História A Barraca do Beijo - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 2.953
Palavras 1.405
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Quem é ela?


Fanfic / Fanfiction A Barraca do Beijo - Capítulo 3 - Quem é ela?

Eu juro que estava tentando prestar atenção no futebol. Eu nem estava mais olhamdo para o Noah, a final eu não queria levar uma bolada bem no meio da minha cara. Mas foi inevitável não ficar encarando a situação que estava se passando bem na minha frente. Uma garota que eu não faço a menor ideia de quem seja. Ela estava claramente se insinuando pra ele e ele não estava fazendo nada para tentar afasta-la. Tudo bem Elle, tem um ser do sexo feminino dando em cima, descaradamente, do seu namorado. Se eu acho que ela é uma piranha mesmo sem a conhecer? Sim eu acho! Continuei jogando, mas a cada olhada que eu dava para o lado eu via aqueles dois próximos e rindo, feito velhos amigos. 

O treino acabou e Noah continuava conversando com a garota. Quando me aproximei o sorriso dela desapareceu instantaneamente.

—Oh não. Não parem por minha causa. Continuem o papo a vontade. – falei apertando a alça da minha mochila. Por fora eu estava super tranquila, mas por dentro eu queria voar no pescoço dela.

—Jasmine essa é Elle. Elle, Jasmine. – fomos apresentada, porém ela não demonstrou nenhum entusiasmo por me conhecer. Fiz questão se dar um sorriso bem falso pra ela. —Jasmine é uma amiga que conheci em Boston. – observei a expressão da tal Jasmine, ela parecia um tanto confusa.

—Vocês estão juntos?

—Não! Somos apenas amigos de infância. – respondi. Ele teve a chance de dizer “Jasmine essa é Elle, minha namorada.” Mas ele prefiriu me apresentar apenas como Elle, então porque mudar agora?

—Bom, nesse caso. Noah, o que você acha de sairmos amanhã. Podemos ir até o Pier Santa Monica, eu sei que você gosta da batata frita de lá. – ela sabe que ele gosta da batata frita de lá? Que lindo! E ele deixa ela chamar ele de Noah? —Chama o Lee também, eu quero muito ver ele. – que fofo, ela conhece o Lee também. —Você também pode ir se quiser. Desculpa, qual o seu nome mesmo?

—Elle. – respondi.

—Isso mesmo. É que eu não sou muito boa em guardar nomes. 

—Obrigado pelo convite Jasmine, mas nós...

—Nós não temos nada melhor pra fazer! Então amanhã, Pier. Combinado.

—Ótimo, vejo vocês lá. – ela saiu, mas não antes de dar um beijo, sim senhoras e senhores, um beijo no rosto do Noah.

Virei-me e sai andando deixando Noah para trás. Eu só queria ir pra casa.

—Porque aceitou o convite? – perguntou assim que entramos no carro. —Eu queria ficar sozinho com você. 

—Bom, provavelmente, ela não teria feito o convite se você tivesse me apresentado como sua namorada. Você não conheceu ela em Boston. Como ela sabe sobre o Lee e como ela sabe que você gostas da batata frita do Pier? Porque tentou mentir pra mim? De onde conhece ela?

—Calma Elle. Olha eu a conheci quando tinha uns 9 anos. Não é nada de mais. É apenas uma garota do passado. Eu não quero mais falar sobre isso tá? Esquece isso.

—Uhum. – resmunguei e assenti com a cabeça. 

Quer saber o Noah pode estar falando a verdade, ela é apenas uma garota que ele conheceu a anos atrás. Tudo bem que ele disse que conheceu ela em Boston, acho que ele pode ter confundido as palavras. Então eu vou simplesmente esquecer tudo isso.

 

...

 

—Quem é Jasmine e de onde ela conhece vocês?

—Oi pra você também Elle. Como está? É isso o que falamos quando ligamos pra alguém.

—Oi Lee, como você está? Quem é Jasmine?

Eu não sei quem é Jamine.

—Como você não sabe quem é ela e ela conhece você e o Noah? E porque ela chama o Noah de Noah?

—Acho que ela chama o Noah de Noah porque esse é o nome dele.

—Você sabe tanto quanto eu que o Noah não gosta de ser chamado pelo nome, a não ser que seja pessoa da família.

Você não é da família e chama ele de Noah.

—Eu sou uma exceção Lee, é como se eu fosse da família. Mas não é disso que se trata. O Noah disse que conhece ela desde os 9 anos de idade.

—Jasmine. Jasmine... – de repente um silêncio. —Jasmine. Eu me lembrei. Ela foi uma namoradinha do Noah, foi com ela que ele deu o primeiro beijo. Eu tinha só 7 anos, mas eu me lembro de tudo.

—E como é que eu nunca vi ela antes?

—O Noah era discreto. Eu acabei vendo os dois juntos por acaso. Foi apenas um descuido dos dois. Eles ficaram juntos por um bom tempo na verdade, mas ela teve que se mudar. Ele ficou bem triste. Depois disso ele virou o Noah que nós conhecemos ou conheciamos, o pegador popular. Mas como é que você sabe dela, se você nunca a viu?

Parece que ela está de volta. E convidou a gente para ir no Pier amanhã, porque ela sabe que o Noah gosta da batata frita de lá. – revirei os olhos ao lembrar dela falando.

Eu prometi sair com a Rachel.

—Eu sei um lugar excelente. Pier Santa Monica, amanhã a noite. – ouvi Lee suspirar. —Por favor Lee, preciso que você esteja lá.

—Tá bom! Eu vou. 

—Obrigada Lee!!! Eu te amo.

Eu também te amo. E não esquece que você precisa vir aqui em casa amanhã. Precisamos terminar os cartazes do clube de dança. 

—Tá bom. Tchau.

—Tchau.

Tudo bem, agora tenho que dizer para a minha ansiedade que ela precisa ficar calma ou eu vou acabar tendo um colapso até amanhã a noite. 

Deitei-me para dormir, mas meu celular começou a tocar. Era o Noah.

—Sim?

—O que você está fazendo?

—Nada. 

—Pode vir até aqui fora, por favor?

Andei até a janela. Noah estava lá, sentado na moto que um dia foi dele. Eu sempre a deixo estacionada ao lado do carro do meu pai. 

—O que está fazendo aqui, a essa hora? Sabe o que meu pai vai fazer se ver você aí?

Sei. Então é melhor ser rápida e descer.

Desliguei. Não faço ideia de como vou até lá em baixo sem fazer nenhum barulho. A porta de entranda não range, ela grita para os quatro cantos da casa. Não acredito no que vou fazer, parece que vou ter que sair pela janela.

—Ei, me ajuda aqui! – sussurrei em um tom que Noah pudesse me ouvir. 

—O que está fazendo? Porque não saiu pela porta?

—Era isso ou acordar o meu pai por causa da porcaria da porta.

Para a minha sorte Noah é alto. Isso facilitou muito a minha descida. 

—Vem. – ele se sentou na moto, mas de costas para o painel. Logo deu dois tapinhas onde fica o passageiro. Ficamos lá, um de frente para o outro.

—Então, o que quer conversar? – cruzei os braços.

—Será que dá pra você tirar a armadura? Eu sei que você está chateada por causa da Jasmine. – não respondi. A gente conhecia bem o jeito um do outro, era difícil esconder quando alguma coisa estava nos incomodando. —Sejá lá o que está pensando sobre isso não importa. É você que eu amo, lembra?

Okay, isso foi o suficiente para que minha armadura fosse totalmente destruída. Mas eu tinha que perguntar do resto, sobre o que o Lee me disse.

—Eu soube que você ficou bem triste quando ela foi embora. 

—Falou com o Lee né?! Olha Elle, eu tinha só 9 anos. Isso aconteceu a quase 11 anos atrás. Eu mudei bastante desde aquela época. Agora eu só quero você. – Noah colocou uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha. 

—Okay. – sorri. 

—Não precisamos ir amanhã. 

—Tudo bem, a gente pode ir. Eu convenci o Lee a ir também. – suspirei. —Eu não vou surtar tá, nem nada disso. Eu só estava com ciúmes por ver aquela garota tão próxima de você.

—Você com ciúmes é a coisa mais linda que eu já vi.

—Pensei que ficava linda quando era mandona.

—Na verdade, você é linda de qualquer jeito para mim. – o que eu posso dizer? Ele é bom, ele é muito bom.

—Você é inacreditável. 

Encostamos nossas testas e ficamos um tempo em silêncio ali, apenas ouvindo o som do vento, olhando profundamente nos olhos um do outro. 

Nossos lábios se tocaram, dando início a um beijo lento, cheio de doçura e carinho. Quando nos separamos continuamos com as testas coladas. 

—Eu te amo, Elle Evans.

—Eu te amo, Noah Flynn. 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...