1. Spirit Fanfics >
  2. A bailarina e o lutador de rua. >
  3. O salvamento.

História A bailarina e o lutador de rua. - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura, meus amores

Capítulo 7 - O salvamento.


_ O movimento está cheio hoje. Nunca vi tantas pessoas no mesmo local. Imagino que vai faturar muito hoje. - Um outro cliente comentou sobre a lotação do bar, voltando a beber a sua cerveja com calma.

 

 

- O jogo ajudou muito mesmo. E também os meus funcionários me ajudaram muito mesmo. - O barman olhou admirado para os clientes que estavam se divertindo, pegando um pano para limpar o balcão.

 

 

 

_ Senhor Irlandi , cheguei com mais um pedido. Para a mesa sete . Eles querem cinco canecas de cerveja pura e alguns petiscos. - Marinette chegou com mais um pedido, colocando o papel sobre o balcão .

 

 

- Ah, sim. Obrigada , Marinette. Pode cuidar das cozinhas hoje ?! É que o meu lavador de pratos ficou doente. E a esposa dele me pediu para escolher alguém para a tarefa dele. Pode fazer este favor para mim ? - O senhor Irlandi passando o pano para limpar o balcão, olhou com expectativa a mestiça.

 

 

_ Ah, lamento , senhor. Mas, tenho uma aula de balé hoje. Recebi uma ligação da minha professora, me dizendo que tinha me saído muito mau na aula mais recente. O que é mentira dela , porque ela não gosta muito de mim. Posso te recompensar depois. - Marinette avisou que tinha recebido uma ligação da professora , revirando os seus olhos com descrença.

 

 

_ Minha nossa, a sua professora de balé está muito idosa. Não me leve a mal. Mas, não está na hora dela se aposentar ? - O chefe comentou sobre a professora de dança da mestiça.

 

 

_ Sim, eu concordo plenamente. Mas, não sei o que deu nela . Ela é a minha professora, e aula extra é obrigatória para quem foi muito mal na aula passada. E então, devo ir. Nos vemos amanhã - Marinette mentiu um pouco, começando a tirar o seu avental de garçonete .

 

 

_ Ah, tudo bem. Mas, amanhã, vai ter que ficar duas horas extras aqui. Para compensar tudo . - O chefe permitiu a saída da mestiça , olhou com tranquilidade.

 

 

_ Tudo bem, posso fazer isso. Muito obrigada. - Marinette retirou o seu avental , colocou em cima do balcão, despediu -se com um aceno de mão, indo na direção do banheiro feminino para se trocar.

 

 

_ Essa sua garçonete é realmente muito comprometida com o que faz . - O cliente comentou sobre o empenho de Marinette ao serviço dela.

 

 

_ Sim, ela é uma das minhas melhores garçonetes daqui. Não trocaria por nada. Mas, o sonho dela é em dançar balé pelo mundo. Em grandes espetáculos mundiais de balé. - O chefe elogiou a garçonete , voltando a passar o pano para limpar o balcão.

 

 

 

 

 

Depois de mais ou menos meia hora , Marinette já tinha se trocado , pegou a sua bolsa , colocou -a em um dos ombros , ajeitou o seu cabelo na frente do espelho , e assim, que se considerou bonita ,ela deixou o banheiro feminino, começando a deixar o bar , onde trabalhava.

 

 

 

 

 

Alguns minutos mais tarde, Marinette caminhava sozinha nas ruas quase escuras de Nova Iorque, muito mal iluminadas , tornando difícil em enxergar no meio da escuridão , porém a mestiça foi em frente, usando a sua coragem como guia.

 

 

 

Quase chegando perto da escola de balé, um criminoso de rua qualquer saiu das sombras de alguma parte, querendo o dinheiro da mestiça, retirando uma pequena faca de cozinha , disposto a matar para obter o dinheiro dela, nem se importando com as consequências , precisava do dinheiro para quitar uma dívida com a sua gangue .

 

 

O bandido chegou bem perto da mestiça , agarrando-a por trás , segurando os seus braços finos , puxando -a para perto dele , pondo a faca no pescoço dela , com a mão dele , tapou a boca para impedir com que a mestiça grite por socorro.

 

 

 

_ Agora, fique bem quietinha. Estou apenas pegando o seu dinheiro. Estou muito duro hoje, e ainda tenho uma cobrança para quitar. Se me der o dinheiro, vou te deixar em paz. E se fizer alguma gracinha, digamos que não vai ver a luz do dia novamente. - O bandido sussurrou no ouvido da mestiça, apertando a boca dela.

 

 

_ Hum… Hum… - Marinette tentou falar algo para o criminoso, rebatendo-se para se livrar do aperto.

 

 

 

- Ah, nem adianta se rebater , minha jovem . Que cheiro é este ? - O bandido apertou o seu braço por trás da mestiça, começando a sentir o perfume doce da mestiça.

 

 


_ Hum...Hum… - Marinette percebeu que poderia acontecer algo com ela, começando a se debater para se livrar do aperto, começando a pisar no chão em busca do pé do criminoso.

 

 

 

_ Vai com calma , minha querida. A festa mal começou . Você tem um cheiro tão bom. - O bandido malicioso para a mestiça , começando a cheirar o pescoço da mestiça.

 

 

 

_ Hum… Hum…. HUM… - Marinette rebatendo-se para se soltar do aperto, conseguindo pisar no pé do criminoso.

 

 

 

- Ai, meu pé . - O criminoso sentiu o golpe da mestiça , soltando-a a mestiça.

 

 

 

_ Nem pense em chegar perto de mim , seu vagabundo. Não sou uma mulher fácil. Vai procurar emprego para pagar as suas dívidas . - Marinette xingou o bandido , cerrando os dentes para o bandido.

 

 

 

- Vai me pagar por isso. Vai morrer na minha mão. - O bandido sacou a sua faca de cozinha , lançando um olhar de puro ódio, avançando para cima da mestiça.

 

 

_ Nem vou fazer isso. Eu tenho uma arma secreta. - Marinette abriu a sua bolsa , pegou uma arma de choque de dentro da sua bolsa, disparando-a no peito do criminoso.

 

 

 

_ Ah…. Ah… Ah… - O criminoso sendo atingido pela arma , começando a ganhar choques da arma da mestiça.

 

 

 

- Está vendo. Mexe comigo de novo para ver uma coisa . - Marinette triunfante ao dar choques no criminoso, apertando o botão de disparo com força.

 

 

 

_ Ah, vai me pagar… Ah… - O criminoso cheio de ódio ao sentir os choques , gemendo de dor.

 

 

 

_ Duvido , sou bem mais esperta do que você. - Marinette continuou a disparar a arma , apertando o botão com toda a força .

 

 

 

~**~

 

 

 

Marinette apertou o botão da sua arma de choque com tanta força para se livrar do criminoso, que ia assaltar ela , com o aperto forte da mestiça , o botão de disparo quebrou , fazendo que arma de choque parar de funcionar.

 

 

 

Ao perceber que a sua arma de choque tinha falhado , Marinette ficou em apuros , olhando que o bandido tirou os pinos da arma dela do seu peito, atirando de lado, dando um sorriso macabro para ela , avançando para cima dela.

 

 

 

Marinette nem esperou o bandido se aproximar dela, a bailarina se agachou rapidamente, ao ver que o bandido deu um soco para cima dela , depois disto saiu correndo para se proteger.

 

 

 

~**~

 

 

 

_ Volte aqui, sua gracinha . Ainda não terminei com você. - O bandido decidiu perseguir a mestiça para roubar o dinheiro dela.

 

 

 

~**~

 

 

 

Marinette começou a correr muito , procurando fugir para se proteger, rumando para outro lado da rua, procurando uma delegacia para pedir ajuda,olhou para atrás , anotou que o bandido continua correndo atrás dela , começando a dar todo o gás na sua corrida .

 

 

 

~**~

 

 

_ Não vai embora , gracinha. Quero o seu dinheiro. Não vou te deixar em paz , vou até o final do mundo para te encontrar. Até gostei de você. - O bandido perseguindo a mestiça pela rua escura, olhando malicioso para as costas da mestiça.

 

_ Caia fora. Não vou dar o meu dinheiro . Vá procurar emprego. Me deixe em paz. - Marinette deu uma olhada para trás dela , continuou com a sua corrida de fuga .

 

 

 

_ Nem quero saber de emprego. É muito chato ficar seguido ordens de mauricinho se achando que é mais importante do que eu. - O bandido riu do conselho da mestiça,continuando a correr atrás da mestiça.

 

 

 

_ Socorro, por favor, alguém me ajude . - Marinette começou a apelar por ajuda , continuando a dar o máximo possível.

 

 

 

_ Ah, estou adorando em te perseguir , gracinha . Estou tendo uma bela visão das suas costas, da sua bunda , dos seus cabelos longos e azulados escuros como a noite . Oh, lá em casa. - O bandido olhou sensualmente para a mestiça correndo na sua frente, continuando a perseguir sem piedade.

 

 

 

_ Fique longe de mim, seu abusado. - Marinette séria com o bandido, começando a ficar cansativa com a sua longa correira.

 

 

 

_ Ah, estou vendo que está perdendo o seu gás , lindinha. Ah, continua assim mesmo. Vai ser mais fácil de te pegar. - O bandido anotando que a mestiça estava ficando muito cansada com a sua corrida.

 

 

 

_ SOCORRO !!! - Marinette pediu histérica para alguém vir em seu auxílio.

 

 

 

 

 

Marinette continuou a dar o máximo possível de si mesma , correndo histérica pela rua , implorando por ajuda , entrando em desespero.

 

 

 

No meio da correira, Marinette cometeu um grave erro ao dobrar uma esquina escura, e o criminoso a seguiu-a , começando a encurralar a mestiça no beco escuro.

 

 

 

~**~

 

 

_ Ah, sabia que ia vencer mais cedo ou mais tarde. Agora, podemos retornar aonde paramos. - O bandido sorriu vitorioso ao encurralar a mestiça contra a parede.

 

 

_ Que droga , o que vou fazer. Estou cansada demais para correr , ou pedir ajuda. - Marinette pensando sobre a encrenca que havia se metido, começando a sentir uma parede fria nas suas costas.

 

 

 

_ Ah, agora que a festa vai começar… - O bandido sorriu macabro para a mestiça , parando no meio, caindo na frente da mestiça.

 

 

 

_ Seu abusado, nunca deve tratar uma dama com tanto desprezo . - Chat Noir deu um soco nas costas do criminoso, derrubando-o na frente da mestiça.

 

 

 

- Ah… - Marinette olhou surpresa para o seu salvador desconhecido, passando por cima do corpo do bandido que estava desmaiado.

 

 

 

_ Chat !!! - Chantelle entrou no beco para procurar o irmão, correndo assustada para se encontrar com o irmão mais velho que tinha sumido de repente.


 

_ Estou bem, minha irmã . - Cat noir se apressa em responder a irmã que tinha entrado no beco , alcançado o irmão com a mestiça .


 


 

_ Oh, minha nossa. O que aconteceu aqui ? - Chantelle repara no criminoso desmaiado aos seus pés , entrando em estado de susto .


 


 

_ Bem , esse aí queria fazer mal a ela . Não gosto deste tipo de homem. E então, dei uma surra nele . - Cat Noir fala sem importar com o bandido desmaiado aos seus pés.


 


 

_ Que loucura que está fazendo, meu irmão ?! Não sabia que o bandido poderia estar armado ?! Você é muito imbecil . - Chantelle repreendeu o irmão com a atitude perigosa.


 

_ Ah, sou muito mais do que ele . Quando apontou a arma para mim. Dei um golpe para tirar a arma dele . Em seguida, apliquei uma boa sequência de golpes . - Cat Noir olha com mau humor para a sua irmã .


 


 

_ Jamais faça isso d e novo. É muito perigoso mesmo. Deu uma sorte não ser atingido por uma bala . Senão, estaria em um hospital . E eu tenho que contar tudo para os nossos pais e para o Plagg. Mesmo sendo o mais forte, irmão. As vezes precisa usar o seu cérebro do que os seus músculos .- Chantelle meteu um a boa bronca no irmão .


 

_ Não quero brigar com você, irmã . Já tivemos a nossa conversa antes . - Cat Noir decidiu aceitar a bronca da irmã , voltando-se para a mestiça que permaneceu em silêncio durante a discussão.


 

_ Me desculpa . Nem sei o seu nome . Pode me dizer ? - Cat Noir pergunta a mestiça que o mira nos seus olhos.


 


 

_ É Marinette . E o seu ? - Marinette devolve a pergunta .


 


 

_ Cat Noir . E essa é a minha irmã mais nova, Chantelle. Me desculpa por não me apresentar antes . É que eu e a minha irmã brigamos antes . - Cat Noir apresenta os dois ao mesmo tempo , analisando a mestiça para encontrar algum ferimento.


 

_ É claro . Está bem ? - Chantelle se esquece da raiva , aproxima da mestiça .


 


 

_ Estou bem. Graças ao seu irmão . - Marinette responde ao dar atenção para a Chantelle .


 


 

_ Que bom , fico muito feliz . - Chantelle sorri abertamente para a mestiça que devolve com timidez .

 

 

 


Notas Finais


me desculpe por algum erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...