1. Spirit Fanfics >
  2. A arma dos deuses >
  3. Promessas

História A arma dos deuses - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


vcs gostaram da capa eu achei meio estranha kkkk
mas pelo meno eu quem a fiz kkkk meu 1º desenho tbm kkkk

Capítulo 4 - Promessas


Fanfic / Fanfiction A arma dos deuses - Capítulo 4 - Promessas

Tsunade bebia uma garrafa de saquê e andava de um lado para o outro. Seu peito descia e subia em uma respiração frenética. Aquilo tudo já tinha a esgotado, precisava fazer algo urgentemente. Tinha que admitir que a maneira que ela tratou Sakura foi totalmente desnecessária. Talvez ela tenha sido culpada pelo sumiço da menina. No entanto seus pensamentos estava em como Sakura estaria. “Será se ela está bem?”, Tsunade martelada sua mente com isso.

Alguém entra no compartimento em que a loira ocupa, pega uma das garrafas e toma um gole da bebida alcóolica.

- Pensei que você tinha mudado. Ido pra esse lance dos chás quentes, feitos em chaleiras de porcelanas sagradas. – O homem alto de cabelo branco e Linhas vermelhas que corria os olhos, tentava divertir a mulher. – Aí até aposto que a pestinha deve está escondida por aí, me lembro muito bem o quanto ela gostava de bancar a ácaro, ninguém consegue ver, mas ela está presente.

- Que horror está a comparando com um ácaro.

Tsunade ria pela primeira vez no dia, desde que os conselheiros chegaram ela não tinha pensado em o que dizer para eles, e muito menos recebido os convidados. Jiraya não era um conselheiro, mas qualquer problema ele estava lá para ampara a mulher de olhos cor de mel.

- Isso aqui é alguma espécie de encorajamento. – Perguntava Jiraya apontando para as garrafas de saquê. Tsunade ria mais alto, sinceramente ela nem se quer conseguia ficar bêbada com 10 garrafas, teriam que ser umas 40 para desorienta-la.

- Quase isso. – Respondeu a loira.

- Acho que você precisa de mais umas 50 em... Tobirama está aqui também. – Dizia o grisalho encarando a loira que o olhava sério, talvez um pouco envergonhada.

- Não entendo o que Orochimaru ganha me tirando Sakura. Estou mais chocada com o fato dele conseguir manipular tão bem o conselho para vira-los contra mim. Aquela cobra ardilosa, antes que ele perceba eu já o engolir. – Tsunade rangia os dentes em pura fúria. – Qual é plano dessa cobra, Jiraya?

- Ah espero que não esteja falando de mim dessa forma tão grotesca, Tsuna querida O estresse é um dos principais motivos de mortes triste e rugas precoces no seu caso nem tanto. – A criatura pálida ria das próprias palavras.

- O único que vai ter uma morte triste, vai ser você, cria de demônio. Diga logo qual é o seu plano. – Tsunade arremessava Orochimaru para fora do cômodo de forma violenta. – Diga!

Tsunade liberava rajadas de energia verde em direção ao homem com aparecia de réptil, que por sorte conseguiu desvia se esquivando e se preparando para outro ataque de Tsunade. O homem não estava lá para brigar ou destruir com a imagem da mulher, para falar a verdade ela conseguia fazer aquilo sem ajuda de ninguém. Tsunade poderia ser a mulher mais poderosa que existe no mundo, mas sempre foi uma descontrolada, paciência com o tipo de gente como Orochimaru é o que ela não possuía.

 

- Tsunade, Basta!! – Ordenava o homem com mais ou menos 1,85 de altura, forte e cabelo brancos com traços vermelhos pelo rosto.

- Tio Tobirama. – Tsunade o reverenciava soltando de imediato o colarinho de Orochimaru. Que sorria provocativo com a reação da Senju.

- Você simplesmente zomba do sobrenome Senju. E seu pai ainda acredita que você é a mais capacitada dentre todos, apesar dos anos você não mudou nada. Não estou aqui para lhe dar broncas, você já é adulta. E não é como se não soubesse que sua postura no seu lugar é completamente incabível, digo até vergonhoso. – O Senju respira fundo. – Não creio que exoneração seja precisa, mas após esse incidente que acabou de acontecer, você a perdeu... Talvez seja necessário um afastamento. – O Senju falava um pouco mais baixo, só que com uma postura mais firme. – Quem sabe assim você entenda a real importância de como você deve se portar.

- OQUE?? – Tsunade o olhava completamente perdida, não se imaginava longe do templo. E apesar de tudo tinha Sakura, a menina estava desaparecida. – Eu não acredito no que estou ouvindo!! Você não percebe que está sendo influenciado por essa cobra, você e todo maldito conselho estão!! – Tsunade dizia aborrecida, quando sente seu rosto arder. Era como se cipós cortasse sua pele. A mulher tocava no local onde fora deferido um tapa com certa pudor e violência.

Nunca alguém da sua família tinha a tratado assim. Era bem pior que a mesma pensava, Orochimaru tinha feito a mente de seu tio, o homem que ela sempre emitiu respeito e consideração. Preferiria mil vezes enfrentar milhares de monstros do que ficar em um embate com alguém que ela tinha um forte apreço como Tobirama.

A princesa dos Senjus o encara pela última vez com um olhar duro e triste. Desviando com certa brutalidade do homem que possuí o mesmo sangue que ela.

- E não, não estou sendo influenciado, igual a você que se deixou influenciar. É patético, Tsunade.

A mulher que tinha parado para ouvi-lo agora o encarava com certo desprezo.

- E você seria a última pessoa a entender.., que não se trata só uma arma, um objeto. Ela mesma pediu!! Para que nós a tratássemos como um ser humano!... Para que erro não se repetisse novamente. Ela merece ser amada!

Tsunade já não aguentava as lagrimas que insistiam em sair para fora dos olhos.

- Para não cometemos o mesmo erro, para que ela não terminasse do mesmo jeito.

- Acontece que ela não um ser humano. Ela é uma arma, e ela vai se destruir e acabar destruindo tudo que estiver em sua frente. Idiota são aqueles que acreditam, que ela pode ter salvação.

- Sakura acreditou e salvou a humanidade enquanto todos diziam que a mesma não tinha salvação. Mas é como ela mesma dizia em seus últimos suspiro..., a humanidade mesmo vai se destruindo, sem ajuda de ninguém. E a realidade..., bem a realidade que viesse, seria a consequência. E da última vez ninguém conseguiu lidar com as consequências... Bom para aquele que sabe lidar com isso. E outra coisa, algo que ela deixa bem claro; Não é ela que precisa de nós, é nós que precisamos dela

- Tola. – Disse Tobirama com a expressão apática.

- Talvez, mas ela só salvou todos porque ela tinha amor pela vida. E quando ela não tinha mais nada. Ela ainda preferiu sua própria ruína, mas você não entenderia. Espero nunca mais vê-lo novamente. – Tsunade saia aos passos duro do local onde eles se encontravam.

 - Tsunade, espera. – Jiraya corria em direção para onde a lady Senju caminhava.

- E você não pense que está me influenciando. Estou fazendo isso por todos. – O Senju apontava o dedo na cara de Orochimaru que concordava com a cabeça.

 

 A loira andava depressa privando as emoções que insistiam em sair. Para ela era vergonhoso demonstrar sentimentos na frente das pessoas, era como sinal de fraqueza. Sua família sempre foi sua prioridade, no entanto sua família deixava claro que suas ambições era mais significativo, mesmo quando ela teve sua própria família ela não deixou de cumprir seus deveres como membro do seu clã. Só que agora ela se sentia perdida e decepcionada. Como seria se ela simplesmente deixasse aquele lugar com a Sakura para elas terem uma vida normal.

Tsunade lembrava-se muito bem que esse sempre foi um desejo da sua antiga mestra. Só que muito pesava na mente da Sanju quando as pessoas diziam que Sakura jamais poderia ter uma vida, uma vida normal, já que a garota era a própria perdição ou salvação da humanidade. Tsunade julgava todas as pessoas tolas com tais opiniões e Sakura sempre buscava enraizar a racionalidade para com elas, se agisse como as pessoas diziam como ela era quem estaria saindo como errada seria a garota, certo?

Mesmo assim porque a ingratidão e o julgamento nunca a incomodou naquele tempo? Sendo que naquela época era que ninguém realmente não a davam valor. Com esses pensamentos Tsunade julgava-se incapaz. No primeiro passo ela já errou, deixou que a opinião alheia a afetasse e não tivesse escolhas e muito menos emoções. Somente ambição por ser reconhecida pelas pessoas que não movem um dedo para contribuir por um futuro grandioso.

 

 

 

 

 “Você precisa ter sentimentos próprio, não será inferior se seguir seus instintos, embora não machuque as pessoas que são importantes para você.” Dizia Sakura em sua versão passada para a pequena loira.

“ Sabe, Tsunade, eu confio em você!... Cuide de mim, como cuido de você”

Lembranças de quando Sakura ainda era viva atormentava a mulher de olhos âmbar.

 

- Acho que eu falhei, sinto muito. Mas eu não falharei novamente, prometo!

A loira fechava a mala com algumas roupas.

- Senhora Tsunade, iremos com você.

Shizune e Kurenai invadia o cômodo pertencente a loira.

- Prometemos que nunca a abandonaria umas às outras, certo?. – Shizune dizia com os olhos marejados.

- E por Sakura, ela não merece passar por tudo de volta. Eu não quero errar com ela. – Kurenai expressava firmeza em sua fala.

- Obrigada, minhas amigas. Mas não quero que se manchem por minha causa e por Sakura. Sinto que é um erro que somente eu posso consertar.

- Nada disso. – Shizune mostrava sua mala escondida atrás de si que fez Tsunade rir da morena.

- E eu sei onde ela está. – Kurenai dizia animada.


Notas Finais


gente perdão pelos erros ortográficos eu não revisei esse dai pq se não eu ia apagar, tenho baixa autoestima até pra escrever kkkkk
mas iae já favoritaram?
tá bom parei de ser chata


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...