História 99263 - Capítulo 3


Postado
Categorias EXO, Kris Wu
Personagens Kris Wu, Lay, Personagens Originais, Xiumin
Tags Exo, Híbrido, Kim Minseok, Kris Wu, Krismin, Xiumin
Visualizações 45
Palavras 1.585
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Capítulo II


Enquanto #99263 se alimentava do farto café da manhã que Kris havia trago para si, pensava na sorte que fora ter sido encontrado pelo mesmo ou pela esperteza que fora ter invadido a propriedade do rapaz. De primeira, achava que ele lhe entregaria à polícia no estado que havia sido 'capturado’, no entanto, estava sendo bem cuidado, alimentado e havia ganhado abrigo, pelo menos enquanto Kris ainda decidia o que fazer consigo. 

Não queria se agarrar na esperança de que o maior começasse a cuidar de si, o tirando do radar do laboratório, pensava apenas para onde poderia fugir no momento que o rapaz decidisse que teria que ir embora porque não queria ter algum tipo de conflito com entidades muito maiores que a polícia, como por exemplo, o governo. 

Só de pensar no tal laboratório, mesmo que estivesse morrendo de fome, perdia o apetite. Por hora era melhor distrair sua mente para coisas melhores e a única coisa boa em que conseguia pensar era no próprio Kris. Afinal, ele era realmente a única 'coisa’ de agradável que tivera depois de tanto tempo estando confinado e sendo maltratado. 

Kris era um rapaz realmente bonito. Acreditava que não era coreano, pois não tinha sotaque como os muitos cientistas que trabalhavam no laboratório ou seus acionistas, falava de forma polida e tinha um ar sério, o que criava diversas perguntas em sua cabeça, sobre qual seria a idade do rapaz e o que o mesmo fazia.

Por um momento teve seu coração a palpitar quando passou por sua mente que o rapaz poderia fazer parte da equipe de acionistas que investiam e visitava o laboratório, afinal era rico, desde que o vira à três noites atrás usava terno e gravata e tinha um ar bastante sério. Mas logo aquela ideia absurda foi embora ao lembrar-se da reação que o maior tivera enquanto contava o que havia passado em seu antigo “lar”, se é que poderia chamar um lugar como aquele de lar.

Após terminar sua refeição matinal, ficou sem saber o que fazer enquanto esperava pelo retorno do maior. Queria poder explorar o quarto, mas a cada vez que tentava se levantar, sentia dores pelo corpo que o impediam de fazer qualquer esforço então se viu preso à cama. 

Sem muito o que poder fazer, apenas esticou seu braço para poder alcançar o controle da televisão e passou a procurar algo que o agradasse, o que não seria muito difícil de achar já que seu lado felino poderia ser facilmente entretido. Não trocou de canais por muito tempo, no momento que seus olhos focaram nos traços e nas muitas cores na tela, começou a assistir desenho sobre um gato azul e seu melhor amigo, um peixe laranja. Gostou logo de cara, não pelo personagem ser um gato, mas porque conseguiu dar boas risadas e um tanto altas até. Precisava decorar o nome dele, O Incrível Mundo de Gumball.

Seu mais novo desenho favorito acabou após alguns minutos e os que vieram a seguir não lhe entreteram muito, então se recostou na cabeceira da cama, dando batidinhas sobre sua barriga coberta pela camisa que aparentemente - e com toda certeza - era de Kris, constatou após notar que a mesma chegava até a metade de suas coxas no momento que tirou as cobertas de cima do seu corpo. A peça branquinha possuía um cheiro muito gostoso na concepção de #99263. Era um aroma forte, mas nada que se tornasse enjoativo, mas sim viciante, o que fez com que o garoto segurasse o tecido entre seus dedos e o erguesse até  a altura de seu nariz, absorvendo aquele odor com afinco, chegando até a fechar os olhos para o apreciar com mais dedicação.

Não soube quanto tempo ficou a desfrutar do perfume do maior, apenas voltou a si quando escutou o mesmo pigarrear, fazendo com que o coreano de características felinas pulasse com o susto e rapidamente ficasse vermelho de vergonha por ter sido pego em um momento constrangedor como aquele.  E para piorar aquele momento, Kris não se encontrava sozinho. 

– Que gracinha, Yifan. Ele é exatamente como você me contou.
 
#99263 analisou o rapaz ao lado de Kris com atenção, se sentindo desconfiado pela presença de um total desconhecido - para si - dentro do quarto. Percebendo o desconforto do menor, o rapaz se aproximou do mesmo, fazendo um leve carinho nos fios escuros para que ele relaxasse.

– Não se preocupe, ele não vai te fazer mal, eu garanto. – Disse o mais alto ao olhar apara o rapaz de aparência felina.

– Ah, me desculpe. Depois de tudo o que passou, a primeira coisa que deve pensar é que eu tenho algum vínculo com o lugar de onde veio, certo? – O moreno de covinhas se pronunciou mais uma vez, levando #99263 a ficar mais desconfiado. - Eu me chamo Yixing e sou o melhor amigo do Yifan. – Apontou para Kris.

“Yifan?” o garoto pensou, erguendo seu olhar ao rapaz de fios platinados ao seu lado, que ainda mantinha a mão sobre seus fios.

– Kris, acho que ele está ficando um tanto confuso. – Yixing sorriu sem jeito, causando uma risada baixa no amigo.

– Yixing é uma das poucas pessoas que acreditam na existência de laboratórios como o ‘seu’ e não se preocupe, ele não vai te entregar pra nenhuma das pessoas que te fizeram mal, apesar de saber ou suspeitar quem esteja por trás de tudo.

– Como assim? – O mais baixo se manifestou, erguendo a sobrancelha. 

Percebendo que o menor se encontrava mais calmo, Kris se sentou ao lado dele na cama, cessando as carícias que fazia enquanto Yixing se sentava no sofá vermelho.

– Meus pais eram detetives e tinham o costume de discutir alguns casos em casa, pois não confiavam no local de trabalho dele, com receio que pudessem estar sendo vigiados. E muitos dos casos se referiam a laboratórios como esses que sequestram pessoas e as usam como cobaia diversos tipos de experimentos e testes como fizeram como você. Com o tempo, eu comecei a pesquisar por conta própria, mas por pura curiosidade, entende? – O garoto assentiu, formando um pequeno bico nos lábios. 

– Yixing sempre me contava dessas coisas e eu sempre achava tudo invenção da mente dele, até aparecer você. – Yifan curvou os cantos dos lábios em um leve sorriso ao mesmo tempo que encarava o menor. 

– Porque é um cabeça dura. – O chinês de estatura mais baixa ergueu a canhota, deixando um rapaz na testa de Kris, causando risadas no menor e resmungos no rapaz de fios platinados.

– Imbecil. – O maior esfregou a testa, formando um beicinho em seus lábios enquanto esfregava o local atingido.

– Também te amo. - O moreno jogou um beijo na direção do melhor amigo para logo voltar sua atenção à #99263. – Voltando ao assunto principal, eu aconselho que fique escondido aqui por algum tempo. Eu acredito que seja difícil, pode se tornar cansativo não poder conhecer as ruas e ficar trancado na mansão por tanto tempo, mas é pro seu bem.

– Eu sei… – O menor suspirou, segurando o tecido grosso das cobertas entre seus dedos. 

– Eu prometo que quando tiver ficado aqui tempo suficiente, vou te levar pra todos os lugares que desejar ir e, principalmente, eu vou te proteger caso algo aconteça. É uma promessa. – Disse Yifan olhando dentro das íris castanhas do menor, percebendo logo depois que o mesmo se encontrava com as bochechas vermelhas e com um tímido sorriso nos lábios. 

Os três passaram mais algum tempo conversando, fazendo com que o garoto ganhasse a confiança do melhor amigo do Kris, fazendo com que o coreano também descobrisse algumas coisas sobre o rapaz que estava cuidando de si. 

Yifan tinha 27 anos, e ao contrário do que pensava, ele havia nascido na China, e estava cursando direito na faculdade para poder assumir o escritório de advocacia do tio, que também morava na mesma ‘casa’, mas que não precisava se preocupar com a presença do mesmo, pois eram poucas as vezes que estava em casa já que sempre estava no escritório, viajando a negócios ou em hospedado em um hotel próximo ao trabalho porque gostava de ser o primeiro a chegar e o último a sair. Seu nome verdadeiro era Wu Yifan e Kris era o nome ocidental que havia adotado quando tivera que estudar fora. 

Descobriu que a pintura da mulher que ficava acima do sofá vermelho era a mãe de Kris e que os pais do mesmo haviam falecido em um trágico acidente de carro enquanto viajavam a trabalho e o rapaz apenas soube dias após seu aniversário de 16 anos. O garoto havia se sentido um pouco mal por não ter mais suas lembranças de quando tinha uma vida normal, ficando cabisbaixo por ter levado o assunto para um ponto mais triste ainda. 

– Ei… - Yifan levou sua destra ao queixo do menor, fazendo com que o mesmo olhasse para o seu rosto. – Que tal se a gente começasse a construir uma nova vida para você ter coisas boas para se lembrar, hm?!

#99263 abriu um doce sorriso nos lábios desenhados ao mesmo tempo que balançava a cabeça rapidamente ao demonstrar sua animação com a ideia do rapaz. Não tinha noção de como ambos fariam aquilo e também não tinha conhecimento de quanto tempo conseguiria viver sem que os membros do laboratório descobrissem aonde estava se escondendo. Mas enquanto pudesse viver na paz de um verdadeiro lar e na companhia daquele que tanto queria lhe ajudar e proteger, faria de tudo para ser feliz. 

– Eu aceito.


Notas Finais


Perdoem os erros de ortografia, eu revisei o capítulo morrendo de sono então podem haver erros qq


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...