História A Aluna Exemplar - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Parabéns pra vo-cê
Nesta data fo-di-da
Você perdeu a ca-be-ça
E a sua vi-da

Trecho usado no final:
Música: Pity Party( com pequenas modificações)
Artista: Melanie Martinez

Capítulo 2 - Parabéns pra você, nesta data maldita


Mary acorda com um barulho acima de sua cabeça. Ela não levanta e olha pra cima. Ela vê uma faca.

- Feliz aniversário! Disse Ruth. - Levante, vai se atrasar. Ah, e hoje eu durmo no trabalho. Volto daqui a alguns dias.

Mary se levanta, faz o necessário e desce para esperar o transporte. Ele chega e ela entra no veículo. Não demora muito até que Angelina entre também.

- Oi, Mary! Hoje é seu aniversário! Parabéns!

- Como você sabe?

- O Arthur me falou! Ontem á noite!

- Ele foi na sua casa?

- Nem... Ele ligou pra mim.

Mary levantou as suas sombrancelhas.

Arthur entrou no veículo também.

- E aí, meninas?

Mary estava com vontade de falar: Que história é essa de você ficar ligando pra Angelina? E pra mim não? Mas ficou quieta.

- Parabéns Mary! Ele a abraçou. 

- É, é... Disse Mary.

Eles vão indo em direção a escola sem falar nada de importante. Eles estavam caminhando em direção a entrada com Angelina na frente e os dois mais atrás.

- Eu já sei qual vai ser o seu presente. Disse Lucas sussurrando.

- O que? Respondeu Mary, também sussurrando.

- O meu coração. 

- Fala sério!

- Eu estou falando sério! O meu coração, o órgão!

-Você vai se matar?

- O que? Não! Vou te dar um coração. Sabia que esse órgão é útil até depois da morte do dono? Você pode vender, ou... Fazer outras coisas. Enfim, vou arranjar um. Ah, e Mary... Que a sorte esteja a seu favor.

Ele sai na frente e entra no colégio.

Estranho.

Arthur

Eu chego em Mirella, aquela garota que por mais que eu fingisse não notar, ela gostava de mim. Eu sabia disso.

- Oi, Mirella.

Ela me olhou, estranhando.

- Oi.

- Quer ficar comigo?

Agora que ela estranhou mesmo. Eu deveria ter dado uma enrolada.

- Assim, do nada?

- É que eu sou meio lerdo. Demorei para perceber como você é incrível.

Ela fez uma expressão de surpresa e corou. Fisgada.

- Ok...

- Vamos depois da aula na parte de trás da escola. Naquele beco.

- Sim...!

 *Quebra de Tempo*

Chega a hora e Arthur vai para o local combinado. Mirella já estava lá com uma expressão sonhadora no rosto. Eu poderia atacar de uma vez, mas vou fazer primeiro em consideração a vida patética dela...

Ele prensou ela na parede e colocou, sem prévia, a a língua na boca dela. Ela hesitou no começo, mas depois se acostumou. Enquanto isso, Arthur vasculhava nos bolsos a procura de sua adaga. Ele a achou e a enfiou na barriga de Mirella. Ela cessou os movimentos na hora, movimentos que Arthur tinha achado rápidos e exagerados demais. Ele fez um rasgo do pescoço até a parte debaixo do busto e meteu a mão na área esquerda e arrancou o coração. Não era maior que a sua mão. Ele a colocou no bolso, mesmo que ele ainda estivesse pingando. Jogou o corpo de Mirella no rio que da escola se via, das janelas das salas, e se foi. Ele entrou no prédio e cutucou Mary. Eles foram para a mesma escada de incêndio.

Narrador

- Você trouxe?

- Eu te enganaria?

Eu não sei mais em quem e no que confiar...

Ele entregou o coração já "seco" para Mary, que o pegou sem nojo nenhum.

- Que belezinha... Disse Mary. Ela não falou nada com Lucas e saiu. Ela estava procurando Angelina. A achou rapidamente, ela se destacava para Mary como um doce caído no chão se destaca para formigas mortas de fome.

- Ei, Angelina, quer jantar na minha casa hoje?

- Oh! Angelina pensou por um instante. - Claro! Mas eu ainda nem comprei o seu presente...

- Por favor! Disse Mary, com toda a doçura que conseguia. - Sua presença já será o presente. Por favor.

- Eu tinha uma coisa em mente, mas já que é assim... Claro que eu vou! Mas primeiro passo em casa para confirmar com meus pais. Mas eu vou sim!

- Ótimo. Sorriu Mary. Ela deu meia volta e foi para a sala. Não conseguia parar de sorrir.

Esse vai ser o melhor aniversário de todos!

 

É o meu aniversário,

E eu faço o que eu quiser

Eu vou matar até preencher esse vazio dentro de mim

Eu vou matar até que toda a minha vida de dar pena esteja em chamas

 

 

 

 


Notas Finais


Me desculpem, mas tinha que ter alguma referência a Melanie Martinez (minha cunhada)! Espero que tenham gostado! @rebeca_martinex_cry🌺🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...