História A alegoria da caverna - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Tags A Alegoria Da Caverna, Filosofia, Jungkook Seme, Jungkook!top, Kookga, Kooksuga, Le Parkour, Liberdade, Parkour, Parkour!au, Sociedade, Sugakook, Sugakookie, Yoongi Uke, Yoongi!bottom, Yoonkook
Visualizações 150
Palavras 2.329
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


mEUS CAROS LEITORES BOA TARDE/DIA/NOITE/MADRUGADA
então, eu esqueci de avisar q essa fic já tem os capitulos prontos KKKK mas eles precisam ser editados, então se eu demorar muito ou é pq to atolada com outras fics (muito provavelmente), ou é pq eu demorei pra editar/betar os caps ~~nada de novo sob hoseok

queria agradecer aos favs, foi de grande incentivo seriao aaaaaaa
VOU APROVEITAR AQUI AS NOTAS INICIAIS PRA ME REDIMIR E SAIR CORRENDO KKKKK hoje é niver da anne aka @topxw e eu falei que ia dar uma fic de presente pra ela, o pROBLEMA É QUE EU NÃO TERMINEI (talvez eu ainda poste, mas vai ficar atrasadona ;-;), ENTÃO DEDICO ESSE CAP A ELA
PARABÉNS NENEM E ME DESCULPE EU SOU UMA PERDIÇÃO NA MORAL SDOKPODKAOKPO

enfim

tenham uma boa leitura sz

Capítulo 2 - A descoberta do fogo


Fanfic / Fanfiction A alegoria da caverna - Capítulo 2 - A descoberta do fogo

O fogo foi descoberto no período Paleolítico, dizia o livro que Yoongi leu mais cedo, antes do jantar. O homem primitivo não sabia as consequências daquela nova fórmula, mas sabia que era necessitada em períodos de intensa nevasca. Contato direto com a pele doía, além de que a coloração desconhecida trazia formas nas paredes cavernosas. 

Era tudo muito novo, como na mente de Yoongi. 

Se sentiu estranho nos últimos dias. Nada mudou. Continuava estudando, ajudando em casa, tendo aulas de piano e etiqueta. Então, por que se sentia estranho?

Talvez porque, quase todas as noites, podia ver e sentir a nova presença de um certo invasor na residência dos Min. Yoongi podia muito bem contatar aos pais que havia um delinquente que passava tempo demais em cima do muro, próximo a sua janela, mas não o fez. O Min não sabia exatamente o porquê do saltador passar a maior parte da noite ali, visto que não trocara nenhuma palavra com Jungkook nos dias que se sucederam à partir do primeiro momento. Queria falar com ele, mas sentia que se o importunasse demais, ele iria embora. 

Yoongi não queria que o primeiro saltador que conheceu fosse embora.

Ainda sim, as coisas pareciam diferentes não só com o fator já anteriormente citado. Foi de grande surpresa quando seus pais o deixou assistir televisão depois do jantar. Eles nunca faziam isso, era raro — apenas em datas comemorativas. A data em que se encontravam não era comemorativa, era apenas um dia normal em pleno verão abafado. Yoongi resolveu não contestar nada, por isso estava sentado no grande sofá ao lado da mãe — o pai estava na sua poltrona costumeira. 

O primogênito não prestava muita atenção no que se passava na TV grande, sua mente estava avoada demais. Notava coisas ridículas, que provavelmente ninguém notava — como o broxe de ouro que a apresentadora do noticiário tinha sobre o peito. Perguntava-se se a mulher tão bem arrumada tinha uma vida boa, com pessoas que gostava e se gostava da sua profissão. Ninguém perguntava-se essas coisas enquanto o noticiário se tratava de algo aparentemente sério.

"(...) Algumas câmeras conseguiram capitar o exato momento em que o grupo de adolescentes entraram na mansão, (...) no dia seguinte, não era possível coletar digitais e nenhum rastro. Apenas uma pichação se sobressaiu em um dos quadros do prefeito, como uma marca da gangue..."

Na tela, apareceu a foto da tal pixação. Era nada mais, do que nada menos, um coelho muito bem feito em tinta vermelha.

A mente de Yoongi dava voltas e mais voltas com aquilo. Não escutava nem um terço do que os pais conversavam, e era melhor assim mesmo. Às vezes, se decepcionava com o que escutava. Ele tombou a cabeça, confuso, quando viu um metereologista informar sobre a previsão do tempo. 

Chuva, muita chuva. Uma tempestade. Yoongi quase não via a chuva cair de perto — podia pegar um resfriado, afinal. A casa que vivia era tão grande e rústica, quase não ouvia os pingos de água que caíam do céu. Era isso, pingos de água.

Por que as pessoas tinham medo de pingos de água?

 

(. . .)

 

Em seu quarto, já era mais audível os pingos de chuva. Com ajuda da luminária de cor amarelada, Yoongi lia um livro espesso de geografia. O mundo era grande demais, por isso o Min não entendia bem quando as pessoas falavam "Que mundo pequeno!", sorridentes. Já havia visto aquela cena várias vezes em eventos com seus pais, onde ficava em silêncio na maior parte do tempo. 

Talvez, algum dia, devesse questionar a frase.

Tão imerso na leitura, ele mal notou quando uma figura alta e rápida se esgueirou na parede, bem ao lado de sua janela. Se deu conta disto apenas quando ouviu uma respiração forte, junto das trovoadas e pingos incessantes. Ficou estático quando viu que se tratava do saltador, Jungkook. 

Estava totalmente ensopado, os cabelos negros colocavam-se na testa e os lábios chegavam a cor azul de tão frio que aparentava estar. A parede do quarto de Yoongi tinha um telhado saltado um pouco para fora, e Jungkook usava disto para se abrigar e proteger-se da chuva.  Yoongi não pensou quando se levantou, cauteloso, e pegou uma toalha. Devia ajudá-lo, certo? Não queria estar em seu lugar, se fosse ele ali sentiria-se agradecido por ser ajudado. 

Devagar, abriu a janela. Sentiu o vento e até mesmo alguns pingos molharem seu rosto, gelados. Virou a cabeça para o lado onde Jungkook estava e o chamou, meio hesitante. 

— Por que está na chuva? — perguntou, erguendo a toalha branca em sua direção. Jungkook o olhou como se fosse algum tipo de fantasma, com os olhos negros quase saltados. 

O analisou antes de responder. Aquele garoto era estranho, mas sentia que podia contar com a sua pequena ajuda, visto que o mesmo não o tratou diferente nenhuma vez. Era o típico garoto rico, de cabelos negros bem sedosos e pele branca perfeita. Tinha uma aparência um tanto infantil, Jungkook perguntava-se o quão mimado ele era. Tentou não pensar muito nisso enquanto pegava a toalha oferecida, quase sorrindo espontaneamente quando sentiu a testura macia e algo que podia lhe aquecer sob a pele.

— Adoro o frio. — sua intenção não era ser sarcástico, mas acabou saindo tão naturalmente que mal notou enquanto secava os cabelos. 

O Min não notava sarcasmo tão facilmente, então apenas acreditando, soltando um "Ah..." casto. Viu o quanto o garoto tremia e se questionou se ele realmente adorava o frio. 

— Não tem medo de pegar um resfriado? Nem uma pneumonia? — foi perguntando, intrigado. 

O saltador deixou um riso nasalado escapar. "Tão curioso...", pensou. Era um tipo de pergunta que nunca pensou que receberia, nem de seus amigos mais próximos. Porque todos os seus amigos sabiam que, na verdade, Jeon Jungkook não tem medo de nada. 

— Você sempre faz essas perguntas? — a pergunta retórica ficou no ar, com um Yoongi de cenho franzido. — Seus amigos devem se cansar rápido. 

Yoongi vagou em suas lembranças algum momento em que deixou um amigo seu cansado com suas perguntas pertinentes. Então parou para pensar e concluir que não, não tinha tantos amigos assim. Mesmo se tivesse, não teria tanta necessidade de fazer tais perguntar, visto que as pessoas com as quais se comunicava eram tão exibicionistas que poderia facilmente saber a história de todos, sem ao menos uma pergunta. Jungkook estava longe de ser exibicionista. Na realidade, ele parecia tão oculto e indecifrável que isso instigava demais o Min. 

Ele ia responder, mas a fala simplesmente morreu na sua garganta. O pensamento de que poderia ser taxado de "antissocial" pelo saltador lhe deixou um tanto quanto perturbado. Era melhor não seguir adiante.

Jungkook notou sua quietude e suspirou, tentando aquecer as mãos com as baforadas que dava contra as mesmas. Não estava em seus planos ficar ali, mas realmente não tinha para onde ir. Ou era enfrentar a chuva e entrar em perigo, ou permanecer ali tentando entender porque aquele garoto ainda não o expulsou. 

— Você não deveria, sei lá, contatar aos seus pais que eu tô aqui? Aposto que eles teriam uma grande surpresa. — ainda sem encará-lo, enquanto torcia a camiseta preta encharcada, disse em murmúrios. Yoongi franziu o cenho. 

— Acho que eles iriam te expulsar... — comentou, pensativo. 

— Com certeza — o saltador riu, em escárnio. — Você poderia adiantar esse processo, mas continua aqui, falando comigo. 

Yoongi estranhou. Na verdade, tudo o que Jungkook falava ali era estranho para si. Como se fosse uma outra realidade, algo que nunca viu antes. Trocar palavras com o saltador parecia levá-lo para outra dimensão, e apesar de isso o deixar um tanto perdido, gostava de explorar terras novas com diferentes perspectivas. Era isso. Não podia deixá-lo ir embora, seu único portal para um universo diferente. 

— Não tenho motivos para expulsá-lo — respondeu depois de muito pensar. Foi a vez de Jungkook o olhar confuso. — Você não está fazendo nada de errado, e, bem, eu gostaria de ter mais chances de conversar com alguém da minha idade. 

A encarada analítica que Jungkook o deu fez Yoongi se arrepiar, meio involuntariamente. Tinha algo nos olhos daquele garoto, se Yoongi fosse um expert em análises poderia afirmar com toda certeza de que ele era alguém muito brilhante. Seus olhos brilhavam, afinal. Os olhos são o espelho da alma, sua mãe dizia.

— Você não vai ao colégio? — entretido, Jungkook se aproximou. O instituto de ensino era o lugar primordial para se encontrar pessoas de sua idade, foi exatamente por isso que perguntou.

— Não — com pesar, respondeu. O colégio para si era algo inimaginável, fora de alcance. Quando criança, questionou aos pais o porquê de não frequentar o local de ensino que todo mundo parecia ir. Ele foi respondido com um simples "Aquele lugar não é para você", e isso rondou tanto sua mente a ponto de não saber absolutamente nada do que aquela frase queria dizer. Curioso, Yoongi se debruçou na janela. — Como é o colégio?

E foi nesse exato momento que Jeon Jungkook percebeu. Percebeu que, de fato, a vida de um garoto rico poderia ser comparada a uma prisão. O Min parecia mais um passarinho de asas amarradas. 

E ele quis desamarrá-las.

 

(. . .)

 

— Seus pais não estão em casa? — o Jeon perguntou arteiro, tirando o capuz e sendo recebido com os raios solares no rosto.

Um mês. Um mês foi necessário para que Yoongi já soubesse que aquele tom de Jeon Jungkook só podia significar algo: problema. 

Mas também, é claro, descobriu várias coisas sobre o Jeon e o mundo fora de seus aposentos. Isso tudo devido ao pequeno ato que ocorria quase toda semana — principalmente, às quartas e sextas-feiras —, onde o saltador ia toda noite até a janela do Min. Às vezes conversavam assuntos carregados de especulações — principalmente pelo lado do Min —, outras vezes conversavam sobre si mesmos. O Jeon era mais curioso sobre a vida de garoto rico que via quase todo dia, enquanto Yoongi era mais curioso para saber como era o dia e o que passava mundo a fora. Soube muitas coisas, pois, inexplicavelmente, Jungkook gostava de contar suas "aventuras". 

Yoongi sabia quase tudo sobre a vida de Jungkook, como se estivesse lendo um personagem de livro e nunca tivesse um contato direto com o mesmo. Sabia que sua cor favorita era vermelho, sabia que apaixonado por cães, sabia que adorava esportes — seu preferido era o Le Parkour —, sabia que ele faltava muito as aulas para praticar novos movimentos em prédios abandonados. Sabia que não tinha medo de nada, nem das alturas que enfrentava frequentemente. A cicatriz que tinha no braço esquerdo era prova disso. Quando Jungkook a mostrou, ele demonstrou certo orgulho do desenho em vertical na pele, em vez de repulsa. 

Ah, e também sabia que ele se metia frequentemente em problemas. Uma prova disto era o que ocorria naquele exato momento. 

— Eles acabaram de sair... — Yoongi respondeu, estranhando o fato do Jeon aparecer ali em plena amanhã de sexta-feira e com uma mochila nas costas. 

— Ótimo. — murmurou, olhando atentamente para o outro lado da rua. Aos poucos, foi possível ouvir uma sirene de carro de polícia, e foi exatamente por isso que ele jogou-se para dentro do quarto do Min, sem sequer pergunta-lhe se podia. 

Oh, sim, Yoongi também descobriu que o Jeon era extremamente sarcástico — ele até o ajudou a identificar ironias. Descobriu também que ele podia ser louco, maluco, completamente pirado. 

Isso não o assustava, de fato.

— O que você fez? — perguntou meio apreensivo. Era a primeira vez que Jungkook entrava em seu quarto. O máximo que havia feito até o momento foi sentar-se na beirada de sua janela. 

Agora, Jungkook andava pelo quarto — o mais longe o possível da janela — e abria sua mochila, enérgico. 

— Fecha a janela! — ignorou a pergunta anterior e mais ordenou do que pediu. Sem contestar, o Min tratou de fazer o que lhe fora ordenado. 

O quarto ficou silencioso e um tanto escuro — por conta das persianas fechadas —, então Yoongi logo foi acender a luz. Sentiu-se um tanto estranho. Quer dizer, era a primeira vez que tinha um garoto no seu quarto, embora Jeon parecia não se importar com isto. Ele estava mais entretido em mexer e bagunçar a mochila. 

Estranhamente, ele usava uma roupa por de baixo do moletom preto usual. Por ser plena manhã e ainda sexta-feira, Yoongi julgou ser o uniforme escolar. Não era a primeira vez que o via e nem a primeira vez que presenciava uma das fugas do saltador. Em menos de um mês já havia se acostumado e isso era demais até para si mesmo. 

Ficou totalmente pasmo ao ver que na mochila que o outro carregava tinha, nada mais do que nada menos, ração para cães e gatos. 

— Você roubou ração? — incrédulo, era como Yoongi estava. Sabia que Jeon Jungkook não seria capaz de roubar coisas de valores, como carros, casas etc. Mas, realmente, por essa ele não esperava.

Já o Jeon achava um tanto cômico aquela incredulidade toda do Min. Na verdade, ele achava isso com frequência. O mês que passaram conversando aleatoriedades foi bem importante para descobrir com quem estava lidando. Min Yoongi estava longe de ser perigoso, ele sequer chegava perto disso. Era curioso, ficava incrédulo facilmente e chegava a ser ingênuo. Sequer parecia o mais velho entre os dois, isso deixava o Jeon intrigado e com uma vontade enorme de tirá-lo daquela utopia interna. Conseguia ver nitidamente, não precisava ser nenhum gênio para perceber que a vida de Min Yoongi era tão escassa que lhe dava ânsia. O que fizeram com aquele garoto?  

— Alguém precisa fazer algo útil, certo? — perguntou retórico depois de tirar — com maestria — a blusa de uniforme por debaixo do moletom. — Quer ir comigo?

Um click se fez na mente de Yoongi. Não conseguiu raciocinar no primeiro momento, mas quando viu o Jeon alongar os braços e colocar a mochila aparentemente pesada nas costas, tudo fez mais sentido. 

— Seus pais não estão em casa — Jungkook disse, aproximando-se. — É a sua chance. 

 

 


Notas Finais


eu sei que parece que tá rápido demais neh?? ou não, num sei como vcs acham direito oksopdks maaaas essa fic é diferente das que eu escrevo, onde os personagens passam por muitas transições e tals
nessa é diferente pq não é só um personagem que passa por muitas transições, pra isso é preciso não enrolar tanto ;u; é o que eu acho

também devem achar estranho pq, geralmente, yoonkook o yoongi é todo cuidadoso e nhomnhom com o Jk, mAS CEIS SABEM QUE EU SOU DO CONTRA NEH? vai ser diferente por motivos de eu adorar quebrar padrões, podem esperar por um yoongi nenem e um jk protetor nessa fic eh isto

eSPERO QUE TENHAM GOSTADO, ATÉ O PRÓXIMO <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...