1. Spirit Fanfics >
  2. A babá do meu irmão mais novo >
  3. Uma babá para Plagg

História A babá do meu irmão mais novo - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Muito obrigada pelo apoio moral . Espero que gostem do capítulo de hoje
Muito obrigada por tudo.
Tenham uma boa leitura.

Capítulo 7 - Uma babá para Plagg


Cat Noir não queria brigar daquele jeito impulsivo com o seu segurança. Afinal de contas,o instituto dele fora proteger de uma possível confusão. E tinha ciência de que o pai dele concordaria com o seu segurança.


 

Porém a cigana parecia muito mais uma senhora indefesa e calma. Do que um enorme perigo para a sociedade atual. Sabia que ninguém não era muito fã de ciganas. Por causa de certas coisas.


 

Se lembrou de um conselho muito bom de sua mãe a respeito do que ele e o Gorila passavam no momento. Na dúvida,era melhor não arriscar do que ir de encontro ao perígo extremo .


 

Rapidamente o modelo respirou profundamente. E voltou - se para a cigana .


 

(...)


 

_ Não, hoje, senhora. Não estou afim de fazer nada com a senhora. E não quero ver a minha sorte ou meu futuro com alguém especial. Agradeço o convite. Só que o meu segurança está receoso no momento.- Ele explicou gentilmente.


 

(..)


 

Gorila se sentiu muito aliviado por Cat Noir ter recuperado o bom senso. E também não ia perder o emprego de anos.


 

Por outro lado,a cigana desconhecida estava tentando disfarçar o seu ódio contra o segurança pessoal do modelo. Queria mais um para enganar com os seus truques.


 

Como uma raposa velha muito esperta. A cigana conseguiu contornar a situação com muita astúcia. E deu um sorriso falso ao modelo. Achando que ia ser fácil enganar ele.


 

(..)


 

_ Não se preocupe, meu jovem amigo. Pode ir tranquilo com o seu segurança. Há não ser que poderá voltar mais tarde aqui.- diz a cigana atraindo o modelo para uma armadilha.



_ Não . Estou com a agenda muito cheia . Amanhã irei para Roma . Para etapa final da minha viagem mundial - diz o modelo sincero ao escapar da armadilha da cigana .


 

_ Ah… Que droga . Seria a minha chance de enganar e de ganhar um bom dinheiro . Ah, esse segurança é muito chato . - pensou a cigana aborrecida com o seu plano indo para o buraco.


 

_ Vou indo. Tenha uma boa noite - diz o modelo despedindo -se da cigana , fazendo um gesto chamativo para que o seu segurança o acompanhe.


 

_ Espere . Por favor, fique . - diz a cigana chocada com a ação inesperada , saindo correndo para não perder dinheiro .


 

_ Ah. Sinto muito mesmo. Tenha uma boa noite . Vou indo - diz o modelo começando a se apressar a sair de lá .


 

_ Por favor, fique . Vou dar um bom desconto para você . E até faço para o seu amigo. - diz a senhora correndo rapidamente para os dois .


 

_ Lamento mesmo . Mas, estou realmente com pressa … - diz o modelo começando a suar muito frio com a aproximação da cigana que corria na direção dos dois .


 


 

_ Por favor, fique comigo . Sou muito boa no que faço . - diz a cigana chegando cada mais perto dos dois.


 


 

(..)


 

De repente a cena congelou . A cigana se aproximava muito rapidamente . Ficando apavorada em perder dinheiro fácil . E o modelo tentava fugir com o seu segurança . E quase a cigana chegou perto dos dois . Até que uma jovem chegou no momento . Pegando a cigana no flagra .


 

(..)


 

_ Mãe . Você não é uma cigana de verdade . Pare de mentir para os outros . Fico até envergonhada com isso . - diz a moça olhando com veemência para a mulher que congelou no meio do caminho.


 

_ Ela é a sua mãe ? - perguntou o modelo surpreso com a aparição da jovem .


 

_ Ela é sim; É que a minha mãe está muito doente . É que agora, ela se acha uma cigana . Por isso, tenho que cuidar dela - diz a jovem ficando ao lado da mãe paralisada , a olhando com um pouco de desgosto .


 

_ Ah. Pensei que fosse de verdade . Até me convenceu um pouco . Sorte que o meu segurança percebeu - diz o modelo aliviado com a desconfiança do seu segurança .


 


 

_ O seu guarda- costas é muito esperto. Que bom que não caiu na armadilha da minha mãe . - diz a jovem parabenizado a sabedoria do segurança .


 

_ Te devo uma , Gorila. - diz o modelo grato com o seu segurança .


 


 

_ Ah. Espero que o recompense ele muito bem - diz a jovem voltando o seu olhar para a sua mãe.


 

_ Mãe . Pare de mentir para todos . Vem comigo para a minha casa . E por favor, volte a se mexer . Não caio mais no seu truque para fugir - diz a jovem ordenando para a mãe .


 

_ Ah.. - diz a senhora voltando a se mexer bem devagar .

_ Ah , mãe . O que faço com você ? - diz a jovem voltando o seu olhar para os dois.


 


 

_ Peço desculpas pela minha mãe . Espero que ela não tenha causado muitos problemas para os dois . - diz a jovem pedindo desculpas .


 

_ Imagina. Temos que ir. Ainda tenho que passear um pouco pela cidade. Por último , irei para o hotel para dormir . Porque amanhã viajarei para a Itália - diz o modelo passivo com a senhora .


 

_ Tudo bem. Estou levando a minha mãe para casa . Tenham uma boa viagem . - diz a jovem pegando levemente o braço da mãe .


 

_ Mãe . Vamos indo para casa . Vou preparar a sua comida favorita no jantar . - diz a jovem tratando a mãe como uma criança .


 


 

_ Que bom . Estou com muita fome . - diz a senhora alegremente para a jovem .


 


 

_ Até . - diz a jovem levando a mãe para casa , começando a se afastar dos homens .


 

[…]


 

Cat Noir e Gorila assistiram as mulheres indo embora . E assim que elas sumiram da vistas dos dois . E em seguida , os dois foram muito embora . Voltando para o passeio do modelo.


 

(…)


 


 

E momentos depois que deixaram o beco onde tinham encontrado a falsa cigana . O modelo ainda estava pensando em como agradecer o seu segurança , que tinha evitando que caísse em uma armadilha o que faria perder algum dinheiro. Mesmo sendo muito rico .


 

(..)


 

_ Muito obrigada mesmo. E me desculpe por ser ido um pouco grosseiro com você . O que faço para me redimir e te recompensar pela sua ajuda ? - diz o modelo animado com o segurança .


 

(..)


 

Gorila não era de falar muito . Apenas ficou em silêncio o tempo todo . Pensativo com que ia pedir ao modelo . E então, o modelo considerou que o segurança ainda não tinha decidido com o que queria de presente .


 

(..)


 

De volta para Nova Iorque . Dusuu estava sentada no computador . Digitando um anúncio de emprego para a babá de Plagg . E Le Paon , estava supervisionado o trabalho da secretária .


 

E a secretária já tinha postado o anúncio em vários sites de emprego . E conversando com a patroa .


 

(..)


 

_ Espero que tudo dê certo. Fico feliz que tenha decidido em contratar uma babá para o Plagg . Ele anda muito sozinho . - diz a secretária enviado o mesmo anúncio para o mais recente site de emprego .


 

_ É sim. Não tenho dando atenção para o meu filho mais novo . Devido o meu emprego . Acho que vai ser uma boa - diz a patroa concordando com a secretária .


 

_ Já avisou ao seu marido a respeito da babá ? O que ele acha disto ? - perguntou a secretária um pouco desconfiada com a patroa.


 

_ Sim , já falei isso com ele . E ele acabou aceitando . - respondeu a patroa com segurança .


 

_ Que bom. Pensei que estava fazendo tudo as escondidas . Me sinto muito bem com isso - diz a secretária aliviada com a resposta da patroa.


 


 


Notas Finais


muito obrigada pelo apoio .
até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...