1. Spirit Fanfics >
  2. A Aposta >
  3. Sonho

História A Aposta - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Após uns dias sumida, enfim, a edição dos capítulos da outra fanfic foi um sucesso, trazendo consigo, a nossa programação normal de postagens aqui!! 🎉🎉🎉
Muito obrigado pela compreensão de todos! 🤍


🦋Boa leitura🦋

Capítulo 13 - Sonho


O som estável das conversas, atrapalhavam seu raciocínio sobre à frase que fora dita. Piscava lentamente, com a feição indecifrável, com os pensamentos em um turbilhão.

Akaashi: Acho que...não entendi. - Franziu o cenho levemente, falhando à voz por breves segundos. Sentiu seus batimentos se alterarem, indicando o nervosismo, acompanhado da momentânea indignação.

Emma: Ora! O tempo está péssimo, então como és amigo de Koutarou, poderá ficar aqui. - Voltou a explicar, sem desmanchar a feição serena.

Akaashi: Mas...e a senhora? - O nó formado em sua garganta, quase lhe impedia de prosseguir a fala. Implorava para que aquilo não passasse de um pensamento falho, e sua avó diria-lhe que iriam direto para casa.

Pudera sentir levar fisgadas em sua cabeça, indicando o início de uma dor de cabeça, consequente ao estresse que estava à passar, mesmo não expressando.

Emma: Keiji, querido! Não faça tantas perguntas. Sua avó sabe se virar, então apenas siga o que lhe peço. - Franziu levemente o cenho, respondendo calmamente. Mesmo que não apresentasse, Akaashi sabia da irritação que a avó sentia, por estar questiona-la tanto.

Sempre fora de poucas palavras, preferindo apenas pôr ouvir. E sua avó amava isso, já que não gostava de ser contrariada ou prolongar questionamentos. Devido às ocasiões propostas, buscava por obedecer seus pedidos.

Akaashi: Eu... - Olhou-a por segundos, sentindo o tenso olhar da mais velha recair em si. Soltando um longo suspiro, deu-se por vencido, desistindo de qualquer solução para não ficar ali. - Certo, vovó.

Emma: Oh! Você é um doce, querido! - Acariciou sua bochecha, sorrindo alegremente. - Meu motorista já está à espera. Nos vemos amanhã, Keiji.

Akaashi: Sim, amanhã... - Fechou os olhos momentaneamente, sentindo os lábios da mais velha encostarem em sua testa, deferindo um suave beijo, garantindo que não deixasse marca de seu batom.

Bokuto: Vamos para meu quarto, sim? - Chamou a atenção do moreno, segurando sua mão. Aquele ato tão simples, fizera as bochechas de Keiji ganharem uma tonalidade vermelha, que se destacavam perfeitamente em sua pele pálida.

Os atentos olhos da Akaashi mais velha, não deixavam nada passar despercebido; seu neto gostava daquele jovem garoto, que julgava pôr ser um pouco tolo, mas eras adorável. Achava interessante o fruto dos sentimentos do menor, e afirmava com toda certeza que, eles seriam um belo casal.

Emma: Divirtam-se! - Acenou para ambos, vendo o neto ser puxado dentre as pessoas, pelo Bokuto mais novo. Não pôde deixar de rir baixinho, olhando para o amigo de anos, patriarca do garoto, que sorria com à cena.

Takeyuki: Eles ficam bem juntos. Não acha?

Emma: Sem dúvidas. Mais uma ligação que uni nossas famílias e empresas. - Sorri amigavelmente, vendo-o assentir. Se despediu cordialmente do amigo e dono da festa, se pondo a sair do recinto. - Espero não ter tomado uma má ideia, Kairo...

Ignorou o aperto no peito, seguindo seu caminho pacientemente.

Os tensos olhos esmeraldas corriam por onde passavam, uma vez ou outra trombando com alguém, não dando tempo nem de se desculpar.

Akaashi: Pare de me puxar! - Retrucou, tentando se livrar das mãos do platinado, recebendo nenhum sucesso. - ...droga!

Bokuto: Estamos quase lá! - Sorriu alegremente, subindo uma longa escadaria, que dava acesso para o segundo andar.

Akaashi: E-Eu não acho que seja uma boa ideia... - Sentiu os passos diminuírem, ao entrar em um grande corredor, avistando várias portas do mesmo tom esbranquiçado.

Sem respondê-lo, Bokuto levou-o calmamente para uma das portas, não muito distante das escadas, abrindo-a totalmente para que pudesse entrar, enfim lhe soltando.

Bokuto: Venha! Não fique aí. - Suspirou profundamente, entrando por completo no amplo quarto, fechando a porta atrás de si. Rumou o olhar por todo recinto, observando aquele espaço desconhecido.

O quarto organizado, com temática de cores claras, não deixando de olhar às incontáveis medalhas, distribuídas entre douradas e pratas, expostas na estante embutida.

Bokuto: Legais, né? - Perguntou, percebendo que olhava atentamente para as medalhas. Corando levemente por ter sido pego em flagra, Akaashi abaixou o olhar timidamente, concordando minimamente. - Sente aí.

Puxou o nó da gravata, enfim sentindo-se mais livre. Odiava as festas que o patriarca dava, principalmente quando tinha que participar; roupas de classe, com certeza, não eram seu estilo. Jogou o corpo na imensa cama de casal, relaxando; rumou o olhar para o moreno, que em calmos passos, se aproximou da cama, sentando-se delicadamente na mesma.

Bokuto: Onde você aprendeu a fazer isso, Kaashii? - Questionou-o sem se levantar, desenhando uma feição surpresa em sua face. Podera ser tolice, mas achara gracioso a maneira que o mesmo havia sentado-se em sua cama, sem sequer desmanchar á postura de classe.

Akaashi: Desculpe? - Olhou-o confuso, não entendo o que estava à insinuar. 

Bokuto: Ora! Você se sentou tão...bonito? - Pôs a mão sobre o queixo, em dúvida se havia utilizado a palavra correta. Não conseguindo conter, Keiji contornou os lábios em uma curva, desenhando um pequeno sorriso.

Era algo tão simples e, de certa forma, tão bobo, que em sua visão, foi uma frase adorável. Riu baixinho, suspirando suavemente, sem desviar o olhar.

Akaashi: Bem...agradeço, eu acho. - Mesmo incerto, sorriu em agradecimento, sentindo seu corpo ser puxado para trás. Suas costas baterem confortavelmente no colchão, conseguindo perceber seus músculos se contraindo em satisfação, por enfim relaxarem.

Piscou lentamente, formulando uma resposta sensata sobre o que estava à acontecer. Um peso se encontrava em sua cintura, com um leve aperto em seu pulso, sentindo uma respiração quente contra seu pescoço. Em instantes, Bokuto havia lhe deitado na cama, ficando sentado em sua cintura, agarrando seus pulsos acima da cabeça, roçando os lábios contra seu pescoço, agora, arrepiado.

Akaashi: O-O que...!?

Bokuto: Seu cheiro é tão viciante. Seus lábios parecem me chamar, à cada vez que lhes olho...eu não consigo me conter. - Sussurando seduzente, deslizou a língua pela pouca pele exposta de seu pescoço, fazendo virar o rosto para o lado oposto.

Não tinha coragem de lhe responder. Estava extremamente constrangido e, necessariamente, clamando por aquilo. Cada toque, mesmo que fosse mínimo, deixava-o estregue.

Akaashi: H-Hum...já falamos sobre ahn...isso! - Corou violentamente, mordendo o lábio inferior em tentativa de impedir que mais gemidos viessem à tona. Sentia um largo sorriso se formar nos lábios do platinado, que logo se pôs a distribuir fortes chupões em seu pescoço.

O alto barulho da chuva, abafava quaisquer sons de gemidos, para a infelicidade de Bokuto. Desejava se aprofundar naquela música, denominada como as respostas de Akaashi, diante seus toques. Mudando de posição, Koutarou deixou que o moreno tomasse á própria decisão de continuar, ou parar onde estavam. Mesmo que sua ereção estivesse lhe matando.

Era uma decisão crítica. Akaashi queria, mas por outro lado, não queria. Não agora. Não assim.

Conseguia sentir a ereção do platinado contra sua bunda, entregando a evidente excitação daqueles meros instantes. Às respirações ofegantes, se misturavam com o som da chuva do lado de forá; agarrando a gravata já solta de Bokuto, Keiji juntou seus lábios aos do mesmo, em um profundo ósculo.

Certamente, Akaashi já não era criança e, consequentemente, possuía suas próprias curiosidades.

Lentamente se separou do beijo, descendo calmamente até a calça de Bokuto, sentindo o olhar surpreso e malicioso do mesmo em si. Não sabia de onde havia conquistado aquela coragem, principalmente iniciativa; pelo infeliz excesso de intimidade com Tooru, fora obrigado à ouvir algumas de suas aventuras sexuais, mesmo contragosto, jamais achara que aquilo seria útil um dia.

Sem contradizer nada, Bokuto observava tudo em um silêncio ansioso, esbanjando a vontade que aquela atitude se realizasse rapidamente. Como se fosse câmera lenta, viu Keiji puxar delicadamente o zíper de sua calça, trazendo o abaixar de sua cueca em seguida. Às orbes verdes transbordavam luxúria, presos no próprio mundo, Akaashi agarrou precisamente a base tão desejada que, naquele momento, era seu destino de aproveito.

Escutava alguns suspiros tensos do mais velho, julgando por serem de irritação, por estar demorando tanto. Sabendo que já havia ido em um limite perigoso, e que já não existia volta, levou sem hesitação a base até os lábios, se pondo a lamber toda à extensão. Erguendo o olhar brevemente, apreciou o platinado morder os lábios, soltando longos suspiros de prazer.

Bokuto: A-Akaashi...h-huh! - Deixou-se livrar do gemido abafado, ao sentir uma cavidade quente e úmida, designada a boca de Keiji, contornar seu pênis. - I-Isso...




[Off...]




O estrondoso trovejo despertara de seus sonhos, fazendo se sentar bruscamente na cama. Seu coração palpitava rapidamente, graças ao susto que havia levado; balançando a cabeça levemente, coçou as dormentes pálpebras, correndo o olhar ao seu redor que, mesmo com dificuldade, identificou ser seu quarto.

Rumou a cabeça para o lado oposto da cama, encontro a forma de uma pessoa dormindo tranquilamente ao seu lado. Inicialmente, julgou por ser mais uma de suas ficantes, mas recordou-se do que estava realmente á acontecer. Buscou pelo celular abaixo do travesseiro, ligando-o imediatamente, encarando à tela de bloqueio.

Bokuto: 04:45 da madrugada. - Em um sussuro, leu o horário indicado, suspirando pesadamente. Iluminou a cama cuidadosamente, comprovando a sua teoria. Não era nenhuma amante, e sim, Akaashi.

Parou por instantes para pensar, lembrando-se do sonho que tivera, sentindo seu pênis voltar a latejar dolorosamente. Sequer lembrava-se de como haviam ido dormir, mas o real fato, era: Realmente havia sonhado com Akaashi, fazendo coisas tão audaciosas?

Esfregou os cabelos frustrado, afastando as cobertas de suas pernas, encostando os pés no tapete felpudo. Impulsionou o corpo para frente, levantando-se ligeiramente, indo até a porta do quarto em passos silenciosos, para que não houvesse risco de acordar o garoto adormecido.

Bokuto: Não acredito que fiz isso...só posso estar louco! - Murmurou para si mesmo, saindo do quarto, fechando á porta devidamente. Já não ouvia música, muito menos barulho de conversas alheias, indicando que a festa não se realizava mais.

Caminhou marchando até a sacada do corredor, desbloqueando a tela do celular, buscando pelo contato do melhor amigo, seguidamente iniciando uma chamada de voz, que após alguns minutos de espera, fora atendida.

 — Você sabe que hora é?

Bokuto: Kuroo, isso é o de menos. Estou com problemas! - Exaltou perpelxo, parando na frente da porta de vidro, encarando a chuva cair fortemente. - Sérios problemas...

 — Tem que ser bem sérios mesmo, para ter me acordado.

Bokuto: Eu sonhei que o Akaashi estava pagando uma boquete pra mim, e agora eu estou duro. Para piorar, ele tá dormindo na minha cama! - Desabou às informações, mordiscando à curta unha, escutando um silêncio do outro lado da linha. - Kuroo, Broo?

 — VOCÊ FEZ O QUÊ!?

Afastou o celular da orelha, murmurando xingamentos para o moreno, franzindo o cenho.

Bokuto: Estou de pau duro por causa do Akaashi. Nem sei como isso foi acontecer!

 — Se fode aí. Problema não é meu, vou é dormir, amanhã eu tiro com a sua cara. 'Tamo junto, Broo!

A chamada fora encerrada, não dando tempo de argumentar qualquer coisa que fosse. Suspirando longamente, encostou a testa no vidro, fechando fortemente os olhos, repensando no que deveria fazer.

Bokuto: Não era para isso acontecer...





Notas Finais


Autora-chan pegadinhas 🤡👌




________No próximo capítulo________

-- Você era fofo...

-- Aqui não, caralho! Está doido?

-- Ele...recusou à minha chamada?

-- Você gosta dele? Quer dizer...e eu?

-- Cuidado, mano. Você tá mechendo com fogo.




.............🌟.............
°Espero que tenham gostado <3
°Me perdoem por qualquer erro!
°Bjs da Autora-chan 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...