História A babá - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Colegial, Comedia, Yuri
Visualizações 23
Palavras 863
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Ficção Adolescente, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi povo lindo eu tô meio depre porque o site que uso pra ler mangá tá offline, então leiam ou sei lá

Capítulo 39 - Capítulo 25: A conversa


- Eu não tô apaixonada pela Sabrina - digo olhando para a minha amiga que lançava um olhar que dizia, "é serio que tá tentando mentir pra mim?" - é tão óbvio assim?

- Tanto que nem sei como a Sabrina não notou - responde Ella com um sorriso - mas não se preocupe não vai ser por mim que ela vai saber.

- Nem por ninguém - garanto indo até a minha moto.

- Você já foi mais sincera Ana - disse minha amiga parando ao meu lado.

- Você se lembra muito bem o que aconteceu da última vez que fui sincera - digo pegando o guidão da moto a levando para fora do estacionamento.

- Difícil de esquecer - disse Ella fazendo uma careta - mas você não devia deixar essa única experiência ruim definir todas as outras.

- Tem certeza que você devia dizer isso? Logo você que faz exatamente isso com o que aconteceu com você naquele acampamento - digo irritada me arrependendo em seguida ao ver a dor passar por seu olhar - desculpa Ella eu não queria...

- Queria sim e eu sei que não sou o melhor exemplo do mundo - disse minha amiga cortando a minha fala - e você tem razão, eu não posso lhe pedi para deixar de fazer algo que faço, mas é justamente por eu fazer que falo isso, porque eu não quero que cometa o mesmo erro.

  Eu me senti mal quando ao ouvir aquilo, principalmente ao ver a dor naqueles olhos deixando claro que havia acontecido tempos atrás ainda era uma ferida que não cicatrizara, eu não sabia exatamente o que havia acontecido com a Ella naquele acampamento, mas aquilo havia deixando uma grande marca:

- Ana eu sei que o que aconteceu com você e a Amélia te marcou muito - disse Ella depois de suspirar se recompondo - mas você não pode deixar ela vencer.

- A Amélia já venceu - digo andando um pouco mais rápido.

- Não, ela inda não venceu - disse Ella me parando - e sabe como eu sei disso?

  Eu balanço a cabeça negativamente como resposta: - Porque toda vez que vi você com a Sabrina eu encontrei aquele brilho no seu olhar - responde minha amiga - na verdade dês daquele dia na cafeteria quando você olhava pro celular, Ana eu esperei por anos que alguém reviver aquele brilho e essa pessoa apareceu, e você tá ai fugindo por medo de se machucar de novo.

- E o que eu posso fazer? - pergunto - ela já tá namorando outro e eu sou contra a terminar relacionamentos, sem contar as minhas 3 regras.

- Esqueça essas três regras Ana e o que você pode fazer? - pergunta Ella - pra começar lute, corra atrás eu não tô pedindo para acabar com aquele relacionamento, tô pedindo para dizer o que sente e o que tiver que acontecer vai acontecer.

- Odeio quando você coloca as coisas desse jeito - digo ajeitando os meus cabelos.

- Isso me faz está errada? - pergunta Ella.

- Vou adorar ver quando você estiver tão confusa quanto eu - digo.

- Eu sou tão confusa quanto você Ana - disse minha amiga parando de andar - eu só sei disfarçar melhor, mas vai falar com a Sabrina, né?

- Vou pensar - respondo também parando.

- Pelo menos é alguma coisa - disse Ella - e Ana?

- Sim? - pergunto.

- Relaxe, você não precisa se preocupar em perder o controle - disse Ella - e nem que alguém note o que você sente, o seu nervosismo te entrega mais que sua calma.

- Como assim? - pergunto confusa.

- Você me entendeu - disse Ella, antes de começar a se afastar - agora eu tenho que ir.

- Não ia comer comigo? - pergunto.

- Mudança de planos, recebi uma mensagem sobre os moveis da minha casa - responde minha amiga - tenho que tá lá para receber senão vão mandar de volta.

- Ok, tchau Ella - digo a vendo sumir de vista.

  Sem ter muito o que fazer eu subo na moto colocando o capacete antes de me dirigir para um parque ali perto numa tentativa de pensar melhor no que a minha amiga havia falado, ao chegar estaciono a moto me encaminhando em seguida para uns dos bancos vazios do parque: - Talvez a Ella esteja certa - digo - eu não vou conseguir nada se continuar fugindo, mas posso perder tudo... Não, não, sem pessimismo.

  Bem por enquanto eu acho que vou seguir um dos conselhos da Ella, vou deixar de me preocuoar tanto com as minhas reações - penso me encostando um pouco mais no banco.

  Quando sinto o meu celular vibrar no meu bolso me fazendo pega-lo vendo que a Ella havia me mandado uma mensagem:

[Mesagem on]

[Patamança] - Não vá amarelar😏😏

- Ela ler mentes por acaso? - pergunto negando com a cabeça enquanto sorria ao mesmo tempo que o guarda, mas acabo recebendo uma ligação - se for a Ella eu desligo na hora... Alô... Sabrina algum problema?

- Não nem um, só queria saber se terminou de falar com sua amiga - responde Sabrina.

- Terminei, por quê? - pergunto.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...