele deveria estar agora? O Park era muito sistemático e organizado para tudo, de roupas até músicas! Sentia falta do seu melhor amigo...


Ligou o chuveiro e começou a se despir, olhando para o espelho em sua frente e vendo todas aquelas cores em seu corpo. 


Os vermelhos, roxos, verdes, amarelados, todas as cores espalhadas por seu corpo, os sinais de desidratação e desnutrição. Ele os odiava, todos eles, odiava tudo em seu corpo! 


Entrou no banho e deixou a água passar por todo o seu corpo, o relaxando. 


Quanto tempo fazia que não tomava um banho quente como aquele, poderia chegar até a ronronar. 


E fora o que fez, mesmo involuntariamente. 


Jeon, ainda na cozinha, lembrou que deveria pegar uma muda de roupa para o loiro que estava tomando banho. 


Fora para o caminho de seu quarto, passando pelo corredor e ouvindo os baixos ronronares de Taehyung. 


Pelo menos ele estava confortável! 


Balançou a cabeça e seguiu para seu quarto, pegando uma calça de moletom que tinha e uma camiseta preta. 


Voltou para a cozinha e deixou as roupas no quarto. 


Taehyung, quando acabou seu banho, desligou o chuveiro e começou a se secar, evitando pensar que teria que vestir aquelas roupas novamente. 


Se enrolou na toalha e abriu a porta do banheiro, sentindo o vento bater contra seu corpo. 


- A roupa está no meu quarto, fica no final do corredor! - Jeongguk, que estava na cozinha, ouviu a porta do banheiro ser aberta e avisou o menor das roupas para o mesmo se vestir. 


Estava fazendo os ramens enquanto cortava a cebolinha e pegava o kimchi na geladeira, que seu amigo havia feito. 


Taehyung apareceu na cozinha minutos depois, vendo Jeon concentrado em fazer os outros ingredientes para o ramen de ambos. 


- O cheiro tá bom... - Taehyung fala e Jeon se vira, apontando para a bancada da cozinha. - Hm... Jeon? 


- Pode me chamar de Jeongguk! - o loiro murmurou um "certo..." e esperou o mesmo perguntar. 


- E-e os meus pais? V-vocês falaram c-com eles? - Jeon virou com dois bowls com ramen e ovo por cima e colocou um na frente de Taehyung. 


- Eu não sei Taehyung... não estava na delegacia quando te encontraram. Mas eu acho que devem ter comunicado seus pais. - Taehyung assentiu e começou a comer o ramen junto de Jeon. - Desculpe se não estiver tão bom, geralmente eu não paro em casa! 


- Não, está bom! É uma das melhores coisas que como em muito... muito tempo. - o Kim sorri fechado e o alfa sente vontade de se bater. 


Ele está bem Jeon, vivo, seguro e bem. Não precisa mais se preocupar!


•───────────────────•



Notas Finais


Yassss mais um capítulo postado de 911, eu espero que vocês estejam gostando🥺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...