História A Aposta - Capítulo 45


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Bella Swan, Edward Cullen
Tags Comedia, Drama, Romance
Visualizações 66
Palavras 2.006
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então...
Me perdoem a demora...
Por causa da demora -que foi muito longa - ás 23:30 postarei um novo capítulo.
Boa Leitura!

Capítulo 45 - 2 Temporada: Amigos?


Fanfic / Fanfiction A Aposta - Capítulo 45 - 2 Temporada: Amigos?

Por Bella.

Acordei meio transtornada e abalada, meu corpo estava um pouco dolorido e eu sentia minhas costas pesadas, minhas coxas estavam entrelaçadas com coxas de outra pessoa, para ser mais exata, de um homem, e para ser mais exata ainda, de Edward, seu peito nu estava encostado em minhas costas, sua mão possessiva em minha cintura, sua respiração batia em minha nuca.

De repente todas as lembranças dos nossos toques, dos nossos beijos, e do nosso ato de amor de ontem vieram em minha mente de uma vez só, e eu me senti um pouco desconfortável com tudo isso, não que a noite tivesse sido ruim, não que eu tivesse arrependida por ter feito o que fiz, por que eu quis fazer aquilo, eu quis ir para a cama com ele, eu quis tê-lo pelo menos mais uma vez na minha vida, então arrependimento era algo que eu não sentia, era apenas uma sensação desconfortável de saber que tudo isso aconteceu, mas que nada disso era prova de algo, saber que transar com ele nada iria mudar.

Ou saber que eu não poderia voltar a tempo e não poderia aceitar e começar a recomeçar depois de tudo que já passei, não agora, não nesse momento, minha mente estava confusa demais para que eu pudesse pensar em alguma coisa.

Uma coisa somente eu tinha certeza, já era de manhã e eu estava no quarto de Edward em vez de estar no meu quarto, e eu não estava em minha casa ou na casa dele, eu estava em uma faculdade, isso me fez ficar apreensiva e nervosa, acabei me levantando de supetão fazendo Edward acordar assustado, retirando um pouco apreensivo as mãos de mim.

Seus olhos pequenos e inchados por conta do sono me olharam com confusão e ao mesmo tempo assustado, ele passou a mão sobre o rosto e isso foi uma atitude excitante para mim, que estava começando a achar que virei uma maníaca por achar tudo sexy nele, enquanto eu ainda o olhava, a verdade é que eu não sabia o que poderia dizer naquele momento, talvez devesse valer ao fato de que não tinha nada para eu dizer.

—Que horas são? - Edward perguntou, e eu coloquei o cobertor em meus seios para que ele não pudesse ver.

—Eu não sei, deve ser uma seis da manhã. - Eu respondi e Edward se inclinou para o chão e pegou a sua calça e o celular que estava no bolso.

—São quinze para as seis. - Ele me avisou, e eu tentei pegar a minha roupa que estava no chão. -O que está fazendo? - Perguntou Edward.

—Está na hora de eu ir. - Eu respondi.

—Bella. - Ele me chamou e eu simplesmente o olhei. -Podemos conversar? - Ele perguntou e eu senti meu coração se apertar e bater com uma velocidade maior que o normal, eu não sei se estaria pronta para ter uma conversa.

—Tem que ser agora? - Eu perguntei insegurança marcando os meus olhos, eu podia sentir isso.

—Tem Bella, eu não posso correr o risco de você fugir de mim novamente. - Ele respondeu.

—Depois do que aconteceu ontem Edward, a ultima coisa que eu faria seria fugir. - Eu rebati e seus olhos se fixaram com tanta intensidade nos meus, e eu me levantei rapidamente com o lençol me cobrindo vendo que por sorte Edward estava de cueca.

Eu comecei então a pegar a minha roupa pronta para vesti-las, o vestido verde não parecia ser tão bom agora, como era ontem á noite, e eu estava com medo de ser pega vestida assim no corredor.

—Eu não sei como falar isso, eu nem sei como pedir civilizadamente para você me escutar, então é melhor eu falar agora que você está aqui na minha frente, antes que eu próprio tenho um ataque de raiva. - Ele falou de uma vez só parando para poder tomar um pouco de ar, e foi aí que eu entendi que ele estava mesmo querendo ter uma conversa, eu querendo ou não.

E ele tinha razão, nós precisávamos dessa conversa, precisávamos colocar tudo o que tínhamos nas mesas, nós tínhamos que resolver a nossa situação de uma vez, se não isso iria nos enlouquecer.

—Tudo bem Edward. - Eu disse me virando de frente para ele já vestida, ele estava sentado na ponta da cama de solteiro, ainda de cueca, e eu ainda tinha que fazer um esforço para resistir a tentação. -Vamos conversar e vamos resolver isso de vez, chega de fugir! - Eu declarei.

—Isso é bom, porque eu não sei se vou aguentar se você ficar fugindo de mim. -Ele disse sério. -Eu quero que você saiba que nesse um ano que ficamos separados por sua culpa eu não consegui viver! - Ele disse me acusando, e eu o olhei sem acreditar, me sentindo um pouco ofendida, minha boca se abriu em um "o" e minha vontade foi de dar um tapa em sua cara.

—Então é para isso que você quer conversar? Para me culpar? Ah! Vai se foder Edward, seu cretino, babaca e imbecil, eu deveria fugir novamente e nunca mais olhar para a sua cara! Onde já se viu, querer conversar para jogar a culpa em mim de que nunca conseguiu viver! - Eu exclamei irritada e pronta para sair dali.

—Isso mesmo que você ouviu Isabella, eu não consegui viver durante um ano porque você atormentava os meus pensamentos e os meus sonhos, você sabe o que é viver vinte e quatro horas pensando na mesma pessoa durante trezentos e sessenta e cinco dias?! - Ele perguntou quase gritando, mas sua voz estava alta suficiente para mim.

—Sei sim Edward porque para mim aconteceu a mesma coisa! - Eu exclamei de volta.

—Que merda! Você não consegue ver ou entender que eu te amo?! Que eu te quero? Que eu preciso de você na minha vida se não eu não serei feliz! E isso é uma droga, porque eu não consigo mais manter distancia entre você, desde daquele maldito dia que nos beijamos pela primeira vez na minha casa! - Ele falou e eu me lembrei instantaneamente do nosso primeiro beijo. -Agora eu só preciso de você para o resto da minha vida, porque eu só consigo ter você e não te ter para mim é a mesma coisa que não ter o ar, isso pode parecer meloso demais, ainda mais para alguém como eu, mas é a mais pura e verdadeira verdade. - Ele continuou respirando fundo. -Isabella Swan, aceita namorar comigo? - Ele perguntou.

Eu tentava respirar mesmo com muita dificuldade, eu não estava morrendo e nem qualquer coisa do tipo, eu só estava tentando assimilar o que Edward estava me perguntando, ele queria uma chance? Uma chance para fazermos tudo diferente, ou então uma chance para voltarmos a errarmos e fazer as mesmas besteiras de sempre, para no fim nos magoarmos pela segunda vez e sair uma machucada na história que até então seria eu.

Mas ao contrário do que a minha mente regulava em pensar, eu também queria uma chance de fazer tudo diferente, nem que para isso eu tivesse que errar, ou ter que ver Edward errar apesar do medo parecer ser maior e me consumir.

A verdade é que eu sei que não estou ainda pronta para retomar um relacionamento sério com Edward ou com qualquer outro cara, mas isso não quer dizer que eu quero manter Edward longe de mim e continuar a ignorá-lo, não porque já estou á um ano sem vê-lo e tê-lo para mim eu não iria mais aguentar nenhuma distancia imposta á nós dois.

Uma coisa é fato: Eu não posso viver longe de Edward, pois ele é como uma droga para mim, e eu estou viciada nele, mas eu não posso aceitar ele, não tão rápido assim, como eu irei resolver isso agora?

—Edward eu não sei o que dizer, eu não me arrependo na noite que tivemos, ela foi maravilhosa, muito boa, mas isso não quer dizer que tudo vai voltar a ser como um dia foi, quer dizer, eu não posso me esquecer isso, eu quero, mas não consigo, eu quero muito recomeçar, mas não me sinto confortável suficiente para isso. - Eu confessei de uma vez só, sentindo o ar faltar em meus pulmões.

—O que você quer dizer com isso? - Perguntou Edward sem entender nada.

—Eu não quero começar uma relação agora com você, por que eu não estou pronta. - Eu respondi.

—Isso então é um não? - Perguntou Edward com decepção nos olhos.

—É Edward, isso é um não. - Eu respondi tentando não rir com a sua confusão.

—Então, eu posso me jogar em minha cama e começar ame lamentar e chorar por não ter conseguido a sua aceitação? - Ele perguntou sendo sarcástico, e eu sentia o tom em sua voz, e sentia também que ele usava esse tom para esconder uma mágoa em seu olhar e em seu rosto.

—Edward, só por que eu disse que nós não iríamos voltar não quer dizer que eu vou esquecer tudo o que houve ontem á noite e irei passar a ignorá-lo. - Eu disse esclarecendo.

—Você não vai fazer isso? - Perguntou ele se levantando da cama e ficando de pé.

—Não Edward, eu não vou. - Eu respondi. -Eu quero apenas parar com tudo isso, eu não vou voltar com você, mas não vou ignorá-lo, vamos voltar á ser amigos e começar do zero. - Eu acrescentei.

—Começar do zero sem sermos namorados, e sim amigos? - Ele perguntou coçando a nuca em um gesto sexy e excitante para uma mulher que já se encontrava necessitava como eu.

—Exatamente. - Eu respondi e Edward começou a rir, mas não rir de forma normal e baixa, mas sim rir de forma alta, escandalosa, alta, gargalhando como se eu tivesse contado uma piada muito engraçada, ele acabou se jogando de costas na cama voltando a gargalhar alto, ele tinha um enorme sorriso no rosto, e se contorcia na cama rindo.

E eu não sabia o porquê daquela reação, porque ele estava assim? O que era tão engraçado? O que eu falei foi tão hilário assim?

—Do que você está rindo? - Eu perguntei, mas Edward não me respondeu, e continuou rindo, com menos intensidade, até se acalmar e voltar ao normal. -Será que pode me responder o porquê da gargalhada? - Eu perguntei me segurando para não bater o pé no chão.

—Estou rindo de felicidade, eu não achei que você fosse aceitar meu pedido de namoro, e bom, você não aceitou, eu esperava que você fosse me xingar me criticar, me mandar me foder novamente, e fugir, eu não fazia a menor ideia de que você iria me propor uma amizade entre nós. - Ele confessou passando a mão por seus cabelos.

—Então você aceita? - Eu pergunto. -Aceita ser meu amigo? - Eu acrescento.

—É claro que eu aceito Bella! Só se eu fosse um louco para não aceitar. - Ele responde e eu dou um sorriso.

—Eu preciso ir Edward. - Eu disse indo para a porta.

—Bella! - Edward me chamou.

—Sim? - Eu perguntei.

—O que achou da noite de ontem? - Ele perguntou e eu corei, ele me faria realmente falar daquilo?

—Como assim? - Eu perguntei como se não tivesse entendido.

—Você gostou da noite de ontem? - Ele perguntou.

—Você gostou? - Eu devolvi a pergunta não querendo responder.

—Eu amei, foi muito, muito bom. - Ele respondeu. -E você gostou? - Ele voltou a perguntar e minhas mãos tremeram na maçaneta da porta.

—Eu gostei Edward, eu gostei. - Eu respondi voltando a abrir a porta.

—Bella! - Edward novamente me chamou e eu me virei para ele.

—O que foi? - Eu perguntei.

—Nós podemos ser amigos com benefícios? - Ele perguntou e eu sorri e ri.

—Talvez Edward, talvez. - Eu respondi finalmente saindo do quarto de Edward, dessa vez sem chamada novamente por ele.

Continua.


Notas Finais


Até mais tarde...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...