História A aposta das trevas - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Descendentes, Fantasia, Malévola (Maleficent)
Personagens Ally, Carlos de Vil, Chad, CJ, Dizzy, Evie, Freddie, Gil, Harry Gancho, Jane, Jay, Jordan, Lonnie, Mal, Malévola, Personagens Originais, Princesa Audrey, Princesa Aurora, Príncipe Ben, Ruby, Uma, Zevon
Visualizações 51
Palavras 677
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi! Cap Novo é hot 😈

Capítulo 16 - "Bad romance"


Narração

(Ela fica ppensativa por um segundo.)

Chernabog: oque foi?

Malevola: acha que...estamos fazendo a coisa certa, sinseramente eu ja perdi meu jeito com criança a muito tempo e vc bem...nunca teve

Chernabog: eu aprendo, ninguém nasce sabendo, vc ja disse que quer nem venha mudar de ideia agora amor

Malevola: tá, tá bem, eu não vou mudar de ideia, vcs venceram

Chernabog: depois de tanta luta, foi mais fácil vencer a guerra doque ti convenser a ter um filho meus deuses (diz fazendo a mesma rir.)

Malevola: isso eu não posso negar

2 dias depois

(Madrugada deitada na cama sem conseguir dormir, o corvo voa até a mesma com o comunicador no bico entregando pra mesma, sabendo que o homem também não conseguirá dormi apenas clica no emblema de caveira.)

-comunicador-

Chernabog: oi amor (fala com voz de sono.)

Malevola: ti acordei?

Chernabog: não, eu to mexendo em alguns papéis, não consegui dormi sem vc

Malevola: também não, tô com saudade quando volta?

Chernabog: amanhã porvalvemente de madrugada

Malevola: porque isso?

Chernabog: fusorario tenho que voltar pra Auradon de avião, por causa do Reizinho não posso tele-portar de longas distâncias. E vc ta bem?

Malevola: só entediada

Chernabog: somos dois, amor quer que eu leve alguma coisa?

Malevola: não, so que vc volte logo

Chernabog: e so ou viajar pra vc ficar manhosa quando eu to ai só falta mi matar

Malevola: exagerado

Chernabog: te amo, te amo demais

Malevola: também (diz bocejando.)

Chernabog: melhor vc dormir amor

Malevola: sem vc aqui não dá

Chernabog: vc ta cansada, amanhã ficamos juntos denovo, amor não mi espere acordada

Malevola: não prometo nada. Te amo

Chernabog: também minha rainha

(Madrugada do dia seguinte, o homem chega fechando silenciosamente a porta, ele vê a mulher deitada no sofá adormecida ele si aproxima e acaricia o rosto da mesma.)

Chernabog: eu disse pra não mi esperar amor (diz baixo, sem acordar a mulher ele a pega no colo delicadamente e a leve pro quarto onde a deita na cama a cobrindo com o lençol, si deitando e a abraçando por trás, ela si vira escondendo o rosto no peito do mesmo. Na manhã seguinte, Malevola acorda sentindo ele com sigo, ela sorri e beija o rosto do mesmo, si sentando na cama.)

Malevola: quando chego?

Chernabog: umas 4 ou 5 da manhã (diz sem abrir os olhos. Chernabog a beija um beijo repleto de malícia e desejo, pedindo passagem e ela sedi do mesmo instante deixando suas línguas transarem uma com a outra, a deitando delicadamente sobre a cama suas mãos percorrem todo o corpo esculpido da mulher, ela pecore o peitoral do homem, colocando suas mãos por dentro da blusa do mesmo, a desabotoando com certa rapidez, ele passa a mão sobre a barriga da mulher em seguida seu seio apertando um pouco sobre o vestido, em seguida para as alças do vestido as descendo, revelando os seios ainda cobertos pelo sutiã de cor vermelha, tirando todo o vestido com urgência o jogando para qualquer canto, o beijos desceram para o pescoço da mulher, beijos misturavam com mordidas e chupoes que faziam com que a mulher sultace suspiros pesados, carregados de luxúria, oque apenas o incentivava a continuar e ir mais longe, ela desce suas mãos pelo peito do homem até sua cintura até o botão da calça do mesmo, a abrindo, ele a tira com facilidade, a jogando no chão o deixando só de cueca, ela põem as mãos por dentro da coeca do mesmo ele geme em seu ouvido e morde seu pescoço, com o simples toque, ela acaricia a região rígida, ele a morde na tentativa de evitá um gemido mais alto, na tentativa de para aqueles toques, ele desce seus beijos até os seios da mulher, tirando a única peça que os cobria os grandes seios da mulher, ele dá mordias e chupoes naquela região, ela mantém suas a acaricialo, tais carícias fazem com que ele não consiga si concentrar, ou controlar seus suspiros pesados e carregados de luxúria e desejo, ele morde o bico dos seios da mulher, com delicadeza queria que ela parece de acaricialo ali, não lhe calsar desconforto, ela tira as mãos dali.)


Notas Finais


Teremos a parte 2 ainda, amanhã sai. Bjs 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...