História A amizade continua a mesma? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Rin, Sesshoumaru
Visualizações 108
Palavras 1.313
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, olha só eu de volta. E com a continuação de meu amigo fantasma...
Bom mês que vem ela vai fazer um aninho gente e estou muito feliz.
Eu ia deixar pra postar só no aniversário da fic, mas achei melhor já deixar lá postada pra não acontecer de sumir o capítulo porque ultimamente e o que está acontecendo com minha pessoa... ^^'
Bom. Espero que gostem do início dela.
Boa leitura...
Beijocas.

Capítulo 1 - Novo Semestre.


Fanfic / Fanfiction A amizade continua a mesma? - Capítulo 1 - Novo Semestre.

A amizade continua a mesma? Continuação de –

Meu Amigo Fantasma?!

Sessh/Rin.

...

*Rin.

E aqui estou eu no meu cafofo novo, ninguém faz ideia de como estou me sentindo nesse exato momento.

Finalmente tive minha minha privacidade e a hora que eu quisesse dormir sem minha mãe me perturbando com os horários da escola ou.... Aquela gororoba na cara dela.

"Sério todas as noites ainda tenho pesadelos, com àqueles produtos dela" . Espero nunca precisar daquilo.

Já era tarde da noite umas dez horas eu preparava uma porção de pipoca, MMS e um refrigerante bem gelado. Os coloquei ao lado do meu sofá em cima do criado mudo e liguei minha TV pra assistir filmes "perturbadores" e essa sessão começaria pelo o filme "o grito" já estava louca pra assistir, porém minha mãe estava sempre presente e não me deixava fazer praticamente nada de interessante.

Assim que o filme começa a rodar eu paralisei prestando atenção (obs: não irei dar espólio do filme)...

Meia hora de filme rodado eu já estava de baixo dos lençóis a procura de uma segurança.

Os gritos do filme me assombravam e quando ela a assombração apareceu na escada pra pegar o indivíduo sentir uma mão gelada a apoiar sobre meu ombro e calafrios de medos surgiu em minha espinha sentindo meu corpo todo estremecer...

O medo era tão grande que não tive coragem de me virá e constata a imagem do "mal" a minhas costas. Me tremendo toda debaixo dos lençóis me lembrei que eu havia guardado o taco de beisebol do meu pai entre as almofadas do sofá. O retirei o mais rápido possível mas pude ouvir a assombração sussurra ao meu ouvido...

— Rin!!!

— Ahhhh caia fora espírito do mal dos infernos... vai atrás de outra alma pecaminosa...

Gritei batendo várias vezes em sua cabeça desesperada atrás de uma segurança... "Nesse momento desejei que meus pais estivessem consigo".

(Fazer o que?! Eu era cagona mesmo).

— Como eu queria minha mãe agora... - as lágrima caíram de meu rosto reconhecendo a voz do cidadão, suposto "Assombração".

— Aí Rin, isso dói, por que está me batendo.

Todo enroscado em meus lençóis eu pisquei várias vezes tentando absorve o que acaba de acontecer.

Soltei o taco e me abaixei com os joelhos no chão retirando os lençóis avisto suas madeixas negras repicados todo bagunçado por causa do "acidente".

— Sõta?! O que faz aqui? Você quase me mata do coração homem.

— Eu não sabia que devia mandar um convite pra minha namorada. - O fitei se levantando com dificuldade e se apoio sobre as costas do sofá. — Eu vim fazer uma surpresa.

— Hum... - meio desgostosa com aquela situação eu não podia reclamar, ele foi um fofo esse tempo todo, porém eu não queria está com ele mais... — Sõta eu...

De repente seu telefone toca chamando nossa atenção, só que eu não estava afim de ouvir a conversa dele e a todos estante eu desviava a meu olhar para a tela da televisão.

— Rin me desculpa ter te incomodado essa hora. - disse ele olhando a hora do celular enquanto eu continuo parada ouvido sua história. — Me surgiu um imprevisto e terei que dar uma fugida. - ele se aproxima de mim e rapidamente me beija os lábios saindo em seguida. — Assim que der eu te ligo, linda. Até mais.

— Tchau. - falei vendo a porta se tranca e segui direto para meu sofá me sentando meio robótica. — Tenho que acabar com isso.

Perdi até a vontade de terminar meu filme e desliguei a televisão indo para meu quarto. Amanhã eu resolvo isso...

*Sessh.

Depois de tudo que aconteceu no hospital, hoje estou morando na casa de minha irmã Kikyou, sempre nos dermo muito bem era bem difícil brigarmos por qualquer coisa, mas ela ultimamente está me enchendo a paciência por chegar muito tarde da faculdade. Assim como hoje.

— Sesshoumaru, meu querido, olha só a hora. E você ainda quer corrigir o que aí?

— Kikyou, minha adorável irmã, tenha um pouco de calma, mulher, ultimamente você anda muito estressada, porque não sai um pouco ou vai relaxa em algum lugar.

Ela suspirou fundo fechando os e logo os abriu me encarando seriamente.

— Sesshoumaru, vai fazer um ano que você se recuperou, ainda não está cem por cento bem, lembre-se, você foi liberado da fisioterapia e não das consultas médicas e nem de exames...

As informações de Kikyou me fizeram vaga pelo cômodo, e logo voltei a observa-la.

— Eu te amo minha irmã. Obrigada pela preocupação. - essa eram as palavras certas para acalma-la por enquanto. — Irei tomar um banho e deixarei isso pra amanhã, já que está tão rígida hoje. - um sorriso singelo se formou em seu labios a acalmando.

— Assim espero. Boa noite. - ela se despediu e segue para seu quarto o trancando, fui direto para o meu, tomei um banho neutro e logo em seguida sair me vestindo uma calça moletom e regata, sequei meus cabelos com o pensamento de cortalos nem que seja um pouco, término colocando a toalha em meu pescoço sentando-me sobre minha cama pegando minha pasta com as provas que havia feito com os alunos, as folheie a procura da dela e assim que achei observei suas questões.

— Até que ela foi bem. - virei a folha pra trás e li um recado com um desenho feito por ela mostrando a língua e o fundo dos olhos...

"Você é um completo idiota, você me paga por ter mentido pra mim" bler!!!! PS: pare de dar Ibope pra Minhas "colegas" de classe, isso me irrita.

Sorri de lado com a infantilidade dela, me recordando quando a encontrei no estacionamento.

única coisa que poderia fazer naquele momento era só conversa com ela e colocar os pingos nos Is... Porém, fiquei muito feliz por tê-la encontrado e a sentido em meus braços no estacionamento...

— Darei mais essa semana pra ela se endireita e a convidarei pra sair e recomeçaremos novamente....

Finalizei de corrigir algumas provas e as guardei novamente na minha pasta. Me deitei e logo cair no sono...

[...] Quebra de tempo. 14:16 da tarde.

*Rin.

— Nhe, Nhe, Nhe... - Eu remungo olhando na direção do Sesshoumaru com minha " colegas" de classe que. "rinchavam" com alguma piadas ridícula que elas falavam para ele. — Hum... Isso já está me irritando. - bufei mais uma vez apoiando meu queixo sobre minha mão enquanto minha perna esquerda balançava inquieta e nervosamente para aquilo tudo acaba logo.

— Oferecidas ... - falei comigo mesma ouvindo alguém se aproxima ao sentar do meu lado.

— Olá Rin... aconteceu alguma coisa. - olhei na direção daquela voz e sorrir gentilmente pra ele.

Ele se chama Shippo, era um fofo de lindo, cabelos ruivos natural olhinhos esverdeado e a pele "rosada" por conta de suas características, mas isso o fazia encantado, ele era o rapaz ideal pra namorar.

— Olá Shippo, tudo bem. - disse sorrindo ele se aproxima de mim me dando um beijo na bochecha.

— Estou ótimo, mas você não me parece bem...

— Não é nada eu só entou tendo um péssimo dia. - falei voltando meu olhar na direção de Sesshoumaru que agora nós encarava friamente. "O que ele tem?".

— Você quer ajudar em alguma coisa? - pergunta Shippo e de repente os olhos de Sesshoumaru começa a faísca.

— Er... por enquanto não Shippo, deixa isso pra um outro dia...

— Você quem sabe, mas quero que saiba que se precisar de mim, estou a sua disposição.

— Valeu Shippo. - disse sem desviar meu olhar do Sesshoumaru, que estreitou pra mim e em resposta eu fiz o mesmo o desafiando. — "Vamos ver quem aquenta mais, Sesshoumaru".

Afinal de contas sera um semestre bem puxado pra todos nós...

Continua...


Notas Finais


E é isso, não darei um dia estipulado de postagem, mas assim que der estarei postando ...
Beijos até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...