História A Bailarina e O Pianista. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Naruhina, Nejiten, Romances, Saiino, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 75
Palavras 1.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Primeiro Capítulo - Audição.


Por Haruno Sakura.

Mais um dia começa, um pesadelo que se inicia. Odeio ter que ir para escola, mas farei isso pelos meus pais. Não quero passar a vida inteira dependendo deles, já que sou " Muda" eles me tratam como se fosse um bebê indefeso.

Não nasci sem voz, mesmo assim falava vem pouco por causa da vergonha. Só que durante as férias de verão á alguns anos atrás, nosso carro capotou. O trauma foi tão forte que acabou prejudicando minhas cordas vocais, mesmo indo no fonológo não conseguia de jeito nenhum voltar á falar.

Meus pais ficaram arrasados, eu já sabia que isso provavelmente iria acontecer. Então agi indiferente com essa situação, sempre fui madura em relação á esse tipo de coisa. Às vezes minha mãe diz que eu não tenho nem um pingo de compaixão por eu mesma, porém não é verdade. Eu apenas sou realista, só isso.

– Bom dia querida – minha mãe me dá um beijo.

Bom dia – Anoto em uma folha.

Sou fluente em libra mas não gosto muito de usar, me irrita. Prefiro escrever, mesmo que me dê mas trabalho. Tomo meu café, meu pai já saiu para trabalhar e minha mãe logo também vai.

– Já estou indo querida – diz.

Apenas balanço á cabeça positivamente, ela me dá um beijo e me deseja ,boa sorte para á prova que eu irei fazer hoje á tarde.

Vou tomar meu banho, optei por usar uma legging preta e um moletom azul escuro já que estamos no inverno, com um tênis que costumo usar preto e branco. Meu cabelo está na altura da minhas costas, nunca pensei em cortar, mais às vezes seria bom tê-lo curto.

Me olho no espelho novamente, até que estou direita hoje. Passo apenas um gloss claro na boca, pego minha mochila e vou para o ponto de ônibus. Ainda eram 7:30 da manhã, provavelmente o ônibus só irá passar 7:35.

E assim meu palpite estava certo, como era o ônibus estudantil eu não preciso pagar então já fui passando pela catraca e me sentando em um dos bancos disponíveis. Logo os comentários começaram á surgir, acho que esse povo nunca se tocou que  eu  sou muda e não surda.

Coloco o fone de costume, e vou ouvindo até chegarmos no inferno...ops colégio. Saio do ônibus e vou até meu armário, pegar o livro para á aula de hoje.

– Bom dia Alunos – o professor entra na sala.

– Bom dia – Todos respondem.

Todos menos eu é claro, não é por falta de educação. Mais o motivo vocês já devem saber, Orochimaru professor de biologia junto com a professora Tsunade que provavelmente não veio.

                         ***

O professor passou matéria no quadro ou seja tópicos, já que ele odeia ter que escrever. Copio cada tópico se não ,irei ficar confusa na hora de estudar para a prova. Estou no 3° ano do ensino médio, pois o diretor disse que o meu desempenho é muito maior do que os outros alunos, então resolveu me colocar uma série á cima.

Faltam apenas seis meses para acabar o meu sofrimento, um sorriso pequeno aparece no meu rosto.

– Ei mudinha – ouço alguém me chamar.

O que foi ? – anoto no meu bloco de notas.

– Qual é a reposta da primeira questão aqui do livro – Sasori aquele pilantra popular.

Está no livro, apena procure – faço uma expressão de que não daria á resposta facilmente.

– Vamos logo mudinha, para de ser fazer de difícil. Todo mundo sabe que você é fácil, que cai em qualquer papo então para de enrolar e me dá seu livro – ele puxa meu livro de mim.

Ficamos nesse puxa-puxa e o que aconteceu ? O livro bateu na minha testa, e logo um corte se formou, esqueci de falar que meu corpo é todo frágil. O professor logo vem me "socorrer" e me leva para a enfermaria.

– Fica quietinha aí – diz a enfermeira.

Balanço a cabeça, não dava para sair com a testa cortada né ? Seria melhor eu ter dado o livro para ele, não teria feita as pessoas se preocuparem comigo. Ela cola um losango no lugar onde estava o corte, parecia bem real e eu adorei. Eu sei que sou um pouco infantil, mas o que eu posso fazer se eu sou assim ?

– Está melhor ? – pergunta o professor Orochimaru.

Estou – levanto o bloco para ele ver.

Todos os professores sabiam da minha "deficiência" então por isso não perguntavam o motivo de eu apenas levantar o bloco de nota com algo escrito para eles.

Pego meu celular, e vejo uma mensagem do meu irmão.

 

Mensagem – Projeto do Satã.

Mano: Já chegou na escola ?

Eu:  Aham. Mais preciso de um favor.

Mano: O quê ?

Eu: Preciso que você venha me buscar.

Mano: Tá , aconteceu algo ?

Eu: Mais ou menos.

Mano: Quando eu chegar aí, você me explica direito. Já tô saindo daqui.

Eu: Tá valeu.

Mensagem – Offline.

Pego minha mochila e vou para frente da escola, minha audição para entrar do grupo de Ballet foi adiantada. Então para não me atrasar, vou pedir para meu irmão me levar.

– O que aconteceu ? E por que está usando um losango ? – sua expressão de confusa me dava vontade de rir.

Sasori quis pegar meu livro, e eu não deixei. O que resultou nesse negócio que a enfermeira colou na minha testa – escrevo.

– Ele te machucou e você não fez nada ? – disse furioso.

Você queria que eu fizesse o que ? Ele bem mais forte e mais alto do que eu. Quem está na vantagem em ? Mais não foi por isso que chamei aqui. Foi para me levar ao teatro, as audições foram adiantadas – respondo lhe como posso.

– Okay.

Konohamaru é um ano mais novo que eu, porém meus pais autorizaram ele á dirigir. Incrível não ? E eu aqui com os meus 16, mal posso ir na esquina direito.

Á audição iria começar, então rapidamente troco de roupa. Colocando um top e um short de Lycra preto. Com minhas sapatilhas, prendo em um coque bagunçado mesmo e agora só estava contando com sorte mesmo.

– Boa sorte – meu irmão me abraça e me deixa subir ao palco.

O teatro estava cheio de familiares de outras concorrentes, e isso que me deixava mais nervosa. Olha que nem era uma apresentação oficial, mas espero que eu consiga concretizar o que mas quero neste momento.

A música começa, á melodia era doce o ritmo devagar. Isso me deixou mais empolgada, os giros estavam sendo executados de maneira correta pelo menos era o que eu achava. Os saltos, fiz mais reto do que eu podia, á abertura mais perfeita do que eu podia. Só uma coisa que me deixava com medo, já que da última vez que eu tentei esse passo meu músculo da perna ficou lesionada.

Olhei para á "plateia" e eu vi meus pais ali me aplaudindo junto com meu irmão. O ato teria que ser perfeito, e por causa do calor do momento consegui colocar minha perna por trás e encostar minha cabeça como uma verdadeira bailarina conseguiria. Espero que eu tenha conseguido.


Notas Finais


Oii amores, essa é a minha primeira Fanfic aqui feita no Spirit. Espero que gostem 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...