História A Aposta Vkook - Taekook (REESCREVENDO - nova versão) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga)
Tags A Aposta, Bangtan Boys (BTS), Kooktae, Kookv, Taekook, Vkook
Visualizações 155
Palavras 2.220
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


DEMOREEEEEEI MAS VOLTEI♥️

NÃO É ♥️?

QUASE UM MÊS NÉ

MAS ENFIM, COMO DISSE, MUDOU UM POUCO DE RUMO A HISTÓRIA. SE ESTIVER UMA BOSTA PODE COMENTAR "BOSTA"

SINCERIDADE É TUDO 😂😂😂

E MESMO SE TIVER UMA BOSTA, VAI CONTINUAR UMA BOSTA PORQUE EU VOU CONTINUAR FAZENDO A BOSTA.

Kjkjkjkjkjkkkjjkkkkkkj

Boa Leitura ♥️♥️♥️♥️♥️♥️♥️♥️

Capítulo 10 - Capítulo X


Fanfic / Fanfiction A Aposta Vkook - Taekook (REESCREVENDO - nova versão) - Capítulo 10 - Capítulo X

A única forma de encontrá-lo à tempo, era pelas escadas. Taehyung caminhava desgovernado até a saída.

— Taehyung, meu amor, calma, por que não me esperou? — limpou rapidamente as lágrimas com a manga da camisa — por que tá chorando?

— Eu que sou o mau caráter não é? Jogou isso na minha cara, Você me jogou fora, e na primeira oportunidade, agarra e arrasta um bonitão pra dentro de sua casa? Mas tudo bem, eu não sou nada seu mesmo.

Taehyung continuou andando deixando Jungkook pra trás.

— Você é meu namorado Taehyung. — o garoto parou de andar e se virou para o mais velho.

— Não... Eu não sou, mas bem que queria ser... Tchau Jungkook.

Vê-lo sair chorando, partia o coração do professor, o menino tinha sentimentos, mas não era Jungkook quem tava magoando, porquê não fez nada de errado, era a vida e suas circunstâncias. Retornou pra dentro tristonho.

— O jantar tá pronto Coelhinho. Achou seu amigo? — respondeu o mais velho pondo a mesa.

— O que você veio fazer aqui Dak-ho? Destruir minha vida, não foi?

— Não Coelhinho, só quero fazer as pazes com você.

— Some durante dois anos e volta com esse papinho? — Jungkook vai até o armário da cozinha e volta com uma faca — Anda vai embora!

Dak-ho põe a mão na testa em reprovação, Jungkook, em sua opinião, precisava amadurecer, sentou na cadeira enquanto o professor se aproximava do ex professor.

— Você acha que vai me assustar? Chega mais perto deixa eu te contar uma coisa.

Lentamente Jungkook se aproximou, mas ainda se mantinha atento. O outro, tomou a faca de suas mãos e colocou sobre a mesa, pôs o pé no caminho fazendo Jungkook desequilibrar e cair em seu colo.

— Você sabe que está sendo ridículo, não sabe — abraçou o menor pela cintura.

— Me solta seu imbecil! Vou chamar a polícia! Vai embora!

— Eu vou, vou sim... Mas eu volto. Até logo meu Coelhinho... – Piscou para Jungkook antes de sair.

O que foi isso que acabou de acontecer? Jungkook senta na cadeira com as lágrimas invadindo seu rosto. Já não bastava Yoongi atrapalhando tudo? De onde diabos surgiu Dak-ho e porquê justo agora? Por quê relembrar todo aquele passado doloroso? Mas o que mais incomodava era ele ter feito questão de lembrar da desgraça que os separou.

Agora Taehyung estava chateado consigo sendo que não tinha culpa de nada. Ligou, mandou mensagem e nada dele responder, maquinava em sua cabeça o que ele disse, e então começou a refletir, ele tinha razão em dizer que não era nada seu, já que o próprio Jungkook, o tratava com arrogância toda vez que ele falava de relacionamento e de amor.

O som de notificação acordou o mais velho dos pensamentos, era ele, dizia estar indo lá de novo, porque não falou o que tinha pra falar. Isso deu ao coração do professor uma certa faísca de esperança para que se resolvessem.

Esperou ansiosamente para saber o que ele queria falar, mas um medo e uma incerteza o invadia. Havia tratado tão mal a pessoa que o amava, mas existia justificativa para isso, fazia isso como forma de proteção, apaixonar e amar, era um perigo pra quem já havia sofrido tanto. Todas essas más atitudes eram somente para se proteger, mas sabia que isso não daria muito certo. Os efeitos colaterais do amor já estavam consumindo seu interior e só restava mais uma tentativa de Taehyung para que ele se entregasse totalmente.

Um dos motivos de sua insegurança, era saber que o garoto era muito jovem e tinha toda a vida, então porque se daria o trabalho de amar um "velho" sendo que tem muitos jovens em suas mãos, e que pode pegar assim que quiser? Jungkook jamais se deixaria levar por um amor assim, passageiro. Dak-ho já fez estragos demais em sua vida, e como consequência disso, deixou o professor desacreditado do amor, se já havia sido traído por ele, que era seu marido, e maduro, com juízo na cabeça e digamos, sério. Imagina um menino do colegial, que dava corda pra qualquer um que sequer sorrisse, teve um caso com o diretor, os amigos, e tinha a maior fama de pegador, que nunca levava nada a sério, seria um bom investimento?

Ouviu batidas na porta, era ele, abriu rapidamente, e sem saber porque, uma coragem o tomou de conta, e abraçou Taehyung sem dizer nada, apenas abraçou.

— Que bom que veio...

— Sim... Então, me chamou pra quê?

— Queria saber o que você queria me falar, você veio aqui e bom... Você sabe, visitas inesperadas.

— Quem era ele? Sei que não sou ninguém pra perguntar mas, tenho o direito de saber quem é a pessoa que também está lutando pelo seu amor e claro, deve ter conseguido, pra ter tanta intimidade assim...

— Ele não é ninguém importante Taehyung.

— Então quem é ele?

— Meu ex.

— Seu ex? Namorado?

— Marido.

— Você já foi casado? — a curiosidade transbordava pelos olhos do mais novo.

Jungkook respirou fundo antes de responder a pergunta desagradável que lhe foi feita.

— Eu sou casado, ainda não tenho o divórcio porque ele não quer me dá. Mas não moramos juntos e nem temos nada à dois anos.

— Por que ele não quer te dá o divórcio.

— Eu não sei, mas é só pra infernizar a minha vida, disso tenho certeza. Acredite... Não sabia que ele viria, quando cheguei ele já estava na cozinha preparando alguma coisa pra comer...

— Você sabe o porquê eu vim aqui, não sabe? Eu não vou desistir de você tão fácil.

— Mas você já não conseguiu o que queria? Uma noite comigo como um troféu na sua cama?

— Sim mas acontece, que estou gostando de você de verdade, e isso, só me fez ficar ainda mais louco por você Jungkook, entenda, pra mim, você não é qualquer um... É único. Você não é só um troféu, é o mundo inteiro — se aproximou levando sua mão até os lábios do mais velhos.

— Taehyung... — Jungkook fechou os olhos e respirou fundo — eu adoraria acreditar em você, muito mesmo, mas de você eu só espero...

— Eu não estou te iludindo.

— Mesmo? Não sei, quer alguma coisa pra beber? A mesa tá posta, se quiser comer comigo...

— Não mude de assunto, estamos falando de você, e não de comida. Olhe pra mim — o mais novo segurou firme o rosto de Jungkook mirando seus olhos — Só me deixe tentar de novo, apenas isso. Não precisa confiar em mim nem me amar, só me dê uma segunda chance, me deixe te conquistar aos pouquinhos, não preciso de pressa.

Taehyung encurralou o professor na parede da sala e passou a deslizar seus dedos nas coxas cobertas pela calça, até subir por debaixo da camisa tendo contado direto com a pele quente do outro, Jungkook não queria ceder, ainda mais porque sabia que faltava um fio para que isso acontecesse.

O garoto não parou por ali, contornando com as mãos a cintura fina do professor, prensou os corpos tendo mais contato ainda com cada parte de seu corpo.

— Só me dê uma chance... Serei unicamente seu... É uma promessa...

Confiante nas palavras do mais novo, Jungkook o pegou no colo passando a beijá-lo prensando agora ele contra a parede, Taehyung abria os botões da camisa alheia, o professor o segurava com garra, as mãos do garoto envolvia seu pescoço e suas pernas prendiam sua cintura com as costas na parede buscando apoio.

— Gostaria de saber... Se aceita, namorar comigo Taehyung... E me perdoe, por tudo que eu fiz com você, por ser rude todo esse tempo.

— É claro que aceito, serei o homem mais feliz do mundo ao seu lado... Só esqueça as coisas passadas, e foca no agora... Em nós dois.

Jungkook faz exatamente o que Taehyung pediu, esqueceu tudo o que já havia acontecido até o momento, esquecido de Dak-ho que foi em sua casa lhe infernizar a vida, de Yoongi, de tudo.

— Me toca Jungkook, tudo o que mais quero é sentir seus toques novamente.

— Eu sou único pra você Taehyung? Seus toques... Serão unicamente meus? Acabou seu interesse em Yoongi? Se algum dia, chegar a ficar à sós com ele, vou poder confiar em você?

Jungkook por alguns segundos ficou sem resposta, mas logo foi atendido.

— Claro que pode confiar em mim — o mais novo desceu do colo do professor um tanto incomodado com o interrogatório que teve, percebeu que a confiança entre os dois estava abalada e precisava ser reestabelecida.

⊶────────≺⋆≻────────⊷            

— Então Jimin, o que pensa em fazer com relação à Jungkook? — o esverdeado tomava um café enquanto discutia com o Park.

— Eu ia contar a verdade, conhecendo a personalidade incapaz de perdoar do Jungkook, isso pode separá-lo definitivamente do Taehyung... O que acha?

— Bravo, incrível. Você é bem venenoso, disso eu não sabia.

— Eu sou muito mais do que isso Diretor. Mas por que quer separar os dois pombinhos?

— Eu quero, Taehyung de volta pra mim... Aquele professor medíocre, tirou ele de mim.

— Você realmente teve um caso com ele? Chocado. E eu? Como fico nessa história?

— Você fica com a felicidade de ver a desgraça alheia, e é claro... Comigo se quiser. Eu vi que você me olha de um jeito provocante Park. Só não tente esconder...

— Taehyung não me importa... Eu só quero contar a verdade nem que eu tenha que ir até a casa do Jungkook contar pra ele.

Yoongi andava de um lado para o outro pensando se aceitava a ideia de Jimin, parecia ser tão simples de executá-lo, mas se chegasse a ter uma falha, novamente, nada mudaria.

— Eu posso te levar lá, amanhã cedo já que ele não trabalha mais na escola.

— Ótimo... Diretor... Você vai ver o circo pegando fogo...

O esverdeado fixava a porta no momento em que ela foi batida.

— Entra Dak-ho.

— Quem é Dak-ho?

— Prazer mocinho, eu sou marido do Jungkook.

— Jungkook é casado? Taehyung sabe disso? Pelo que vejo, os dois escondem segredos.

— Vocês estão falando de um rapazinho que frequenta a casa do Jungkook? Que relação tem os dois?

— Uma relação nada agradável Dak, e nós estamos aqui, procurando meios de separá-los.

— Jungkook namorando um adolescente, coisa típica que quem é tão imaturo. Eu acabei de voltar de lá, e vi esse tal garoto indo visitar ele, mas assim que me viu, foi embora. Com certeza estava com ciúmes.

Três pessoas contra duas que só querem seguir a vida, é muito injusto. Mas Dak-ho não queria fazer mal nenhum à seu ex marido, apenas se redimir pelos erros do passado, e não cometer algo mais grave.

— Fala sério Yoongi, não quero mais me envolver com isso. Tudo o que quero é me redimir com o Jungkook.

— E você vai, Jungkook vai precisar de um ombro pra chorar depois de descobrir algo muito doloroso, tudo o que você precisa fazer é convencer de que está realmente arrependido, talvez assim retome seu casamento, ele vai ficar tão arrasado tadinho. — conclui Yoongi sentando no sofá enquanto maquinava como finalizar e pôr o plano em ação.

⊶────────≺⋆≻────────⊷        

— Eu vou te dá mais um voto de confiança Taehyung, prove pra mim que você merece minha confiança.

— Claro meu amor, todos os dias. Verá que poderá confiar em mim - o mais novo abraçava o corpo de Jungkook coberto pela roupa que vestia, não queria ir embora. — posso ficar essa noite?

— Não precisa pedir, tudo o que é meu, é seu.

Deram mais alguns beijos e seguiram para a cozinha, Jungkook iria preparar algo ele mesmo, a comida feita por Dak-ho, iria para o lixo.

— Vou tomar um banho, você pode esquentar a comida pra gente?

— Claro, vai tomar seu banho, vou avisar minha mãe que vou dormir fora.

— E se ela não concordar?

— Eu só vou avisar, não pedir permissão Jungkook.

— Okay, okay, desculpa.

Subiu as escadas e entrou no toalete, existiam dois banheiros em sua casa, um era um banheiro comum, o outro um pouco mais espaçoso, com uma banheira grande. Tomaria banho nela hoje, não gostava muito de ficar de molho na água parado, fazia isso quando precisava tomar banho e pensar ao mesmo tempo.

Ligou as torneiras da água quente e fria, pegou o roupão e o celular, ficaria ali por um bom tempo, ainda processando a ideia de contar à Taehyung que não era mais professor.

Entrou na banheira e relaxou, por algum motivo queria chorar, mas não sabia porquê. Deitou a cabeça na borda da bandeira fixando a porta e fechou os olhos, provavelmente estava exausto e com sono por causa de tudo aquilo.

Taehyung entrava de roupão, com um sorriso suave no rosto.

— Será que tem espaço pra mim?

— Tem sim, venha.

Se aproximou soltado no chão o tecido que cobria sua pele e entrou na banheira delicadamente entre as pernas do professor, ficando de costas para ele. Jungkook o abraçou pela cintura apoiando a cabeça em suas costas.

— Você não tem ideia do quanto eu te amo.

— Eu também te amo meu querido professor.


Notas Finais


Fui e volto ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...