História A Babá - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~torresestefani1

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Amor, Bebes, Blair, Bryan, Família, Justin Bieber, Ódio, Tracey
Visualizações 3.043
Palavras 963
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores. ♡
➳ Eu mudei a personagem sim, se alguém quiser sabe mais sobre ela, fala nos comentários.
➳ Obrigada pelos favoritos e comentários, serio.
➳ Nesse capítulo já se passou cinco anos. Quem estará narrando e ela.
➳ A fanfic não e movida a comentários, mais eu adoraria recebe-los.
➳ Boa Leitura. Até dia 27/10. ♡

Capítulo 2 - O começo


Fanfic / Fanfiction A Babá - Capítulo 2 - O começo

Point of View — Lorena Clarkson

Acordo com o som da campainha tocando freneticamente. Bufo e me levanto. Coloco uma roupa e vou até a porta, abro e vejo o síndico com um sorriso debochado nos lábios. Tenho certeza que ele não gosta de mim.

— Olá, Lorena. — Diz e reviro os olhos fortemente. Respiro fundo para não dizer nada. — Estou aqui para avisar que você está atrasada no pagamento, tem uma semana para me pagar.

— Ok. — Falo e fecho a porta. Precisava de dinheiro, o que eu tenho não é nem metade do que preciso para pagar isso aqui. Bufo e vou para o quarto, me arrumo e desço. Faço um simples lanche e pego minha bolsa para ir ao trabalho. Fecho a porta e vou até o elevador, cinco minutos e saio do mesmo. Onde trabalho não é muito longe, é em frente a um condomínio de luxo. Trabalho de garçonete ali, estranho isso? Nem um pouco. Aceno para Aaron, vou até o vestiário e me arrumo. Prendo meu cabelo em um rabo de cavalo frouxo. Ainda é oito da manhã. Não estou com sono, como é um costume acordar cedo. Vou até o balcão e espero alguém entrar para atender.

Aaron me chama, disse que era um assunto sério. Não estava com medo, nem nada. Assinto e sigo ele até o escritório. Ele me pede para sentar e faço isso.

— Lorena é um assunto, digamos que, sério. — Falou pegando um papel. Assinto e respiro fundo. — Estamos perdendo dinheiro, e por isso estamos demitindo algumas pessoas. E você é uma delas, desculpe, mas é preciso.

Ok. Eu não esperava por isso. Preciso de dinheiro para pagar o apartamento. Trabalho aqui a muito tempo, desde que terminei um namoro. Passo a mão pelo cabelo, fazendo-o cair sobre meus ombros.

— Está bem. Eu posso trabalhar só hoje, e receber? Preciso do dinheiro para pagar o meu apartamento, por favor. — Realmente preciso do dinheiro. Aaron é um cara não tão velho, moreno de cabelos pretos, olhos pretos. Achava ele bonito.

— Ok. — Falou e pulo em seu colo o abraçando. Saio do seu colo e vou até a porta, mas ele me chama. — Desculpe mesmo, quando resolver isto tudo voltaremos a contatar vocês.

— Obrigada. — Falo e saio de seu escritório. Vou para o balcão novamente e pego meu bloquinho de anotar pedidos. Um homem com cabelos loiros e olhos cor de mel entra e espero ele sentar para atendê-lo. Vou até o homem. — Bom dia senhor. Já sabe o quê irá pedir?

O homem, cujo eu não sei o nome, pula se assustando com a minha voz. Solto um riso fraco, ele me encara e sorri. E que sorriso.

— Sim. Pão de queijo e café. — Assinto e vou até o balcão, dou o pedaço de papel a qual havia escrito o pedido para Blake. Ele pega e espero, em três minutos ele me dá os pedidos.

— Aqui senhor. E desculpe ter o assustado antes. — Falo e me retiro.

(...)

Eram exatamente onze da manhã. O homem loiro ainda não foi embora, já pediu três vezes pães de queijo. Agora estou atrás do balcão com Kate. Conversando sobre qual emprego vou usar para pagar o apartamento.

— Kate, não sei como irei pagar o apartamento. O síndico me deu uma semana para pagar, ele me odeia. — Falo frustrada. Kate arregala os olhos, não entendo e olho para trás vendo o loiro com um sorriso de tirar o fôlego. Olho para Kate e ela não está mais lá.

— Hm, olá. Eu ouvi você dizer que precisa pagar o seu apartamento. — Assinto desconfiada. — Eu posso te dar um emprego, se quiser.

Olho desconfiada e analiso a situação. Eu realmente preciso de um emprego.

— Que tipo de emprego? — Pergunto, pode ser que ele queira que eu vire uma prostituta. Arregalo os olhos com isso, não posso virar prostituta.

— Não, não é isso que está pensando. — solta uma risada. — É para ser babá. Sim, eu tenho filho, quer dizer filhos, são dois.

— Babá? Ok, eu já trabalhei com isso, não vejo problema. Mas como irei confiar em você? E dois? Como assim? — Ele arregalou os olhos e solta uma gargalhada, chamando atenção dos outros clientes.

— Sim dois, são um casal. Blair e Bryan. E você pode confiar, moro no condomínio a frente, não vejo problema para desconfiar de mim. — Falou olhando o relógio em seu pulso. — Quer o emprego?

Pensando bem não é algo tão ruim de lidar, são apenas crianças. Aliás, amo crianças. Suspiro e respondo:

— Sim. Quando começo? — Pergunto, ele disse hoje. Ok não esperava por isso. — Me deixa falar com o Aaron e já volto.

Saio e vou até o escritório encontrando Aaron. Entro sem bater e ele se assusta, solto uma risada.

— Já arrumei um novo emprego. Então eu já vou, foi ótimo trabalhar com você. — Falo e o abraço, saio, pego minha bolsa e vou até onde o Loiro se encontra.

— Vamos? — Assinto e entro no condomínio de luxo. Andamos mais um pouco e ele abre a porta, entro logo atrás dele, ouço som de risadas. Entramos em uma sala super grande, ali tinha três homens e duas crianças de aproximadamente cinco anos.

— Ainda não sei seu nome. — Ele me olha e bate a mão na testa.

— Oh, verdade. Chamo-me Justin.

— Lorena. Eles são seus filhos? — Ele assente.

— O Bryan não fala desde que nasceu, não o force a falar. — Falou me olhando, assinto. — Blair é mais calma, ou não.

— Tudo bem. Posso fazer um pergunta?

— Sim.

— Cadê sua esposa? — Pergunto. Vejo-o ficar desconfortável. Justin olha para o chão. — Desculpe se não quiser responder tudo bem, eu entendo.

Justin assentiu e se virou para eles novamente. Não haviam notado nossa presença ali ainda.

— Crianças. — Justin chamou a atenção deles, e dos três homens. — Essa é Lorena, a babá.


Notas Finais


➳ Espero que tenham gostado. Desculpe qualquer erro.
➳ Comentem por favor, ela não e movida a comentários, mais eu adoraria recebe-los.

Betagem por Bleah (BD)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...