História A Ascensão do Salamander - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~LordeKoorishiro

Postado
Categorias Fairy Tail
Visualizações 289
Palavras 2.443
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Self Inserction, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - 006- A derrota da Oracion Seis


006- A derrota da Oracion Seis

Todos olham para a garota sentindo um pouco de pena. Ela parecia confusa enquanto olhava para um e para outro sem entender nada. Não sabia onde estava, não sabia o que era, e nem quem era. Natsu se aproximou dela, sendo que ela olha para ele, recuando um pouco, sentindo um pouco de medo do rosado, mas logo para, pois sente que ele é confiável.

—Você sabe quem eu sou-kina? – Questionou ela. Natsu dá um sorriso triste ao ouvir isso, e nega com a cabeça.

—Infelizmente não. Você se lembra de algo de quando era uma cobra gigante?

Ela parece meio chocada ao ouvir essa informação.

—Eu era uma cobra gigante?

—É você realmente não lembra. Tudo bem, eu vou te dar um nome, ok? – Questionou ele, com ela sorrindo e assentindo. – Vai se chamar de Kinana. Tudo bem com isso?

—Sim, mas como você se chama?

—Natsu Dragneel.

—Natsu-kun – Os olhos dela brilham ao repetir o nome do rosado. Todos ficam com gotas, enquanto Wendy, Erza e Juvia inflam as bochechas. Natsu tinha acabado de arrumar mais uma companheira sem nem tentar.

Brain olhava para Cherria com interesse, sendo que a rosada ainda estava desacordada. DE repente, ela começa a dar sinais que estava despertando, se mexendo um pouco. Aos poucos ela abre os olhos, e olha em volta, notando que não estava mais junto com a força aliada. Ela levantou seu olhar, encontrando com Brain, que encarava ela com um sorriso maldoso no rosto.

—Vejo que já acordou, minha pequena curandeira. – Disse ele. Cherria se encolheu, enquanto segurava sua bolsa com força. – Se me obedecer, vai ficar tudo bem.

—T-tá – Respondeu ela, tremula. Nisso abriu sua bolsa, enquanto tirava uma pelúcia de dentro. Era um personagem de desenho animado, sendo que era quase todo preto, com exceção do rosto que era branco, junto com as luvas e a grava borboleta que usava. Tinha o design de um desenho animado da década de 30, e sua cabeça terminava em duas pontas. O boneco era sorridente. Brain olhou para a pelúcia, mas não se importou com ela. “Onii-chan, estou com medo! ” Pensou ela, apertando a pelúcia em seu abraço.

“Fique calma, minha pequena. Eu vou cuidar de tudo. Por enquanto só faça o que ele mandar. ”

“Tu-tudo bem, onii.”

—Eu quero que você cuide de um cara que pode me ajudar a cumprir meu objetivo. – Disse ele, enquanto pegava a garota pelo braço. De repente, sentiu um tipo de choque percorrer seu corpo, e a soltou na hora. Ele rosnou olhando para ela, mas relevou isso. Precisava dela para cumprir seu objetivo. – Me siga…

Ele começou a andar na frente dela, enquanto ela apenas seguia o homem, abraçada fortemente a sua pelúcia que, era seu único amigo até agora. E para ela, sempre seria somente ele. Claro, não era uma simples pelúcia de um personagem de desenho dos anos 30. Havia uma pessoa selada ali. Alguém que ela faria de tudo para livrar de sua prisão.

De repente eles chegam numa caverna, sendo que havia um caixão próximo de um desfiladeiro. Brain parou perto do caixão, sendo que se virou para Cherria, e disse para ela, com requintes de maldade:

—Cure a pessoa que está aí dentro. – Disse ele. Cherria olhou para o caixão, e ia se dirigindo a ele, quando a pelúcia disse, em sua mente.

“Minha pequena. Deixe que eu acabo com isso. Sei que não gosta que eu faça isso, mas… Diga aquelas palavras…”

Onii-chan… Você vai voltar para mim? ”

“Mas é claro, minha pequena”

“Se você promete…”

It's time to believe in our Gospel of Dismay…— A rosada cantou tais palavras em sussurro baixo. Logo após isso, uma aura negra começou a circundar a garota. Ela esticou a mão para frente, sendo que surgiu um selo mágico negro na frente da mesma. A pelúcia em sua mão brilhou, sendo um brilho negro, que logo fez a pelúcia sumir. O selo mágico negro entrou dentro de Cherria. Logo, do chão, tinta começou a sair, sendo que subia ao teto da caverna, porém evaporava pouco antes de tocar no mesmo. Nisso, a tinta virou duas faixas que estavam circundando o corpo de Cherria, dando a vaga lembrança de tiras de DNA.

—O que é isso, vai curar ele com… Tinta? – Questionou Brain ao olhar para a tinta negra e brilhante.

Cherria começou a rir, porém sua voz estava diferente. Não era a voz comum da garota, e sim algo mais sombrio.

Curar? Não… Eu não vou curar… Eu vou mostrar a você o mal de verdade… Cante comigo, meu evangelho de desânimo…— Brain sentiu uma energia mágica poderosa, que nunca tinha sentido antes. Nisso, Cherria começou a olhar para ele, sendo que os olhos da garota antes azul, estava completamente negro. Ela deu um sorriso. – Podemos começar a brincar?

—Você não é a garota… Quem é você?

Isso interessa por acaso?— Questionou “Cherria”. – Você tinha segundas intenções com minha pequena. Não irei te perdoar por isso.

Brain avança com raiva na direção da rosada, que não se move. Ele levanta Klodoa, pronto para preparar um ataque contra a rosada.

Dark Cappriccio – Gritou ele, disparando uma rajada de escuridão, que foi na direção de Cherria que ainda assim não se moveu. Quando o feixe começou a chegar perto para acertá-la, a garota dá um poderoso pulo, enquanto se virava no ar, e ficava com os pés no teto da caverna, sem tirar Brain de seu campo de vista. O mesmo olhou para cima, encontrando com ela, e rosnando de raiva.

De repente, mais um dos símbolos do selo dele some, fazendo ele sorrir.

—Parece que estão derrotando a Oracion Seis. Se continuar assim, você não terá a menor chance no final de tudo. – Disse ele, sorrindo vitorioso. – Seja lá quem for, mesmo forte, irá perecer para…

De repente, um chicote de tinta atinge no estomago, o jogando contra uma das paredes, trincando a mesma. Enquanto isso, Cherria retorna para o chão lentamente, enquanto tem um sorriso no rosto. Ao tocar no chão, ela movimenta um braço, e cria um punho gigante de tinta, que atinge Brain com força, o jogando para fora da caverna.

Ninguém toca na Cherria… Ninguém.— Nisso, olha para o caixão atrás de si. – Você não pretende ir a lugar algum, não é mesmo? Então fique quietinho aí… Jellal.

Nisso, ela usa a tinta na caverna, destruindo tudo, enquanto ela saia da caverna, e deixava a mesma desmoronar em cima caixão. Nisso, olhou pela floresta, enquanto em um lado, via Erza lutando contra Midnight, e Natsu derrotando mais um dos Oracion Seis.

Interessante. — Disse ele. Logo localizou Brain, que se levantava próximo a uma arvore, usando a mesma como apoio. Ela sorriu, e desceu voando com uma velocidade insana na direção do mesmo.

Natsu estava olhando para Hoteye, que estava desacordado após uma surra que levou do rosado. Nisso, ele olhou para o céu, enquanto se impressionou por uma garota com as roupas de Cherria voando velozmente até um ponto um pouco mais distante de onde ele estava. Nisso, estreitou os olhos.

—Cherria-san? – Questionou. Nisso, olhou para trás, e viu que Happy estava seguindo ele. – Vamos Happy, acho que vi a Cherria voando para aquela direção.

O gato azul apenas assente, enquanto pega no colete de Natsu e o levanta, começando a voar.

Cherria pousou onde Brain estava caído, se levantando. Notou que o homem tinha apenas mais uma de suas tatuagens no corpo. Ele cuspiu um pouco de sangue, e logo notou que a rosada havia seguido ele. Rosnou ao vê-la, sendo que estava com raiva, pois temia ser derrotado antes de Midnight. Mas logo sorriu.

—Mesmo que me derrote, se Midnight for derrotado, minha outra parte acordará e virá para se vingar, garota burra. Não pense que pode me derrotar. Não… Me referi errado a você. Você não é uma garota, não é a sacerdotisa que capturei. Existe outra pessoa com esse corpo agora. NÃO PASSA DE UM DEMONIO IMUNDO, QUE ESTÁ OCUPANDO UM CORPO QUE NEM SEU NÃO É!

A “garota” estava de cabeça baixa, enquanto um sorriso surgiu em seu rosto, enquanto levantava a cabeça aos poucos.

É apenas um demônio imundo? É isso que você acha? Interessante. Você não chega nem perto de me arranhar, Brain. Que tal baixar um pouco a bola, seu imbecil? Está começando a me irritar. — Disse, enquanto ergueu a mão. – Por que não libera logo esse seu tal trunfo? Talvez ele possa tentar me deixar animado.

De repente, a última tatuagem do albino some, enquanto ele começa a gritar. De repente, um grande poder mágico começa a emanar de Brain, que abaixa sua cabeça, enquanto começava a rir de maneira insana. A rosada apenas estreitou os olhos para ele, não parecendo contente.

Logo Brain parou, levantando a cabeça, e mostrando estar com olhos quase que completamente vermelhos, com retinas douradas.

—Conheça Zero! Aquele que irá te derrotar. Fico triste que os outros membros da Oracion Seis tenham sido derrotados. Logo eles terão o que merecem. – Nisso, olha para Cherria, que estava completamente séria. Embora, logo ele notou que não era a jovem sacerdotisa que estava ali em sua frente. – Ora… Brain perdeu para uma garotinha… Embora, não seja aquela menina patética que está na minha frente, não é? Você é como eu…

Foi interrompido, pois Cherria havia sumido do local que estava, e quando reapareceu, atingiu Zero com um poderoso chute no rosto, o jogando para trás. O mesmo, por fração de segundos conseguiu formar um “X” na frente do rosto, impedindo que fosse atingindo pelo chute. Mas logo depois, uma forte rajada de tinta o atingiu de baixo para cima, o jogando para o alto, sendo que logo um tipo de tentáculo de tinta o segura pelo pé, o jogando contra o chão, criando uma cratera no lugar em que Zero bateu.

Quando ele olhou, a garota estava flutuando, com a tinta girando em volta dela, enquanto ela mantinha os braços um pouco afastados do corpo. Ela estava um tanto suja de tinta, tendo a mesma em seu rosto e roupas. Seu sorriso tinha voltado.

Você é o trunfo do Brain? Que decepção… — Disse a rosada, esticando a mão na direção do mesmo. Ele rosnou, esticando sua mão na direção da garota, enquanto a energia escura disparou da mão dele, enquanto criava uma cratera no chão, próximo de onde a energia passava. Ao chegar em Cherria, a tinta que girava em torno dela, se juntou toda em um único ponto, enquanto protegia o corpo dela do impacto, dissipando o ataque de Zero.

Quando ele notou que ela não tinha sido atingida, arregalou os olhos.

—Impossível…

Acho que é minha vez, certo? — Disse ela, com a mão erguida. A tinta começou a se acumular na frente da palma da mão dela. – INK SHOT!

Logo, um projétil de tinta disparou da mão dela, atingindo a perna de Zero, atravessando a mesma, fazendo ele gritar alto. Ela sorriu, sendo que seu sorriso estava cada vez mais largo. Ela começou a disparar vários projéteis do liquido negro, que eram piores que uma bala mágica. Naquela tinta havia dez vezes mais propriedades mágicas que uma técnica normal. E não estava em sua força total ainda.

Os projéteis continuavam velozmente, enquanto atingiam Zero em todos os campos do corpo do mesmo que era possível ser atingido.

Natsu seguia o cheiro da garota, notando que um estranho cheiro de tinta estava próximo ao cheiro dela. Nisso, ele pôde ver ela, sendo que notou que ela dispara algum tipo de liquido negro em velocidade, atingindo um alvo que uma arvore tampava a visão dele. Nisso, ele pediu para Happy pousar ali, com o gato azul obedecendo o rosado, pousando próximo de Cherria.

—Cherria? – Questionou ele. Nisso, a garota se virou para ele, e disse, com a voz um tanto estranha.

Cuide dela Salamander. Não posso fazer isso toda vez, então cuide da minha princesa. — Logo depois, ela juntou as mãos, deixando um espaço entre elas. – Who’s laughing now, Bendy?

Um brilho negro ocorreu, e um boneco de pelúcia surgiu na mão da rosada. Ela abraçou ele, sendo que seus olhos tinham voltados a serem azuis.

—Onii-chan… - Disse, antes de desmaiar. Quando ela ia cair, Natsu a amparou, a segurando estilo noiva.

—O que aconteceu…? – Ele farejou o ar, sentindo o cheiro de Brain, e sangue. Ao se virar na direção que vinha o cheiro, arregalou os olhos. Viu que o corpo do líder da Oracion Seis estava completamente destruído, sendo que estava faltando metade de sua cabeça. – Você fez isso?  – Questionou ele, não olhando para Cherria, mas sim para a pelúcia que ela estava abraçada.

Enquanto ele olhava para a pelúcia, perdido em devaneios, Erza chegou com Wendy e Juvia, sendo que a azulada estava curiosa para saber o que era aquele forte cheiro de sangue que ela estava sentindo. Estava incomodada também, pois havia um odor forte de tinta, que estava confundindo um pouco seu olfato. Erza foi rápido, pois logo viu o corpo de Brain, e tratou de tapar os olhos de Wendy, para que ela não visse aquela cena.

Juvia, notando aquilo, se sentiu um pouco nauseada, e correu para Natsu, que se assustou com a presença repentina dela.

—Natsu-sama, podemos ir embora? Juvia não acha saudável para Wendy e essa rosadinha ficarem aqui.

—Sim, tem razão. Vamos embora. - Disse ele, enquanto carregava Cherria adormecida. Ele deu uma última olhada para o corpo de Brain, que estava irreconhecível. Nisso, cuspiu uma coluna de chamas, que consumiu completamente o corpo do albino. - Nossa missão aqui acabou.

Algumas horas depois, todos estavam comemorando a queda da Oracion Seis. Cherria tinha acordado, e estava num canto com sua pelúcia nos braços. Wendy se aproximou dela, chamando a atenção da pequena rosada. A azulada se sentou ao lado da pequena rosada.

—Você está bem? - Questionou Wendy, parecendo um tanto preocupada. Cherria olhou para ela, e sorriu, de maneira fofa. - Fiquei preocupada, afinal, o Brain conseguiu capturar você.

—Eu fiquei bem. Meu Onii-chan me protegeu - Respondeu a rosada, sorrindo um pouco mais. Wendy olhou para ela confusa, sendo que Cherria mostrou a pelúcia. - Eu explico para você, mas tem que prometer guardar segredo, tudo bem?

A azulada assente, enquanto a rosada começa a explicar para ela. Natsu observava as duas de longe, sendo que podia sentir os poderes mágicos delas, e de uma terceira pessoa ali com elas. Para ele, não restava mais dúvidas. A pelúcia, não um simples boneco de desenho animado. Tinha algo mais ali, e ele faria de tudo para descobrir o que era.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...