História A barraca do beijo - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin)
Visualizações 3
Palavras 2.099
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Episodio 1


 Nem saberia dizer a quanto tempo estou aqui, sentado na varanda, olhando para a carta de despejo em minhas mão. Amassei o papel e me levantei do chão. Entrando novamente no apartamento minúsculo olho em volta.

   Três empregos, oito quilos amenos, stress, noite mal dormidas...ou sem dormir. e pra que? Para tudo terminar assim... sendo despejado de um apartamento minúsculo, cheio de problemas e paredes mofadas, e um bairro péssimo.

   Uma lagrima escorreu do meu rosto, mas eu a enxuguei rapidamente. Chorar não adianta. Abanado a cabeça para me de qualquer pensamento, peguei minha carteira as chaves e sai

 

                                  Meia hora depois

 

 A pizzaria estava movimentada. Mais o barulho não me incomodava mais, depois de 6 meses trabalhando aqui já me acostumei com os pedidos aos gritos, reclamações, as cantadas algumas clientes estrangeiras mais entusiasmadas.

     Sim, eu sou bonito, meu rosto e bonito e, apesar de querer muito ser mais alto, nunca reclamei do meu rosto. Mas minha boa aparência nunca me serviu de nada, não na vida miserável que levo.

O pior e pensar que tudo podia ser diferente .podia, mais não e. Acorda, Park Jimin!

 Chefe: Jimin!! Entrega no Park Hyatt!

Jimin: Onde?!- perguntei achando que tinha escutado errado.

Chefe: No resort! Anda logo, porque as pizzas não podem chegar frias tenho uma reputação a zelar.

  Tirei meu avental com pressa. Era soo oque me faltava para encerrar a minha noite. Uma entrega as pressas no resort mais luxuoso da cidade. Peguei as pizzas e corri para o estacionamento nos fundos.

     Dez minutos depois estacionava na ala de entregas do luxuoso lugar, tirei o espelho o capacete e pendurei na moto. Peguei as caixas de pizzas e passei pelas enormes portas envidraçadas.

    Confesso que não consegui evitar que meu olhos varressem o lugar bonito e elegante. Com passos rápidos me aproximei da recepção o, uma moça bonita e simpática me informou que eu mesmo teria que levar a entrega ate o quarto da cliente.

      Soltando um suspiro desanimado peguei o crachá de visitante que ela me ofereceu. Depois de ouvir as instruções que ela me deu segui meu caminho ate o elevador.... de serviços, e claro! Afinal os ricaços não são obrigados a ver um trabalhador exausto, malvestido, descabelado com olheiras.

     Praguejei com rumo de meus pensamentos. Desde quanto me torei tao amargo?o elevador chegou ao destino, me livrando de pensar na resposta.

      Parei e frente a porta. O capacho na frente da porta do quarto com certeza custou muito mais do que as roupas que eu vestia, mas quem se importa.

   Bati de leve na porta de madeira luxuosa. Ouvia vindo de dentro do comodo. O bom e dançante  

 K-pop. Um grito de ¨já vai ¨ e algumas risadas depois a porta se abriu

  Amber: Uau nada mal...-  a moça  com cabelos curtos me analisou de alto a baixo

Ok confesso que senti meu rosto queimar. Não estou acostumado com esse tipo de comentário vindo da coreana. Preconceito? De modo algum, apenas são tímidas de mais por causa da rígida educação. Elas não costumam expressar tão abertamente o interesse e um homem.

       Antes que consegui abrir a boca ela gritou para alguém fora do meu campo de visão

    Amber: S/n, o ¨stripper¨ que você contratou já chegou

   Eu arregalei os olhos. A garota era maluca?

Jimin: Yaaaaaaaah! Não sou um Stripper!

A moça com quem ela falou apareceu atrás dela

S/n: Deixa de ser doida eu não contratei um stripper!1

 A negatividade dela meio que aliviou meu stress. Ela era linda! Foco, Jimin, Foco!

Jimin: eu trouxe as pizzas

   Reparei nas maças do rosto coradas. Ela estava envergonhada na certa por cousa das palavras da amiga. Devia eu quebrar o gelo? Ela estava olhando pra mim de um jeito...

   Mexi no meu cabelo, tentando ajeitar as mechas rebeldes com a mão

  Jimin: São cinquenta e cinco mil wons

 Eu disse mesmo isso? Aish.. idiota! Desviei o olhar. O olhar dela me causava sensações que eu queria esquecer, não tenho tempo pra romances ou sexo. Ok não e hora para pensar nisso

S/n: Oh é mesmo. Desculpe, só um minuto.

 Ela sumiu quarto adentro a amiga me encarava, baixei a cabeça desconfortável com a analise minuciosa. Estava tão malvestido assim? Um rapaz se aproximou da porta.

  Sem aviso se aproximou de mim, arrancando as caixas das minhas mãos

  Jimin:Hei- reclamei

  No puxão que ele deu a cordinha que segurava as caixas cortou minha mão. Apertei o corte com força, evitando que sujasse o chão impecável

  Amber: Hakeyon, seu grosso, machucou o garoto!

 Hakeyon :Foi mal cara 

 Olhei pra ele mais sinceramente, ele não parecia nem um pouco arrependido do que acabaras de fazer, logo o mesmo já sumiu de minhas vistas com as pizzas agarota bonita voltou ao ouvir o tumulto

S/n: oque houve com sua mão?- ela me pegou de surpresa ao puxar a minha mão para examinar o ferimento

Refreei o impulso de recolher a minha mão, seria grosseria demais, o toque dela me arrepiou e nossos olhares se encontraram

Jimin: não foi nada esta tudo bem

Ignorando totalmente minhas mais ela me puxou para dentro do quarto, senti olhares curiosos do grupo de jovens que ali estava, Era uma festa, que ótimo! Tudo oque eu não precisava para terminar meu dia infernal.

  S/n: Espere aqui vou buscar as caixa de primeiro socorros e faço um curativo em você

 Antes que eu respondesse ela saiu apressada, e mania dos ricos não darem ouvidos ao outros? Droga olhem em volta. Alguns parecem nem se quer notar a minha presença ali, mas uma rapaz me encarava com um olhar de poucos amigos

Um outro auto e forte se aproximou

Ravi: seu lugar não e aqui, por acaso você e um Idiota?

Soltei um suspiro

 Jimin: sou apenas o entregador...

Um soco interrompeu minhas palavras. A moça chamada Amber gritou. Os outros param de conversar e alguns se aproximaram.

Um soco! E serio isso? Recuperei o meu equilíbrio e encarei o rapaz mais alto que eu, reprimi a muito custo a vontade era de revidar e passei a mão pela minha boca .Sangue. maldição ! o que mais faltava me acontecer?

S/n: Ravi- ela gritou , correndo ate nos- oque você pensa que esta fazendo oppa? Ficou maluco?

Percebi que ela estava nervosa

Ravi: você que parece estar maluca ! trazer um pé-rapado desses na festa? Eu vi o jeito que ele te olhou

Dei as costas aos dois discutindo. Não tenho tempo para perder com brigas de casal. Confesso que desapontado com o gosto da moça bonita para homens, mas não e da minha conta.

   S/n: Espere!- ela correu ate mi, me alcançando quando coloquei a mão na maçaneta da porta- não paguei pelas pizzas.

 Jimin: esqueça, moça.

  Antes que ela dissesse mais alguma coisa eu praticamente corro ate a escada dispensando o elevador, disparei pelos degraus tentando não pensar em nada. Tentando não ter pena de mim.

Devolvi o crachá na recepção e a moça me olhou estranho, talvez por causa do meu lábio sangrando, talvez meus olhos seis de lagrimas, realmente não me importei.

 Chegando na pizzaria joguei o capacete no balcão e fui ate o banheiro. Ao encarar o espelho entendi a expressão da pobre recepcionista, estava horrível, cabelos em desalhinhos, olheiras profundas sobre olhos tristes, canto da boca cortado e roxo.

Joguei agua no meu rosto e meu patrão me chamou

Chefe: A senhorita S/n me ligou e disse que você saiu apressado sem receber. Ficou maluco?

 Não respondi apenas o encarei.

 Chefe: ela me passou o numero do cartão dela .. sorte sua , por que eu ia descontar do seu.... oque diabos aconteceu com o teu rosto- perguntou quando finalmente prestou atenção em mim

Jimin: a finalização de um dia normal eu acho

Chefe: precisa controlar o seu temperamento,  jimin- ele gritou comigo.

   Jimin: eu não fiz nada , foi o namorado da moça que cismou que eu olhei pra ela !

Minha amiga garçonete ouviu parte da conversa e se aproximou

Krystal: você e muito bonito Jimin. Esses seus lábios carnudos enlouquecem as moças , e ai os namorados ficam furiosos de ciúmes!

Ela sempre me fez rir, mais hoje não conseguiria

Jimin: vou andar de burca( tinha visto na tv o nome de uma vestimenta que cobria todo o rosto e corpo das mulheres no oriente médio) quem sabe me deixam em paz.

 Me  afastei deles olhando para do relógio . finalmente o maldito dia chegava ao fim

                                 Dois meses depois ...

 

Jimin: eu não sei onde ele esta! – gritei pela decima vez

Outro soco me atingiu, agora  no estomago, me curvei, mas desta vez não tive com se quer respirar  ates de ser atingido de novo. Sente quando um corte se abriu em meu rosto, a dor era difícil de suportar e implorei.

Jimin: por favor... por favor, já chega- tentei gritar mas minha foz acabou num sussurro- não seu onde ele esta

 Minha respiração estava ofegante e minhas costelas doíam demais

 Homem: seu pai e um perdedor e você um incompetente! Eu disse o valor que eu viria buscar não disse?

Não consegui dizer de imediato e ele me esmurrou novamente, ate quando aquilo continuaria?

Homem: três milhões de wons não cobrem nem a decima parte do que ele me deve !!

Os gritos  dele pareciam entrar em meu cérebro entorpecido pela dor

 Jimin: e tudo oque eu consegui! Precisos de mais tempo! Eu mal tenho me alimentado para juntar isso- o desespero fez com que minha voz ais alta deste vez

Homem: não estou interessado nos teus problemas! Seu pai pegou dinheiro comigo e, como covarde fugiu, vou cobrar de você! Tem mais uma semana pra arranjar todo o resto.

Meus olhos se arregalaram de pavor. Não teria como arranjar tanto dinheiro assim! Um dos homens desamarrou meus braços e me ergueu da cadeira. Meu agressor agarrou meu colarinho.

Homem: uma semana chega de ser bonzinho com você!- ele praticamente cuspiu as palavras na minha cara e depois me empurrou contra a parede

Os quatros homens foram embora e eu me sentei com dificuldade no chão a dor e a exaustão me venceram e cai no sono sem sonhos.

Depois de uma hora caminhando sem rumo observei a paisagem a minha volta. Ponte Gwangdaegyo , um dos pontos mais turísticos mais famosos e bonitos de Busan, meu lugar preferido quando era mais novo.

Já chega estava realmente cansado senti o fracasso não me abandonava falhei... falhei em tudo, e com todos e principalmente comigo mesmo

 Sei que não devemos culpar outras pessoas... as eu tinha tudo eu tinha uma vida tinha amigos, tinha projetos tinha dinheiro tudo antes do meu padrasto se endividar no jogo.

No começo ele pagou cada centavo que devia mas depois as coisas pioram e ele fugiu foi quando meu inferno começou ameaças, surras apartamento roubado e destruído.

Precisei conseguir dinheiro rápido e vendi meu carro não era o bastante, tranquei a matricula na faculdade, arranjei mais dois empregos fui despejado... e agora estava li com o corpo dolorido, sem dinheiro sequer para um café.

Oque eu fiz com aminha vida? Agora ela tinha prazo de validade um semana. Daqui uma semana serei morto pelos agiotas alguém se lembrara de mim? Talvez minha amiga Krystal. Talvez meu chefe da pizzaria ou da loja de ferragens

São muitos talvez mais apenas uma certeza morto não estaria sofreria mais . e aproximei da armurada e meu olhar foi atraído pelas aguas escuras. O vento da noite fria bagunçava meus cabelos de repente a ideia de uma morte menos sofrida passou pela cabeça.

Um soluço escapou pela minha garganta eu olhos se encheram de lagrimas . eu não queria morrer. Não aos vinte anos sem ter feito nada de extraordinário com minha vida.

Me endireite novamente com  dificuldade por causas de costelas machucadas. Talvez estivesse quebras? Provavelmente não poderia ir ao hospital, não poderia pagar pelo atendimento. Suspirei por causa do choro e me arrependi em seguida por causa da dor.

 O medo de morrer sendo surrado ate a morte me fez olhar novamente parar aguas agitadas a altura era considerável, trinta talvez quarenta metros? Eu morreria risco de morte horrível por afogamento, certo?

Tentei me lembrar da aulas de física na escola, caindo daquele altura eu morreria com  o choque contra a agua como se fosse cimento certo? Estremeci, meus pensamentos ameaçavam me tirar do foco e balanceia cabeça focando meu olhar de novo agua

Antes que súbita onde de coragem e abandonassem eu subi na amurada, passando para o lado de fora da ponte, fechei os olhos e rezei precisava pedir perdao pelo meu ato covarde

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...