História A Aula Molhada - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Baekhyun Bottom, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Chanyeol X Baekhyun, Chanyeol! Top, Colegial, Exo, Kpop, Lemon, Lgbt, Universo Paralelo, Vida Escolar, Yaoi
Visualizações 36
Palavras 3.293
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Entooon
Faz um tempão que eu tô escrevendo essa fanfic, e ela vai ser bem curtinha mesma, uns três capítulos, provavelmente. E eu sei que preciso atualizar minha outra fanfic, mas eu realmente tô achando ela um pedaço de bosta, então não prometo ainda atualizar ela. Espero não decepcionar vocês com essa daqui :3

Boa leituraaa

Capítulo 1 - Aula com o professor Channie


Fanfic / Fanfiction A Aula Molhada - Capítulo 1 - Aula com o professor Channie

Olá galera, meu nome é Byun BaekHyun, também conhecido como o homem mais feliz da Ásia. E sabe o porquê? Claro que não né? E é por isso que eu vou contar.

Depois de 17 anos tentando e falhando eu, FINALMENTE, consegui uma namorada. E mais, não é "apenas" uma garota, é a garota mais bonita e popular do colégio.

Obrigado, obrigado. Eu não mereço apenas Palmas, e sim o Tocantins inteiro.

Porém, tem um pequeno problema nessa história...

— Por favor Channie! Eu nunca te pedi nada, vai, me ajuda com isso... Eu faço suas atividades de matemática por uma semana — Implorei choroso para o dumbo na minha frente — Eu faço tudo o que você quiser!

E aqui vai mais uma pergunta, meus caros? Sabem o porquê de eu estar tão desesperado? Então...

— É sério que você tá me implorando para te dar uma aula sobre como beijar alguém? Em que ponto chegamos, Baek? — O maior balançou a cabeça de um lado para o outro, fingindo estar decepcionado.

Eu conheço ChanYeol desde de pequeno, praticamente nascemos amigos, sendo nossas mães melhores amigas de infância.

— É sério! E se ela me pegar de surpresa e tentar me beijar? E se eu não beijar bem? E se ela terminar comigo por causa disso? Eu nunca nem dei selinho, e se ela me achar fraco? E se... — comecei as paranóias, jogando tudo na cara do maior sem nem respirar direito, até ele me interromper.

Ah, mas me poupe, eu não tô falando nenhuma mentira ok? As meninas de hoje em dia são tudo apressada e se você pisar na bola em qualquer coisa... Lascou.

— Tudo bem, tudo bem, eu faço, só para de falar e faça a atividade — CahnYeol suspirou risonho e bagunçou meu cabelo enquanto eu quase chorava de felicidade, quando pulei da cadeira para abraçar o dumbo e a megera.. Professora de química nos chamou a atenção e mandou se concentrar.

— Muito, muito obrigado Channie, eu te amo! Você é o melhor amigo do mundo inteiro! — sussurrei baixinho para ele enquanto ele sorria fraco, anotando algo num papel e me entregando.

"Vá para a minha casa, hoje depois das aulas, eu te espero na frente do pátio, 
PS.: Eu vou cobrar pelo o que você disse ;)

Ass.: Seu Channie"

Sorri comigo mesmo, nem ligava se eu teria que lamber seus pés, ou ser seu mordomo por um dia, eu finalmente ia aprender a beijar direito a 10/10.

Espero que minha onda de sorte continue.

.

Okay, vai dar certo, vocês são só amigos, o ChanYeol só vai te ajudar a fazer algo simples, certo?

CALMA CORAÇÃO, EU SEI QUE VOCÊ QUER BEIJAR A NAMORADA MARAVILHOSA NO MOMENTO, MAS TENHA CALMA.

Assim que saí da minha sala, fui ao pátio, já que eu não tinha encontrado o ChanYeol – Vulgo meu professor particular –na carteira, então apenas o esperei sentado no nosso precioso banco que sempre sentavamos do pátio.

Por que eu estou tão ansioso com isso? Amigos fazem isso o tempo todo certo? É só um favor que meu melhor amigo vai me fazer.

Isso, meu amigo, nada mais do que isso.

— BaekHyun! Vamos logo! — escutei a voz do dumbo me chamar e me virei para olha-lo, só que o bixo passou praticamente direto por mim, andando rápido para fora do colégio.

— Ei, me espera! Aish.. — Peço alto e reclamo o seguindo também. Escuto uns gritos e olho para trás, vendo a namorada do ChanYeol andando em passos firmes na nossa direção. Sinto minha mão ser segurada e meu corpo puxado para fora da escola.

— Eu disse para irmos logo Baek — ChanYeol respondeu sem me olhar nos olhos, estranhei com força sua atitude. Ele me colocou dentro do seu carro e rapidamente também entrou, ligando o automóvel e já pisando no acelerador.

— ChanYeol o que tá acontecendo...? — pergunto estranhando isso tudo e vendo lá ao fundo que a namorada do meu amigo estava olhando pro nosso carro e parecia furiosa. Olhei pro ChanYeol e percebi sua bochecha vermelha e seu lábio cortado — O que aconteceu com você?!

Eu estava realmente preocupado, será que ele se meteu em briga? Será que foi com a namorada dele? Mano, e se ele...

— Eu terminei com a SoHyun — Falou simples e tenho certeza que meu queixo estava no chão.

— Mas por quê? Vocês eram tão lindos juntos... Pareciam um casal apaixonado, achei até que você iria pedir ela em casamen-..

— Eu não a amo, nunca amei — Me cortou e falou alto,me surpreendendo com seu tom sério — Eu aceitei namorar com ela porque na época vo-...

E parou de falar. Confesso que eu tava muito curioso, esse término e essa resposta repentina não fazia sentido para mim, mas assim que ele parou de falar, percebi que não queria mais falar desse assunto, eu o conheço muito bem.

Logo o clima tenso que estava no carro foi esvaziando e já estávamos falando sobre como a professora de história tinha uma cara de bunda seca.

É isso que eu amo na nossa amizade, não importa o quão pesado seja o assunto, nós sempre conseguimos descontraír o clima.

Quando me dei conta, já estávamos entrando no estacionamento do apartamento e de frente para a sua porta. Nossa, o tempo passou rápido...

Entramos na sua "casa" já fomos preparar algo para comer, afinal, o que mais temos em comum, é nossa atração inigualável pela comida.

Mano, como que existe algo tão perfeito que é gostoso, nos dá energia, e ainda nos deixa satisfeitos?! É o paraíso.

Depois de comer e elogiar a comida maravilhosa que tínhamos feito — um miojo improvisado, porque não tinha na casa do retardado e tivemos que fazer com macarrão normal e Sazón, com um pouco de manjericão, frango e para completar um molho de tomate... EU JURO QUE FICOU BOM — fomos tomar um banho, um de cada vez.

Como eu tomei meu banho primeiro, vestindo um short e uma camiseta do ChanYeol emprestado, eu fiquei esperando o maior ficar pronto na sala de estar.

O apartamento dele era realmente bem bonito. Tinha uma variação do branco ao preto nas paredes, e mesmo assim a casa ainda tinha um ar nerd e geek, misturado com um elegante e descolar. Por fim, ChanYeol morava sozinho, já que seus pais — sim, dois pais, dois homens, um casal gay que o adotou, duas pessoas normais, obrigado — trabalhavam no exterior.

Assim que o dumbo saiu do quarto e se sentou ao meu lado, eu percebi o quão bonito ele era. Seus lábios eram grossos e vermelhos, seu rosto tinha belos traços e seu cabelo tinha uma ondulação fofa nos fios.

Me senti nervoso com a situação e parei para pensar no que realmente tinha pedido para meu melhor amigo fazer.

Sério BaekHyun? Não pensou em nenhuma outra coisa, não? Que lesado você é! Como pode pensar em fazer uma coisa dessas com o seu AMIGO?

— Q-quer saber ChanYeol? Acho que eu falei b-bobagem hoje cedo... — Comecei a falar sentindo as palavras enrolarem e me levantei constrangido — Não precisa se forçar a f-fazer algo tão sem noção que eu pedi... Além do mais, você tem namorada!

Não queria o olhar nos olhos, estava me sentindo horrível por ter implorado por isso e agora dizer que não quero... Mas só agora que eu parei para pensar.

Quando estava decidido a ir embora, senti as mãos grandes do ChanYeol segurarem a minha e me puxarem me fazendo sentar sem querer em seu colo.

— C-chan.. o que você..-?

— Você quem me pediu Bae, agora vai ter sua tão pedida e preciosa aula — falou de forma tão sensual no meu ouvido que meu corpo se arrepiou e nem reconheceu o bobão que é meu amigo e falou isso — E eu terminei com a minha namorada.

Antes que eu pudesse falar alguma coisa, talvez questionar o porquê do término – eu até tava relacionando aquela discussão mais cedo com essa notícia repentina –, aquelas salsichas enormes que o ChanYeol teima em chamar de dedos seguraram minha nuca e me aproximaram do seu rosto, tudo parecia ter parado.

Aquelas órbitas negras penetravam minha alma, como se ele soubesse exatamente como eu me sentia e no que eu estava pensando. E, puta merda, ChanYeol é bonito para um caralho, e eu me sentiria horrível por pensar isso do meu melhor amigo se eu estivesse em dias normais, imagina se um gostosão estivesse te olhando de um forma tão... Não sei nem dizer como é, socorro, enquanto você está no colo dele.

Se me perguntassem o porquê, eu diria que, apenas, só me aproximei daqueles lábios rosinhas por causa do momento, e porque eu quem tinha pedido por aquela aula.

Quebrei de vez aquela distância, jogando tudo para o alto e gritando um "foda-se" mental, até esqueci que quem estava me beijando era meu quase irmão bobão e idiota.

Era apenas um selinho demorado, mas a textura dos seus lábios – Só isso, com certeza – me deixaram tão estranho, parecia uma eternidade aquele simples toque, e quando eu senti a ponta de sua língua pincelar meus lábios, entreabri involuntariamente os mesmos e permiti a sua entrada.

Eu realmente pensei que ia ser uma merda, mas... Uau. Não é que eu pensasse que o ChanYeol beija mal, não. É que todos que eu conheço diziam que o primeiro beijo era sempre uma bosta, mas aquele foi tão... Mágico? Socorro, que gay.

Devia ser um beijo simples e calmo, inclusive começou assim, com nossas bocas se movimentando lentamente juntamente com nossas línguas. E cada movimento diferente e toque carinhoso do maior deixava meu corpo completamente quente e derretido.

Mas em algum momento, a coisa ficou mais... Intensa. Os toques estavam mais fortes, eu segurava com força a nuca do maior enquanto o mesmo apertava minha cintura contra seu colo, o beijo mais necessitado, nossas línguas brigavam por mais espaço e o clima pulsava puro desejo.

Nossas ereções estavam muito óbvias, os corpos tão colados que a minha batia em seu abdômen e a do Chan roçava – propositalmente ou não – na minha bunda sem vergonha nenhuma, mas mesmo assim, nenhum de nós quis separar.

Mas como (in)felizmente somos seres vivos e necessitamos de ar, nosso beijo foi interrompido em uma última mordida por parte do ChanYeol para respiramos, e nesse meio tempo eu pude ver o estado do garoto. Seus cachos estavam bagunçados, seus lábios mais vermelhos que o normal e seu rosto corado, cheguei a conclusão que eu também não deveria estar tão diferente dele.

Até cogitei o maior querer parar aquilo tudo ali mesmo, mas esses pensamentos se afastaram quando a palma do Yoda apertou com força minhas nádegas e me arrancou um gemido arrastado.

— Baekkie, você fica ainda mais lindo quando está gemendo

Porra, eu sentia que meu rosto – não só meu rosto, na verdade, rsrsrs – podia explodir a qualquer momento, e na hora, fiz a primeira coisa que veio à minha cabeça para esconder a vergonha: Voltei a beija-lo.

Até agora, estávamos sentados no sofá, bem, o ChanYeol estava sentado no sofá e eu tava no colo dele, mas a gente releva, só que, rapidamente, nossas posições mudaram e eu já estava deitado no tecido do móvel, enquanto o poste ficava por cima, com o joelho na minha virilha e se apoiando no cotovelo ao lado do meu rosto.

Aquilo estava tomando um rumo tão... Incestuoso. Mas aquilo também tava muito bom, e eu não queria parar nem fodendo, mesmo que eu não quisesse admitir nem a pau – só se fosse o pau do Ch-... –, então apenas deixei rolar, seguir o fluxo.

Eu gemia cada vez que o maior roçava seu joelho na minha intimidade, mesmo que o som fosse abafado pelos estalos altos do beijo. Em algum momento, não faço nem ideia de como isso foi acontecer, minhas mãos procuraram os botões da calça do mais novo, como se eu soubesse que ele também estava precisando ser libertado. O lance é que ChanYeol fez o mesmo comigo, e logo estava nós dois apenas de camisa, essas que já iam sendo arrancadas, e cueca.

A fricção contra minha ereção agora já não era com um joelho, mas sim, com outra ereção. ChanYeol interrompeu mais uma vez o beijo, mas dessa vez ele não ficou me encarando, ele desceu seus beijos molhados pelo meu maxilar e pescoço, mordendo e chupando toda região que sua boca percorria. Seus lábios correram pelo meu tronco já nu e atacou meus mamilos.

Nem sei como descrever aquela sensação, sentir sua boca quente contra uma parte tão sensível do meu corpo, maltratando o mesmo me deixou completamente sem poder de ação, apenas me forçando a gemer. E ainda existia o fato que seu pênis tava roçando de forma louca no meu e isso só me deixava mais envolvido.

— C-Chan... — o chamei em meio a um gemido sôfrego, e isso pareceu anima-lo, já que o mesmo chupou com força uma última vez meu mamilo esquerdo e voltou para os meus lábios, só que com um porém: sua mão começou a massagear a elevação da minha cueca.

Quando eu percebi, estava fazendo o mesmo com o outro, a diferença é que agora eu segurava o membro nu em mãos e já estava masturbando-o.

Novamente, foi tudo culpa do momento, e nuunca foi minha intenção chegar nesse ponto, mas já que estávamos ali mesmo...

Tivemos que, mais uma vez, interromper o beijo, porque os gemidos estavam demais. ChanYeol tomou o controle e colou ainda mais nossos corpos, pegando com apenas uma mão os dois membros nus e masturbando os dois juntos.

Puta que pariu, eu nunca tinha experimentado ou sentido um misto tão grande de sentimentos e prazer. Nossos ápices vieram pouco tempo depois de iniciada a punheta em conjunto, e nosso gozo jorrou em nossos abdômens, acompanhando um arrepio que cruzou todo o meu corpo e me fez arquear as costas.

Meu corpo ainda dava espasmos de prazer quando o maior aproximou nossos lábios e deixou um selinho demorado e carinhoso nos meus. Eu estava tão cansado que após essa pequena demonstração de afeto, eu adormeci quase instantaneamente. Jurava ter ouvido uma risada nasal antes de dormir, mas devia ter sido coisa da minha cabeça.

.
.
.

Abri os olhos lentamente, vendo pela janela que já estava escuro e tentei me situar. Será que aquilo tudo tinha sido um sonho? Me perguntei mentalmente ao perceber que estava com uma coberta grossa sobre mim, mas assim que eu a levantei, senti um friozinho nas partes baixas e vi que estava pelado, zero roupas, mesmo que minha barriguinha estivesse limpa.

Ia fazer a coisa mais lógica naquele momento, mas antes que eu pudesse dar um gritinho histérico, senti algo se mexer ao meu lado, ou melhor, alguém.

Por algum motivo, mesmo depois de ligar os pontos e me dar conta que tudo aquilo não tinha sido um sonho, ou seja, eu realmente beijei e toquei o meu melhor amigo, eu não achei aquilo algo ruim em si.

Talvez, só talvez, eu já tenha pensado em fazer coisas assim com ele, mas meio que fazia muito tempo e ao ver que ele com certeza não ia me retribuir da mesma forma, apenas guardei aqueles sentimentos. 

Mas eu não poderia amar ele, certo? Digo, sem ser como uma grande amigo ou um irmão. 

O fato é: Eu sinto definitivamente alguma coisa por ChanYeol, e não sei dizer se isso é uma coisa boa ou não.

Um ronco baixo me fez voltar a atenção para o corpo quase morto ao meu lado, me fazendo deitar de lado enquanto admirava aquela cena.

Eu sempre gostei de ver aquele poste dormir, NÃO ME ENTENDAM MAL! É que ChanYeol é uma pessoa bastante animada sabe? Daquelas que não precisam tomar nem um gole de café para passar o dia tagarelando coisas sem sentidos ou pulando alegremente, em outras palavras, vê-lo assim, tão calmo, como se nada estivesse acontecendo ao seu redor, como se estivesse finalmente relaxado depois de um dia longo e cansativo, me deixa da mesma forma, sereno e em paz.

Minha mão parecia ser atraída pelo rostinho de anjo, porque quando me dei conta, meus dedos percorriam carinhosamente suas bochechas, seu nariz afilado, e até mesmo suas orelhas fofas de abano, enquanto um sorriso se formava lentamente em meus lábios.

Nem percebi quando os roncos cessaram e a respiração do maior tomou uma forma distinta da anterior, tão imerso em pensamentos eu estava. Pensamentos sobre mim, sobre ChanYeol, sobre nós. Se é que existe nós.

– Minha beleza é tão grande que agora você me observa dormindo? – A voz do poste saiu tão grossa e rouca que meu corpo não pôde evitar se arrepiar com o tom, depois do susto, claro.

Quando as palavras saíram, seu olhos ainda estavam fechados, depois foi que se abriram e se focaram em mim, acompanhando um sorriso sarcástico nos lábios.

– É, tão grande quanto seu ego– devolvi rindo, nem me importava que ele não entendesse que eu estava brincando, porque ele sabia, isso só ficou mais óbvio quando um riso escapou de seus lábios, e sabia que eu sabia que ele sabia. Que loko– E na verdade, eu sempre olho você enquanto dorme.

Saiu tão facilmente, que eu só me dei conta do que tinha falado quanto Chan assumiu uma expressão séria e me penetrou com seu olhos.

– BaekHyun, eu-..

– ChanYeol, eu não sei o que eu sinto por você, sinceramente– o interrompi, tinha medo do que ele poderia acabar falando que, sei lá, afetasse nossa amizade, ou me afetasse  – Mas eu definitivamente sinto algo, e não sei como você vai lidar com isso, porque eu realmente amo a nossa amizade e perder você seria tipo perder meu chão e-..

Um risada gostosa ecoou pela sala, não de deboche, nem nada, mas o grandão realmente parecia achar graça na situação, porque só sorriu ainda mais quando viu meu bico emburrado. Ele não estava dando valor para aquela conversa? Ele não liga pra essa porra não? Já estava era pronto pra amaldiçoar até a terceira geração Park quando o Park em questão se pôs a falar.

– Baekkie, você sabe que eu gosto de você, certo?– Perguntou depois de terminar sua crise de riso enquanto seu rosto ainda estava vermelho. A pergunta bateu em cheio na minha cara, e acho que isso ficou meio óbvio, porque o Yoda deu mais uma risadinha e aproximou seu rosto do meu– Eu gosto de você desde que nos vimos pela primeira vez, e não tenho medo de dizer isso, porque com você eu posso ser sincero, eu sei. E eu vou continuar gostando, simplesmente porque você é você, e cada parte de seu ser me faz enlouquecer a cada dia.

Aquilo me atingiu de surpresa, tipo, muito mesmo, mas de alguma forma, por algum motivo, eu gostei daquela confissão, mesmo que não soubesse como respondê-la. Meus braços se esticaram e logo me vi rodeando meus bracinhos pela sua cintura, enquanto o maior repetia o gesto em mim.

Aquela era a minha resposta, assim como a do ChanYeol. Não era um sim, mas ninguém estava negando nenhum sentimento também. Se eu pudesse, ficaria daquela forma para sempre, abraçando o grandalhão como se ele fosse um grande e fofo urso de pelúcia.

Nós ficamos naquela mesma posição por um bom tempo, apenas apreciando o calor um do outro num abraço terno cheio de sentimentos guardados em cada afagar de cabelo ou carinho nas costas do outro.

E foi assim que o sono bateu em nós. Os dois abraçados debaixo da coberta quentinha enquanto o sol começava a nascer lá fora. Mas isso não fazia a menor diferença para a gente, estávamos juntos, e mesmo que ainda não estivesse claro aos nossos olhos, sempre que estávamos assim, entrelaçados, vivíamos em nosso próprio tempo, nosso próprio mundo.

Foda-se o resto.


 

 

 


Notas Finais


Foi isto, planejo realmente continuar essa short-fic. O capítulo foi todo revisado, mas se tiver algum erro, pode me dizer, sem problemas.

obrigada por lerem! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...