História A aniquilação dos mundos - Capítulo 8


Postado
Categorias Bleach
Personagens Byakuya Kuchiki, Ichigo Kurosaki, Isshin Kurosaki, Orihime Inoue, Personagens Originais, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Urahara Kisuke, Uryuu Ishida
Tags Ação, Anime/mangá, Bleach, Drama, Hentai, Ichiruki, Romance
Visualizações 123
Palavras 2.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá Pessoas como estão???
Hoje quem está postando não é a Mara, esim o Rodrigo hahaha
Sentiram minha falta????
Bom, acho que não né? rsrsrs

Espero que curtam o capítulo...
Abraços e Let's Go!

Capítulo 8 - Kurosaki Ichigo X Zaraki Kenpachi


Fanfic / Fanfiction A aniquilação dos mundos - Capítulo 8 - Kurosaki Ichigo X Zaraki Kenpachi

No capítulo anterior:

— Também não precisa ser tão grossa. — o ruivo volta sua atenção para Rukia, porém, é atingido em cheio no estômago pelo cabo da zanpakutou do capitão, ele não aguentava mais esperar o jovem ataca-lo.

Ichigo é lançado com violência sobre uma parede que é destruída, o deixando debaixo de escombros.

— Acho que você pegou pesado, taichou! — diz Rukia ao ver que a pilha de entulhos nem se movia.

— Ele mereceu, nunca devemos dar as costas ao inimigo...

O grandão mal terminou de falar e uma monstruosa reiatsu chamou sua atenção. Os destroços da parede foram arremessados para todos os lados e Ichigo surgiu com uma expressão assassina na face.

— Agora você me deixou zangado. – Fala apontando Zangetsu para Kenpachi e grita – BANKAI...

 

Continua...

Kurosaki Ichigo X Zaraki Kenpachi

 

– Bankai... Tensa Zangetsu!

Ao redor do ex-substituto de Shinigami se forma uma enorme massa de energia, circundando seu corpo em altíssima velocidade. Todos na sala sentem uma pressão espiritual sufocante, era como se o ar faltasse ante à presença de Ichigo.

 

— Hahahaha, era isso que eu esperava... Vamos colocar esse seu corpinho amolecido em forma, Ichigo! — gargalha Zaraki em um tom tresloucado.

 

— Posso estar enferrujado, mas não me subestime, minha força ainda é a mesma desde a guerra contra Yhwach e seus capangas Quincys.... E vai perceber isso agoraaa... — Em alta velocidade Ichigo balança sua Zanpakutou em forma de meia lua criando uma rajada de ar que corta o chão da Arena como se fosse papel...

Zaraki apenas sorri e se esquiva, iniciando uma luta de espada digna dos grandes samurais. Ambos são muito bons, mas é notório a diferença entre suas habilidades, Zaraki pressiona e castiga o ex-shinigami substituto, o brilho no seu olhar era macabro e de uma certa forma isso faz com que Ichigo trema nas bases e perca o controle de sua espada, indo ao chão no processo.

 

Desafiar um Capitão como Zaraki Kenpachi, não era algo inteligente a se fazer, e mesmo com sua Bankai o ruivo estava tendo problemas para frear a agressividade do líder da 11ª divisão, coisa essa que não era de se estranhar, pois o grandão tinha fama de ser uns dos mais violentos em toda Sereitei.

— Ichigo, você é poderoso, mas ficou parado tempo demais, deveria ter treinado, ao menos assim teria alguma chance nessa batalha — alfineta Zaraki, que se deliciava com aquele confronto. Desde a luta contra os Quincys há três anos, que ele não encontrava um oponente a altura.

— Ora, seu... Acha mesmo que vai ficar contando vantagem aí? Vou arrancar esse sorriso nem que seja a força — responde o ruivo irritado já perdendo totalmente sua compostura.

— Anseio por isso, nem imagina como. Quanto mais desafiador o oponente, mais sede de vencer eu tenho. — desafia o Kenpachi.

 

— Vou fazê-lo engolir suas palavras... Getsuga Tenshou! — Dispara o ruivo com raiva...

— Acha que eu sou o mesmo, Ichigo? Faça melhor, sei que pode.  Só isso não vai bastar para me parar. — retruca o capitão.

Usando o shunpo, Zaraki esquiva do ataque do Ichigo e acerta o shinigami no ombro cortando-o.

Ichigo vai ao chão assustado... – Mesmo com minha Bankai, não estou conseguindo fazer frente a esse cretino — Pensou. De repente ele sente que a coisa vai ficar pior ao escutar Zaraki gritar...

— ENGULA Nozarashi!

O ex-substituto de Shinigami se esqueceu que o capitão da 11ª divisão estreitou os laços com sua Zanpakutou durante a guerra contra os Quincys. Aquele treinamento, nada amistoso, estava fugindo do controle.

A espada de Kenpachi se transforma num cutelo gigante, com o cabo coberto por faixas e com uma saliência no lado afiado, na parte superior não afiada há enfeites em forma de tiras amarelas, dando uma aparência ainda mais sanguinária e sociopata ao capitão, fazendo assim o ruivo engolir a seco.

— Ele vai me matar! – conclui o substituo desesperado

Zaraki usando o shunpo ataca o jovem violentamente, e a cada golpe de espada, Ichigo sente todo o seu corpo tremer, a expressão do Kenpachi era demoníaca e o ex-substituto de Shinigami sabia que ao menor vacilo poderia perder a vida.

Em um ataque mais forte Zaraki consegue fazer um corte na mão em que o jovem Kurosaki segura à espada fazendo-o largar Zangetsu. Ichigo se desespera com a iminente morte, porem uma luz brilha no final do túnel quando escuta...

— DANCE Sode no Shirayuki, Tsugi no mai, Hakuren!  — Dispara a Capitã do 13º esquadrão interrompendo a luta. — Perdão Capitão Zaraki, mas acho que já chega por hoje... — fala de forma temerosa, contudo, não poderia deixa-lo matar Ichigo. Com uma possível guerra às portas da Soul Society, isso com toda certeza não seria algo prudente.

O Ruivo respira aliviado, foi salvo pela amiga por muito pouco.

— Da próxima vez não pegarei tão leve com você, Ichigo! – exclama o Capitão visivelmente descontente.

— Pegar leve? Você quase me matou, seu psicopata maluco. Sabia que isso era apenas um treino né? — esbraveja o jovem indignado.

— Deixa de ser molenga, Ichigo, o Capitão Zaraki nem usou sua Bankai. Você precisa de mais treino.  — diz a capitã e logo em seguida acerta o rosto do ruivo com o cotovelo.

— Sua idiota! Por que fez isso? — pergunta o jovem revoltado por ter sido agredido gratuitamente pela morena. Será que ela não achou que já estava machucado o suficiente?

Rukia o ignora.

— Ora, ora, parece que nós destruímos boa parte da arena hein, Ichigo... — fala Zaraki prestando atenção no lugar; no entanto, foi uma luta divertida, volte mais vezes, hahahaha...

— Não volto aqui tão cedo – Murmura. Ichigo pega no braço de Rukia e sai arrastando a morena apressadamente antes que o capitão resolva falar alguma coisa ou iniciar outra luta, o que não seria nada bom para a sua saúde.

— EI ICHIGOOO... VOCÊ VAI VOLTAR NÉ? – grita Kenpachi, contudo só sobrou rastros de poeiras pelo caminho indicando que o jovem passou por ali.

-

-

-

 

 

— Tem certeza que não quer mesmo ir para a 4° divisão? Kido de cura não é minha especialidade. – Rukia tentava amenizar os estragos que Kenpachi fez em Ichigo. Eles estavam na sala dela que ficava em seu esquadrão.

— Já disse que não precisa, e nem estou tão machucado assim. — resmunga. Desde que perdeu a luta contra Zaraki que a morena estava curtindo com sua cara. 

— Tá sim. O capitão quase te quebrou em pedacinhos e se não fosse por mim estaria morto. É melhor torcer para que Azashiro nunca seja liberto, senão você não vai durar muito em batalha. — dar uma gostosa gargalhada.

— Por que tenho a sensação de que está se divertindo com isso? — sua cara aparentava todo seu descontentamento.

— É divertido sim, mas... — Agora em seu tom de voz havia uma serenidade. Ela para o que estava fazendo, arrasta uma cadeira e senta de frente para o jovem. — ... Me preocupa seu atual estado, Ichigo. Ficou muito tempo sem empunhar sua Zanpakutou, é como se todo seu poder estivesse adormecido. Precisa treinar com mais empenho para se recuperar logo, se entrarmos mesmo em uma guerra vamos precisar de sua ajuda.

Ichigo abaixa a cabeça frustrado. Como pude ter se acomodado com a falsa calmaria? Deveria imaginar que a paz em ambos os mundos não seria uma realidade duradoura.

— Achei que nunca mais voltaria a ver alguém da Soul Society. Depois daquele dia em que fui praticamente escorraçado daqui, decidi que não me tornaria mais um shinigami, esse mundo não fazia mais sentido para mim. Resolvi seguir com minha vida e viver da forma mais simples possível. — só com Rukia o jovem conseguia ser sincero. Não entendia por que, era como se a nobre exercesse um poder sobre si. O filho de Isshin se sentia totalmente vulnerável ao lado dela.

— Eu imagino como deve ter sido difícil para você. Já fez tanto pelos dois mundos que merecia mais respeito, contudo... — Em um ato inconsciente ela coloca a mão sobre a do rapaz que estava repousada em sua coxa. Ichigo levanta a cabeça e a fita surpreso com aquele gesto. —... Estamos as portas de uma grande batalha que vai mudar o rumo do futuro, tenta se concentrar em ficar mais forte e esquecer o que aconteceu no passado, se sairmos vitoriosos, você vai ter tempo para extravasar todas essas frustrações. Por hora, mais uma vez precisamos de você, Ichigo.

O ruivo olha dentro daquelas bolas violetas que o encarava. Como gostaria de gritar, dizer uns desaforos para aquela baixinha folgada, afinal de contas, há segundos atrás ela zoava com sua cara, entretanto, não conseguia, pois a nobre estava cheia de razão, como sempre.

Sem que percebesse Ichigo segura na mão de Rukia, a aperta bem forte entre a sua e só percebe o que fez quando nota a coloração vermelhada no rosto da morena e seus olhos que ficaram arregalados, ela não esperava tal atitude inoportuna.

Mas quem foi que disse que ele a soltou? Não mesmo!  A sensação de ter sua pele tocando na maciez da dela era maior que qualquer constrangimento. Não sabia explicar porque fazia tal idiotice, na certa sairia dali ainda mais machucado que chegou, pois Rukia lhe daria umas boas voadoras. Contudo, ela não fazia menção de que se soltaria da mão dele e isso lhe motivou a continuar o contato.

Apesar da calmaria, Ichigo esperava uma agressão vinda de Rukia a qualquer momento, conhecia bem sua amiga e a personalidade explosiva dela. No entanto, nada aconteceu, pelo contrário, ela o olhava com ainda mais intensidade, meio assustada, sem entender bem o que estava acontecendo ali, só que não puxava o braço e isso encheu o coração do rapaz de alegria.

— E-Eu... posso soltar se tiver te incomodando. — diz o ruivo todo sem jeito. Na verdade ele nem sabia o que falar naquele momento, apenas disse a primeira coisa que veio em sua mente para quebrar o silencio perturbador que se instalou entre eles.

— Não... — Suas palavras saíram quase em um desespero. Também foi impulsiva. Aquele contato físico com o amigo, por menor que fosse, trazia sentimentos nunca experimentados pela bela capitã. — Quero dizer... o que está fazendo? — tentava ao máximo se manter sã, porém, naquela altura isso era uma missão quase impossível.

O ruivo vira o rosto para o lado envergonhado, todavia, não solta a mão dela. — Não sei... — foi tudo que conseguiu. Havia muito que dizer, mas as palavras pareciam não sair de sua boca, a sensação que o jovem tinha era de que desaprendeu a falar.

— Acho melhor irmos para casa, logo vai anoitecer. — Rukia tenta puxar seu braço, Ichigo segura ainda mais forte a mão dela.

— Só mais um pouco... — ainda mantinha seu rosto virado para o lado.    Não tinha coragem de encara-la, todavia, também não queria interromper o contato.

Rukia deu um longo suspiro. O que estava acontecendo entre os dois? Aquilo não tinha como dar certo, mas por outro lado decidiu se permitir aquele gesto que ela não sabia dizer se era amigável ou havia algo a mais. O que realmente importava naquele instante era aproveitar o momento quase que íntimo com o ruivo, não sabia se um dia teria mais que aquilo, ao julgar pelo rumo que suas vidas tomariam após a “guerra”. 

Agora os olhos de Ichigo estavam na mão que segurava como se fosse algo tão preciso. Seu polegar fazia um tímido carinho na pele superior do membro de Rukia e com os demais dedos sentia toda extensão de sua palma. Aquilo era incrivelmente bom.

A nobre temia que o ruivo pudesse escutar o compasso acelerado de seu coração. O que ele pensaria? Que a bela estava apaixonada por ele. Apaixonada? Aquela palavra acendeu uma lâmpada na mente da nobre. O que estava rolando ali era um lance de casal? Estariam Ichigo e Rukia apaixonados um pelo outro?

Ela voltou sua atenção para o jovem, que ao notar a atenção sobre si passou a olhar tudo ao seu lado, menos para ela. O pouco que conseguia ver de sua expressão, mostrava o quanto ele estava nervoso. Então por que não soltava sua mão? Com certeza estava gostando do contato tanto quanto ela.

Em um determinado momento Ichigo olhou na direção da morena e se deparou com ela o analisando. Sua razão lhe dizia para olhar qualquer outro lugar, menos naqueles olhos violetas hipnotizadores. Mas, quem disse que conseguia? Aquela bela mulher a sua frente mexia consigo de uma forma tão avassaladora que o jovem ruivo não conseguia resistir a ela. Decidiu entregar-se ao momento.

O casal ficou ali por alguns minutos alternando, Ichigo acariciava as duas mãos de Rukia que agora estavam sobre as suas e outrora era ela quem afagava as ele. Nenhuma palavra era dita, apenas os olhares cumplices que entregava tudo que ambos sentiam com o contato físico.

O tempo parecia ter parado, o único som ouvido naquela sala era as respirações ofegantes do casal. Tudo estava perfeito até que...

A porta se abriu bruscamente...

— Desculpe, taichou, pensei que estivesse sozinha. Não queria atrapalhar. – eles foram interrompidos por um subordinado de Rukia que invadiu sua sala sem nem ao menos bater na porta e entrou pegando os dois de mãos dadas. Ambos se soltaram bruscamente ficando de pé. Não tinham onde enfiar a cara. O shinigami ficou tão constrangido quanto o casal.

— Não atrapalhou nada, o que pensou que estávamos fazendo? E POR QUE NÃO BATEU NA MALDITA PORTA? — ela berra a plenos pulmões com ele que se assusta. A última coisa que queria era despertar a fúria de sua capitã.

— Como não a vi chegar, pensei que a sala estava vazia. E tem razão, taichou, eu me expressei mal. — tentou amenizar as besteiras que fez e falou.

O ruivo inventou a primeira desculpa que veio em sua cabeça para fugir daquela situação embaraçosa.

— Preciso ir, lembrei que tenho umas coisas importantes para fazer. — dito isso ele sai sem esperar que ela falasse algo deixando a morena “descascando o abacaxi” sozinha.

— Cretino! — Rukia resmunga ao ver seu amigo desaparecer feito poeira levada pelo vento.

— Seu namorado saiu de fininho, taichou. Acho que ele ficou envergonhado pelo flagra que dei em vocês. — o jovem shinigami sorri divertido, ele notou que Ichigo estava fugindo deixando a nobre sozinha para dar explicações.

Rukia o olhou com uma expressão assassina na face e gritou. — DANCE Sode no Shirayuki, Tsugi no mai, Hakuren!

Apesar de já estar distante da 13ª divisão, Ichigo conseguiu ouvir um estrondo vindo da sala de Rukia e o pobre shinigami gritar. Alegrou-se por não estar mais presente na sala senão com certeza sobraria para ele.

Continua...


Notas Finais


Espero que o capítulo tenha agradado...
Aguardo vocês nos comentários...

Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...