1. Spirit Fanfics >
  2. A Barraca do Beijo >
  3. A Festa dos Park

História A Barraca do Beijo - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Tô muito empolgada na fanfic q escrevi três capitulo em uma semana, se vcs continuarem me apoiando eu me continuarei me esforçando ao máximo para entregar os capítulos a vcs!Espero que gostem s2

Capítulo 10 - A Festa dos Park


Fanfic / Fanfiction A Barraca do Beijo - Capítulo 10 - A Festa dos Park

“Só de imaginar tudo isso
Só de pensar sobre isso, meu coração parece explodir
Hmm, é uma sensação tão boa
Se um dia for real
E o amor vier pra mim, eu devo até chorar
Hmm, eu quero muito saber como é sentir amor”

What is Love? – TWICE

 

♡♡♡

 

Capítulo 9. A Festa dos Park

 

O céu já estava escurecendo, o pátio do colégio já se encontrava vazio. Eu estava indo para a barraca apenas desligar as luzes já que arrumaríamos essa bagunça toda na segunda-feira com ajuda de vários alunos para que pudéssemos acabar mais cedo, pois os professores não nos dariam nenhuma brecha com essa semana de provas, saco.

Estava um pouco frio, mas eu não havia trago comigo algum agasalho. Provavelmente Kyungsoo havia ido embora com seu namorado e me deixado aqui, eu tinha três opções: ligar para meu pai me buscar, pegar um ônibus ou ir de a pé para casa. Sobre a primeira opção, não queria ter que fazer meu pai dirigir no escuro, sabia que ele tinha dificuldades de dirigir quando a noite caia, sobre pegar uma ônibus, eu nem cheguei a pegar meu passe e os ônibus não aceitavam dinheiro, e também porque eu acabei gastando meu dinheiro todo no evento de hoje. Só me restava a única e última opção viável naquele momento.

Peguei minha mochila e fui até a entrada do colégio, aquela noite estava escura demais e o vento gélido, será que iria chover?

Fui caminhando pelo estacionamento até que vi um vulto do meu lado.

— Aah! – eu gritei e caí de bunda no chão colocando minhas mãos no rosto, não queria morrer, não mesmo, eu tinha tanto para viver, oh Deus faz a boa para nós aí, me salva dessa, prometo ajoelhar todas as noites e rezar, Amém.

— Você tá bem, Baixinho? – ouvi aquela voz grossa tão conhecida por mim.

— Aleluia, arrepiei – suspirei ao tirar as mãos de frente dos meus olhos e observar com dificuldade Chanyeol a minha frente. O poste gigante me ofereceu ajuda para me levantar e logo aceitei.

Já de pé e batendo a mão na minha calça olhei para Chanyeol, e todas as memórias vieram à tona e no mesmo fiquei extremamente envergonhado.

— N-não foi embora ainda? – perguntei olhando para meus pés, chutando pedrinhas imaginárias no chão.

— Estava esperando você sair – falou pegando o outro capacete guardado na moto e me ofereceu, o que era aquilo? — Pegue, vou te levar para casa – disse empurrando novamente o capacete em minha direção.

Fiquei intercalando minha atenção entre o capacete estendido e Chanyeol que aparentemente estava ficando sem paciência. Quando tomei a decisão de pegar finalmente o capacete gotas grosas de agua caíram sobre nós, eu estava sem reação e provavelmente ficaria encharcado em questão de segundos se Chanyeol não tivesse agido rápido o suficiente para me puxar e saímos correndo até um cobertura do colégio.

Se antes eu estava com um pouco de frio, agora com a chuva eu estava tremendo. Senti algo cobrindo meus ombros e era Chanyeol colocando sua jaqueta em mim, no mesmo momento olhei para ele, seus cabelos estavam ligeiramente molhados e caindo em frente a seus olhos, sendo o suficiente para aquela cena ser uma das minhas favoritas a partir de agora.

Algo naquela cena me chamava a atenção, e com certeza era seus lábios, eu nunca os ansiei tanto quanto naquele momento. Não pensei muito e só avancei em direção aos lábios de Chanyeol, me obrigando a ficar na ponta dos pés para que eu o alcançasse. Fui prontamente correspondido, Chanyeol segurava minha cintura com uma mão enquanto a outra acariciava meu rosto com carinho.

Tentava a todo custo acompanhar os movimento que ele fazia, eu não tinha experiência mas ele era a própria experiência em pessoa, ele comandava o ósculo com maestria mas também com toda calma do mundo e aquilo estava me deixando com muita excitação.

Não sei por quanto tempo ficamos ali trocando caricias entre vários beijos, mas a chuva que antes era o som de fundo para nosso beijo agora havia parado, não estava mais chovendo. E foi ai que me toquei que eu estava ali, novamente beijando Chanyeol, me afastei bruscamente de seu toque.

— Ahn é-é – procurava palavras mas nada saia, eu estava morrendo de vergonhas, de novo. Olhei para Chanyeol e ele olhava para qualquer outro canto bagunçando suas madeixas de forma envergonhada.

Ele segurou em meu pulso e se virou em direção ao estacionamento, pegou o capacete colocando em mim e fechando a fivela, logo pegou o outro capacete ensopado e colocou em si mesmo subiu na moto e a ligou, não precisou de palavras para que eu entendesse que deveria subir. Minhas pernas eram pequenas então foi meio complicado subir mas no final Chanyeol conseguiu me ajudar, pegando em minhas mãos fazendo que eu as entrelaçasse para que abraçasse sua cintura.

A viagem não foi longa, mas foi aproveitada por mim já que não era todo dia que eu poderia me agarrar a Chanyeol. Estávamos em frente à minha casa quando desci da moto, fiz questão de entregar sua jaqueta.

— Depois você me devolve – ele disse simplista, e simplesmente acelerou com a moto e desapareceu da minha visão.

Fiquei um tempo observando o caminho no qual ele fez e logo entrei em casa tirando meus sapatos encharcados e deixando minha mochila da mesma forma.

— Byun Baekhyun – ouvi a voz do meu pai, ele me observava da sala. — Por que está todo encharcado? Isso é hora de chegar, eu já estava preocupado, Kyungsoo não atendia as ligações.

— Desculpa pai, enquanto eu estava vindo esse temporal começou, mas consegui chegar – me desculpei cm meu pai.

— Vá direto para o banho antes que fique resfriado. – disse me empurrando até a escada e eu apenas ria de sua atitude, ele com certeza aprendeu isso com a mamãe.

Fui até meu quarto e vi Tao sentado em minha cama mexendo em seu celular.

— A donzela esqueceu que tinha combinado a noite dos garotos hoje? – perguntou na cara de pau para mim, eu realmente havia esquecido disso já que minha cabeça estava cheia de outras coisas.

— Claro que não, idiota – disse tirando minha roupa e a jogando dentro do banheiro. — Acabei me atrasando por causa da chuva, mas espere por esperar que hoje não vamos nem dormir – disse sorrindo e entrando no banheiro.

Mal eu sabia que naquela noite quando o relógio dava dez e meia da noite eu já estava capotado no sofá da sala enquanto eu e Tao assistíamos filmes de comédia na televisão.

 

♡♡♡

 

Já estávamos no final do mês, ou seja, hoje à noite seria a tão falada festa dos Park. Nessas últimas semanas só falavam disso, já que as provas haviam acabado.

Desde o evento eu não tinha tido nenhum contato com Chanyeol, ele simplesmente ignorava minha presença completamente, eu tentei a todo custo me aproximar casualmente mas nem isso ele se deixava, não que eu ligasse para isso, eu juro que não ligo, eu juro que talvez eu tente não ligar para isso.

Eu havia prometido a mim mesmo que essa noite iria ser a melhor de todas, eu iria beber e me divertir bastante.

Hoje era sexta-feira, os senhores Park haviam viajado na noite passada, com isso os meninos tiveram o dia inteiro para comprar as coisas para a festa de hoje, eu cheguei a ajudar a Soo a fazer a lista de compras e a minutos atrás tinhamso acabado de voltar do supermercado, Kyungsoo me deixou em casa e o mesmo levou aqueles milhares de alimentos e bebidas para casa.

Já me arrumava para a festa, naquela noite meu desejo era chamar atenção, iria bem chamativo, ou melhor, iria tentar. Arrumei meu cabelos negros em um topete simples e despojado, minhas roupas eram simples mas chamativas por serem pretas, minha calças com rasgos e uma camisa social preta com vários botões abertos.

Eu até chamei Tao para ir mas o mesmo estava muito focado na faculdade e não estava mais morando com a gente já que conseguiu achar um apartamento perto de sua faculdade, ficamos felizes por ele, mas fiquei triste por novamente ficar sozinho em casa.

Naquela noite pedi um motorista de aplicativo para que fosse até a residência dos Park. Chegamos rapidamente até o destino.

A frente da casa estava cheia e dentro estava lotado, muitas pessoas bebendo, se beijando a música alta e muitas curtindo o som. Entre toda aquela gente encontrei Soo bebendo algo. Fui até o mesmo e roubei seu copo tomando todo o liquido que estava ali.

— Eita que hoje você está feroz como nunca – Soo disse rindo da minha atitude.

— Hoje quero me divertir, Soo – peguei uma garrafa de álcool qualquer e enchi o copo novamente, dei uma golada só. — Vou aproveitar muito essa noite, você vai ver.

Enchi meu copo mais uma vez e fui dar uma volta para ver o que estava acontecendo naquela festa. Vagando por ali vi ao fundo, em um canto qualquer Chanyeol, e ele estava muito bem acompanhado, ele beijava Samantha com agressividade, eca. Não ficaria ali observando aquilo, tomara que eles se casem e tenha filhos feios, e tenham uma vida horrorosa pela frente.

Estou brincando, não deseja mal ao próximo, apenas para Samantha mesmo.

Fui atrás de algo para me fazer esquecer aquela cena e encontrei um pessoal brincando na mesa de ping pong, brincavam de quem acertasse o copo do outro lado o adversário tomava em uma golada só o álcool.

— Posso participar com vocês? – perguntei e todos assentiram, me colocaram para jogar com um menino do clube de fotografia, me lembrava dele, ele era muito bonito.

Cheguei à conclusão que eu muito bom com mira já que acertei vários copos, mas também meu adversário não ficou para trás pois eu estava ficando tonto já com todas as bebidas que tomei só naquele jogo, eu nem conseguiu mais controlar minhas próprias ações naquele momento.

De longe vi Chanyeol conversando e rindo com algumas pessoas, aquilo me fez pensar em uma coisa, aquele Dumbo não iria acabar com a minha noite, não mesmo.

Peguei uma garrafa que estava em cima da mesa, a que estávamos usando para jogar, logo subi na mesa e comecei a beber na boca da garrafa, naquela hora todos me observavam rindo.

Quando vi que consegui a atenção de Chanyeol tive uma brilhante ideia, comecei a tirar minha camisa, desabotoando sem presa cada botão que ainda restava desabotoa, e logo  rodar ela em cima da minha cabeça, virei mais uma golada da bebida forte e comecei a rir junto a todos que me assistiam. Olhei para Chanyeol e joguei a camisa em sua direção, depois olhei para a fivela do meu jeans e ponderei por alguns segundo se faria ou não o que estava passando pela minha mente, fiz. Desfivelei o botão da calça e desci o zíper, Chanyeol veio até mim e me puxou pela cintura, me ajudando a descer da mesa com cuidado enquanto eu ainda interagia com a galera.

Eu deixei a garrafa em cima da mesa novamente, quando Chanyeol deu uma brecha tirei rapidamente a calça e pulei na piscina vendo todos gritarem e rirem na cena icônica. Olhei novamente para o mais alto e ele apenas passava a mão em seu rosto e suspirava.

— Vem vamos Baekhyun. – Chanyeol veio até a ponta da piscina e me ajudou a subir até a superfície.

Enquanto ele me direcionava até a cozinha de sua casa eu acenava para as pessoas ao redor, e com as mãos em meus ombros ele me ajudava a não desequilibrar, entre tropeços e risadas ele me colocou em cima do balcão.

Ele foi até sua geladeira e pegou uma garrafinha de água gelada, voltou para minha direção me oferecendo a garrafa, eu prontamente aceitei, estava morrendo de sede. O Park mais velho agora ia até um armário e pegava uma embalagem quadrada, tirou de lá bombons e me entregou.

— Coma doces antes que você passe mal – disse me olhando, como se estivesse esperando que eu fizesse o que pediu, quem sou eu para negar doces, certo?

Devo ter comido uns cinco bombons ao todo, estava ficando meio sonolento e tudo estava girando, acho que Chanyeol percebeu isso e suspirou, me tirando do balcão e me levando até o andar de cima. Lá não havia ninguém pois existia regra de ninguém ir até o andar dos quartos por conta da privacidade.

Naquele momento eu apenas era guiado por Chanyeol que nos levou até seu quarto, me sentando na cama.

— Fique aqui, você já está mal o suficiente. – ele disse indo até o pegando uma toalha qualquer para que me secasse,

Aquilo não iria ficar barato, não mesmo. Eu faria Chanyeol pagar por ter me beijado e me ignorado aquelas últimas semanas. Fui até a porta e a tranquei com a chave que ficava na tranca, fiquei lá de costas para a porta, o vendo sair do banheiro.

— Vá para cama, eu vou voltar para a festa. – disse ele enquanto ia em minha direção, colocando a toalha em minhas costas.

—Channie não faz isso comigo, sua diversão está aqui comigo – em uma ação rápida o puxei pela mão para que ficasse perto de mim enquanto o mesmo me encarava sem entender nada, naquele momento a toalha já havia caído em nossos pés, eu estava prestes a avançar em seus lábios que tanto ansiei em semanas.

Se a minha vida um dia foi perfeita, eu desconheço, e se algum dia eu tive oportunidade eu acabei de estragar tudo, corri para o banheiro em disparar e vomitei dentro da privada.

Pois é meus amigos e cá estou eu, sem roupas, encharcado, vomitando as minhas tripas sentado no chão com a cabeça apoiada na privada enquanto tinha um gigante poste me encarando naquela cena deplorável.

A conclusão da noite foi que eu nunca mais beberia daquela forma e essa foi a pior noite da minha vida, e essa foi a última coisa que pensei antes de fechar meus olhos e apoiar minha bochecha na mão que segurando a tampa da privada.


Notas Finais


Voces estao gostando da historia? Comentem oq estao achando hihi
obrigada pela leitura
até mais s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...