História A Atriz e o Pop Star - Katnic (Clace) - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Dominic Sherwood, Katherine McNamara, Shadowhunters
Personagens Dominic Sherwood, Isabelle Lightwood, Katherine McNamara, Simon Lewis
Tags Clace, Katnic
Visualizações 204
Palavras 1.440
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cheguei 🤗

Apreciem essa capa maravilhosa😌 a foto mais linda do mundo😍😍😍 Katnic é muito perfeito. Tô apaixonada❤❤

Boa leitura 📚❤

Capítulo 32 - Até parece uma despedida


Fanfic / Fanfiction A Atriz e o Pop Star - Katnic (Clace) - Capítulo 32 - Até parece uma despedida


Por Katherine McNamara

Aperto meus olhos sentindo o clarão do dia. Seu braço me envolvendo. Me aquecendo. Sorrio. Não queria sair dos seus braços nunca. Sinto sua respiração em meu pescoço e sei que ainda dorme. Me viro com cuidado e fico o olhando com ternura.

Não dá para medir o quanto eu o amo. O quanto esse homem é importante para mim. Dom é minha luz. Mesmo com tudo de ruim que já me aconteceu, eu não mudaria nada. Passaria por tudo de novo pra chegar até ele. Pois sei que minha vida certamente teria tomado outro rumo se eu não tivesse fugido com Izzy naquele dia e talvez eu e Dom nunca tivéssemos nos encontrado. No final tudo valeu a pena.

- Eu já estou ficando constrangido com você me olhando assim. -- Ele sorri, ainda com os olhos fechados.

Sorrio.

- Como você sabe que estou te olhando?

Dom abre os olhos, sorrindo.

- Eu sinto quando tem uma mulher bonita me admirando. -- Ele pisca o olho.

- É? -- Sorrio. - Deve sentir isso o tempo todo então. São muitas, não é mesmo?

- Tecnicamente sim. Mas só uma me importa. -- Ele entrelaça os dedos no meu cabelo.

- É mesmo?

- Sim. A mais linda de todas.

- E eu posso saber quem é? -- Continuo com a brincadeira.

- Acho que seria melhor eu mostrar. -- Em um movimento habilidoso, Dom fica por cima.

Sinto sua ereção roçar em mim.

- Já tá duro. Que safado! -- Dou um tapinha em seu ombro e ele ri.

- Eu sou sempre duro por você.

- Nossa, amor, que romântico. -- Faço uma voz afetada.

- Eu não estava sendo romântico. -- Ele morde o lábio inferior e cola nossos lábios em um beijo ardente.

Sua mão esperta percorre pelo meu corpo e aperta minha coxa com força. Desliza para dentro da minha camisola, acariciando minha intimidade por cima da calcinha. Arfo em sua boca.

Dom faz um caminho de beijos pelo meu corpo e fica de joelhos, retirando minha calcinha.

- Apressadinho. -- Mordo meu lábio, totalmente excitada.

Ele sorri safado, se despindo. Dom segura meus quadris e entra em mim de uma vez. Gememos juntos. Ele começa com entocadas firmes, beijando meu pescoço. Fico louca. Meu corpo fervendo.

Nos beijamos incansavelmente. Puxo seu lábio inferior com meus dentes. Nossas respirações ofegantes.

Invertemos a posição, comigo por cima. Beijo seu peitoral, lambo seu abdômen, enquanto me movimento deliciosamente em seu membro.

Caio ofegante na cama.

- Eu poderia fazer isso o dia inteiro. -- Ele ri.

Olho para ele, rindo.

***

Termino de fechar minha mala. Ele me abraça por trás, começando a cantar no meu ouvido:

- Você é a razão da minha felicidade.
Não vá dizer que eu não sou sua cara-metade. Meu amor, por favor, vem viver comigo. No seu colo é o meu abrigo.

Sorrio, me virando de frente pra ele, entrelaçando meus braços no seu pescoço.

- Amor, você vai acabar me fazendo chorar. -- Digo emocionada.

- Não chore. -- Ele cola nossos lábios por um breve momento. - Eu te amo tanto, minha vida. Sou tão feliz por ter te encontrado. Obrigado por ter me escolhido para amar. Ter o seu amor é tudo para mim. Nunca esqueça disso.

Não consigo conter as lágrimas.

- Dom, falando assim até parece uma despedida. Ei, nós vamos nos ver em breve.

- Eu sei. É que sei lá, eu senti que precisava dizer. Vamos ficar uns dias sem nos ver e quero que saiba o quanto eu te amo e penso em você a cada segundo do dia.

- Eu também te amo com todo meu coração, Dom. Será só alguns dias. Logo estaremos juntinhos outra vez.

- Vou morrer de saudades. -- Fala manhoso, me abraçando forte. - Fica, Kat.

- Você sabe que eu tenho trabalho. -- Rio, fazendo carinho em suas costas. - Quando você voltar, vou correndo pra sua casa e vamos recuperar todo o tempo perdido.

- No mínimo será cinco horas de sexo.

Solto uma gargalhada e ele me acompanha.

- Safado. Vai acabar comigo. -- Me afasto um pouco para olha-lo. - Tenho que ir agora, loirinho, ou vou perder o vôo.

- Não sei porque não quer ir de jatinho.

- Eu já disse que não quero abusar do meu namorado. -- Dou um selinho rápido.

- Isso não é abusar. O que é meu, é seu.

- Não vamos discutir sobre isso, lindo.

- Não vamos. Só quero que entenda que eu sou completamente seu e tudo que eu tenho também.

Nego com a cabeça.

- Você já me basta. Não quero nada além disso.

- Teimosa. -- Ele ri. - Tenha uma boa viagem, amor. Não dê nenhuma entrevista e pense em mim porque eu vou estar pensando em você.

Concordo com a cabeça e nos beijamos intensamente.

***

- Cheguei! -- Digo, trancando a porta atrás de mim.

- Kat! -- Izzy pula do sofá, vindo ao meu encontro, me abraçando. - Como foi a viagem?

- Oi, amiga. -- Me separo do abraço. - Ah, estava ótima até me deparar com tudo aquilo que saiu na mídia. -- Suspiro. - Sabe o cara que me atacou na boate?

- Sei. O que tem ele? -- Ela franze a testa.

- Foi ele.

- O quê? Como assim? Ele não estava preso?

Caminhamos até o sofá.

- Ele foi solto recentemente. Eu e Dom achamos que ele está a mando de alguém.

- Mas quem poderia querer te expor assim? -- Ela arregala os olhos. - Você acha que pode ser o seu pai?

Engulo em seco. Só de pensar nessa hipótese, meu coração acelera. Mas eu não vejo outra explicação para isso. Só consigo pensar nele. O que me mantém firme, é saber que agora eu tenho pessoas com quem eu possa contar. Sei que Izzy estará sempre do meu lado, e agora também tenho o Dom.

- Acho sim, Izzy. Tenho medo que ele possa vir atrás de mim.

- Ei, fica calma. -- Izzy me abraça. - Você não está sozinha, ok? Ele nunca mais vai te fazer mal.

Assinto com a cabeça, me separando do abraço.

***

5 dias depois...

- Oi, linda. -- Ele atende a ligação.

- Estou com saudades. -- Falo manhosa, deitando minhas costas na cama.

- Eu também. É tão bom ouvir sua voz.

- Volta mesmo amanhã? -- Pergunto esperançosa.

- Sim, amor. Agora será meu último show e amanhã a essa hora serei todo seu.

- Mal posso esperar. -- Mordo meu lábio inferior.

- Tá tudo bem?

- Sim. Tirando que hoje eu tive que fugir de um paparazzo outra vez, está sim. -- Reviro os olhos.

- São uns abutres. Tô tentando evitar a imprensa, mas tá cada vez mais difícil.

- Uma hora a gente vai ter que falar sobre o assunto. -- Suspiro. - Eu tô recebendo muito hater, Dom.

- Eu sei, pequena. Vamos resolver isso. Vai ficar tudo bem. Kat, eu tenho que desligar agora.

- Tá bom, amor. Me liga antes de dormir?

- Assim que acabar o show eu volto para o hotel e te ligo.

- Vou ficar esperando.

- Beijo. Te amo.

- Também te amo.

***

- Ainda não foi dormir? -- Izzy vem até a sala, com um copo de água na mão. - Já são 4h da madrugada.

Desligo a tv e suspiro.

- O Dom ficou de me ligar e até agora nada.

- Já tentou falar com ele?

- Já liguei e deixei mais de mil mensagens e nada. Estou preocupada.

Estou com um mau pressentimento. Quando falei com ele, não era nem 11h da noite e ele já ia subir no palco.

- Calma, Kat. O celular pode ter descarregado e ele esqueceu de te ligar. Deve estar dormindo agora.

- Pode ser.

- Vai dormir, Kat.

- Eu já vou.

Izzy volta para seu quarto e eu resolvo ir para o meu. Antes de dormir, sinto uma necessidade de entrar no Twitter e me deparo com algo que quebra meu coração.

Recaída? Dominic Sherwood é flagrado aos beijos com sua ex namorada, Sarah Hyland, em um bar de Milão.

Minhas mãos começam a tremer e as lágrimas a cair desenfreadas, enquanto vejo as fotos dos dois se beijando. Ele sentado no banquinho e ela em pé entre suas pernas. Seus braços em volta dela e uma das mãos sobre a bunda.

Então é isso? É por isso que ele não atende minhas ligações! Ele está me traído com ela! 


Notas Finais


😢😢 como assim?🤔

Katnic is real🙌🏻😏

Até o próximo capítulo❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...