1. Spirit Fanfics >
  2. A bailarina e o lutador de rua. >
  3. A descoberta do senhor Rossi,

História A bailarina e o lutador de rua. - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura, meus amores.

Capítulo 10 - A descoberta do senhor Rossi,


ila não cuta muito a estranha mania de sua mãe em celebrar algo , que ainda não tinha acontecido, ao subir as escadas da sua enorme mansão, a italiana ouvia muita música clássica, e entre alguns intervalos de tempo, Lila ouvia a marcha nupcial , deixando -a muito mal mesmo, querendo sumir no mundo.

 

 

Ao se aproximar da entrada da casa, Lila entrava em um profundo desespero ao imaginar a raiva de sua mãe , quando ela contar sobre o término do seu namoro com o lutador, sobre a quebra do acordo com Hawmoth , ela nem queria saber disto, preferia em esquecer de tudo, ou desejar ter uma leve aménsia , antes de chegar perto de sua mãe.

 

 

Assim que subiu o último lance de escada da mansão , Lila foi recebida por algumas empregadas que trabalhavam para a sua família, com um lindo vestido , sapatos novos , maquiagem , escova de cabelos, uma presilha de cabelo.

 

 

 

 

_ Senhorita Rossi, precisa se arrumar , a sua mãe está a sua espera . - Uma das empregadas com o vestido nos braços , pegando o braço da italiana de leve.

 

 

_ O que está acontecendo aqui ? - Lila perguntou ao fingir que não sabia sobre a festa, sentindo o puxão da empregada.

 

 

_ Não soube, senhorita Rossi. A sua mãe acredita que vai ser pedida em casamento pelo senhor Noir . Depois da luta dele contra o Cupido Negro. Por falar nisso, onde está a sua aliança de noivado.

 

 

_ Ah, perdi no meio do caminho. Sei que foi muito caro mesmo. - Lila mentiu para a empregada, forçando um sorriso forçado para a empregada.

 

 

_ Ah, tudo bem. Mas, precisamos te arrumar . A sua mãe está dando uma festa para a alta socidade da cidade . Todos estão ansiosos com a sua chegada, principalmente a sua mãe . E uma pena , que perdeu o anel de noivado. - A empregada acreditando na mentira da empregada, fazendo um sinal para que as outras empregadas as acompanhem .

 

 

_ Ah, é sim, estou muito triste, estou chorando por dentro. - Lila continuou a mentir para a empregada.

 

 

_ Vamos discutir sobre isso depois, senhorita Rossi. Temos que te arrumar. Não pode aparecer assim para todas as pessoas mais importantes da cidade, poderia causar um grande vergonha com a sua mãe. Sorte a nossa, que não podemos ser demitidas por sua mãe, ou por você- A empregada encerrando o assunto , continuando a puxar o braço da italiana.

 

 

 

Tudo bem. - Lila falou aliviada , sendo puxada pelo braço pela empregada.

 

 

 

**

 

 

 

Durante os preparativos da entrada de Lila na festa, no jardim da mansão , a festa de noivado estava à pleno vapor , todos se divirtiam muito , sendo servidos por todos os empregados, conversando sobre algum assunto importante da rotina dele.

 

 

O senhor Rossi estava tomando um champanhe sozinho, sentando no banco do jardim, longe da mulher dele , evitando em ser chamativo demais , observando o movimento da festa, quando um amigo se aproximou dele , sentou-se ao seu lado, sorriu ao amigo.

 

 

**

 

 

 

_ A sua esposa sabe dar uma boa festa. - O amigo elogiou o senhor Noir, erguendo a sua taça de champanhe .

 

 

_ Sim, sabe mesmo. Mas gostaria muito que ela pare com as festas. Gostaria de um pouco de privacidade na minha mansão. - O senhor Noir falou calmo, levando a sua taça de champanhe a boca , tomando o líquido dourado.

 

 

 

_ Pensei que tinha problemas financeiros , meu amigo . - O amigo do senhor Noir falou ao amigo, ficando assustado com a reação do amigo.

 

 

_ … - O senhor Rossi cuspiu o champanhe para fora, começando a tossir muito .

 

 

 

Minha nossa , meu amigo. Está tudo bem ? - O amigo preocupado com o amigo tossindo o champanhe , enganhando-se com o champanhe.

 

 

 

_ O que é … ?! - O senhor Rossi voltando a respirar , olhou confuso para o amigo.

 

 

 

_ A sua esposa me contou que está perdendo muito dinheiro com algum investimento. Tentei perguntar para a sua esposa, e ela começou a fazer um drama . Para ser sincero , ela deveria ser uma boa atriz, ia ganhar muito dinheiro. - O amigo respondeu ao dar a sua opinião sobre o talento da esposa do amigo.

 

 

_ Não tenho problemas financeiros , meu amigo. A minha empresa está indo muito bem. Já fiz vários acordos comerciais com vários países. - O senhor Rossi falou sobre o seu sucesso financeiro , respirando fundo.

 

 

 

_ Ah, mas a sua esposa me disse ao contrário. Foi por isso, ela fez um acordo com o Hawmoth. Para casar a sua filha com o filho deles. Para garantir a fortuna da família. - O amigo contou sobre o acordo da esposa do amigo com o designer de moda.

 

 

 

_ A minha esposa ficou louca mesmo. Eu me esforço todos os dias para ganhar muito dinheiro. Para pagar por tudo , os salários dos meus empregados, a vida boa delas. E ela não está satisfeita com isso ?! - O senhor Rossi pasmo com a esposa , olhou sério para o amigo.

 

 

 

_ Ah, sim. Ela fez uma lavagem cerebral na sua filha. Para que ela acredite que vocês estão ficando muito pobres mesmo. - O amigo contou ao amigo sobre mais sobre o plano da esposa ao amigo.

 

 

_ Para mim, já deu . Por favor, não fale mais sobre isso. - O senhor Rossi decidiu em ir conversar com a esposa , levantando-se do banco.

 

 

 

_ O que pretende fazer , meu amigo ? - O amigo do senhor Rossi perguntou ao senhor , olhando ele se levantando.

 

 

 

_ Vou conversar com a minha esposa . Ela vai ter que me explicar tudo, o que me disse . Quero saber se é verdade. Ela pode mentir para mim, se quiser. Porém , não vou mais acreditar nela. - O senhor Rossi falou ao amigo, afastando-se do amigo.

 

 

_ Ah,tudo bem. A sua esposa está conversando com um casal importante. Eles estão perto da fonte. E não diga para ela, que fui eu quem contou sobre isso. - O amigo indicou o local para o amigo, ficando com medo da esposa do amigo.

 

 

 

_ Ah, vou cumprir com a minha promessa. Vou dizer que descobri sozinho. Obrigada, - O senhor grato com a informação do amigo, começando a ir em busca da esposa.

 

 

 

 

 

Perto da fonte, a senhora Rossi estava amando a atenção de todos os convidados , sentindo-se uma verdadeira estrela de cinema, ou algo parecido, conversando sobre o noivado da sua filha com o lutador Chat Noir .

 

 

 

 

 

_ Tenho a certeza que a minha filha vai ganhar um lindo anel de diamantes do senhor Noir. Já estou pensando no dia do casamento, na despedida de solteira da minha filha. Vai ser muito lindo. - A senhora Rossi falou ao casal, deu uma leve risada no final do seu comentãrio.

 

 

_ Não tenho a dúvida , que vai ser uma grande festa. Assim, como a de hoje. E onde está a sua bela filha ? - A mulher perguntou a senhora risonha , voltando a beber a sua bebida.

 

 

 

_ Ela está no ginásio , assistindo a luta do noivo dela com o Cupido Negro. Não assisti a luta, porque fiquei ocupada com os preparativos desta. - A senhora Rossi respondeu orgulhosa a amiga , voltando a rir novamente.

 

 

 

_ A luta deve ter acabado algumas horas atrás. Tenho a certeza que o senhor Noir ganhou. Apostei uma quantia enorme de dinheiro nele. Espero receber o dobro da minha aposta. Bem, vou ligar para o agente dele , com licença. - O marido da mulher acreditando que o gatuno tinha ganhado, pedindo licença para as duas, retirando-se de perto delas.

 

 

 

_ Qual foi a quantia de dinheiro , o seu marido apostou no meu futuro genro ? - A senhora Rossi perguntou animada para a amiga, olhou com expectativa.

 

 

 

_ Ele não comenta muita coisa sobre as apostas dele em lutas de rua. - A amiga respondeu para a amiga , olhando calma para a amiga.

 

 

 

_ Com licença , senhora Claire. Posso conversar com a minha esposa , por alguns instantes ? - O senhor Rossi chegou perto das mulheres , olhou para a amiga da esposa.

 

 

 

_ Querido, como vai ? - A senhora Rossi abrindo os seus braços para abraçar o esposo.

 

 

 

_ Vou bem, querida. Mas, preciso falar urgente com você à sós. - O senhor Rossi deu um leve empurrão na esposa , olhou frio para a esposa.

 

 

 

_ Tudo bem, querido. Amiga, vou conversar com o meu marido. Até logo, depois a gente conversa . - A esposa falou a amiga , olhou intrigada para o marido.

 

 

_ Bem, vou pegar mais champanhe, e ir falar com o meu marido a respeito da aposta dele. Até mais. - A amiga aceitou a dispensa, retirando-se de perto do casal.

 

 

_ Podemos conversar em um local mais privado , querida ? Longe da festa ?! - O senhor Rossi pediu para esposa , olhou gélido para a esposa.

 

_ Sim, claro. Podemos conversar nas cozinhas. - - A esposa sugeriu um bom local para o marido para conversar em particular .

 

 

_ Acho bom, porque o assunto é realmente muito sério. - O senhor Rossi frio com a esposa , lançando um olhar gélido para a esposa.

 

 

_ Ah, claro que sim. - A senhora Rossi falou tranquila para o esposo, começando a levar o marido nas cozinhas.

 

 

 

 

 

E então, o casal Rossi saiu da festa de noivado, começando a ir na direção das cozinhas, para a conversa particular deles .

 

 

A senhora Rossi começou a sentir o peso do olhar frio do marido, engolindo seco, pensando que o assunto sério dele se tratava do divórcio deles.

E então, o casal foi para as cozinhas da mansão, onde os cozinheiros estavam aterrafados com o preparo da comida para a festa da senhora Rossi, assim que o casal encontrou local , vários cozinheiros ergueram a cabeça , assistindo a entrada do casal , deixando de fazer as suas tarefas .

 

 

**

 

 

_ Os senhores podem sair por algum tempo. Podem deixar os seus afarezes de lado. Podem abaixar o fogo , assim nenhuma comida vai sair queimada. Preciso ter uma conversa séria com a minha esposa. - O senhor Rossi cortês com os seus empregados, olhou áspero para a sua mulher que se encolheu.

 

 

_ Sim, senhor. Mas, sobre o que quer conversar com a sua esposa ? - O cozinheiro chefe abaixando o fogo da panela que cozinhava lentamente , torcendo para que o chefe peça o dívorcio para a esposa.

 

 

 

_ Uma coisa importante, Monseuir . E algo particular. É assunto de família. - O empresário cortês com o chefe de cozinha , continuando a olhar áspero para a mulher.

 

 

 

_ Muito bem, senhor. Vamos indo, senhores. Não tinhamos um bom intervalo , desde que a senhora Rossi nos ordenou a fazer o banquete , para os convidados sem educação, que se dizem amigos dela. - O chefe da cozinha ordenando para os seus auxiliares, retirando-se de perto do fogão ao deixar a panela cozinhando.

 

 

 

**

 

 

Um por um, os cozinheiros deixaram as suas tarefas de lado , retirando-se da cozinha , deixando o casal sozinho na cozinha .

 

 

Assim que o último empregado deixou a cozinha, o senhor Rossi fechou a porta com calma , evitando em olhar para a esposa, que estava muito ansiosa e receosa com a conversa , que ia ter com o marido.

 

 

**

 

 

_ Posso saber o real motivo, para que minta para todos , sobre a nossa condição financeira, Margareth ?! - O senhor Rossi aumentou consideravalmente o seu tom de voz.

 

 

_ Ah, o que ? - fingindo em entender o seu marido, arqueando a sobrancelha esquerda confusa.

 

 

 

_ Não finja que não sabe nada , querida. Está sendo muito cínica com a situação. Sei de tudo, que anda escondendo nas minhas costas. Forçando a nossa filha a se casar com um rapaz rico, que não a ama de verdade.Um acordo com o pai dele . Que outras coisas, anda me ocultando ?! - deu um soco na porta com raiva , deu um forte chute com o pé direito , vendo a porta tremendo na frente dele.

 

 

 

_ Ah, querido. Isso é mentira. Jamais ia fazer algo em suas costas. Estava apenas , garantido o futuro da nossa filha, ela ama o Chat Noir. E pretende se casar com ele. Por isso, fiz essa linda festa de noivado. Tenho a certeza, que a nossa filha vai gostar muito. - fazendo-se de inocente ao marido,

 

 

_ Olha, não estou para os seus dramas , querida. Não quero saber de mais mentiras. E também, o senhor Noir foi forçado pelo pai dele, somente para agradar você e a nossa filha. Que são duas interesseiras de primeira classe, para fazerem o que querem. Sem se importar com os outros. - deu uma bronca na esposa.

 

 

 

_ Não sou interesseira, somente quero garantir o futuro da nossa filha. Não vamos ficar por muito tempo aqui. Somente, quero fazer ela feliz. Tenho um bom marido, que a sustente. - mentiu ao marido, aproximando-se cautelosamente do marido.

 

 

 

_ Fique longe de mim, querida. Não quero me toque com as suas mãos sujas com as suas mentiras. Não tem vergonha na cara, em forçar a nossa filha a se casar . Em fazer lavagem cerebral nela, para fazer com que ela acredite , que estamos ficando muito pobres … ?! - O senhor fez um gesto de afastamento para que a esposa não o toque.

 

 

 

_ Mas , querido. Estou apenas garantido o futuro da nossa filha única. Ela merece o melhor. - tristonha com a recepção fria do marido, começando a fazer um drama épico para ganhar a compaixão do marido.

 

 

 

_ Por acaso, já pensou no meu melhor, acima das duas , Margareth ? - voltando-se rapidamente para esposa , olhando-a com frieza.

 

 

 

 

_ Claro que sim, sempre penso nisto. - sorriu em falso para o marido, chegando bem perto do marido.

 

 

 

 

_ Fique longe de mim, Margareth. Isso tudo que está falando, é mais pura mentira , Margareth. Tenho nojo de pessoas mentirosas , como você, como a nossa filha, que está doente mental , por sua culpa. Deveria ter ouvido... - encarou a esposa violento .

 

 

 

 

Querido , por favor, não me encare assim. Te amo muito. - olhou ferida para o marido, começando a chorar de mentira.

 

 

 

 

_ Não me ama, sua devassa . Deveria ter ouvido os meus familiares , que sabiam que sempre mentiu para mim. Me aletaram por um bom tempo, até me lembro das frases deles. A frase era muito parecida, me aconselhando que não deveria me casar com uma pessoa interesseira , como você. - olhou -a agressiva, bufando que nem um touro bravo.

 

 

 

Querido, os seus amigos mentem para você. Eles nunca gostaram de mim. Sentem inveja do nosso amor, que é muito forte. E vai vencer todas as barreiras. A gente ainda vai rir muito ao lembrar disto. - olhou sedutora ao marido, esticando a mão para fazer um afeto no rosto do marido.

 

 

 

 

_ Saia de perto de mim.. - advertiu a esposa , deu um tapa de advertência na mão da esposa.

 

 

 

_ Ai.. - sentiu o tapa do marido em sua mão, recuando um pouco, forçando a começar a chorar para ganhar a piedade do marido.

 

 

 

_ Nem venha com este fingimento , querida. Nem sabe chorar direito. Ainda estou muito bravo com você. Ficou mentindo para mim, por um bom tempo. Sem pensar duas vezes. E ainda por cima, fez acordos sem me consultar. Forçou um jovem a amar a nossa filha, por causa de um caso rídiculo. - irritado com a esposa , lançando um olhar de ofensa para a esposa.

 

 

 

_ Nunca me compreende . Somente queria garantir o futuro da nossa filha. Sem preocupação alguma. Você é mal comigo. Te odeio. - fez um forte drama digno de um oscar, chorando em falso .

 

 

 

_ Pode chorar em falso a vontade. Nem adianta em fazer com sinta pena de você. E agora, com licença, vou retornar para a festa. Vou pedir para que a nossa filha desista do casamento... - decidiu em ia terminar com o casamento arranjado da filha, deu meia volta na frente da esposa, caminhando na direção da porta e ouvindo a esposa entrando em desespero.

 

 

 

_ Por favor, não faça isso. - implorou a senhora ao marido, ficando com medo do marido.

 

 

 

_ Nem adianta armar os seus famosos escandâlos. Estou por aqui, com isso. Vou procurar a nossa filha, para pedir , para essa loucura seja parada. - negou a esposa, chegando perto da porta , esticando a sua mão para empurrar a maçaneta para baixo.

 

 

 

_ Não, não, não, não... - gemendo em desespero, segurando a sua cabeça com as mãos.

 

 

 

Para com isso, querida. E se continuar assim, até os seus '' amigos '' vão acreditar que ficou louca. - recomendou a esposa , abaixando a maçaneta , deu uma leve empurrada e saindo da cozinha.

 

 

 

_ Não faça isso... - esbarvejou a esposa, olhando o marido fechando a porta , começando a correr na mesma direção do marido.

 

 

 

_ Tarde demais. - decisivo para a esposa atráves da porta e andando pelo corredor para retornar a festa.

 

 

 

_ Ah... ! - gritou loucamente pela cozinha, chorando de verdade, ajoelhando-se no chão ao sentir fraqueza nas pernas.

 

 

**

 

 

 

A senhora Rossi entrou em um profundo desespero ao ver o seu marido indo conversar com a sua filha, a respeito do seu plano brilhante, em fazer com as duas ficassem ricas para sempre.

 

 

Ajoelhada em um chão frio, chorando em descontrole , começando a sentir ódio intenso da pessoa , que tinha destruído o seu plano perfeito.

 

 

**

 

 

Retornando para as ruas de Nova Iorque, finalmente o trio chegou no bar, onde uma boa parte dos clientes havia saído , depois do final do jogo de futebol europeu , tinha ficado no empate para ambas as equipes , deixando os clientes muito felizes , não havia tido uma briga sequer.

 

 

Ao entrar no estabelecimento, Marinette foi recebida pelo chefe, o senhor Irlandi , que ficou surpreso com o regresso rápido de sua melhor funcionária.

 

 

**

 

 

_ Marinette, fique um pouco preocupado com você. Estou feliz que está bem. Andar sozinha na rua, a essa hora , é muito perigoso. - deu um abraço caloroso de boas vindas na funcionária, apertando-a com leveza.

 

 

 

- Obrigada pela preocupação, senhor . - devolveu o abraço do seu chefe , sorrindo para ele.


 


Notas Finais


me desculpe por algum erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...