História A Batalha da Primavera. - Capítulo 50


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Dragões, Magia, Monstros
Visualizações 1
Palavras 4.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


eai povo, mais um capitulo postado.
queria voltar a postar dois capitulos por semana, mas a verdade é que esta dificil postar um por semana, não sei se é pelos capitulos serem maiores, por eu estar mais detalista, por ainda ter coisas da minha mudança, por tudo isso junto, mas eu sempre tenho muita vontade, mas quando tenho a oportunidade, nao estou muito disposto.
bom deixando meu choro de lado, espero que gostem, e boa leitura.

Capítulo 50 - O poder da Realeza


Gourã caminhava em direção a Lyon, que se desprendia da pedra que foi arremessado, a avançou contra seu oponente, a diferença de alturas dos dois era gritante, naquela forma, Lyon não tinha nem um metro e meio de altura, e Gourã tinha mais de dois metros e meio, mas Lyon avançava com garra mesmo assim, mas Gourã apenas fez um leve movimento para o lado, desviando da investida de Lyon, e devolveu com um poderoso chute na barriga de Lyon, o fazendo cuspir sangue, e em seguida deu um soco com grande pressão no lado esquerdo do rosto de Lyon, o chocando longe novamente, fazendo ele se arrastar metros naquele chão de pedras, Gourã ostentava um sorriso de satisfação em fazer tudo aquilo.
-então garoto, quanto mais irei ter que te bater para você morrer? – perguntou Gourã, sorrindo – reconheço que é bem resistente.
Lyon se levantou com uma boa quantidade de sangue escorrendo do lado esquerdo de sua testa, mas seu rosto estava calmo.
-está demorando muito para meu gosto! – disse Lyon, calmamente.
-“demorando”, do que está falando? – estranhou Gourã.
-esse aquecimento – disse Lyon, com um sorriso irônico, enquanto limpava parte do sangue que escorria de sua testa – disse que iria se aquecer “me dando porrada”, mas esta demorando muito para se aquecer!
-seu retardado! – disse Gourã, levemente irritado – isso é uma luta seria! Não tem aque...
Antes de Gourã terminar, Lyon avançou com extrema velocidade contra ele, desferindo um soco poderoso que Gourã quase não conseguiu defender, e Lyon desferiu um segundo soco, acertando Gourã em cheio, o jogando alguns metros para trás, mas o ser de Godri firmou os pés no chão e atacou com fúria, mas Lyon repeliu o golpe para o lado, com uma mão nua, surpreendendo o guarda real, que tentou deferir mais dois golpes rápidos, mas Lyon desviou sem muita dificuldade, e acertou outro golpe em cheio, irritando ainda mais o ser de godri, e iniciou uma rápida sequencia de golpes, mas Lyon desviou e repeliu todos os golpes, e novamente desferiu outro golpe, dessa vez Gourã desviou, e Lyon iniciou sua sequencia de golpes, conseguindo acertar alguns socos poderosos em seu oponente, que ficou ainda mais furioso, sendo possível ver as veias saltando em partes de seu rosto.
-ira pagar por isso! – disse Gourã, elevando os níveis de seu CAM ao máximo, fazendo alguns de seus músculos incharem, mas não surpreendendo Lyon, que sorriu enquanto seu oponente fazia isso.
-imaginei que estava escondendo algo! – disse Lyon, tranquilamente – mas pensei que seria algo mais... relevante!
-essa coisa irrelevante será o que ira lhe destruir! – disse Gourã, fazendo um sorriso confiante por cima do rosto furioso.
-talvez se meus braços e pernas estivessem presos, e com um saco na cabeça... não, nem assim você conseguiria! – disse Lyon, com um sorriso tranquilo – mas como fui justo com você, deixando me causar danos no inicio da luta por começá-la ferido, serei justo comigo, por ter usado seu poder total, usarei o meu também.
Nervoso com tantas palavras, Gourã avançou em direção ao Lyon, mas o pecador se transformou na sua forma adulta, e segurou o poderoso ataque de Gourã apenas com uma mão, o choque do impacto, rachou o chão em diversos metros, e diversas rochas se ergueram do chão com a pressão, mas Lyon estava ileso, com uma expressão de prazer em ver a expressão de medo tomando conta de Gourã, que não acreditava no que sentia, não acreditava que um humano podia ter tanto poder.
-qual o problema? – questionou Lyon, com um sorriso irônico – esta com medo?
-me... medo? Não seja idiota! Um guarda real não teme a nada! – afirmou Gourã, com certa fúria – existimos para servir a realeza e nada mais, medo não nos cabe!
-mesmo? – disse Lyon, arqueando a sobrancelha.
Lyon deu um golpe poderoso no queixo em Gourã, que o ergueu metros para o alto, atingido mais de dez metros de altura, e assim que caiu, Lyon já estava sobre ele, e enfiou a lamina de sua Superia no ombro de Gourã, o fazendo dar um grito abafado de dor.
-disse que existe para servir a realeza! Então se curve! – disse Lyon, com imponência – curve-se diante o príncipe de Gordost, curve-se diante Lyon Gordost!
-“príncipe”? acha que um principezinho humano pode ser considerado da realeza? – disse Gourã, furioso, tentando resistir a dor de seu ombro – apenas meu grande Rei pode ser considerado da realeza?
-hunf... que petulância... – disse Lyon, com tanta tranquilidade que fechou os olhos diante seu oponente.
Gourã viu uma abertura, e com seu longo braço, conseguiu acertar um soco em cheio no rosto de Lyon, que o jogou longe, e Gourã se ergueu rapidamente e avançou contra Lyon.
-é um tolo que deixou a guarda aberta! – disse Gourã, quase acertando outro golpe em Lyon, que estava jogado no chão por conta do golpe anterior.
Mas Lyon segurou a mão de Gourã facilmente, com um sorriso debochado, e apenas com um empurrão de sua mão, ele jogou seu inimigo alguns metros para trás.
-abri a guarda? – disse Lyon, rindo, enquanto levantava, cuspindo bastante sangue, por causa do golpe que levou – um guerreiro de verdade nunca abrira a guarda diante um inimigo! Mas queria ver a força de um golpe seu, deve dizer que estou decepcionado!
-VOU LHE MOSTRAR O QUE É FORÇA! – gritou Gourã avançando contra Lyon.
Gourã tentou atacar com os dois braços, mas Lyon segurou os dois braços se seu inimigo com facilidade, os apertando com toda força, que Gourã se ajoelhou diante Lyon, que desferiu um chute contra a barriga de Gourã, que vomitou sangue diante os pés do pecador.
-assim que eu gosto! – disse Lyon, sorrindo em um tom superior – um ser inferior se ajoelhando diante minha grandiosidade!
Em resposta, Gourã cuspiu o sangue que estava na sua boca no rosto de Lyon, fazendo seu semblante arrogante se transformar em um rosto de desprezo e raiva.
-que pena, parece que você iniciou uma contagem regressiva da própria morte! – disse Lyon, com seu desprezo estampado em seu rosto – iremos começar pelo cinco. CINCO!
Lyon soltou os braços de Gourã e desferiu um soco ampliado por seu poder de pressão, contra o peito de seu oponente, que rasgou a pele e esguichou sangue e o jogou longe, o fazendo se arrastar vários metros, mas antes de Gourã conseguir se erguer, Lyon já estava na sua frente.
-QUATRO! – disse Lyon, acertando um chute destrutivo em Gourã, que o ergueu metros para cima.
Enquanto Gourã estava no ar, Lyon chamou por sua Superia, e em um segundo, ele fez a lamina negra de seu artefato crescer ate a altura que Gourã estava.
-TRES! – disse Lyon, o acertando com a lamina da Superia em cheio.
Com o impacto da lamina contra Gourã, ele foi jogado contra o chão, onde colidiu com força, e com a lamina, partiu o chão com o impacto dela contra o chão, e rachou boa parte do chão com a pressão, e deixou Gourã estirado no chão, com o peito seriamente machucado, e com uma ferida do ombro direito ate o lado esquerdo do quadril e vários ossos quebrados, aparentava já estar morto.
-parece que a contagem acabou mais cedo! – disse Lyon, já próximo a Gourã, com um sorriso de satisfação.
Mas Gourã se levantou com velocidade, dando um abraço destrutivo em Lyon.
-sua confiança será a causa da sua morte! – disse Gourã, sorrindo, e aplicando uma imensa pressão sob o corpo de Lyon, que ainda ostentava seu sorriso.
-ora, ora, todos gostariam de abraçar alguém de minha grandeza! – disse Lyon, calmamente, mesmo com aquela pressão que poderia destruir estátuas de ferro – mas a oportunidade de me abraçar terá um alto preço, ainda mais me sujando com esse sangue imundo! – Lyon começou a aplicar uma pressão reversa contra os braços de Gourã, começando a se soltar – DOIS!
Lyon aplicou uma pressão tão forte, que os braços de Gourã foram arrancados e ele foi empurrado para baixo, se chocando contra o chão com violência, e Lyon ficou de frente para ele, já empunhando sua Superia, enquanto Gourã gemia de dor e de desespero.
-antes de terminarmos a contagem, quero que me diga uma coisa... – disse Lyon, com uma expressão de contentamento – está com medo, membro da guarda real?
O desespero dominou conta totalmente de Gourã, e ele começou a correr com tudo o que podia, e fez suas asas surgirem de suas costas, e levantou voou, dando gritos de pavor, tentando se afastar do pecador do orgulho o máximo que podia.
-foi o que pensei! – disse Lyon, se colocando em posição – UM!
Lyon balançou a Superia em direção ao Gourã, que já estava distante, mas uma gigante onda de vácuo foi em direção a ele, e quando ele percebeu, estava dentro de uma espécie de bolha de vácuo, sentindo seus músculos se atrofiarem, e todo seu ar saindo do corpo, mas antes dele conseguir fazer qualquer coisa, a pressão atmosférica tomou conta do vácuo com extrema violência, destruindo totalmente o corpo de Gourã, fazendo todo seu corpo se desfigurar, e ele começou a cair, apenas um gigante pedaço de carne destruída, que se chocou contra o chão, enquanto Lyon apenas observava de longe, com um sorriso levemente sádico no rosto, e de extrema satisfação, ele voltou a forma infantil, e começou a caminhar de volta ao lugar onde as tropas da união estavam.

A guerra continuou, dias se tornaram semanas, e as semanas completaram mais de um mês, era fim da tarde, mas estava com nuvens de chuvas tão carregadas, que parecia noite, e a chuva caia com força, mas em uma área aberta e montanhosa, uma gigante fogueira estava acessa, onde Haru tentava fazer sua dança, e Roku, ao lado, observava, enquanto fazia o fogo continuar queimando, mesmo com aquela chuva, a terra rochosa, a chuva fria, o calor do fogo, e o vento frio, faziam Haru ter contato com todos os elementos, que lhe davam inspirações para dança, e as marcas dos elementos em suas pernas e nos ombros, brilhavam em debilidade, que mostrava não conseguir manter o equilíbrio espiritual muito bem, e acabou causando seu desequilíbrio corporal, a fazendo errar um movimento mais perigoso, e caindo com força no chão, Roku lhe encarava com seriedade, enquanto Haru continuava no chão, imóvel por alguns segundos, deixando escorrer três ou quatro lagrimas em meio ao seu rosto molhado pela chuva, mas com um expressão neutro e mais calma, ela também aproveitava para sentir o chão molhado em seu corpo e rosto, a chuva caindo em suas costas, e o calor e o som do fogo queimando lhe aconchegando de um lado, e um vento frio do outro, Haru respirava fundo, sentindo o ar enchendo e esvaziando seus pulmões, por um instante, parecia que só existia ela e os elementos a sua volta, sendo algo sufocante, e ao mesmo tempo refrescante, Haru se levantou calmamente, e ficou de frente para a fogueira, fechando os olhos para relaxar um pouco, e tentando esvaziar a mente por alguns segundos, ficando ali parada em silencio por dois minutos, parecia que os dois nem estavam ali, sendo possível escutar as gotas de chuva caindo, o vento sobrando e o fogo queimando perfeitamente, e calmamente, Haru estendeu o braço direito, vendo a cicatriz causada por Natsu, e com uma profunda respiração, flexionou levemente as pernas, e virou levemente o quadril, deixando o braço direito em frente ao peito, e o esquerdo estendido para o lado.
-firme como a terra! – disse Haru, com uma voz calma, mas com certa imponência, fazendo o símbolo da terra em sua canela esquerda começou a brilhar.
Haru começou a fazer movimentos firmes simples e diretos, e inicialmente pesados, mas foram se tornando mais leves com os movimentos, Roku observava a ela com atenção, e um brilho de esperança surgiu em seus olhos, após ficar alguns minutos naqueles passos, Haru parou, respirando profundamente, mas continuando em posição de dança.
-fluida como a água! – disse Haru, com uma voz mais leve, mas ainda com uma leve imponência, fazendo o símbolo da água em sua canela direita também começou a brilhar, juntamente com o da terra.
Os movimentos de Haru deixaram de ser simples e diretos, começando a ser fluidos, mas continuando firmes, e agora também eram contínuos, nunca parava um movimento, sempre iniciava outro movimento quando terminava o que realizava, sendo uma dança sem pausas, fluida e firme, ficando nesses movimentos por mais alguns minutos, para se acostumar aquela sintonia.
-ágil como o ar! – disse Haru, sem parar de dançar, fazendo a marca do ar em seu ombro esquerdo começar a brilhar igual aos dois que já brilhavam.
Haru começou a fazer movimentos mais leves, sem deixar de ser firme e fluida, começando a realizar saltos precisos e perfeitos, assim como cambalhotas, rodopios, voltas sobre o próprio eixo enquanto saltava, a dança de seu povo finalmente começava a tomar forma, e Roku já olhava para ela com um sorriso de conquista em seu rosto.
-poderosa como o fogo! – disse Haru, continuando seus passos, fazendo a marca do fogo em seu ombro esquerdo brilhar, completando as quatro marcas em um brilho completo.
Os movimentos de Haru ficaram mais imponentes, movimentos firmes, fluidos, ágeis e poderosos, mas eram belos e graciosos, parecia que cada passo dela era uma obra de arte, que ela realizava com confiança, sabendo cada movimento que fazia, mas deixando se entregar ao instinto e aos sentimentos, deixando escorrer lagrimas em certos passos, e sorrindo de coração em outros, e ate mostrando olhares de raiva em alguns, mas sem perder a perfeição de cada passo, tendo medo de realizar alguns passos mais perigosos, mas tendo coragem e confiança para fazê-los, sob a chuva, sobre o chão, ao lado dos ventos e diante o fogo, ela parecia uma deusa majestosa, em alguns momentos, pareciam que não era ela a se guiar pelos elementos, e sim que eles agiam conforme seus movimentos, e ela conseguia continuar os movimentos, sem se cansar, conseguindo dançar por horas, a noite surgiu, mesmo não sendo possível ver as estrelas por conta das tensas nuvens, mas um leve brilho da lua passava por elas, e finalmente Haru parava sua dança, parando em frente ao fogo, e caindo para trás, se sentando no chão, e respirando profundamente, Roku a observava em um misto de alegria e orgulho, e Haru começou a rir e sorrir, esbanjando uma forte felicidade, tão forte que lágrimas alegres escorriam de seus olhos, ela olhou para Roku, com seu semblante alegre, tão vivo e sincero, que chegava a ser difícil saber se era a Haru, ou se era uma criança alegre, um sorriso tão alegre que tocava e purificava qualquer coração.
-você conseguiu! – disse Roku, com felicidade – conseguiu iniciar seu equilíbrio!
-sim! – disse Haru, ainda sorrindo, mas parte de sua felicidade se tornou em uma leve tristeza, pois sabia o que isso significava – então... nós vamos nos separar!
-sim! – disse Roku, também sendo dominado por uma leve tristeza – consegui ajudar a aliança enquanto te treinava, mas agora... tenho que me focar totalmente nas batalhas, agora você pode seguir seu caminho por conta própria.
Haru inspirou fundo, deixando afetar por todos seus sentimentos, mesmo sendo tantos, e tão opostos, ela agora conseguia reconhecê-los.
-estou feliz! Mas estou triste! E também estou com medo! – dizia Haru, com certa calma, com um brilho misto em seus olhos.
Tanto Haru quanto Roku iriam voltar para a guerra, e Haru ainda tinha medo do campo de batalha, com lembranças bem fortes do que aconteceu no primeiro que ela esteve.
-sim! Em uma guerra, mesmo o mais forte pode morrer a qualquer momento! – disse Roku, com um olhar distante para o horizonte – mas acho que não percebeu ainda o quão forte você se tornou após esse mês! Com exceção dos guardas reais, nenhum ser de Godri poderá rivalizar com você diretamente, e se conseguir dominar o equilíbrio perfeito, poderá rivalizar ou ate superar os guardas reais!
-acha mesmo? – disse Haru, olhando para os próprios braços – sei que meu controle sobre o CAM está muito mais apurado, mas não consigo sentir muita diferença no poder propriamente!
-por que esteve afastada de tudo! Acredite, você está muito mais forte! Mas lembre de sempre continuar seu treinamento com o equilíbrio dos quatro elementos!
-sim, senhor! – respondeu Haru, com gratidão e admiração ao gigante.
-há uma pequena cidadezinha aqui perto, dezenas de seres de Godri estão lá! – disse Roku, olhando para a direção da cidade – a aliança tentara dominar aquela área amanhã de manhã, mas você pode cuidar disso ainda essa noite, vai ser bom para ver o resultado de seu treino, mas lembre-se do que aprendeu!
-sim! Farei meu melhor! – Roku sorriu, e se preparou para ir para uma direção diferente que Haru iria, mas ela tinha mais uma coisa para fazer – espera, Roku, eu... tenho algo para dizer!
-“algo”? – disse Roku, voltando a se virar para ela – então, diga!
-eu quero agradecer! – disse Haru, se curvando na direção dele, o surpreendendo um pouco – obrigada por me treinar para ficar mais forte! Obrigada por me ensinar a atingir o equilíbrio espiritual! Obrigada por me fazer lembrar das minhas raízes! Por me fazer lembrar de onde eu vim! Obrigada por tudo! Estarei em divida eterna com você!
-isso tudo é mérito seu! – disse Roku, sorrindo – eu apenas lhe ajudei!
-e pela sua ajuda, eu serei eternamente grata! – disse Haru, se erguendo, e mostrando um olhar que mostrava força.
-boa resposta! E bom olhar! – disse Roku, fechando os olhos por dois segundos – agora, seguiremos nossos caminhos! Espero que possamos nos reencontrar!
-também espero!
Ambos se olharam em um ultimo momento, e ao mesmo tempo, ambos se viraram para o caminho que cada um seguiria, e sem dizer mais nenhuma palavra, ambos partiram, cada um para seu lado.

Haru corria a uma incrível velocidade, mesmo com aquele solo rochoso molhado pela chuva, ela não diminuía a velocidade ou escorregava, mesmo começando a passar por uma área de uma terra lamacenta, ela continuava na mesma velocidade, ate chegar a cidade que Roku disse, onde conseguiu sentir varias presenças de godri, e sem hesitar, ela deu um gigantesco salto, alguns seres de Godri caminhavam pelas ruas daquela pequena cidade, e Haru surgiu diante eles, como se caísse do céu, surpreendendo os mais próximos, Haru não disse nada, apenas encarou os mais próximos, que se mostravam confusos, mas os dois mais próximos tentaram avançar contra ela, que estava desarmada, pois tinha perdido sua machadinha na primeira batalha, e seu arco acabou se quebrando durante os treinos com Roku, mas apenas suas mãos seriam suficiente, com as mãos limpas ela bloqueou o ataque do primeiro, e desviou com graciosidade do segundo, e bom uma força incrível aplicou um golpe no pescoço de cada, quebrando-os facilmente, diversos outros seres se impressionaram com a força daquela humana, mas estavam se preparando para atacar, mas Haru concentrou seu CAM em sua mão direita, e criou um arco com seu CAM, e também flechas, perecidas com flechas solidas, mas com um brilho que mostrava poder, ela não precisava mais de arco e flechas solidas, e apontou as três flechas ao mesmo tempo para seu inimigos e atirou, as flechas eram rápidas, e acertaram o peito dos três primeiros, e perfuraram seus corações e saíram nas costas, indo em direção a mais seres, as flechas mudavam a direção em que iam sozinhas, indo em direção ao peito de outros seres, repedindo o estrago, com apenas aquelas três flechas, ela matou quinze oponentes, sobrando apenas dois, o primeiro avançou contra ela, disparando uma esfera gigante de fogo, mas Haru apenas estendeu seu braço, e usou sua bifurcação de espaço, partindo o ataque em dois, sem precisar de uma arma, apenas com sua mão, mas o outro ser tentou acertá-la com suas garras, mas Haru, repeliu o braço de seu inimigo, e desferiu um soco direto contra o rosto de seu inimigo, aplicando um impacto tão forte, que torceu o pescoço dele, fazendo seu rosto ir para trás, o matando imediatamente, e sem hesitar, avançou contra o primeiro, sem imaginar que era da mesma espécie que enfrentou Liam quando ele resgatou Liz, o ser que fez Liam ter que usar tudo de si, mas Haru não temeu o poder que ele tinha, ele tentou acertá-la com um soco direto, Haru conseguiu desviar, e sentiu que a força dele era superior a dela, e teria que usar mais de seu CAM, após desviar ela avançou contra ele em um salto, e pressionou as mãos contra o peito do monstro, que tentou atacá-la com seu fogo a queima roupa, mas Haru foi rápida, e pressionou sua mão contra o pescoço dele, onde ele criava o fogo, e o fogo se apagou, por conta do CAM block de Haru, que agora ela conseguia usar com muito mais facilidade, e também havia bloqueado boa parte do CAM que estava no peito de seu inimigo, enfraquecendo aquela pele dura, e com um salto rápido para trás, ela se afastou dele, e concentrou seu CAM eu seus braços, e disparou seu CAM que tomou a forma de um grande javali, que avançou contra o ser de Godri e lhe deu uma investida tão forte que poderia destruir um carro com facilidade, e também conseguiu destruir o peito do ser de godri, o matando na hora, Haru respirou e viu os seres mortos a sua volta, fez o máximo para dar mortes rápidas e pouco dolorosas a eles, mas percebeu que um dos que ela deu uma flechada no peito ainda estava vivo, deitado e agonizando, não conseguindo respirar por estar se engasgando com o sangue, vendo isso, Haru caminhou ate ele, e se ajoelhou diante ele, como Roku havia lhe ensinado, deveria ter frieza e compaixão ao mesmo tempo, um equilíbrio que ia alem do espiritual, Haru pois a mão sobre o rosto do ser de Godri, que tinha lagrimas escorrendo dos quatro olhos, Haru passou a mão pela bochecha dele de forma carinhosa, um leve brilho de alivio foi visto nos olhos do ser, parecendo que tudo ia ficar bem, e logo em seguida, a luz deixou os olhos dele.
-descanse em paz! – disse Haru, fechando os olhos dele em um ato de misericórdia.
Haru se ergueu, e mais seres de Godri se aproximavam, voltando ao modo de batalha, Haru correu contra eles, fazendo seu CAM correr por todo corpo, e fazendo um lince gigante em volta do seu corpo, um lince que era maior que as casas, e atacou com suas garras os seus inimigos, os matando com facilidade, um ataque sonoro poderoso a atingiu de cima, a desestabilizando, e dissipando seu lince de CAM, e lhe deixando surda por alguns instantes, alguns seres tentaram aproveitar da situação e atacaram juntos, mas Haru criou em volta de si, uma cabeça de um alce gigante, que acertou os seres com suas imensas galhadas, Haru olhou para cima, e viu que quem lhe atacou foi uma das aves gigantes de Godri, que mais de um ano atrás, ela com a ajuda de Liam e Liz, tiveram bastante trabalho para lidar, então ela novamente concentrou seu CAM em volta de todo seu corpo, e tomou a forma de uma águia, e ela voou em direção a ave de Godri, dentro da águia de CAM, e atingiu a ave com tanta força que a partiu em dois, e em alta atitude deu um descida rasante contra outros seres de CAM, e dissipou a águia, e de seu braço criou uma cobra, que mordeu a cabeça de um ser com tanta força, que esmagou totalmente o crânio, mesmo após dançar por horas, e correr a toda velocidade na direção daquela cidade, ela ainda conseguia fazer tudo aquilo, e ainda tinha bastante energia para lidar com os seres de Godri que estavam naquele lugar.
A manhã surgiu, duas pessoas caminhavam em direção ao local, com um grupo estranho os seguindo, essas pessoas eram os pecadores, Nogard da ira, e Kantaa da luxuria, que eram seguidos por um grupo de homúnculos que Tsepol deu para a aliança, mas ao chegarem no local, todos seres de godri estavam mortos, Nogard e Kantaa trocaram olhares confusos, e entraram na cidade, mandando os homúnculos esperarem, para não ouvir a conversa deles.
-quem... fez isso? – questionava Kantaa, andando pelas ruas da pequena cidade, e vendo os diversos seres de Godri mortos, e os corpos humanos que viviam lá antes da invasão de Godri.
-sei tanto quanto você! – respondeu Nogard, confuso.
-vamos ver... os outros pecadores estão em áreas muito afastadas... – disse Kantaa – e qualquer outro guerreiro de elite de Katelho ou Rodres estão nas áreas mais próximas ao norte ou ao leste...
-hmm... será que foi alguém de Alirdres? – questionou Nogard – os Carrascos morreram a um mês, mas pode haver outro guerreiro sobrevivente.
-acho que é o mais provável...
Enquanto falavam, sentiram uma presença aumentar próximo dali, e avançando na direção deles com velocidade, e caindo diante os dois, Kantaa sacou sua espada, e Nogard conjurou uma espada de poder sagrado, ambos em um impulso, mas a surpresa daquela presença foi substituída pela surpresa em ver quem era a dona daquele CAM.
-Haru?! – disseram os dois pecadores, surpresos.
-Nogard! Kantaa! São vocês! – disse Haru, ao ver que eram os dois.
Haru foi ate eles, e Kantaa foi na direção dela, e ambas se abraçaram com força, e Nogard olhava as duas, ainda surpreso.
-não acredito! – disse Kantaa, ainda meio desnorteada – você voltou...! como está tão forte? Foi você que fez isso?
-calma, são muitas coisas para responder! – disse Haru, com uma expressão cansada, mas animada.
-Haru! – disse Nogard, ficando de frente para ela.
-Nogard! – disse Haru, ficando de frente para ele.
Se olharam nos olhos por alguns segundos, e se abraçaram, deixando o abraço servir como comprimento.
-foi você que cuidou de tudo! – disse Nogard, quando saíram do abraço – não foi?
-foi! – disse Haru, olhando em volta, sem graça, com certa lamentação.
-nos falam que você foi dispensada por motivos especiais – disse Nogard, também olhando em volta – e você reaparece depois de um mês, com essa força, o que aconteceu?
-esse motivo especial... foi o que levou a... essa força! – disse Haru.
-é o que foi esse motivo? – perguntou Kantaa.
-é um pouco longo! – respondeu Haru – e devemos informar que essa cidade está livre!
-e que temos uma guerreira de elite a mais no exercito! – disse Kantaa, sorrindo.
-de elite? – estranhou Haru.
-alguém que cuide de uma cidade sozinha, com certeza é de elite! – disse Nogard, deixando Haru levemente encabulada.
-irei mandar um homúnculo mandar a noticia, enquanto eles não vem, você pode nos explicar o que aconteceu.
-pode ser... – disse Haru, começando a ficar sonolenta, e se apoiando em uma arvore.
-eu vou indo! – disse Kantaa – volto já!
Kantaa foi ate o lugar onde deixaram os homúnculos, e em pouco tempo ela voltou, vendo Haru sentada na calçada e apoiada na arvore, e Nogard sentado em um floreira proxima.
-ei! Voltei! – disse Kantaa.
-shiii! – fez Nogard, com um leve sorriso, pedindo silencio.
-o que foi? – perguntou Kantaa, se aproximando, e falando mais baixo.
-olhe! Nem parece que foi quem derrotou todos esses monstros! – disse Nogard, apontando para Haru.
Kantaa olhou para Haru, e percebeu que ela dormia apoiada na arvore tranquilamente, com uma feição tranquila, e com certa paz, parecendo uma criança que dormia tranquilamente.


Notas Finais


finalmente a protagonista tendo destaque, ja estava na hora, e Lyon mostrando porque é o pecador mais forte.
galera, essa semana provavelmente vai ser dificil, nao sei se conseguirei escrever para o proximo fim de semana, farei o maximo possivel.
espero que tenham gostado, e ate a proxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...