História A Aposta - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, LaLi Esposito
Tags Comedia, Justin, Justin Bieber, Lali, Mariana Esposito, Romance
Visualizações 31
Palavras 800
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Treze: O quartel general de Lali



 Estamos no quartel general de Lali, ou melhor, em seu quarto. Você pode até pensar que com a personalidade forte da garota, o quarto não seja um lugar feminino e aconchegante. Engano seu. Esse é o reduto de uma garota de dezoito anos que, apesar de ter se convencido de que finais felizes não existem, lá no fundo do seu ser acredita sim em príncipes encantados. Só não contem que eu a dedurei, ok? Ou o meu rostinho sofrerá as consequências.

O quarto não é rosa ou lilás. É azul, com lambris brancos até a metade da parede. Vários pôsteres de Romero Britto estão finamente emoldurados, dispostos de maneira linear na imensa parede que leva ao banheiro. O guarda-roupas possui portas de correr brancas, vazadas em acrílico transparente. As roupas penduradas nos cabides dão um colorido todo especial ao ambiente. Do teto, pende um imenso lustre de ferro, daqueles rústicos com pintura em pátina. Pranchas de snowboarding fazem as vezes de prateleiras, pregadas uma sobre as outras, sustentando todos os livros já lidos por Lali. No lugar da cabeceira da cama, um nicho de acrílico foi confeccionado para exibir a imensa coleção de óculos de sol e relógios de pulso, duas paixões da garota. Sobre a cama box, uma colcha prateada está estendida, com várias almofadas em formato de instrumentos musicais para decorar. Numa outra parede, a guitarra e o violão estão pendurados em ganchos sobre a poltrona de fuxicos multicoloridos. Na bancada da janela, o notebook está aberto e a foto de Justin berra em cores. Lali, sentada em uma cadeira laranja de rodízios, analisa detalhadamente a tal foto. Euge e Cande estão jogadas sobre almofadas coloridas espalhadas pelo chão.

— Sério, qual foi o seu intuito ao lançar essa aposta? Ainda não me convenceu sobre o lance de humilhar o Justin. – Euge ajeita os óculos de aro vermelho sobre o pequeno nariz.

— Ah, qual é, Euge. Não seja estraga prazeres. A diversão só está começando. – Cande brinca com as franjas da almofada.

— O cara precisa de uma lição. É um babaca com o ego inflado. –  Lali recosta na cadeira, imaginando o rosto na tela como sendo um alvo. Ainda fantasiando, ela lança uma flecha invisível bem pontiaguda no meio da testa de Justin.

– Certo, Euge, releia o contrato. – pede Lali, com o olhar glacial fixo na tela do computador.

— Vamos lá. – Euge pega o papel e limpa a garganta, iniciando a leitura:

“Pelo presente contrato, fica acordado que Lali Espósito e Justin Bieber, ambos maiores de idade, aceitaram participar da Grande Aposta do Colégio Prisma.

Cláusula Primeira: Lali e Justin firmam o presente contrato, tendo como objeto a aposta Jogo de Sedução, em que Justin fará de tudo para conquistar Lali em um período de sete dias, tendo como cenário a Ilha Inamorata.

Cláusula Segunda: É expressamente proibido seduzir através de substâncias ilícitas ou mesmo sob efeito de álcool. Em qualquer um dos casos, a aposta será encerrada e Lali será a vencedora.

Cláusula Terceira: A aposta estará valendo a partir do momento em que Lali e Justin pisarem as areias da Ilha Inamorata e seu término acontecerá quando a ilha for deixada para trás.

Cláusula Quarta: Caso Justin vença a aposta, receberá o valor de R$ 6.000,00 de Lali Espósito. O cheque preenchido já está com o banqueiro Liam e será entregue ao vencedor apenas quando retornarem de viagem.

Cláusula Quinta: Caso Lali seja a vencedora, a humilhação pública de Justin será o seu pagamento.

Sem mais, as assinaturas reconhecidas em cartório tornam o contrato válido.”

— Juro por Deus, ainda não acredito que isso está acontecendo. – Euge finaliza a leitura, tirando os óculos.

— Isso vai ser tão divertido! – Cande bate palminhas afetadas.

– Entre no clima, sua chata! – ela bate no braço de Euge, que mantém a expressão fechada e preocupada.

— Vencerei essa aposta, Euge. Então, qual é o problema? – Lali coloca o computador para dormir e gira a cadeira para encarar as amigas.

— O Justin é um tipo irresistível, Lali. Acha mesmo que será fácil? Ele vai usar todas as armas de sedução que conhece, o que não são poucas. – Euge balança a cabeça, certa de que a amiga está em apuros.

— Acha mesmo que eu posso me apaixonar pelo Justin? Enlouqueceu? – Lali se altera.

— Acho sim. Esse é um jogo perigoso e você está brincando com fogo. – Euge dispara.

— Pare com isso, Cande. Eu aposto todas as minhas fichas na Lali. E, sinceramente, acho que essa será uma viagem hilária. – Cande solta uma sonora gargalhada.

— Depois não diga que não avisei, tá legal? – Euge se levanta, guardando o contrato dentro de uma pasta transparente.

— Não vai acontecer, Euge, eu juro. Depois do que passei com aquele cachorro do Bruno, estou imune. – Lali entrelaça as mãos atrás da cabeça.

— Será mesmo? – a dúvida de Euge reverbera no ar.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...