1. Spirit Fanfics >
  2. A aposta (ABO) >
  3. 38

História A aposta (ABO) - Capítulo 37


Escrita por: ARMY_CASADA

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 37 - 38


— Você tem cinco minutos. — anunciou com firmeza, não estava com o psicólogo preparado para aquela conversa, mas iria dar o seu melhor para se manter aparentemente bem. 


— Está falando sério? — a primeira reação de Jungkook foi ficar surpreso, pensava que seria extremamente difícil ter a atenção de Jimin. 


— Sim. — permaneceu firme embora seu coração borbulhasse dentro de si — Agora é melhor começar a falar, já se passaram três segundos. 


— C-Certo... — Jungkook tinha um discurso ensaiado e agora repassava ele em sua mente várias e várias vezes, tentando manter a calma. 


— E então? — começou a ficar descrente pela demora do outro, já estava começando a pensar que o alfa não fazia muita questão daquela conversa. 


— V-Você... — precisou limpar a garganta antes de continuar, ou então não conseguiria falar — Gostou do vídeo? 


— Era isso o que queria me dizer? — perguntou, rude e ignorante — No caso, perguntar? 


— N-Na verdade... — suas mãos começaram a suar, ele não esperava que o ômega o tratasse de tal forma. 


— Jungkook eu estou sem tempo, então se não for me dizer nada importante, me dê licença. — no momento em que iria virar as costas, sentiu a mão de Jungkook tocar na sua — Mas o que... 


— Me desculpa. — Jeon respirou fundo na tentativa de se acalmar para falar com ele, o alfa estava sim muito nervoso, mas o medo de não ter a chance de falar com Jimin era maior — Por favor, não vai. 


— Então faça o meu tempo valer a pena. — soltou a sua mão e deu dois passos para trás, cruzando os braços.



Jimin estava se mantendo firme e arrogante porque estava abalado emocionalmente. Depois do término, da aposta, da apresentação... 


Ele estava em uma mistura de sentimentos duvidosos e perdidos. 


Era claro e óbvio que ele havia adorado o vídeo, era nítido que menor ainda o amava e sentia sua falta. Mas como era orgulhoso e estava com medo de ser decepcionado novamente por Jungkook, Jimin escondia o que sentia e se mostrava frio. 


Mas por dentro, só ele sabia a dor que estava sentindo.



— Eu não queria te magoar Jimin. — Jeon, juntando todas as suas forças e coragem, começou a falar — Eu juro que não queria. 


— Ah claro, por isso me usou para cumprir uma aposta. — deu uma risada irônica, revirando os olhos e jogando a cabeça para o lado. 


— Isso foi um erro, eu admito. Mas se não fosse por isso, eu nunca teria te conhecido Jimin, então eu não me arrependo. 


— Perdão? — olhou para ele novamente, arregalando os olhos, revoltado — Não se arrepende? Como tem coragem de me dizer isso? 


— Eu sinto muito se isso te revolta, mas é a minha verdade. Eu não me arrependo, como faria tudo outra vez. 


— Você só pode estar de brincadeira com a minha cara, Jeon Jungkook. — franziu o cenho — Você corre atrás de mim feito um cachorro carente, espera eu terminar com o Jackson, me chama para sair, me ilude, me usa, me faz se apaixonar por um idiota como você, para depois dizer na minha cara que não se arrepende? 


— Não me arrependo. — repetiu, deixando o outro ainda mais furioso — Eu não me arrependo Jimin. 


— Jungkook você não presta. — quis dar um tapa no rosto dele, mas se controlou para não o fazer — Você não me magoou uma vez, mas sim duas. E agora está me magoando de novo. Babaca. 


— Espera. — vendo que ele iria sair novamente, Jungkook segurou seus dois braços, o prendendo. 


— Me solta Jungkook. — ele queria chorar, queria espernear, queria sumir, mas isso, longe de Jeon. 


— Não, eu não vou te soltar. — subiu as mãos até o rosto dele e o fez olhar para seus olhos — Eu não vou te soltar. 


— Por que faz isso comigo? — começou a chorar e se odiou por isso — Caralho você não cansa? 


— Olha para mim e me escuta. — pediu, aproximando os seus rostos um do outro — Eu ainda tenho três minutos. 


— Fala logo cacete. — bufou entre lágrimas — Diz o quanto me despreza de uma vez, eu quero ir para casa. 


— Você não entende, não é? — balançou a cabeça negando a situação, enquanto sorria — Puta merda Jimin, eu te amo! 


— Ama. — revirou os olhos outra vez, rindo da mesma forma que antes — E não se arrepende de nada. Que grande amor. 


— Como você é teimoso... — olhou para cima, suspirando entre sorrisos de negação. 


— Me solta Jungkook. — tentou se livrar dos braços malhados do ex, mas não conseguiu. 


— Não... — continuou sorrindo ao mesmo tempo em que admirava o seu choro de raiva. 


— Do que está rindo, palhaço? — não gostou da forma como ele lhe encarava, parecia estar abusando de si — Acha isso engraçado? 


— Acho. — persistiu em fazê-lo sair dos seus limites e estava gostando disso, pois sabia que iria conseguir o que queria no fim. 


— Chega, o seu tempo acabou. — virou o rosto, tentando se soltar pela terceira vez — Caralho, me solta Jungkook! 


— Não. — puxou a cintura dele, colando seus corpos — Eu ainda tenho dois minutos. 


— Aish! — bufou, dando murros fracos no abdômen do maior — Eu não te suporto! 


— Que bom. — sorriu uma última vez — Porque eu também não te suporto.



Após esta fala premeditada, Jeon puxou o pequeno pela nuca e o beijou. 


A primeira reação de Park foi tentar se soltar e o empurrar, mas como não iria conseguir se livrar do lábios extraordinários de Jungkook, ele deixou ser guiado. 


Jimin sabia que de qualquer jeito ele iria se doar àquele momento, então, agilizando o que aconteceria futuramente, ele retribuiu o beijo. 


O beijo de Jeon era tão viciante e mágico que enfeitiçava o pequeno ômega, que não conseguia se separar do mesmo. 


Então, matando a saudade que tinha de saborear aqueles apetitosos lábios, Jimin aproveitou cada segundo para beijar Jungkook da melhor forma que sabia. 


"Dane-se a aposta, dane-se Kai, dane-se se estou cometendo um erro, dane-se se vou me arrepender depois, dane-se tudo. Agora eu só quero beijar o homem que amo. Nem que seja a última vez." — Jimin pensou antes de aprofundar ainda mais o beijo. 


Jeon estava nas nuvens, só de ter conseguido beijar o ruivo outra vez e sentir o cheiro dele mergulhando no seu, era maravilhoso demais para ser real. 


Ele estava feliz porque sabia que aquele momento estava realmente acontecendo e que ele podia sentir os lábios do ômega cobrindo os seus outra vez. 


Jimin podia negar, mas não podia fugir do que sentia por Jungkook. Estava claro que ambos se amavam ardentemente e que aquele amor não iria acabar ali.



— Eu não me arrependo Jimin, porque se não fosse por essa aposta, eu não teria conhecido o amor da minha vida. — falando devagar e com a respiração desregulada, Jungkook disse com os olhos fechados — E eu faria tudo de novo se fosse preciso porque só assim eu teria você comigo. Eu faria tudo de novo Cenourinha, só para poder te ter ao meu lado, só para poder te abraçar, te tocar e ver os seus lindos olhos se fecharem como dois risquinhos quando você sorri. 


— Junggu... — abriu os olhos e o encarou, já estava chorando novamente. 


— Eu faria tudo de novo Park Jimin, só para dizer que te amo todas as noites antes de dormir. — interrompendo o menor, ele continuou — Se eu precisasse fazer você se apaixonar por mim todos os dias, eu o faria. Eu faria o que fosse preciso Jimin, só para ter você de volta. Eu seria capaz de criar uma máquina do tempo apenas para voltar ao passado e ficar com você. Todos os dias, em todos os momentos, não importa quantas vezes seja preciso, eu iria atrás de você. Nem que eu tivesse que te perder em todas as tentativas.



Jungkook estava depositando todo o seu coração em cada palavra, estava sendo totalmente sincero. E Jimin sabia que ele estava sendo honesto em suas palavras pois a marca não o deixava ser enganado. 


O ruivo apenas o escutava em silêncio derramando lágrimas e mais lágrimas a cada segundo. Já que suas palavras lhe abandonaram, ele iria escutar o amor da sua vida se declarar mais uma vez naquela manhã.



— Eu não iria desistir, nunca. Iria continuar tentando, de todas as formas, com todas as minhas forças, em qualquer circunstância, de todo jeito possível... — ele não resistiu e chorou, muito — Eu iria te procurar até em Marte se fosse preciso Jimin, nem que eu precisasse criar um planeta só nosso. Eu iria viajar de galáxia em galáxia até encontrar uma dimensão na qual você ainda me ame. 


— Ah Jeon, eu... — tentou dizer ente prantos, mas as palavras do alfa foram tão lindas que ele não teve o que dizer no momento. 


— Eu faria tudo de novo sim, meu amor. Mas faria diferente. — interrompeu outra vez — Se eu pudesse mudar o passado, eu diria a verdade desde o princípio, Jimin. Eu aproveitaria cada segundo com você, evitaria brigas ou discussões, iria te proteger e estar com você sempre. — com o polegar, ele limpou as lágrimas do pequeno — Você conhece o meu coração Cenourinha, sabe que ele escolheu você. Eu sei que te magoei, mas não posso mudar o passado Jimin, tudo o que posso fazer é lutar por você de agora em diante. 


— E se eu te rejeitar? — conseguiu perguntar, com os olhos vermelhos de tanto chorar e a voz manhosa. 


— Eu tento de novo. — sorriu, lacrimejando — E de novo. Até conseguir o meu Jimin de volta. 


— E se e-eu...? — iria questionar mais uma vez, mas o polegar de Jeon o silenciou. 


— Pode negar o quanto quiser, mas eu sei que sempre vai existir um Jimin para um Jungkook. — roçou o nariz no dele, lentamente e com carinho, fazendo o menor suspirar — E um Jungkook para um Jimin.



Jeon lembrou-se das palavras de IU e quis repetí-las, dizendo desta vez para Park ouvir. 


Jimin, maravilhado com o discurso lindo de Jungkook, não pensou duas vezes em esquecer o passado que os afligia e reconciliar com o alfa. 


Park podia sentir o que Jeon sentia através da marca que conectava os dois. Então, ele sabia que o maior estava sendo honesto em dizer que o amava. 


Portanto, deixando de ser orgulhoso e decidido a perdoar Jungkook, Jimin derramou uma lágrima de felicidade e deu uma risada baixa e meiga.



— Sempre. — para a surpresa do alfa, foi Jimin quem disse — Coelhinho. 


— V-Você... — abriu os olhos imediatamente e os arregalou quando ouviu o ômega dizer. 


— Sim. — afirmou antes mesmo de saber o que ele iria dizer, depois sorriu como nunca e o beijou.



Obviamente, Jungkook retribuiu o beijo feliz da vida e abraçou a cintura do ômega. 


Sorrisos foram trocados entre o beijo e as lágrimas não pararam de escorrerem pelos rostos que agora estavam alegres.



— Eu acho que os cinco minutos já se passaram... — Jungkook deu uma risada calma e suave, sua respiração estava ofegante mas em momento nenhum ele se separou de Jimin. 


— Dane-se os cinco minutos. — o ruivo sorriu da mesma forma, ainda com os olhos fechados e o trouxe de volta para um beijo cheio de saudade.



O beijo foi tão intenso que eles mal respiravam, porém, hora nenhuma eles se afastaram um do outro. O encaixe de suas bocas eram simplesmente perfeito, chegavam a ser feitas uma para a outra. 


Jungkook aproveitou que estava beijando o ômega que tanto amava e não poupou em explorar cada canto da boca dele com a língua. E claro, Jimin fez o mesmo. 


A saudade era tanta que eles nem se preocupavam em respirar direito, estavam ocupados demais com o beijo tão sentido. 


Jeon levantou o corpo de Park minimamente do chão e o segurou em seus braços, feliz por estar com Jimin outra vez, ele rodou algumas vezes com o ruivo em seu colo.



— Aish Junggu! — começou a rir quando sentiu o vento frio tocar seu rosto — Me põe no chão! 


— Eu te amo! — deu um grito de felicidade, sem se importar com quem escutava suas declarações. 


— Vai gritar até todos escutarem, seu bobo? — corou, parando de chorar logo em seguida. 


— Qual o problema? Eu grito mesmo. — colocou o pequeno de volta ao chão — Grito porque te amo. 


— Aish. — revirou os olhos, virando a cabeça para o lado, corando mais ainda. 


— Você é tão lindo Jimin-ssi... — segurou o rosto dele nas mãos e o olhou no fundo de seus olhos. 


— Você não precisa viajar de galáxia em galáxia, Jungkook. — colocou os braços envolta do pescoço dele e chegou mais perto, ficando na ponta dos pés para alcançá-lo — O Jimin que te ama está bem na sua frente.



Sem acreditar que estava sentindo o calor do menor outra vez, Jeon abaixou a cabeça e chorou. 


Percebendo sua sensibilidade emocional, Jimin sorriu prestes a chorar novamente também. Levou sua pequena mão ao queixo do alfa e o fez olhar para si. 


Com calma, Park limpou o rosto do maior com o polegar e mostrou-lhe um sorriso doce.



— Não chora, ou eu choro também. — deu risada, fazendo ele rir baixinho também, pelo menos um pouco. 


— Pensei que nunca iria me perdoar Jimin, pensei que me odiava, pensei que tinha te perdido para sempre... — continuou chorando, desta vez soluçando entre o choro, estava muito emocionado — Não me deixa Ji... 


— Ei, ei. — colocou as duas mãos no rosto dele, uma limpando suas lágrimas, outra fazendo um carinho delicado — Eu estou aqui agora Jungkook, eu voltei para você. E eu não vou te deixar, meu amor. 


— E-então... — soluçou outra vez, mas já estava conseguindo se acalmar aos poucos — Você me perdoa, Jimin-ssi? 


— Eu te perdôo Jungkook-ah. — sorriu, dando-lhe um beijo amoroso nos lábios — Eu te perdôo. 


— Coloca sua mão aqui. — levou a mãozinha do ômega na direção do seu coração e o fez sentir seus batimentos — Está ouvindo? Ela bate por você. 


— O meu também Junggu. — seus olhos brilharam de amor e ele lacrimejou — O meu também. 


— Meu coração está mais leve, porque ele sabe que agora eu estou com você. — limpou o nariz e suspirou — Meu coração sabe que quando você está comigo, ele não precisa mais doer. Porque você vai cuidar de mim e encher ele de amor. 


— Eu juro que tentei te odiar Jungkook. Juro que tentei com todas as minhas forças. — se aproximou lentamente até encostar o nariz no rosto dele — Mas eu não posso obrigar o meu coração a te odiar, se ele escolheu te amar. 


— Você é a minha Lua, Park Jimin. — fechou os olhos e sentiu a respiração do menor ir de encontro com a sua. 


— E você o meu Sol, Jeon Jungkook. — fechou os olhos também e sorriu com ele, deixando as últimas lágrimas caírem.



Eles ficaram um tempo assim, apenas sentindo a presença um do outro. Com as testas coladas uma na outra e os narizes se roçando um no outro, a respiração de ambos cirandavam entre eles. 


Era muita magia em um só casal. 


Jimin voltou a apoiar os braços ao redor do pescoço de Jungkook e o alfa tomou liberdade de segurar o corpo do menor pela cintura, apertando com firmeza e saudade. 


Jeon puxou o corpo do ômega para mais perto, deixando a boca deles à milímetros de distância. Com olhos fechados, eles só tinham emoções maravilhosas. 


O amor que nunca havia deixado de existir entre os dois, estava presente no meio deles naquele momento - como em todos os outros. E a conexão mágica que só eles tinham, lhes davam até um choque de tão forte que era.



— Eu amei o vídeo que fez para mim, Coelhinho. — Jimin disse baixinho, sem abrir os olhos ou se afastar — Foi o gesto mais lindo que alguém já fez por mim. 


— Fico muito feliz que tenha gostado, Cenourinha. — sorriu, sem mover um passo, estava exatamente como antes — Te fazer feliz é o meu objetivo. 


— Gravou mesmo cada dia desde que a gente se conheceu? — perguntou timidamente, maravilhado com as cenas que viu no vídeo. 


— Uhum. — apenas balançou a cabeça, sem abrir os olhos — Eu registrei cada encontro nosso. 


— Envia para mim por favor? — corou — Eu quero ver sempre que estiver com saudades de você. 


— Claro meu amor, eu te dou tudo o que você quiser. — voltou a roçar os seus narizes. 


— Me desculpa por dizer aquilo na apresentação Jungkook. — lembrou-se das palavras que havia dito ao alfa e sentiu remorso — Eu estava magoado. 


— Tudo bem Jimin-ssi, eu entendo e não te culpo. — abriu os olhos também e o encarou — Você tinha todo direito de me odiar, eu errei feio com você. 


— Eu nunca te odiei Jungkook-ah. Mas enfim, isso é passado. Eu não quero mais falar disso, tá bom? — tentou mudar de assunto para não entristecer o moreno — Eu iria mostrar fotos suas hoje, sabia? Elas seriam como um quebra-cabeça, uma completando a outra até se formarem em uma única foto. 


— Jura? — sorriu, totalmente corado. 


— Sim. — sorriu para ele também. 


— E porque quis fazer que nem quebra-cabeça? — estava curioso. 


— Porque você é como um. — beijou a ponta do seu nariz, ainda sorrindo. 


— Eu sou? — mostrou-se um pouco confuso, mas de um jeito fofo. 


— Uhum. — achou graça em sua fofura — Você é quieto e misterioso, eu tive que juntar pecinha por pecinha para conhecer você. Em cada encontro que a gente tinha, você sempre me deixava surpreso. 


— Mas eu não fazia nada demais Jimin. — deu uma risada fofa. 


— Você que pensa. — apertou sua bochecha — Lembra do nosso primeiro encontro? Você nunca tinha comido Lámen. 


— Ah mas com certeza eu não sou o único que nunca tinha comido. — se sentiu ofendido, mas gargalhou. 


— Mas com certeza era o único que não sabia nem o que era Lámen, Jungkookie. — riu também. 


— Aish, e foi isso o que te impressionou? — ficou emburrado. 


— Não só isso, mas também o dia que você me apoiou quando eu terminei com o Jackson. — se lembrou de cada detalhe de tal dia — Você me deu a chave do terraço da academia, para que eu fosse até lá toda vez que quisesse ficar sozinho. 


— Eu lembro disso. — corou, se sentiu honrado por ter feito história na vida de Jimin. 


— Que bom, por disso eu não irei esquecer. — sorriu — Lembro também de quando me levou até sua estufa pela primeira vez e me deu uma peônia. Você disse que eu cheiro a peônias e morangos. 


— Porque cheira. — sorriu — E é o melhor cheiro do mundo. 


— Aish, voltando a história... Eu lembro que me fez companhia no hospital e lembro da corrida que apostamos. 


— Eu deixei você ganhar. — envergonhado por ter perdido, ele logo deu uma desculpa pela derrota. 


— Claro. — gargalhou — Eu também lembro do lindo pedido de namoro que você fez para mim e do presente que me deu de aniversário. Esse com certeza foi o dia mais memorável da minha vida. — sorriu — Eu me lembro da nossa primeira vez... 


— Você se lembra de tudo... — se emocionou — Pensei que as lembranças doíam somente em mim. 


— Eu me lembro de tudo, Coelhinho. — fechou os olhos, encostando sua testa na dele — De tudo. 


— Então sabe que se eu registrei cada encontro, é porque foi real para mim. — voltou a fechar os olhos — Eu realmente te amo Jimin, por favor não duvide disso. 


— Eu sei meu amor. — passou a mão nos cabelos da nuca do maior — Agora eu sei. Mas preciso de um tempo. 


— Como assim? — abriu os olhos imediatamente — Você... 


— Calma. — deu uma risadinha — Eu não estou terminando com você Jungkook. 


— Ufa. — suspirou aliviado, já estava preocupado — Graças a Deus. 


— Bobo. — riu outra vez — Eu ia dizer que vou viajar nessas férias com a minha irmã. 


— Poxa Cenourinha por que você não falou isso logo? Caramba cê tem noção do quanto me deixou preocupado quando disse que "precisava de um tempo"? Eu hei, meu santo Yoongi. 


— Calma Jungkook. — gargalhou — Desculpa. 


— Enfim, nós não iríamos passar essas férias juntos? Estávamos até pensando em passar um tempo na casa de campo dos meus pais com as nossas famílias. 


— Eu sei Junggu, mas isso foi antes de terminarmos aquele dia... — coçou a nuca, meio desconfortável. 


— Antes de você terminar comigo, você quiser dizer. — enfatizou ressentido e consertou a frase. 


— Você me entendeu... — limpou a garganta, ainda sem graça — Agora eu já organizei tudo com a minha irmã Jungkook, não posso mudar os planos. 


— Aish, tudo bem, fazer o quê. — resmungou. 


— Olha, vamos usar esse tempo longe para sabermos se realmente queremos reatar o nosso namoro. 


— Eu não tenho dúvidas quanto à isso. — olhou para ele pelo canto dos olhos, meio temeroso — Você tem? 


— Por isso disse que precisava de um tempo... 


— Você acha que eu vou pisar na bola com você de novo, não acha? — suspirou, se afastando um pouco — Já lhe disse que aquela aposta não significava mais nada para mim desde que eu me apaixonei por você, Jimin. 


— Eu sei Jeon e eu acredito em você, mas foi tudo recente demais e eu preciso organizar os meus sentimentos. Não quero que nada seja duvidoso, a gente não merece isso. Eu quero ter certeza de que quero ficar com você. 


— Eu você não quer? — as palavras mal colocadas de Jimin estavam lhe magoando. 


— Não é isso. — percebeu que estava se dando mal e parou para pensar no que iria dizer antes de falar — Eu só quero dizer sim para você sem que um "mas" atrapalhe. Eu te amo Jungkook e quero ficar com você sim, mas ainda tem um lado meu que sente medo de voltar para você. Eu só quero que esse lado desapareça, me entende? 


— Entendo. — suspirou, se esforçava ao máximo para entendê-lo e não tirar sua razão — Eu entendo Jimin, sério. Leve o tempo que precisar, eu vou esperar. 


— Jura? — sorriu, achando adorável o fato do alfa ser compreensível consigo. 


— Juro. — afirmou sem hesitar — Eu te espero Jimin, não importa de quanto tempo precise, quando você voltar eu vou estar aqui à sua espera. O meu amor e a minha fidelidade não mudarão. 


— Se você conseguir me esperar por esses dias, eu prometo que vou fazer valer a pena Jungkook. Porque eu sei que vamos ficar juntos no fim. 


— Que bom que sabe. — brincou, colando suas testas uma na outra novamente — Porque 30 dias não são nada comparado ao que eu posso esperar. 


— E o quanto você pode esperar? — roçou os lábios nos dele, respirando calmamente — Hum? 


— Por você, eu espero a vida toda Jimin, seja o tempo que for. Porque quem ama de verdade não se importa com o tempo e sim com o verdadeiro amor. — soltou um suspiro baixinho — Você é a minha alma gêmea Cenourinha, a minha metade, o que eu sempre procurei e o que eu precisava. Então, enquanto eu viver, esperarei por você. 


— Jungkook. — Jimin se afastou um pouco e abriu seus olhos, esperando que ele fizesse o mesmo. 


— O que? — abriu os olhos sem pressa e encarou o belo rosto do ruivo, que estava com uma expressão apaixonada no rosto — O que foi?



Jungkook já estava preocupado, com medo de ter dito algo de errado. Mas quando sentiu a mão de Jimin deslizar suavemente em seu rosto, ele se amoleceu como manteiga. 


Park se aproximou com um sorriso no rosto e deixou um beijo na testa do maior, depois selou a bochecha dele e por fim beijou seus doces lábios.



— Eu te amo. — foi o que disse quando o beijo teve um fim — E irei voltar para você.



A única reação que Jeon teve foi lhe dar um abraço, aquele abraço apertado que ambos sentiram falta. 


Com os corpos colados, a ligação que eles tinham através da marca ficou cada vez mais forte. Podiam sentir cada batimento um do outro, como se estivessem dividindo o mesmo corpo e a mesma alma.



— Eu vou contar os minutos para te ver. — disse, ainda no abraço. 


— E eu os segundos. — Jimin deu uma risadinha, corando de vergonha.



Quando ambos foram se separar do abraço, os colares que ambos usavam se enroscaram um no outro e as metadinhas de Yin-Yang se encaixaram. 


Presos devido os colares, os dois começaram a rir e observaram o encaixe perfeito que os pingentes faziam quando se encontravam.



— "Como o Sol..." — Jungkook pegou a sua metade do colar e segurou antes de separar. 


— "...e a Lua." — após completar a frase, Jimin deu um beijo em Jungkook e sorriu. 


— Acho que isso é um sinal de que estamos presos um no outro. — brincou, desenrolando os colares que os prenderam. 


— Quem sabe não seja o destino nos dando uma pista do futuro que nos espera, não é? — riu, se afastando pela vergonha de estar tão perto do maior. 


— Não custa nada sonhar. — olhou para ele e sorriu.



Ambos começaram a se encarar. 


Eles não desviavam o olhar nem por um segundo, trocavam sorrisos vez ou outra mas permaneciam perdidamente focados no olhar que cada um tinha.



— Eu já disse que não quero ouvir mais nada! — Taehyung descia os degraus da entrada do colégio rapidamente, contando os segundos para sair dali. 


— Mas você tem que me escutar cacete! — logo atrás dele vinha IU, furiosa porque não conseguia fazê-lo parar. 


— Escuta IU. — virou-se de frente para ela de imediato e a encarou seriamente — Você não vai me fazer mudar de ideia, então desiste de uma vez. 


— É assim que você quer? — cruzou os braços, sem paciência — Eu tenho a informação verdadeira que pode consertar tudo e você simplesmente não se importa? 


— Você quer me fazer acreditar no que não existe e eu não vou cair nessa. — respondeu com ignorância — Então me deixa em paz. 


— Taehyung pense muito bem antes de tomar qualquer atitude, porque eu estou perdendo a paciência com você. — bufou. 


— Ah vai à merda! — se exaltou — Você perdendo a paciência comigo? Faça-me o favor IU, você pensa que é quem? Fica se intrometendo na minha vida e ainda acha que tem direito de falar assim comigo? 


— Eu só quero te ajudar caralho, para de ser ignorante e me escuta! — gritou também. 


— Eu já disse que não! Olha IU, eu gosto da sua amizade, mas se você decidir que vai apoiar o Yoongi depois de saber o que ele fez comigo, então você não é a minha amiga. 


— Então vai ser assim? — deixou que ele tomasse a decisão sobre o seu futuro. 


— Vai. — nem pensou direito antes de falar e tinha medo que se arrependesse mais tarde, mas não mudou de posição por ser orgulhoso — Agora volta para lá e apoia o seu amiguinho, que é tão traíra quanto você. 


— Nossa Taehyung. — negou com a cabeça, não acreditava que alguém podia ser tão cabeça-dura — Eu esperava mais de você, mas tô vendo que estava certa desde o início em não confiar em você. 


— O que você pensa não me importa mais, adeus IU. — demostrou que queria que ela fosse embora. 


— Parabéns. — bateu palmas e depois mostrou-lhe o dedo do meio das suas duas mãos — Você acabou de perder o Yoongi e a mim. Faça bom proveito do que te resta agora.



Depois de se despedir da amizade que achava que tinha, IU vira as costas e volta para dentro do colégio, onde Yoongi estava.



— Idiota. — Taehyung revirou os olhos e voltou a seguir seu caminho até o estacionamento. Sentia dor por ter perdido duas pessoas naquele dia, mas não voltaria atrás na sua decisão. 


— Eu preciso ir ver o que aconteceu Jungkook. — preocupado com a briga que acabou de presenciar de longe, Park diz. 


— É, eu também. — por outro lado, Jungkook pensou em IU e Yoongi. Não em Taehyung, como Jimin. 


— Você vê como a IU está e depois me fala tá bom? Eu tenho que ir atrás do Taehyung antes que ele faça alguma merda por estar nervoso. 


— Antes que ele faça mais merda, você quis dizer. — defendendo Yoongi, Jungkook mostrou que estava revoltado com Taehyung. 


— Jungkook... — não queria que a briga dos outros dois fosse motivo para a discussão deles. 


— O Yoongi não traiu o Taehyung, Jimin. — bateu o pé, sabia que o ômega era melhor amigo de Kim mas não deixaria de defender Suga. 


— Como tem certeza, Coelhinho? — tentou ser o mais compreensivo possível — Você não estava lá. 


— Nem você. — retrucou — E ainda assim decidiu acreditar no Taehyung. 


— Você acreditou no seu melhor amigo, por que eu não acreditaria no meu? — cruzou os braços. 


— Porque o Yoongi nunca faria isso com o Taehyung, Cenourinha. — tentou convencê-lo — Por favor acredite e faça o Tae acreditar também. 


— Aish. — suspirou tentando convencer o seu coração de que Min era inocente — Eu vou tentar. 


— Sério? — mostrou um sorriso no mesmo instante. 


— Sim. — sorriu também — Mas não prometo nada Jungkook, você sabe que o Taehyung é difícil. 


— Eu sei, mas você consegue. Se não for você, não será ninguém. — selou os lábios do ruivo por um tempo — Eu te ligo mais tarde, tá bom? 


— Tá bom. — corou. 


— Eu te amo. — deixou mais alguns beijos em seus lábios antes de ir atrás dos amigos. 


— Eu também te amo Jungkook. — disse de volta mas o alfa já havia ído — Aish, seu bobo...



•Flashback Taegi on•



Depois de ler o poema e sair correndo da sala, Taehyung nem se importou com o material que deixara na sala de aula e buscou a saída do colégio. 


Mas como Yoongi havia ído atrás dele, o platinado não o deixou ir embora sem antes falar consigo.



— Taehyung! — Suga vinha correndo logo atrás de Kim, desesperado para falar com o alfa. 


— Não. — negou a possibilidade de terem uma conversa pois ele não estava emocionalmente preparado — Não vem atrás de mim. 


— Eu só quero conversar Taehyung, só conversar. — não desistiu e continuou persistindo em falar com ele — Você me deve isso! 


— Eu não te devo porra nenhuma Min Yoongi! — parou de andar e virou-se para ele — Cacete eu não te devo nada! Então me deixa em paz! 


— Acha mesmo que eu vou simplesmente te deixar ir sem tentar te convencer a ficar? — como ainda estava chorando devido a apresentação anterior, ele começou a se atrapalhar nas próprias palavras. 


— Yoongi eu não quero ouvir nada, acabou. — voltou a caminhar pelos corredores, afobado para achar a saída logo. 


— Não, eu não aceito isso Taehyung! Não aceito você terminar comigo se eu não fiz porra nenhuma! 


— Não fez porra nenhuma?! — parou de andar outra vez e bufou de raiva depois do que ouviu — Cê tá de sacanagem comigo Min Yoongi?! 


— Taehyung eu já te disse um milhão de vezes que não te traí caralho! — gritou também, sem se importar com quem ouvia perto deles. 


— Você é muito cara de pau. — balançou a cabeça de um lado para o outro em negação. 


— Me escuta por favor... — tentou tocar na sua mão, mas ele se afastou antes disso — Príncipe... 


— Não me chama assim. — cruzou os braços e deu passos para longe dele — Nunca mais me chama assim Yoongi, você perdeu esse direito. 


— Você vai mesmo fazer isso com a gente? — o olhava com tristeza, não queria aceitar o fim do relacionamento pois era injusto. 


— Não foi eu quem fez merda, porra. Foi você. Então não coloque a culpa em mim. — franziu o cenho, irritado. 


— Eu não fiz o que você diz que eu fiz. — permaneceu tentando provar sua inocência. 


— Qualquer uma Yoongi, poderia ser qualquer uma cacete! Menos ela! — ignorou as palavras dele e continuou furioso — Você sabe a dor que Hyuna me causou no passado e ainda assim me traiu com ela! Como você pôde Yoongi, como pôde fazer isso comigo? Eu confiei em você! 


— Mas eu não fiz nada Taehyung! — começou a chorar de desespero e raiva por Kim não acreditar no que ele dizia. 


— Por que ela? — o ignorou novamente e continuou falando — Dentre tantas outras opções... Por que a Hyuna? Caralho o que ela tem que vocês tanto gostam? Primeiro o Dawn, agora você. 


— Não faz isso. — embora chorasse, ele ordenou com o semblante sério — Não me compara com ele. Isso eu não aceito, Kim Taehyung. 


— Não aceita? Mas por quê? — deu uma risada irônica e maldosa — Você é igual a ele. 


— Para. — pediu, não aceitava tal comparação pois sabia que não era como ele — Eu não sou. 


— Tem razão, na verdade você é pior. — se aproximou, o olhando com um olhar frio — Jurou para mim que não era como os outros, mas no fim me traiu como ele fez. Então meu amor, você é pior. 


— Para com isso Taehyung. — negou com a cabeça, impedindo que os pensamentos ruins tomassem conta de sua mente. 


— Que foi? Não aguenta a verdade? — deu uma risada triste, porém, cruel — Pois então eu vou te dizer qual é a verdade. Você Min Yoongi, não é nada além de um babaca que finge ser quem não é e usa as pessoas. Você é só mais um idiota que não merece a minha atenção. — diz sem remorso algum.



Taehyung disse a mesma frase que falou para Yoongi quando eles começaram a ficar antigamente e tal frase abalou o alfa, que o olhou com lágrimas nos olhos. 


No passado, Tae havia dito tal frase pois estava chateado por Yoongi sempre fugir do que sentia e fingir que nada havia acontecido entre eles. 


Nessa época ele tinha a razão, mas desta vez não. 


O fato de Taehyung dizer aquilo depois de tudo o que Yoongi fez para provar o seu amor por ele, deixou o alfa destruído. Pois Min precisou enfrentar os próprios medos, inseguranças, aceitações, sentimentos duvidosos, sociedade, opiniões maldosas... Tudo por Taehyung. 


E agora ser tratado assim, injustamente, depois de todo o esforço e dedicação, depois dos sacrifícios por amor... 


Yoongi estava péssimo. 


Taehyung percebeu a mudança no olhar de Suga, sabia que dizer aquilo havia o deixado triste, mas não mudaria suas palavras. Pois se negava a acreditar nas palavras de Min.



— Posso ao menos ficar com o poema? — com a cabeça baixa, ele pediu. Não iria mais brigar com Taehyung, não tinha mais estruturas para continuar aquela conversa, só queria o poema e nada mais. 


— O que? — depois de tudo o que disse, não acreditava que ele estava lhe pedindo isso. 


— Deixa eu ficar com o poema, Taehyung. — pediu outra vez e olhou para ele, lacrimejando — Por favor. 


— Tá. — entregou para ele o papel que estava segurando e depois se afastou. 


— Obrigado. — deu um passo para trás e abaixou a cabeça de novo, olhando para o papel de caderno que tinha dobrado nas mãos. 


— É só isso? — não estava satisfeito ao ver que ele não iria discutir mais ou insistir como sempre — Não vai dizer mais nada? 


— Hoje não, Taehyung. — limpou as lágrimas e deu as costas, se preparando para ir. 


— Onde você vai? — inconformado, ele puxou o braço do alfa, fazendo-o voltar para trás. 


— Você não queria que eu te deixasse em paz? — já não estava entendendo mais as atitudes do outro. 


— Isso é tudo, Yoongi? — por um momento o medo de perdê-lo de vez atormentou o seu coração, Tae queria que Suga insistisse um pouco mais. Talvez assim ele acreditaria na sua versão da história — Não vai me dizer mais nada? 


— O que você quer que eu diga, Taehyung? — lamentou, criando uma certa raiva daquela conversa — Porra, o que você quer que eu diga?! 


— E-eu... — sua voz falhou por não saber o que dizer, mal sabia as atitudes que estava tomando. 


— Você desistiu de nós. — foi a sua vez de dizer-lhe algumas verdades — E não importa o que eu diga, você nunca vai acreditar em mim. Porque você acredita no que quer acreditar. 


— E-eu... — tentava falar mas não lhe sobravam palavras o bastante para argumentar. 


— Eu era a porra do seu namorado, Taehyung! O seu namorado! — exclamou, sem medo de dizer-lhe a verdade — E quando eu precisei do seu apoio, você virou as costas para mim! 


— Você me traiu! Queria que eu fizesse o quê caralho? — depois da afronta, ele recuperou a fúria e voltou a discutir — Me diz o que você queria que eu fizesse! 


— Queria que você acreditasse em mim cacete! — disse o óbvio, chorando de raiva e decepção — Porra era tão difícil assim? 


— Eu não vou deixar você colocar a culpa em mim Yoongi, você não é a vítima aqui então para de agir como se fosse. — continuou relutante — Eu sei o que eu vi e nada vai me fazer acreditar no contrário. 


— Não faz isso, você não sabe o que está fazendo. — implorou para que ele parasse de agir impulsivamente — Vamos conversar Príncipe, não joga fora tudo o que nós vivemos juntos. 


— Eu já falei para não me chamar assim! — gritou com ele, lhe dando um pequeno susto — Eu sei muito bem o que estou fazendo e não quero mais nada com você! 


— Você vai se arrepender do que está dizendo como todas as outras vezes, só que se você não parar de ser um escroto agora, eu não vou te perdoar! — ameaçou, cansado de tudo aquilo. 


— A única coisa da qual eu me arrependo foi de ter confiado em você! — num momento de burrice, Taehyung levou a mão até o colar que usava e ameaçou arrancá-lo de seu pescoço. 


— Taehyung não! — Yoongi arregalou os olhos e gritou para que ele não fizesse tal ato, mas ainda assim, Kim o fez — Não!



Embora Suga tenha implorado para que Tae não tirasse o colar, o alfa o arrancou com grosseria de seu pescoço e arrebentou a jóia. Depois jogou o cordão no chão, sem se importar com o que Yoongi iria sentir com tal ação, e o olhou com ódio. 


Aquele colar significava a ligação entre os dois, já que nenhum deles poderia receber uma marca específica. E arrancá-lo assim, sem dó nem piedade, abalou Yoongi de uma forma indescritível. 


Foi como se Yoongi tivesse levado um tiro no coração. Agora ele estava com um buraco enorme e vazio. 


Min havia dado o colar para Taehyung no dia em que ele teve certeza de que queria ficar com o alfa para sempre. E em troca, Tae o presenteou com uma pulseira. 


As jóias tinham o mesmo símbolo e ambos prometeram que jamais iriam tirar, pois iriam pertencer um ao outro para sempre. 


E até então, mesmo depois do término, Taehyung não havia quebrado a promessa - dando esperanças de uma reconciliação para Suga. 


Mas quando o alfa tirou o colar com tanta raiva e sem se importar, deu a entender que a aliança entre eles havia sido quebrada. E Yoongi não estava pronto para receber tal informação dolorosa com tanto descaso.



— Não! — ele correu até a jóia jogada no chão e se ajoelhou para pegar o colar — O que você fez? — caiu aos prantos, seu coração havia sido partido imediatamente com a aliança rompida — O que você fez... 


— E-eu... — retomando a consciência, Taehyung percebeu o que havia feito e nem ele mesmo acreditou.



Min olhou para Kim com toda a sua tristeza e decepção estampada no rosto. Era por motivos como este que Yoongi sempre teve medo de se relacionar com alguém. 


E o fato do seu maior medo estar se tornando realidade com o único homem que ele conseguiu amar, lhe trazia uma dor terrível.



— Por que está me olhando assim? — começou a se incomodar com a expressão triste no rosto do ex. 


— Por que você acha? — estava chorando outra vez, mas desta vez com mais dor no coração. 


— Para. — não suportava mais vê-lo daquela forma, seu coração estava pesado e aquilo doía — Por que está chorando de novo? Acha que eu vou acreditar nesse choro falso? 


— Você já não disse o suficiente? Não me magoou o bastante? — soluçou entre o choro — Você já quebrou o meu coração, caramba. O que mais você quer de mim? Já não está bom para você Taehyung? Ou tem mais para me dizer? 


— Não fala assim Yoongi, eu s-só... — tentou desviar o olhar o máximo que pôde, estava com vontade de chorar pelo o que havia feito. Sabia que tinha passado dos limites com ele. 


— Você prometeu que nunca iria tirar. — interrompeu, ainda aos prantos — Você prometeu, Taehyung. 


— Eu sei... — coçou a nuca, se sentindo culpado e com pena do platinado ajoelhado no chão — Mas... 


— Sai daqui. — pediu, falando baixo pois não aguentava mais discutir, já havia se esgotado. 


— Yoongi... — por incrível que pareça, Taehyung sentiu tanto remorso que quis se aproximar. 


— Sai! — desta vez ele o expulsou, chorando aos montes — Você me pediu para te deixar em paz, então vai embora... — soluçou — Eu não tenho mais nada a dizer. 


— Vai ficar assim só por causa de um colar? — se sentia culpado sim mas não aceitava que ele fosse a vítima da história. 


— "Só por causa de um colar"? — olhou para ele, desacreditado — Uau. 


— Você entendeu o que eu quis dizer Yoongi... — pronto, ele estava com a consciência ainda mais pesada. 


— Não, eu não entendi. — limpou o nariz e as lágrimas, depois se levantou — Você prometeu para mim que iria ficar comigo para sempre, quando você terminou comigo aquela vez, você disse que nunca mais faria isso comigo de novo! 


— Era diferente, você não tinha me traído. — se defendeu — Ou pelo menos eu achava que não. 


— Caralho. — suspirou, olhando para o teto — "Estamos conectados pelo fio vermelho. Não importa o que aconteça, sempre vamos voltar um para o outro. Porque o destino nos quer juntos." — olhou para ele — Isso não significa nada para você? 


— Não mexe no passado Yoongi, isso é passado. — seus argumentos estavam acabando e ele estava com medo de perder esse debate. 


— Você me disse isso, no aniversário dos gêmeos. Lembra? Você jurou que iria estar comigo sempre e nunca iria me deixar. Você prometeu que nunca iria tirar o colar e olha o que você fez! — tentava parar de chorar mas a dor era mais forte que ele — Você prometeu, Taehyung! 


— Eu menti. — Taehyung disse, mas no mesmo momento se arrependeu porque foi da boca para fora. Mas antes que pudesse se redimir, o outro interrompeu. 


— Você... — Yoongi olhou para ele sem expressão no rosto, não teve outra reação a não ser surpresa e muita decepção. Ele já não reconhecia mais quem estava na sua frente. 


— N-Não foi isso que eu quis dizer Yoongi, e-eu... — tentou consertar a frase, mas não sabia o que dizer para mudar a merda que disse.



Aquilo foi o fim para Yoongi. Ele já havia ultrapassado os próprios limites ao se submeter a ouvir Taehyung. 


Então, atordoado e cansado, Min desistiu de falar com Kim já que ele não iria lhe estudar, não importa o quanto tentasse. 


Farto de ouvir tantas palavras dolorosas, ele segurou o colocar em uma mão e o poema em outra. Depois olhou uma última vez para ele e virou as costas.



— Espera. — Taehyung correu até ele e segurou sua mão — Eu disse aquilo porque estou puto com você, mas independente se você me traiu, eu... 


— Eu não te traí Taehyung. — ainda persistindo em sua verdade, Yoongi disse sem olhar para ele e afastou sua mão de Kim, depois voltou a caminhar.



Suga estava completamente destruído emocionalmente, seu mundo havia desmoronado. Ele havia escutado tanta dor que suas emoções tinham se formado em somente uma. 


Que agora era fria e triste. 


Depois de tudo o que ouviu, os sentimentos de Yoongi passaram a ser cinzas e tristes. No seu mundo já não havia mais cor.



— Yoongi espera... — Taehyung fechou seus olhos com força, arrependido de ter usado as palavras erradas para falar com ele.



Ignorando o pedido de Taehyung depois de ter escutado tanta maldade em forma de palavras, Yoongi simplesmente seguiu em frente. Ele parecia não ter mais sentimentos, estava tão magoado e ferido que nada mais poderia o atingir. 


Kim iria seguí-lo para tentar mudar a situação, mas quando foi atrás dele, avistou Hyuna indo até Suga para conversar com ele.



— O que eu estou fazendo? — Tae parou de andar e falou sozinho — É óbvio que eu não vou atrás de quem me traiu. — olhou com desgosto para Hyuna e Yoongi que estavam conversando mais a frente — Para de ser trouxa Taehyung.



Depois de dizer para si mesmo, Tae revirou os olhos e voltou a procurar a saída.



|| Com Yoongi:



— Eu juro que só quero conversar desta vez, Yoongi. — Hyuna tentou começar uma conversa civilizada — Por favor, me desculpe. Isso tudo é minha culpa. 


— Eu não sei o que eu te fiz para merecer isso, eu realmente não sei Hyuna. — olhou para ela com um olhar vazio, não tinha mais nada a perder — Mas de qualquer forma, eu te peço desculpas se eu fui uma pessoa tão ruim ao ponto de você desejar tanto a minha infelicidade. Se você fez tudo isso para se vingar de alguma coisa que eu te fiz, espero que esteja satisfeita, você conseguiu.



Yoongi passou por ela, sem deixá-la falar algo a mais e seguiu sem rumo para qualquer lugar. Suga seguiu reto até encontrar IU, que deu de cara com ele por coincidência.



— Yoon? — estranhou vê-lo de repente, principalmente com um semblante tão cabisbaixo — O que foi? 


— Eu perdi ele IU... — olhou para a amiga com lágrimas nos olhos e mostrou o colar que tinha rebentado em sua mão — Perdi para sempre. 


— Ah Yoongi... — ela engoliu o choro e o puxou para um abraço — Vai dar tudo certo meu bem, por favor não fica assim.



Suga desabou a chorar nos braços da amiga, não poupou as lágrimas e se entregou ao abraço. Ele precisava ser consolado naquele momento. 


E IU? Estava péssima só de vê-lo daquela forma.



— Yoongi eu só quero... — Hyuna veio logo atrás de Min, mas parou de andar imediatamente quando avistou IU com ele. 


— Some. — Jieun não esperou um segundo a mais para expulsá-la dali. 


— Me desculpe. — Hyuna fez uma reverência temerosa diante de IU e não hesitou em obedecer a sua ordem, saindo de perto deles no mesmo instante. 


— Yoon, olha para mim. — ela se afastou um pouco do abraço e levantou o rosto dele com a mão em seu queixo — Poupe suas lágrimas. 


— E-Ele... — soluçou, mal conseguia falar sem se derramar em lágrimas. 


— Eu disse que vou dar um jeito, então apenas confie em mim. — limpou o rosto do alfa e deixou um beijo amável na ponta de seu nariz — Eu não vou deixar que você pague por algo que não fez. 


— O que vai fazer? — acalmou o choro o máximo que conseguiu, mas ainda dava pequenos soluços. 


— Espera aqui, eu não vou demorar. — deixou um beijo suave na bochecha do amigo e sorriu para ele antes de ir à procura de Taehyung.



IU deduziu que ele já estava próximo da saída, então apressou os passos e foi até entrada principal. De longe conseguiu avistar a figura de Kim perto do armários, que ficavam logo na entrada. 


Ela estava pronta e disposta a contar toda a verdade para ele, não se importava com Hyuna ou com Kai, o Yoongi era a sua prioridade. Então ela não iria deixar que uma mentira arruínasse a vida de seu amigo.



— Taehyung! — chamou por ele antes que o mesmo saísse e ele atendeu o seu chamado, parando de andar — Eu posso falar com você? 


— IU. — olhou para ela e se esforçou para mostrar um sorriso amigável, porém triste — Eu não te vejo desde aquele dia na casa do Jimin, depois da festa. Por onde andou? 


— Cuidando de algumas coisas. — preferiu não dar detalhes do assunto pois seu objetivo era falar sobre outra coisa — Mas não é isso o que eu vim falar contigo. 


— O que é então? — ergueu a sombrancelha, curioso — Por favor diz logo, eu estou de saída, quero ir para casa. 


— Eu soube que você terminou com o Yoongi. — direta e objetiva, ela começou a falar — E eu acho que você está cometendo o maior erro da sua vida. 


— Como é? — franziu as sobrancelhas, surpreso com a audácia da garota e ofendido por não ter o apoio dela. 


— Você me ouviu. — permaneceu firme em suas palavras — Eu acompanhei de perto a reação que o Yoongi teve após o término e ele não está nada bem. 


— Agora eu entendi. — riu pelo nariz, falando ironicamente — Então você descobre que ele me traiu e decide ficar do lado dele? Caramba IU, eu não esperava isso de você. 


— Me poupe o seu deboche Taehyung, eu não tenho tempo para isso. — revirou os olhos, não tinha paciência para lidar com pessoas infantis — O Yoongi não te traiu. Mas você já sabe disso, só fica se negando a acreditar porque não passa de uma pessoa teimosa, ignorante e muito orgulhosa. 


— O que foi que disse?! — franziu o cenho, agora estava totalmente irritado. 


— Está surdo ou o quê? — cruzou os braços — Será que eu vou ter que desenhar para você me entender? Cabeça-dura do caralho. 


— Como tem coragem de vir até aqui para me dizer isso? Eu pensei que fosse a minha amiga! 


— Eu sou, por isso estou aqui te dizendo a verdade. Se quer que eu passe a mão na sua cabeça, está falando com a pessoa errada. 


— Mano, vocês só podem estar de brincadeira com a minha cara hoje. — olhou para o lado sorrindo ironicamente — Puta que pariu. 


— Eu estou do lado da verdade Taehyung, e você sabe qual é a verdade, então para de negar. — disse séria, não tinha medo de dizer a verdade para ele — O Yoongi não te traiu e se me deixar explicar o que realmente aconteceu, vai perceber que está cometendo o maior erro de sua vida. 


— Você acha mesmo que vai conseguir me convencer com esse papinho fajuto de que ele não me traiu? Ah pelo amor de Deus IU, eu vi com os meus próprios olhos! Nada que você ou o Yoongi disser vai me fazer mudar de ideia. Então deixa eu te dar um conselho: Não perde o seu tempo. 


— Porra como você é difícil. Só o Yoongi mesmo para te aturar. — suspirou o olhando impaciente e seguiu indo atrás dele, sem deixar de falar — Será que você não entende Taehyung? O Yoongi jamais faria isso contigo cacete! Abre os seus olhos antes que seja tarde!



•Flashback Taegi off•



— Eu já disse que não quero ouvir mais nada! — Taehyung descia os degraus da entrada do colégio rapidamente, contando os segundos para sair dali. 


— Mas você tem que me escutar cacete! — logo atrás dele vinha IU, furiosa porque não conseguia fazê-lo parar. 


— Escuta IU. — virou-se de frente para ela de imediato e a encarou seriamente — Você não vai me fazer mudar de ideia, então desiste de uma vez. 


— É assim que você quer? — cruzou os braços, sem paciência — Eu tenho a informação verdadeira que pode consertar tudo e você simplesmente não se importa? 


— Você quer me fazer acreditar no que não existe e eu não vou cair nessa. — respondeu com ignorância — Então me deixa em paz. 


— Taehyung pense muito bem antes de tomar qualquer atitude, porque eu estou perdendo a paciência com você. — bufou. 


— Ah vai à merda! — se exaltou — Você perdendo a paciência comigo? Faça-me o favor IU, você pensa que é quem? Fica se intrometendo na minha vida e ainda acha que tem direito de falar assim comigo? 


— Eu só quero te ajudar caralho, para de ser ignorante e me escuta! — gritou também. 


— Eu já disse que não! Olha IU, eu gosto da sua amizade, mas se você decidir que vai apoiar o Yoongi depois de saber o que ele fez comigo, você não é a minha amiga. 


— Então vai ser assim? — deixou que ele tomasse a decisão sobre o próprio futuro. 


— Vai. — nem pensou direito antes de falar e tinha medo que se arrependesse mais tarde, mas não mudou de posição por ser orgulhoso — Agora volta para lá e apoia o seu amiguinho, que é tão traíra quanto você. 


— Nossa Taehyung. — negou com a cabeça, não acreditava que alguém podia ser tão cabeça-dura — Eu esperava mais de você, mas tô vendo que estava certa desde o início em não confiar em você. 


— O que você pensa não me importa mais, adeus IU. — demostrou que queria que ela fosse embora. 


— Parabéns. — bateu palmas e depois mostrou-lhe o dedo do meio das suas duas mãos — Você acabou de perder o Yoongi e a mim. Faça bom proveito do que te resta agora.



Depois de se despedir da amizade que achava que tinha, IU vira as costas e volta para dentro do colégio, onde Yoongi estava.



— Idiota. — Taehyung revirou os olhos e voltou a seguir seu caminho até o estacionamento. Sentia dor por ter perdido duas pessoas naquele dia, mas não voltaria atrás na sua decisão.



Ela foi até o seu carro que estava no estacionamento do colégio e logo depois que entrou no automóvel, ouviu alguém bater no vidro do carro.



— Mas que saco! — murmurou, já estava explodindo de raiva depois daquela manhã difícil — O que é agora?



Quando Tae olhou para o lado, notou que era Jimin quem batia no vidro, querendo falar com ele.



— Ah... — se acalmou um pouco depois de ver que era o seu melhor amigo ali — Oi Chimchim...



Taehyung abaixou o vidro do carro e sorriu para ele quando avistou o mesmo sorrir carinhosamente.



— Iria embora sem mim mocinho? — Jimin tentou brincar com ele para descontrair o clima tenso e depois deu a volta no carro para entrar pela porta do passageiro. 


— Oh Ji, desculpa. — passou a mão no rosto, suspirando — Minha cabeça está tão pesada que eu acabei me esquecendo de que você veio comigo hoje. 


— Tudo bem amigo, esse não foi um dia fácil para nenhum de nós. — tentou levantar o seu humor — Quer me contar o que aconteceu? Eu vi você e a IU discutindo... 


— Ela estava me enchendo o saco dizendo que o Yoongi não me traiu e toda a mesma baboseira de sempre. — fechou os olhos por um momento e respirou fundo — Eu não aguento mais isso. 


— Amigo... — limpou a garganta, preocupado em como ele iria reagir a pergunta que estava prestes a fazer — Você acha mesmo que ele te traiu? 


— Você também Jimin? — olhou nervoso para ele no mesmo instante. 


— Calma, eu só fiz uma pergunta. — sei nem tentar antes, o ômega desistiu de falar com ele sobre este assunto tão delicado — Esquece, lembre-se que estamos de férias e tenta recuperar suas energias. 


— Queria passar essas férias contigo Chimmy. — deitou a cabeça no ombro dele. 


— Eu também, com você e com o Jungkook. — suspirou — Mas serão poucos dias, a gente vai se ver em breve. 


— Sim. — sorriu — Espera um pouco. — levantou a cabeça rapidamente e olhou para ele — Como assim "Com o Jungkook"? 


— Ah... — corou — Nós estamos quase voltando. — explicou com um sorriso feliz — Ele fez um vídeo tão lindo para mim TaeTae, me disse palavras tão lindas... 


— Eu não tô acreditando que você voltou com ele, Park Jimin. — para a surpresa do amigo, a reação que Taehyung teve não foi positiva — Perdeu o juízo? 


— Por que isso é algo ruim? — seus olhos brilharam como os de um gatinho assutado — Eu amo ele Tete e ele me ama... 


— Amigo ele te usou para cumprir uma aposta! — faltou gritar com ele para que o mesmo entendesse a gravidade da situação diante de seus olhos — Já se esqueceu Jimin? Cacete. 


— Ele se arrependeu Tae, me pediu perdão e prometeu que nunca iria me magoar de novo. 


— E você acreditou, não é? — negou com a cabeça — Porra Jimin, às vezes parace que você gosta de ser feito de trouxa. 


— Por que está falando assim comigo? — começou a se ofender com as palavras dele. 


— Desculpa Chimchim, eu não quero ser grosso, só não quero ver você chorando por causa do idiota do Jungkook de novo. Olha o que ele fez contigo da última vez. 


— Eu sei Tae, não precisa falar assim dele... — cruzou os braços, emburrado — Eu agradeço por cuidar de mim, mas eu sei o que estou fazendo. 


— Sabe mesmo? — ergueu a sombrancelha, desconfiado — Porque não parece. 


— Eu não quero mais falar sobre isso, vamos para casa por favor. — colocou o cinto de segurança e olhou para frente. 


— Tudo bem. — fez o mesmo que ele — Só por favor Ji, pense bem no que vai fazer. Eu não quero que se magoe por causa dele de novo, sabe que falo isso porque te amo. Não sabe? 


— Eu sei TaeTae. — tentou ser compreensível, sabia que no fundo Tae só estava preocupado consigo — Eu também te amo, mas você precisa tomar cuidado com o que fala e em como fala. Você magoa as pessoas e nem percebe. 


— Me desculpa, eu vou tentar mudar nisso. — beijou a bochecha dele — Mas se lembre sempre do que eu te falei: Alfas como ele não são confiáveis. 


— Eu me lembro, não se preocupe. — suspirou — Agora podemos ir? 


— Claro. — deu partida no carro e começou a dirigir para casa — Me ajuda a fazer a mala? 


— Só se você me ajudar a fazer a minha. — deixando a discussão de lado, ambos já estavam sendo os melhores amigos de sempre. 


— Isso é impossível Jimin-ssi, você quer levar a sua casa toda contigo uai. — gargalhou — Nem toda mala do mundo é o bastante para guardar todas as coisas que você quer levar. 


— Que exagero! Você que gosta de levar uma mala só para os sapatos, outra só para as jóias, outra só para as maquiagens... 


— Ei, ei! — interrompeu rindo — Pode parar de mentir, eu levo somente o essencial. 


— Atabom. — revirou os olhos, descordando — Depois quer falar de mim.



[...]



Depois de se despedir do ômega e fazer as pazes com o amor da sua vida, Jungkook teve seu dia cem porcento renovado. Porém, cinquenta porcento diminuíram quando ele avistou Yoongi aos prantos no colo de IU. 


Ele havia voltado para dentro do colégio em busca dos amigos para saber o motivo da briga entre Taehyung e IU, mas assim que viu o estado em que seu amigo estava, desejou ser forte o suficiente para lidar com aquilo sem chorar com ele.



— Ei... — Jeon foi até os amigos, que estavam no banco do pátio interior do colégio — O que houve? 


— Houve que o Taehyung é puta de um escroto. — como IU ainda estava muito nervosa, ela não poupou as ofensas contra o alfa que partiu o coração do seu amigo. 


— Yoon. — Jungkook se agachou na frente do platinado e segurou nas mãos frias e pálidas do mesmo — Eu sinto muito. 


— É... — ele suspirou, deixando uma lágrima solitária cair sobre suas mãos, depois mostrou-lhe um sorriso triste pelo canto dos lábios, ainda com a cabeça baixa — Eu também.



Jungkook olhou brevemente para IU, estava com um semblante sofrido por ver o amigo tão mal. A garota tinha o mesmo olhar, embora estivesse enfurecida, ela não deixava de ter pena de Yoongi. 


Ambos os amigos sabiam que Suga passava por um momento difícil e que ele sentia uma dor enorme apertando o coração. Dele e dos amigos consequentemente. 


Eles queriam poder ajudá-lo, mas como?



— Chega. — depois de tanto tempo em silêncio vendo o alfa derramar lágrimas inconsoláveis, IU se incomodou — Vamos para casa. 


— Eu acho uma ótima idéia. — Jungkook apoiou no mesmo segundo, na tentativa de animar o amigo — Filme de terror e muito chocolate quente? 


— Hum, delícia! — Jieun limpou as lágrimas do platinado e fez um carinho em seu rosto — O que acha Yoon? 


— Eu acho que vocês são os melhores amigos do mundo. — tentou sorrir sem parecer tão triste — Obrigado por tudo, eu não sei o que seria de mim sem vocês. 


— Aaaa para de ser fofo, peste fofa do cacete! — ela deu vários beijinhos na bochecha dele — Abraço coletivo!



IU juntou os amigos em um único abraço, forçando Yoongi dar leves risadas. Jungkook e Jieun estavam ali para apoiar o amigo em qualquer situação, então eles fariam de tudo para vê-lo alegre outra vez.



— É uma dádiva ter a IU tão meiga e carinhosa com a gente Yoon. — Jungkook observou, rindo — Aproveita. 


— Palhaço. — lhe deu um pescotapa, fazendo cara feia para ele. O que acabou fazendo Yoongi rir, deixando os amigos felizes por ele estar se divertindo com a briga deles. 


— Rindo da minha desgraça, não é? — Jeon deu um empurrãozinho dele, brincando — Belo amigo você.



* Sino do colégio toca, avisando o começo do intervalo*



— Essa é a nossa deixa. — IU arruma os cabelos de Yoongi e o incentiva a levantar do banco — Vamos, vai indo para o carro com o Jungkook que eu já encontro vocês. 


— Tá bom. — Suga concordou, meio sem ânimo. 


— Para onde você vai? — o curioso logo pergunta. 


— Buscar minha mochila, diferente de vocês, eu ainda me importo com o meu material. — respondeu para Jungkook. 


— Se importa nada, só tem preguiça de comprar novos materiais escolares. — gargalhou. 


— Calúnia. — riu também. 


— Eu te conheço IU. 


— Eu sei. — revirou os olhos, resmungona — E eu te odeio por isso. 


— Odeia nada, você me ama que eu sei. 


— Eu vou deixar você se iludir porque tenho pena de acabar com a sua fantasia. Por incrível que pareça, eu não sou o bicho papão que devora o conto de fadas de pessoas inocentes como você. 


— Que bom? — deu risada, meio confuso com a complexidade das palavras da amiga — Então você poderia fazer a gentileza de ir até a nossa classe e buscar as nossas mochilas, não é? 


— Eu virei empregada por acaso? — cruzou os braços com seu deboche estampado. 


— Não, mas virou a nossa irmã. — sorriu como um gracioso coelhinho e usou toda a sua fofura para conseguir o que queria — Vai por favor, maninha. 


— Aish que saco! — murmurou quando percebeu que iria ceder a fofura do alfa — Tá bom, eu busco. 


— Obrigado, obrigado, obrigado. — deu alguns beijos na bochecha dela, fazendo a menina corar. 


— Tá, agora me solta antes que eu mude de idéia. — murmurou — Você tem sorte por ser fofo, coisa irritante. 


— Gente eu vou esperar vocês no carro, tá? — Yoongi diz meio abatido — Eu estou um pouco cansado.



Sem esperar por respostas, Suga pega as chaves do carro de seu amigo e vai em direção do estacionamento.



— Eu juro Jungkook, juro que vou fazê-lo superar. — IU diz quando Min se afasta o bastante para não ouvir a conversa deles — E quando ele conseguir superar, eu não quero que o Taehyung chegue perto dele. 


— E se o Taehyung se arrepender e querer voltar atrás dele? — Jungkook supôs, preocupado com o que aconteceria futuramente. 


— Eu meto a minha mão na cara dele. 


— IU... — deu uma risadinha, mas por dentro estava meio preocupado com o que ela faria. 


— Deixa eu terminar. — continuou — Eu meto a minha mão na cara dele e só depois deixo o Yoongi decidir o que vai fazer. Mas isso só acontecerá se ele não tiver superado ainda. — franziu o cenho, mostrando que estava falando sério — Porque se Yoongi conseguir superar o Taehyung antes que ele tome vergonha na cara e se arrependa da merda que está fazendo, não tem nada nesse mundo que me faça mudar de idéia. 


— Que o Taehyung se arrependa à tempo então. — Jeon rezou internamente, sabia que IU não brincava em serviço. 


— Se Taehyung não for burro o bastante para perder o Yoongi, ele vai voltar. Mas de qualquer jeito eu vou meter a minha mão na cara dele. 


— Que eu esteja perto para ver isso. — brincou, mesmo sabendo que ela falava sério. 


— Adora uma treta você, hein. — deu uma risadinha divertida — Mas enfim, onde vocês sentam? Eu preciso saber qual mochila pegar. 


— Na antepenúltima carteira do canto direito. — informou — Obrigado por fazer esse favor. 


— Aham, disponha. — olhou para ele pelo canto dos olhos — Você está mais feliz que hoje de manhã. Por que? 


— Como você é observadora hein garota, você nota até a direção do vento se deixar. — brincou fazendo-a rir, mas ela logo voltou a questionar. 


— Vai me contar que voltou com o Jimin ou não? — cruzou os braços brincalhona, já sabia o motivo da felicidade do amigo. 


— Sim, eu vou! — sonso, ele não raciocinou que ela já sabia — Nós ainda não voltamos oficialmente sabe? Ele me pediu um tempo para pensar, mas as coisas já estão se alinhando! — comemorou. 


— Que bom Jeikei. — deu risada, percebendo que ele nem havia notado que ela já sabia — Fico muito feliz por vocês, eu disse que ia dar tudo certo. 


— Você nunca erra IU. — deu um beijo na bochecha dela e sorriu.



|| Perto deles:



— Espera aqui pãozinho, eu vou ao toalete e já volto. — Jennie avisa antes de deixar um beijo na bochecha do namorado e ir ao banheiro. 


— Eu vou lá buscar as mochilas, vê se não arranja encrenca Jeikei. — avistando Kai logo a frente, IU já se preocupou. 


— Não se preocupe, pode ir. — forçou um sorriso amigável, mas assim que a menina saiu de perto, Jungkook transformou seus olhos castanhos em vermelhos brilhantes — Eu vou matar esse desgraçado.



Enquanto IU ia buscar as mochilas, Jungkook adiou a ìda até o carro para fazer companhia a Kai. Ele fechou os punhos, estralou o pescoço e mostrou suas garras. Estava pronto para uma luta. 


Avançando os passos sem pressa, Jungkook foi até Kai com seus olhos vermelhos de alfa, presas afiadas como as de um predador e garras pontudas prontas para matar e rasgar a pele de qualquer ser vivente. 


Quando estava perto o bastante para avançar no alfa alheio, Jeon arranhou as garras no armário dele, deixando Kai ciente de que estava na presença de Jungkook.



— Cacete. — Kai virou-se prontamente de frente para Jeon quando se assustou com o som doído das unhas arranhando o metal — Você me assuntou. 


— Olá Kai. — sorriu perigosamente para ele, Jungkook já havia se transformado em um mostro completo — Sentiu saudades?



[...]



IU passou na sua sala de aula e pegou sua mochila, depois, foi até a classe dos Alfas para buscar as mochilas dos amigos. Procurou a sala correta - como Jungkook havia lhe dito - e pegou o material escolar dos amigos. 


Quando ela já estava saindo, sentiu alguém tocar em seu ombro. Então, virou-se de frente para a pessoa e olhou para quem a chamava.



— Hyunjin! — abriu um sorriso adorável e lhe deu um abraço — Por onde andou, garoto? 


— Por onde você andou, garota? — devolveu o carinho, enfatizando o "você". 


— Cuidando de três alfas chorões. — brincou, mas por dentro sentia pena deles. 


— Eu soube... — se referiu ao término dos casais na última festa — Como eles estão? 


— Sendo honesta, eles estão bem mal. — mexeu em uma mecha do cabelo, se sentindo péssima pelos amigos — O cuzão do Kai desgraçou tudo. 


— Aish, diga a eles que eu sinto muito. — sentiu-se desconfortável com a notícia ruim. 


— Eles sabem. — sorriu para confortá-lo — Mas e então? Agora estamos de férias! Vai mesmo para os EUA? 


— Vou sim. — sorriu, coçando a nuca envergonhado — Quis aproveitar as férias para visitar a universidade de Havard em Cambridge, Massachusetts. 


— Ah sim. E você vai ficar no dormitório ou fora do Campus. — ela perguntou. 


— Então... — deu uma risadinha — Eu queria alugar um apartamento fora do Campus porque assim eu teria menos obrigações e mais liberdade, sabe? A universidade quase não permite nada para quem usa os dormitórios de lá. Exitem tantas regras... Se eu dormisse fora do Campus seria bem melhor. 


— Fugindo de dormir cedo não é mocinho? — brincou — Mas enfim, espero que goste de lá. Afinal, você vai estar realizando o seu sonho. 


— Obrigado. — corou — Mas e você? Vai visitar seus parentes com a família? 


— Não sei... — suspirou, insegura — Os meus amigos estão precisando de apoio, eu não quero deixá-los. Principalmente o Yoongi, eu não vou virar as costas para ele quando ele está precisando de ajuda. 


— É um gesto muito nobre da sua parte IU, é lindo mesmo. — sorri — Mas e quanto à você? Eu sempre vejo você se dedicando pelos outros, principalmente pelos seus amigos. E eu sei que eles estão precisando de você agora, mas quando vai tirar um tempo para si mesma? Você me disse que faz dois anos que não vê seus tios e primos, disse que faz tempo que não se diverte em família. E quando você tem a chance de ir viver a sua vida, decide ficar aqui? 


— Eu não vou deixar os meus amigos, Hyunjin. — permaneceu firme em sua decisão — Eu amo minha família, mas meus amigos são minha prioridade no momento. Eu posso visitá-los em outra oportunidade. 


— Entendo. — sorriu outra vez — Por favor, não pense que eu estou sendo contra a sua bondade IU, eu só me preocupo com o seu bem-estar. 


— Eu sei. — deu um beijo na bochecha dele — E eu agradeço por isso, mas eu sei o que estou fazendo e vou ficar aqui com eles. 


— Você quem manda, senhorita Lee. — brincou — Agora me dê essas mochilas, deixa eu te ajudar. Eu te acompanho até a saída, tô vendo que vai matar as últimas aulas. 


— Valeu. — entregou duas mochilas para ele segurar mas ainda ficou segurando a que lhe pertencia. 


— O que é? Está tão ansiosa para as férias que decidiu matar aula? — gargalhou. 


— Não besta. — lhe deu um pescotapa — Estou indo mais cedo para cuidar do Yoongi. Ele teve uma manhã difícil hoje. 


— Ah... — se sentiu mal por ele — Me desculpa. 


— Ei, relaxa. Você não sabia. — tentou animá-lo — Agora vamos.



|| Enquanto isso, com Jungkook:



— Achei que não iria aparecer no colégio hoje, depois que o Jimin te deu um pé na bunda. — Kai zombou, o mesmo debochado de sempre — Bonito vídeo. 


— É melhor parar de falar se não quiser que eu arranque esse sorrisinho cínico do seu rosto. — Jeon o ameçou, sem um pingo de medo no olhar. 


— Ou o quê? — continuou zombeteiro.



Impaciente e tremendo de raiva por tudo que Kai fizera com ele e seus amigos, Jungkook apertou em suas mãos a gola da camisa que o outro usava e o empurrou contra o armário atrás de si. 


Jeon levantou o corpo do alfa poucos centímetros do chão e o prensou contra o armário, sem soltar as mãos da gola dele. 


Obviamente e sem demora, os alunos que estavam perto se reuniram imediatamente em uma rodinha para ver a briga deles. 


Como o corpo de Kai fez um barulho alarmante quando se chocou contra o armário, os demais alunos se aproximaram como moscas ao mel. 


Segundo a segundo chegavam mais plateia para ver os dois alfa que se encaravam com rivalidade. Eles trocavam faíscas de ódio um contra o outro.



— Eu disse que se plantasse algum mal contra o meu ômega, sua namorada burra iria colher. — Jungkook relembrou, o queimando com seus olhos enfurecidos. 


— Tira suas mãos de mim! — empurrou Jeon para longe de si e começou a arrumar a camisa. 


— Espero que tenha se despedido da sua namoradinha sonsa. — deu uma risada malvada — Porque eu vou te matar agora mesmo. 


— Pode vir então, machão. — deu socos no próprio peito, chamando Jungkook para lutar.



Sem tardar, Jungkook avançou na direção de Kai com socos e murros. Havia aguardo tempo o suficiente para aquela briga. 


Jeon com um só murro, arremessou o corpo de Kai ao chão. Depois subiu em cima dele para continuar com os golpes. Kai estava apanhando de Jungkook a princípio, mas logo tentou se defender e golpeá-lo também. 


Os alunos já estavam eufóricos com a luta entre dois alfas que aparentemente eram amigos. Comentários animados eram feitos por todos e apostas já estavam sendo lançadas sobre quem venceria esta luta. 


Kai, por sorte, conseguiu trocar as posições e ficar por cima - dando alguns murros no rosto belo de Jungkook. Ambos já tinham cortes na boca e rostos sangrando em algumas partes.



— Ai porra. — Taemin, que passava bem na hora, avistou a briga e se alarmou.



Ele correu pelos corredores do colégio à procura da primeira pessoa que visse, sua meta era encontrar IU ou Yoongi pois eles saberiam o que fazer. 


Coincidentemente, Taemin acabou por esbarrar em IU e Hyunjin quando corria para procurá-la.



— Caramba IU! — ofegante, ele comemorou brevemente por encontrá-la — Te achei. 


— O que deu em você menino? — riu de nervoso pois ficou assustada com a aparição dele de repente. 


— Você tem que vir comigo agora! — falou meio agitado, estava super preocupado — Eles vão se matar! 


— Quem vão se matar? — Hyunjin perguntou, se preocupando da mesma forma que IU ao seu lado. 


— O Jungkook e o Kai! — disse afobadamente — Eles estão brigando perto dos armários! 


— Puta que pariu. — IU arregalou os olhos, agora ela estava com o dobro da preocupação — Caralho, segura aqui Hyunjin.



Jieun deixou a única mochila que segurava com Hyunjin e correu o mais rápido que pôde até o local onde eles brigavam. Como estava muito preocupada com Jungkook, ela nem esperou os outros dois que ficaram para trás.



— Eu te ajudo. — Taemin dividiu o peso das mochilas com Hyunjin e logo em seguida eles foram atrás de IU.



Quando a ômega se aproximava do local, ela já podia escutar os gritos e barulhos causados pela luta. Seu coração já estava apertado como o de uma mãe preocupada com o filho. 


Ou no caso, o de uma irmã preocupada com o irmão.



— Licença, licença! — ao chegar lá, ela tentou passar no meio da multidão para conseguir ir até Jungkook — Sai da frente porra! — gritou alto com quem estava ao redor, impaciente pois não conseguia passar.



Com o grito, as pessoas abriram caminho para ela, dando a visão de dois alfas trocando socos no chão. 


Jungkook agora, estava sobre Kai novamente, esmurrando a face dele sem dó ou piedade. Ele havia apanhado também, mas a surra que estava dando em Kai nem chegava aos pés da que ele recebeu. 


Jeon batia no alfa com toda a sua força, depositando todo o seu ódio por tudo o que Kai fez para ele e seus amigos. Jungkook nem sentia dor, pois a dor que estava proporcionando a Kai, aliviava seus machucados. 


Com aquela luta, Jeon queria vingança, queria justiça por ele e seus amigos. 


E não iria parar até ter o sangue de Kai escorrendo o bastante em suas mãos.



— Meu Deus! — IU ficou apavorada quando viu seu amigo com o rosto ferido e as mãos machucadas — Jungkook!



Jieun, sem pensar duas vezes, passou pelas pessoas e correu para ajudar Jungkook. Ela foi até eles e interferiu no meio da briga.



— Jungkook para! — vendo que Kai já não estava mais reagindo, ela impediu que ele continuasse — Jungkook! — segurou o pulso direito dele, do qual Jeon usava toda a sua força para bater no outro. 


— Fica longe IU, eu não quero te machucar! — com uma só mão, Jeon empurrou Jieun para longe da briga para que ela não se ferisse e voltou a esmurrar Kai. 


— Kai! — depois de ver tanto tumulto, Jennie voltou do banheiro e quase teve um infarto quando viu o corpo do namorado quase desacordado deitado debaixo de Jungkook — Ahhh! — gritou e começou a chorar. 


— Jeikei para! — IU voltou para perto dele e subiu em suas costas — Para! Você vai matá-lo! 


— É isso o que eu quero cacete! — parou a luta por um momento e tentou tirá-la de cima de si. 


— Meninos me ajudem! — desesperada, IU pediu socorro a Taemin e Hyunjin que estavam apavorados observando a cena — Segurem ele!



Prontamente, os amigos foram até eles e ajudaram Jieun a acalmar o alfa descontrolado que Jungkook havia se tornado. Hyunjin segurou os braços do moreno e Taemin tomou conta de segurar a cintura dele, para que o mesmo não se movesse. 


Eles levantaram Jeon de cima do corpo de Kai e o colocaram em pé, longe dele.



— Kai! — rapidamente, Jennie e alguns amigos dele foram até o mesmo, ajudando o alfa a se recompor e deixando-o longe de Jungkook. 


— Me solta porra! — gritou, super furioso com a atitude dos amigos em lhe impedir de matar o alfa — Me solta! 


— Jungkook olha para mim. — IU foi para a frente dele e segurou o rosto do amigo com as duas mãos, fazendo-o prestar atenção nas suas palavras. 


— Manda eles me soltarem IU, eu vou matar esse desgraçado! — insistiu em lutar, fazendo de tudo para se livrar dos amigos que o prendiam. 


— Pode vir, valentão! — mesmo sem forças para prosseguir na luta, Kai o desafiou. Era orgulhoso demais para aceitar que foi derrotado. 


— Você, cala a merda da boca! — IU virou para ele e ordenou — Você não tem nem condições de continuar essa briga então se não quiser morrer, é melhor ficar de bico calado! 


— Eu não tenho medo dele! — retrucou, insistia em desafiar Jeon, chamando ele para continuar essa luta. 


— Você quem sabe! — por estar com muita raiva, os olhos de IU brilharam, se tornando azuis sem que ela percebesse — Mas se eu soltar o Jungkook agora, ele te mata! 


— Não! — Jennie ficou pálida de tanto medo, logo Lisa e Jisso, que estavam no banheiro, chegaram para ver o que estava acontecendo.



Automaticamente, os olhares de Taemin e Lisa se encontraram. Taemin perdeu o foco por um segundo e quase deixou Jungkook escapar se não fosse a ajuda de Hyunjin. 


Depois da apresentação dos trabalhos, a tensão entre eles era nítida. Lisa teve até que ir ao banheiro para chorar depois que viu o lindo quadro com a sua caricatura desenha pelo ex.



— Você já sabe o seu destino Kai. — IU ameaçou, mais nervosa impossível — Se continuar com essa luta, você morre. 


— Kai, não! — Jennie implorou ao seu lado — Por favor, para com isso... 


— Se não quer ver a morte do seu namorado, é melhor fazer ele calar a boca. — IU disse diretamente para Jennie — Eu estou perdendo a minha paciência. 


— Kai. — passou a mão no rosto dele, limpando o sangue escorrido no canto da boca do namorado — Dê um fim nisso. 


— Tudo bem... — por amor a namorada, ele renunciou ao desafio — Eu jogo a toalha. 


— Não! — inconformado com a rendição do rival, Jungkook logo protestou — Não seja covarde e lute, seu filho da puta! — foi a vez dele ser o desafiador. 


— Chega Jungkook. — antes que a briga começasse de novo, ela tentou acalmá-lo — Não faz isso. 


— Mas olha o que ele fez com a gente IU! — reclamou, bufando — Esse miserável merece pagar! 


— Eu sei Jungkook e acredite, eu quero isso tanto quanto você. — tentou manter a calma ou iria surtar como ele — Mas não desse jeito. Esse não é você Jeikei... — sabia que o amigo estava fora de si. 


— Esse sou eu! — insistiu, tentando avançar no alfa. Mas os amigos não o deixavam mover um passo — Caralho, me solta! 


— Não, não é. — voltou a cor dos olhos normais e respirou fundo, calmamente — Você é bom, Jungkook. Diferente dele, você tem bondade no coração. Então não se rebaixe ao nível dele, não seja como ele. Mostre para ele que você é diferente, mostre que é superior. 


— Mas ele... — as palavras da amiga estavam surgindo efeito e aos poucos ele já estava voltando ao normal. 


— Prioridades Jungkook, nós temos prioridades. — ela lembrou, compreensiva — E quem é a nossa prioridade agora? Hum? 


— O Yoongi... — fechou os olhos e respirou fundo, tentando se libertar do seu lado selvagem naquele momento. Ele sabia que estava muito perigoso e que precisava manter a calma. 


— Isso mesmo. — sorriu, fazendo um carinho nos cabelos dele, tentando acalmá-lo ainda mais — Lembre-se dele, ele precisa de nós. Lembre-se do Jimin... 


— Aish... — suspirou, abrindo os olhos lentamente, o velho Jungkook estava de volta — Me desculpa IU. 


— Vem aqui. — ela deu sinal para os amigos, dizendo que eles já podiam soltá-lo. E depois disso, Jieun o abraçou — Respira, seu lobo descontrolado. 


— Aish. — ele conseguiu dar uma risada — Obrigado IU, se não fosse você... 


— Eu sei, não precisa me agradecer. — se separou e sorriu — Agora vamos.



Antes que ele saísse com os amigos, Jungkook foi até Kai - que estava sentado no chão, se recuperando - e encarou seu rival friamente.



— Jungkook... — IU o chamou, preocupada com o que ele faria e se iria começar outra briga. 


— Isso não acabou. — lhe avisou, com os olhos cheio de raiva e rancor — Eu vou fazer você pagar, Kim Jong-in. 


— Eu vou estar esperando, Jeon Jungkook. — mesmo machucado e todo dolorido, ele ainda conseguiu dar um sorriso, debochado é claro. 


— Aproveita enquanto pode, filho de Satã. — ameçou o alfa e depois olhou para a namorada dele, que estava ao lado — E você, Kim Jennie... 


— Não se atreva. — ele interrompeu, desta vez fazendo cara feia. 


— Eu vou voltar para te buscar. — ignorou o alfa e disse para a garota, que tremeu de medo


— Vem Jungkook. — IU voltou para perto dele para buscá-lo e segurou sua mão — Não vale a pena


— Tem razão. — voltou a olhar para Kai e sorriu vitorioso — Ele não vale a pena


— Os gestores estão vindo! — um dos estudantes na multidão gritou, fazendo todos se espalharem como folhas ao vento


— Vamos Jeikei. — com medo que o amigo tivesse problemas um dia antes das férias, IU o puxou para fora do colégio — Vem gente. — chamou os outros dois que os seguia



Os três alfas e a ômega saíram juntos e foram em direção ao estacionamento. Deixando Kai e os amigos dele para tr



— Começa a explicar. — mesmo preocupada com o namorado, Jennie exigiu satisfaçõ



☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎


°•°•°•°•°•°•°•°•


☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎|☯︎



"Os Jikook dessa fic tem muita vibe The Neighbourhood" — <3


Notas Finais


Obrigada por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...