1. Spirit Fanfics >
  2. "A amante do vizinho" - Kakasaku >
  3. " Um dia ruim"

História "A amante do vizinho" - Kakasaku - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii, não tenho muito o que falar, só agradecer pelos os comentários do capítulo anterior, e avisar para ir lá na minha outra fic dá um conferida. 👇


https://www.spiritfanfiction.com/historia/complicacoes-do-amor-20060254

Capítulo 16 - " Um dia ruim"


Fanfic / Fanfiction "A amante do vizinho" - Kakasaku - Capítulo 16 - " Um dia ruim"

Sakura acordou com o som do despertador, pegou o celular no criado mudo e desligou o alarme, Kakashi estava de costas para si na cama nem se mexeu com o barulho do aparelho, Sakura ficou impressionada com o sono pesado de Kakashi. Se levantou da cama estava nua, se sentia a vontade com o próprio corpo, o homem ao seu lado não a intimidava, pelo contrário, a fazia se sentir ainda mais bonita.

Parou para se olhar no espelho, seus olhos focaram na barriga saliente, mesmo com 6 semana de gravidez ainda não tinha muito o que olhar, e a ansiedade estava contribuindo para o estresse que tem sentindo nós últimos dias, mas é claro que nada disso foi dito para Kakashi.

Após o banho Sakura se arrumou e foi para o trabalho, ainda era muito cedo e preferiu não acordar Kakashi. Ao chegar no hospital tudo parecia normal, sua vida não mudou muito, ainda não tinha assumido o relacionamento com Kakashi, até por que eles não rotularam o que tinham.

- O que foi testuda? – Ino invadiu a sala de Sakura se sentando na cadeira de visita.

- O que foi o que? – Sakura estava vestindo seu uniforme.

- Chegou meio muchinha...

- Ah... Não sei, estou me sentindo assim e com certeza deve ser os hormônios.

- E como está as coisas com o Kakashi?

- Muito bem, só estou nervosa sabe... Eu não tenho um ciclo social muito grande para apresentá-lo, mas estou meio nervosa com o que vão dizer quando começarmos a sair juntos e tal... – Sakura não sabia exatamente o que pensar, Kakashi quer mudar de cidade para viver uma vida normal com a rosada sem uma ex mulher maluca.

- Eu acho que seria uma opção vocês se mudarem. – Disse Ino dando de ombros brincando com uma caneta que pegou na mesa de Sakura.

- Ta falando sério? – Sakura se senta em sua cadeira de frente para Ino.

- Sakura, não tem mais nada pra você aqui... Pra ninguém, essa é uma cidade cu de mundo, qualquer coisa é melhor que isso. – Ino sempre odiou Montana, isso era novidade para ninguém.

- Não vai senti minha falta quando eu for embora? – Sakura fez uma cara chorosa fingida.

- Vou... Mas tenho que te contar uma coisa. – Sakura juntou as sobrancelhas esperando que Ino continue. – Aquela prova que eu disse que faria para um possível novo emprego... Lembra dela?

- Sim. – Respondeu Sakura.

- Então... Foi para um emprego em Nova York, sendo mais específica, Sasuke que me ofereceu.

- Porque não me disse antes?

- Fiquei com medo de você surta, tu odeia mudanças.

Ino tinha razão, a antiga Sakura surtaria, porém agora entende que certas mudanças são necessárias.

- Então é pra lá que eu vou. – Disse simplesmente deixando Ino confusa. – Se me mudarei, que seja para o mesmo lugar que você.

- Tá falando sério? – Ino agora estava animada com um sorriso enorme no rosto.

- Claro, hoje mesmo falarei a Kakashi que me decidi.

Sakura estava com medo de tal decisão, mas tacou o foda-se, só queria uma vez na vida fazer algo por ela mesma.

- Fico muito feliz Sakura.

As amigas se abraçaram e depois voltaram ao expediente, o dia foi mais corrido do que o normal e Sakura descobriu que o cheio de sangue a deixava enjoada, por conta disso passou mais tempo no banheiro do que no quarto de seus pacientes e se recusou a ir embora mais cedo.

Quando passou pela a porta do hospital pronta para ir pra casa, sentiu um alívio enorme, o cheiro estava a sufocando. Sakura nem ao menos percebeu que já não se sentia vigiada.

Pegou a chave do carro em sua bolsa e destravou a porta, mas quando ia abri-la sentiu uma mão agarrar sua cintura com força e outra mão tapar sua boca com um pano úmido, Sakura se debateu contra o corpo duro de quem quer que fosse, porém pouco a pouco se sentiu molenga e seus olhos pesados, a última coisa que ouviu foi alguém lhe desejando uma boa noite.

....

- O que está fazendo aqui? – Disse Kakashi após abrir a porta de sua casa.

- Vim conversar com você. – Respondeu a ruiva.

- Entre. – Kakashi deu um passo para trás, dando a passam de Mei para que a mesma entre em sua casa.

Ambos foram até a sala, a mulher analisava cada canto como se quisesse verificar se estava tudo no devido lugar e para sua surpresa, estava.

- Fala logo Mei. – Disse Kakashi impaciente.

- Eu vim conversar, a gente já passou por tanta coisa juntos, acho que podemos passar por isso também. – Mei se sentou no sofá.

Kakashi suspirou irritado, sabia que algo estava errado, passou a mão pelo o cabelo sem saber como expulsa-la de sua casa.

- Mei eu realmente não quero mais falar sobre isso, só queria seguir enfrente.

- Eu entendo, só não sei o que mudou.

- Olha Mei. – Kakashi se senta ao lado da ruiva e segura na mão da mesma. – Eu quis tentar mas não consegui, sempre me pego pesando no que você fez, e isso não é saudável nem pra mim e nem para você, tenho carinho pelo o que a gente viveu e não queria que isso virasse raiva então tomei essa decisão, só quero que você fique bem com isso e viva sua vida, ok?

Mei baixou seu olhar para mão de Kakashi, queria se lembrar quando já o viu mentir, porém aquela era a primeira vez... Ele estava mentindo para si só pra defender a amante e isso a deixou enjoada. Kakashi sempre foi bom demais, ao ponto de deixar que se aproveitem dele, mas ela sempre esteve lá para se livrar das pessoas falsas com más intenções, agora diante de tal situação ela não acredita não que está ouvindo. Ele está usando o que ela fez para se livrar dela e viver com a Sakura... A mulher que achou que seria uma boa amiga na vida nova que vinha buscando, Mei até tentou ser boa, tentou de verdade.

Mei ia responder algo, porém o celular de Kakashi começou a tocar, ela sabia o que viria agora e seu coração tomou um ritmo tão acelerado que parecia que ia sai do seu corpo, mas tratou de ser indiferente ao nervosismo, Kakashi não podia saber que ela estava envolvida.

- Que estanho. – Disse Kakashi ao pegar o telefone. – É um vídeo chamada de um desconhecido.

- Atende. – Kakashi encarou Mei e viu nos olhos dela que a mesma estava tensa.

- Você sabe quem é?

- N-não. – As mãos de Mei tremeram, ela não podia gaguejar.

- Mei, quem é? – A voz de Kakashi ficou mais grossa e seus olhos havia uma sombra ali...

- Poha eu não sei! – Gritou irritada e Kakashi atendeu.

A tela estava escura, não se via nada e só se escutava alguns sons distorcidos de alguém andando, o celular se moveu e logo depois uma luz foi ligada. Hidan mantinha um sorriso ladinho “ amigável' “ não rosto, assim que Kakashi viu o amante da ex mulher, seus olhos foram nela que tinha o seus arregalados.

- Quanto tempo amigão! – Disse Hidan.

Kakashi apertava o celular com força e sua mandíbula estava trincada, uma sensação ruim percorria seu corpo e sentia como se fosse vomitar de nervosismo.

- O que você quer? – A voz de Kakashi transmitia o ódio que sentia pelo o outro grisalho.

- Só vim falar com você, ter uma conversa de homem pra homem. – Hidan se sentou em uma cadeira e o sorriso parecia aumentar.

- Por telefone? – Perguntou Kakashi erguendo a sobrancelha.

- Sabe Kakashi, as vezes é melhor evitar de ganhar uns socos na cara... Mas enfim eu só queria dizer que você pegou uma coisa que era minha.

- O que? A Mei? Ela é toda sua... Pode ficar. – Kakashi disse olhando diretamente para a ruiva.

Os olhos de Mei continham lágrimas que ela jamais permitirá que saia dali, o desprezo de Kakashi foi como uma faca em seu peito.

- Não se preocupe com isso, já estamos quites. – Hidan soltou uma risada sem humor enquanto Kakashi se mantinha inexpressivo.

- Como assim?

- Dá oi pro Kakashi princesa. – Hidan falou com alguém olhando por cima da câmera, após isso virou a mesma e Kakashi pode ter a visão de Sakura atordoada em um chão sem piso imundo.

As roupas dela foram tiradas, ela só estava com suas peças íntimas os braços presos a uma pilastra de ferro com braçadeira de laço amarrando suas mãos, sua boca estava livre e tentavam forma alguma palavra mais não conseguia nem olhar para a câmera.

- Ih, ou ela tá tímida ou irritada com você. – Hidan gargalhou.

Kakashi estava paralisado, o ódio corria em suas veias mas sabia que precisava manter a calma e se fazer indiferente na situação, ele iria tirar sua mulher filho daquela situação nem que para isso tenha que matar alguém, nem que esse alguém seja a Mei. Por um segundo odiou a si mesmo por não ter sido competente o bastante para proteger sua mulher, por não ter tomado atitude de ir pegá-la no hospital depois que começou a sentir que algo estava estranho, era tudo culpa sua, somente sua e se pudesse trocaria de lugar, mas como não pode irá fazer de tudo para tê-la em seus braços novamente.

Queria pode dizer que tudo vai ficar bem, que nada de mau vai lhe acontecer, porém não falou nada disso.

- Seu filho da puta. – Soltou Kakashi fechando os olhos tentando acalmar seus ânimos. – O que você quer?

- 5 milhões.

- Não tenho esse dinheiro, você está louco? – Kakashi gritou em furia fazendo Mei engolir em seco, nunca o viu assim antes. – Se você tiver feito algo com ela eu vou matar você!

- Relaxa, eu só queria ver como ela é sem aquelas roupas toda, aí se deu bem... – Hidan deu uma picadinha para Kakashi que só o irritou mais. – Eu sei que você tem esse dinheiro, e se você fosse esperto faria tudo que eu instruir bem rapidinho, ou então sua mulher o bebê dela vão morrer de frio nesse chão.

Hidan levou o celular até a Sakura, segurou no rosto da rosada e ergueu a fazendo olhar para tela, seu rosto estava cheio de lágrimas, sua pele pálida e os lábios roxos.

Kakashi já não sabia em que momento começou a chorar, só percebeu quando uma lágrima fez cócegas em sua bochecha, e passou a mão com raiva limpando.

- Vou te matar! – Kakashi apertava o celular como se pudesse atingir Hidan.

O grisalho afastou o celular de Sakura e voltou a câmera para si.

- Você vai me entregar o dinheiro amanhã 15 horas da tarde na única praça da cidade, vai colocar o dinheiro na lixeira amarela perto do banheiro público, vai se sentar em um cadeira afastado e esperar eu verifica, se tiver tudo ok sua rosada aparecera na sua porta sã e salva as 16 horas.

- Como vou saber que fará sua parte do trato?

- Não tenho nada contra sua garota, não é de meu interesse mata-la, mas cabe a você se vai salva-la ou não, você tem até 15 horas de amanhã, aproveite bem seu tempo e se a polícia se envolver seu filho será a primeira coisa a morrer.

A ligação foi encerrada.

- ONDE ELE TÁ?! – Não sabia quando haviam ficado em pé, só que Mei estava ao seu lado ouvindo tudo quieta demais.

Agarrou o pescoço da ruiva com força, sentiu que seria fácil e rápido acabar com ela ali mesmo, porém só apertou com muita força, queria ouvir o que ela tinha a dizer. Os olhos de Mei escorriam lágrimas, o medo tomou conta do seu ser, a pressão e eu pescoço, as mãos de Kakashi, estava apavorando a ruiva que lutava para se soltar do agarro.

- E-eu não sei... – Tentava falar sentindo a falta de ar.

- Você acha que eu sou idiota? Acha que vou deixar se se divirtam as minhas custas novamente? Acha que vou deixar vocês fazerem o que quiser com a Sakura? Fala onde ele tá! – Apertou ainda mais o pescoço da mulher, Mei sentia suas pernas fracas, sentia que ia desmaiar a qualquer momento.

Nunca sentiu tanto medo em toda sua vida.

- E-ele me procurou... P-pediu s-seu número, disse que só queria c-conversa e me ameaçou com uma arma se te contasse que ele e-estava n-na cidade, eu juro que não tenho na haver com isso! – Kakashi largou a ruiva que foi ao chão tossindo em busca de ar.

- Como ele sabe do dinheiro? – Kakashi revirava o sofá em busca de alguma coisa.

- Eu não sei, a gente não tem essa grana! – Mentiu.

- Não mente pra mim Mei. – A voz de Kakashi era irreconhecível para Mei.

Ela pode ver Kakashi tirar uma arma de baixo do forro do sofá, suas pernas começam a tremer e seus olhos se arregalaram.

- Porque você tem uma arma Kakashi? – Perguntou Mei desesperada, enquanto Kakashi verificava se havia balas.

- Por que não confio em você. – Disse após ver que estava tudo certo.

Kakashi vira e caminha até a ruiva sentada no chão, ele se abaixa na altura dela e segura seu cabelo pela nunca puxando sua cabeça para cima, a fazendo o olhar nos olhos, com a outra mão ele pressiona sua pistola contra o queixo da mulher que agora chorava.

- P-por favor eu não fiz nada. – Choramingou.

- Me fala onde ele levou ela. – A voz de Kakashi soou calma, uma calmaria assustadora, o que fez Mei chorar ainda mais.

- Em uma cabana, no sul perto de uma lago congelado no meio do mato, o lugar é horroroso. – Disse com pressa de uma vez sem gaguejar.

- Você é nojenta Mei, como nunca vi isso?

- Ele ameaçou, sou tão vítima quanto você. – Kakashi largou a mulher ao chão com desgosto virando de costa para a mesma. – Quando eu volta, não quero te ver nunca mais, quero que suma pra sempre da minha vista.

As mãos de Mei tremiam, o ódio, a amargura tomavam conta do seu ser, mas a humilhação que passou foi seu gatilho, enquanto Kakashi falava, a mesma alcançou sua bolsa e tirou de lá o estilete que Hidan havia lhe dado.

A ruiva se colocou de pé atrás de Kakashi, o que parecia durar minutos na verdade foi questão de segundos, o mesmo ia dá o primeiro passo em direção a porta, pronto para salvar a mulher que realmente ama, porém deixou de dar atenção para a mulher traída que em um ato de fúria envolveu seus braços ao redor de sua cintura, e quando ia afasta-la, a ruiva cravou o estilete em seu abdômen.

Soltou um rosnado de dor e agonia, suas pernas falharam, Kakashi desabou no chão sentindo o calor do sangue percorrer pela sua barriga manchando a camisa social branca. Mesmo que agoniante, Kakashi não conseguia pensar em sua própria dor, só conseguia imaginar Sakura sozinha com aquele homem, assustada. O pavor tomou conta do coração do grisalho com a imagem destorcida do seu bebê, o medo de que talvez ele não sobreviva fez algumas lágrimas rolarem pelos os olhos negros do grisalho.

Mei assistia agonia do homem em silêncio, naquele momento não sentia nada, nem amor e nem raiva, sua mente estava clara agora, teria que improvisar, todos os sentimentos que achava que sentia por Kakashi morreu no momento em que ele a desprezou, nunca foi tão humilhada em uma só noite. Ela não deixaria que ele saísse em puni, e não o mataria, ele vai viver com a culpa e com a dor de não ter feito nada para salvar a amante, era isso que Mei queria, mais do que tudo, queria vê-lo sofre.

Kakashi tentou se levantar, ignorando a dor, porém Mei o empurrou para o chão novamente, a ruiva se abaixou olhando o homem que sempre amou, bem de perto.

- Um... – Sua mão envolveu o estilete. – Dois... Três! – O objeto foi arrancado, mesmo que rápido a dor fez Kakashi gemer.

- Desgraçada. – Mais uma vez Kakashi tentou se levantar e alcançar a arma que caiu para longe quando o mesmo desabou no chão.

Mei foi mais rápida e pegou o revólver e manteve o grisalho em sua mira.

- Você vai ligar pro banco, irá dizer que sua esposa Mei irá fazer a retirada do dinheiro. – Para a surpresa de Mei, Kakashi começou a rir. – O que foi?

- Nada, só é engraçado como você de repente deixou de ser uma cadela dependente.

Mei fechou os olhos para manter a calma e não atira nele ali mesmo, apenas de aproximou mais, e em um ato rápido pisou com força no local da ferida fazendo Kakashi tossir de dor, e gemer.

- Filha da puta. – Xingou.

Mei não deu atenção, pegou em cima da mesa de centro o celular de Kakashi e ligou para o amante.

- O que foi? – Perguntou o grisalho do outro lado da linha.

- Mudança de planos, vem até aqui, tem um moribundo aqui pra você. – Mei dizia sem desviar os olhos de Kakashi, que mantinha o ferimento coberto pelas as mãos machadas de sangue.

Mesmo que o objeto tinha sido muito grosso, a profundidade foi... Causando um sangramento que foi além do que Mei imaginava, teria que levar Kakashi para Sakura cuida do ferimento, ele não podia morrer, não antes de conseguirem o dinheiro.

- O que você fez Mei? – A voz de Hidan soou irritadiça.

- Só venha, e rápido. – Desligou o telefone e se aproximou de Kakashi novamente.

O mesmo estava suado e pálido, seus olhos estavam inchados e seu olhar preso no teto, sua mente era sua pior inimiga, o fazendo imagina coisas horríveis que Sakura pode ou não está passando, enquanto ele é fraco demais para se levantar. Se amaldiçoou por não ser forte o bastante para ignorar a dor e sair correndo para o braços da sua rosada.

- Ei, não morre. – Disse Mei cutucando o homem que tinha os olhos pesados. – Não ainda.


Por algum motivo Kakashi achou que era um dia ruim para morrer, e se sentiu aliviado. 


Notas Finais


Bjs 😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...