História A Ancora! (Derek Hale) - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Tags Anne Della Costa, Derek Hale, Stiles Stilinsky, Tyler Hoechlin, Tyler Posey
Visualizações 283
Palavras 2.232
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


enjoy it :)

Capítulo 25 - Love Sex Magic


-Oi. - Sua voz saiu em um fio de voz, como uma garotinha envergonhada.  

Então, é assim que uma presa se sente, ela pensou, ainda parada no mesmo lugar; era como se tivesse caído em uma armadilha, seu coração dançando no peito ressoando em seus ouvidos. Derek continuou parado depois de descer do palco, a alguns metros de distância da garota sem dizer nada, um sorriso mínimo quase imperceptível, cheio de segundas intenções por debaixo, a única outra reação, a não ser os olhos brilhantes, que ele tinha. 

-Eu passo alguns dias fora e vocês decidem fazer uma festa. - Sua voz calma e neutra lhe despertou um arrepio que faziam os cabelos de sua nuca levantarem. Não era uma pergunta, ou, uma acusação, só um simples fato sendo posto à tona, e Anne engoliu em seco, porque sabia que isso tinha algumas implicações. 

Ela se sentia estranhamente ciente sobre seu corpo e como ele reagia a toda essa situação, o jeito que Derek respirava, ou como os músculos em seu pescoço contraiam com seus movimentos, e seus lábios carnudos e vermelhos, como cada vez sua língua caminhava por eles parecia um convite a ela.  

-Eu sabia que isso ia dar ruim. - A garota murmurou, uma carranca de desgosto ocupando seu rosto, depois de despertar do leve transe que ele parecia ter sobre ela. Derek sorriu junto de uma risada curta, surpreendendo Anne, que sorriu involuntariamente.  

Derek balançou a cabeça se abaixando e pegando uma garrafa meio cheia e a colocando em um canto logo em seguida indo na direção de Anne, que havia andado para as enormes janelas, ela se sentia...estranha, por falta de uma nomeação melhor; 

 -Eu estou sentindo que você não sabia dessa festa.  

Derek estava parado ao lado da garota, e ela sentia uma eletricidade no ar e ao redor dela, que se acomodava em sua nuca e fazia um caminho pelo seu corpo, as borboletas em seu estômago também se manifestavam, seu perfume inebriante a deixava meio tonta. Isso não era normal, ela pensava. 

-Não, na verdade eu sabia, mas havia esquecido... tinha outras preocupações em mente. - Ela disse com flashes dos sonhos que se repetiam toda noite passando pelos olhos, suas reações mínimas foram o bastante para que Derek com sua percepção franzir o cenho. - E eu não fazia ideia de que iria ser aqui, acho que eles acharam que eu de alguma fora aliviaria para o lado deles, o que eu certamente não vou, de forma alguma, não, não. 

Derek sorrindo de lado, a assistia se perder em seu próprio monólogo, ela parecia meio tensa, como se nunca houvessem conversando antes, como se aquela simples interação fosse muito estranha. Ele temia que se colocasse a mão em seu braço, ela se afastasse. Ainda a ouvindo, resolveu prestar atenção nos sinais imperceptíveis a pessoas normais, seu coração batia levemente mais acelerado, ela estava nervosa e ansiosa, e algo a mais, algo que o deixava desnorteado, ele só precisava se concentrar mais um pouco. 

-Derek? Você tá me ouvindo? 

Anne estava virada para ele, o olhando de cenho franzido. Derek balançou a cabeça.  

-Desculpa, o que?  

-Eu estava perguntando, o que vai fazer com eles? - Anne repetiu, e Derek reparou que ela estava sem os sapatos, descalça, e com um copo em mãos, com uma bebida que exalava um forte cheiro de álcool.  

-Não se preocupe, eles terão uma punição. - Derek sorriu enigmático, sua respiração veio engasgada e novamente seu sonho interrompia sua linha de raciocínio. 

Ela imaginava como seria, Derek a imprensando com seu corpo na parede enquanto seu lábios quentes e molhados deixavam marcas em seu pescoço, arrancando sons do fundo de sua garganta. 

-Porque está tão...tensa? - Anne parecia um veado parado no meio da estrada pronto para ser atropelado, olhos esbugalhados e feição de surpresa. Tão perdida naquela névoa que parecia permanecer no ambiente e seu cerebro que havia esquecido totalmente do fato dele sentir seus sinais químicos. 

- Você sabe que pode me falar qualquer coisa. - Ele acrescentou.  

Anne suspirou. 

-Eu preciso de algo mais forte pra isso. -A garota murmurou levantando o copo em um gesto e indo até o bar feito onde algumas garrafas ainda lacradas se encontravam, junto de copos e alguns salgadinhos. Ela pegou a garrafa que julgou ser mais forte, abriu e virou em seu copo e em seguido bebeu tudo em um gole, fazendo uma careta enquanto o liquido descia queimando sua garganta e se sentou em um dos degraus da escada. 

-Eu poderia ser preso por permitir um menor de idade de beber. - Derek pegou a garrafa de sua mão e do gargalo tomou um gole, ela assistia o gesto, fascinada, ele limpou a boca com as costas da mão colocando a garrafa de volta mesa. 

-Mas você consegue guardar segredo. - Anne respondeu sedutoramente, dando de ombros.  

Derek arqueou as sobrancelhas surpreso com o tom de voz e a súbita mudança de comportamento, ele sabia exatamente o que estava acontecendo, ele sentia em sua pele, e profundamente dentro de seus ossos. Tinha algo em particular que intensificava tudo, era súbito e inebriante, como um delicioso perfume. 

-Então, sobre estar agindo...estranha. - Ela começou calmamente, olhando para Derek por entre os cílios, lhe dando uma aparência de inocência e Derek teve que se segurar para não a levar para o quarto naquele instante. - Nos dias em que você estava fora eu tive um sonho. 

Ela não conseguia continuar o olhando, o jeito que ele a olhava a deixava quente, seu corpo inteiro inquieto, então se levantou e ficou "brincando" de descer e subir a escada. 

-Como era esse sonho? - Derek perguntou com a voz suave e profunda incitando seus desejos mais profundos, ele se mexia como um gato, sorrateiramente para perto da garota que havia parado no último degrau da escada, perto do cômodo que ele havia transformado em quarto depois de Stiles e a própria Anne reclamarem como era desconcertante ter uma única cama king size, um sofá e uma mesa, sem cadeiras, que os dois haviam frisando bem, no meio do lugar. 

Anne engoliu em seco, quando reparou quão próximo estavam, frente a frente, ela tinha a plena visão do peito musculoso de Derek, que subia e descia com sua respiração mais serena que a da garota.  

-Eu acordava no meio da noite e descia para beber água e quando eu voltava você estava no meu quarto. - Derek assistiu os olhos da garota escurecerem, era como se ela estivesse no sonho novamente.  

-O que mais? -Derek possuía uma aura dominante ao seu redor, sua voz atingia um timbre tão baixo fazendo deliciosos arrepios percorrerem sua espinha.  

-Você me dizia para voltar a dormir, mas eu não conseguia. - Ela não sabia como falava tão claramente, já que sua mente permanecia enevoada com uma densa nuvem de luxúria. Ele arqueou uma sobrancelha, dando um passo para frente, fazendo Anne recuar por puro instinto e quase cair, mas Derek com seus rápidos reflexos a segurou antes que ela pudesse se desequilibrar a ponto de cair.  

As mãos dele eram quentes em sua cintura descoberta, a respiração da garota pareceu se prender no seu caminho, ela sentia que pegava fogo, nunca teve tanta certeza em querer algo como naquele momento. Derek tinha os olhos verdes escuros como uma floresta densa, mas ela conseguia ver claro seu divertimento na situação. 

-Você disse que ia me ajudar a relaxar. - Anne sussurrou entretida demais nos lábios a poucos centímetros de sua boca, e o perfume inebriante que Derek exalava. Suas pernas eram gelatinas. Derek sorriu de canto e Anne não conseguia evitar toda a tensão que seu corpo criava em cima de um simples sorriso, por meros segundos pensou estar tendo um orgasmo ou perto de um. 

-Eu com certeza vou.  

Era difícil para ela registrar tudo que acontecia, estava sobrecarregada, Derek havia a pegado no colo, ela tinha as pernas cruzadas na cintura dele, enquanto Derek deixava diversas marcas e mordidas no pescoço e colo de Anne, que se remexia em prazer, presa entre o corpo musculoso de Derek, e a parede, com sons baixos que vinham do fundo de sua garganta. 

Tempo e espaço, naquele momento não pareciam existir, ela só sabia que havia chegado há cama de alguma maneira, suas roupas jogadas em algum lugar do quarto, somente em seu top e sua calcinha preta, que estava encharcada. Derek beijava todo seu corpo, seu pescoço se encontrava cheio de mordidas que tinha um caminho passando pelo vale entre seus seios seguindo sul, até sua calcinha. 

Derek tomava seu tempo a deixando uma completa bagunça de sons de puro prazer, a torturando com beijos molhados e mordidas que a deixavam arfando. Enquanto Anne estava já somente em suas roupas intimas, ele continuava muito vestido para o gosto dela. 

-Tire sua camisa, agora! - Pediu rouca, ela não tinha ideia de como conseguia pensar ou falar, era como estivesse drogada, seu corpo e mente agindo por si só em um único propósito de sentir o máximo de prazer; impaciente demais, ela mesma puxava a camisa para cima. 

Ela já tinha o visto incontáveis vezes sem camisa, mas toda vez parecia a primeira, ela tinha a melhor visão. Derek ajoelhado a sua frente com a luz da lua o iluminando, suas mãos instintivamente seguiram para seu peito seu toque causando uma serio de arrepios que faziam todo seu corpo tremer, as mãos dela eram quentes e macias e percorriam lentamente seu torso até chegar a margem de seu jeans, e ela sentiu os músculos ali se contrariem e um som vindo do fundo da garganta de Derek, que rerbeveava como um rugido pelo seu corpo.  

-Não, não, você não merece isso agora. - Derek disse com um tom de voz provocador e sedutor, Anne resmungou, com sua mão sendo segurada firmemente pela de Derek, ainda no mesmo lugar.  

Ele a fez abrir a mão, e a guiou muito lentamente até seu membro, logo em seguida Derek a empurrou voltando a sua tortura e tudo que ela conseguia pensar era como queria que o final de seu sonho acontecesse, o final que ela nunca conseguia ter. 

-Derek. - Anne pediu urgentemente, enroscando as mãos nos cabelos dele e o empurrando, ela sentiu seu sorriso em sua pele e então um som de algo rasgando. 

Ela se apoiou em seus cotovelos em uma posição quase sentada, Derek quase no fim da cama aos seus pés, na mão com o que costumava ser sua calcinha. Anne tinha em sua mente que deveria estar brava, mas a cara que Derek tinha, tão perto do que ela queria, a impediam de demostrar qualquer outra coisa que não fosse puro prazer. 

E antes que ela pudesse abrir a boca para reclamar para ele parar de enrolação, Derek jogou o tecido de lado, enroscou seus braços nas coxas da garota a puxando para baixo e beijando rapidamente o clitóris, Anne suspirou, se apoiando nos cotovelos para olhar Derek, ela sentia o prazer e estupor percorrendo suas veias, a deixando quente. 

Pouco menos de dez minutos, ele tinha a Anne se contorcendo, puxando seu cabelo e os lençois; Ele a trazia até a beira de seu orgasmo e sorria assistindo suas feições, seu peito subindo e descendo com a respiração acelerada. Seu membro se manifestava a cada gemido que ela soltava, chegava a ser dolorido que ele não estava recebendo nenhuma atenção. 

-Pelo amor de Deus! Derek!  

Ele soltou uma risada sombria e sexy, a nevoa que cobria o cérebro da garota parecia ter escapado para o ambiente, envolvendo seu corpo, ela se sentia na melhor das drogas. Derek já havia tirado a última peça de roupa, ele parecia um Deus grego. Anne estava no Paraíso.  

Derek também se sentia no paraíso, Anne estendia em sua cama debaixo da lua, como uma Deusa pronta para ser tomada, ela era perfeita, por um segundo ela hesitou, nunca havia feito sexo, aquela era sua primeira vez e o tamanho de Derek a assustava, ele a beijou lentamente, ela se sentia amada e estranhamente confortável, com um simples ato daquele.  

Anne assentiu olhando nos olhos de Derek, ele a beijou na testa e se posicionou e entrou lentamente, soltando grunhidos com o fundo da garganta, Anne era quente e apertada, 

-A única coisa que você vai gritar, vai ser meu nome.  

Derek falou no pé de seu ouvido, enquanto dava Anne sentiu que podia desmaiar de tanto prazer, Derek a preenchia da melhor maneira possível, era estranho e inovador, a cada estocada era um tipo diferente de prazer, os dois moviam em sincronia, Anne a cada segundo mais perto seu clímax, entoando o nome de Derek como uma sagrada oração. 

Anne puxou Derek para perto, passando suas unhas as costas do mesmo arrancando um gemido de Derek, ela sentia seu corpo a ponto de explodir, o que em segundos aconteceu e ela gritava um gemido vendo branco por segundos quando seus olhos rolaram. Derek se jogou para o lado de Anne, os dois ofegantes e cansados, mas com sorrisos satisfeitos nos rostos.  

A garota se virou de lado para o Derek, e sorriu sonhadora, sua feição parecendo a de uma drogada. Envolvendo seu corpo com o dele, colocou a cabeça em cima de seu peito, e pegando no sono, ela deixou o mesmo sem palavras. 

-Eu tem amo Derek. 


Notas Finais


eu seeei eu estou atrasada, mil desculpas, mas aqui está o pior capitulo da vida, eu realmente não tenho jeito pra escrever HOT, ficou péssimo na minha querida humilde opinião, MAS pelo menos consegui escrever alguma coisa!! espero que gostem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...