1. Spirit Fanfics >
  2. A bebê desaparecida - Imagine Kim Taehyung >
  3. Escola

História A bebê desaparecida - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Olha eu de novoo hoje

Capítulo 4 - Escola


Fanfic / Fanfiction A bebê desaparecida - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 4 - Escola

Mary Maeve

Ok deixa eu resumir minha vida neste momento, pra eu ver se eu mesma entendi o que está acontecendo:

Fugi do orfanato pelo qual odiava a minha vida inteira, fui pega roubando uma loja de conveniência e logo em seguida fui parar em uma delegacia, descobri que tenho um pai que realmente se importa comigo. Então basicamente: minha vida é uma mentira.

Mas.. Quem me sequestrou? E por quê?

Claro que existem muitas pessoas que sequestram as outras só para aliviar seu ego interior de superioridade, mas essa pessoa não me matou, pelo contrário me enviou para um abrigo (o pior abrigo, mas tudo bem) e qual foi o motivo? Se vingar do Jungkook ou da empresa dele? Tem muitos enigmas da minha vida pelos quais ainda tenho que solucionar.

Jungkook e eu tivemos uma conversa longa porém interessante. Contei á ele sobre meu melhor amigo, sobre coisas que eu gosto e claro, ele também me contou coisas sobre a vida dele, como por exemplo: o fato da vida dele ser uma completa bagunça.

Ele é dono de uma das maiores empresas, não me surpreendo. Mas Jungkook é uma pessoa muito amável, que gosta de ajudar os outros. 

''— A única coisa que eu peço para você no momento, é para ter paciência, não vou obrigar você a me amar ou a me chamar de pai, apenas me respeite do mesmo jeito que irei respeita-la, quero que leve isso para a vida: respeito acima de tudo.''

Ele também é bem eficiente e responsável, assim que terminamos de conversar o mesmo já foi me matricular em uma escola. Não é a melhor coisa que eu poderia desejar confesso, tenho medo, medo de nunca conseguir ser aceita ou me enturmar, não entendo como são as pessoas da minha idade hoje em dia.

Pois, a única pessoa pelo qual manti contato era o Jimin. Mas ele também não era o tipo de adolescente padrão que vemos por aí, então posso dizer que continuo na mesma.

 

 

Havia se passado exatamente dois dias após meu ''reencontro'' super emocionante familiar. Já tinha me adequado ao lugar, tinha um quarto só meu e roupas novas. Jungkook disse que iriamos reforma-lo para deixar do meu jeito, mas é claro que eu disse que estava tudo bem já que o quarto além de ser enorme era lindo.

E mais um grande dia havia chegado na minha vida: meu primeiro dia de aula em uma escola de verdade. Cara, eu tinha até um UNIFORME e meus materiais escolares eram apenas meus. Sempre dividia tudo antes, nunca me incomodou na verdade, mas como tudo é uma tremenda novidade ainda estou tentando me acostumar com a ideia de ter tudo apenas ''meu''.

— Bom dia querida. — JK me recebe com um beijo em minha testa. — Está animada por hoje?

 

— Sim, é tudo muito estranho, não posso negar. Na verdade, não sei nem me socializar direito.

 

— Você é inteligente, vai conseguir. Fiz seu café da manhã, ainda não sei do que exatamente você gosta de comer, mas espero que goste do que preparei.

 

— Ovos, bacon e cereal. Comidas americanas! Obrigada, você é o melhor. — Agradeci com um abraço no mesmo.

 

— Ahn.. Aproposito Mary, onde está aquela sua faca?

 

— Ah sobre isso.. Eu menti, não tenho uma. Desculpa ter mentido, mas eu não podia arriscar assim, eu mal te conhecia direito. — O mesmo deu um suspiro de alivio, o que me fez rir.

 

— Meu motorista irá te levar e trazer está bem? Tenho muitas coisas da empresa para resolver hoje.

 

— Ok. — Assenti.

 

Terminei de tomar meu café, e logo fui escovar os dentes. Me visualizei no espelho e pude perceber o quão melhor eu estava desde que cheguei aqui, a minha única preocupação no momento era se o resultado do exame de DNA tenha dado negativo pois, além de decepcionar o sr. Ziegler ainda teria que suportar as consequências de que eu realmente sou uma orfã perdida e sem pais.

Peguei minha mochila e me dirigi até o carro do motorista do JK, e poxa, que carrão. O motorista abre a porta para mim e entro no carro.

Eu estava vivendo um sonho pelo qual não queria ter que acordar. Escola, casa, família, tudo isso era demais (demais no sentido bom).

 

Depois de exatos vinte e três minutos chego á escola. Ela era enorme, é uma escola mesmo isso aqui ou uma mansão? Esse colégio tinha o dobro do tamanho do orfanato, será que todas as escolas eram assim também?

Assim que sai do carro, senti como se todos olhassem para mim, ''uma novata'' que estranho. Mesmo assim, minha timidez não me segurou e entrei dentro do local com uma verdadeira postura de quem não está preocupada com nada (mesmo que seja mentira).

— Oi você deve ser a aluna nova. — Disse uma garota dos cabelos negros e olhos azuis. — Muito prazer, Hyna. — Ela estende seu braço para eu poder a cumprimenta-la e assim foi feito. — Soube que entraria hoje.

 

— Soube? Como?

 

— Disseram que iria entrar uma novata pelo qual o pai é dono da empresa Maxtan, as fofocas rolam solto por aqui desde que viram o sr. Ziegler fazendo matricula para você. 

 

— Caramba. — Não pude deixar de me surpreender com isso. — Bem, muito prazer meu nome é Mary Maeve, mas pode me chamar como preferir.

 

— Certo Maeve, então deixa eu te apresentar para algumas pessoas. — A mesma pega em minha mão e me leva até um grupo de alunos. — Pessoal, essa é a Mary Maeve a novata.

 

— É ela? — Pergunta um deles.

 

— Muito prazer. — Dou o meu melhor sorriso.

 

Conversei com todos eles do grupo, e mais alguns outros que Hyna me apresentou. A maioria parece ter muita simpatia, mas não quero que ninguém faça amizade comigo só por causa do meu pai. De qualquer modo só o tempo irá me mostrar quem eu devo confiar ou não.

Entrei em algumas salas de aula e me apresentei formalmente como pedido aos professores. Sinceramente todo mundo parecia superficial ali, mas iria encontrar alguém pelo qual pudesse confiar.

O intervalo chegou e me sentei com Hyna e mais algumas pessoas.

— Aí Mary, olha ali. — Hyna me aponta disfarçadamente um garoto que estava sentado com outro ao lado. — Aquele é o Kim Taehyung, o cara mais gato da escola. Ele não costuma conversar com qualquer um, ele e o amigo dele são as pessoas mais desejadas do colégio. Claro, além de mim. Eles fazem parte do grupo de basquete.

 

— Basquete? Interessante. 

 

— Sim, temos um grupo de líderes de torcida, se você for boa..

 

— Ah não, sou péssima em fazer acrobacias, eu ficaria sobrando no time mas obrigada.

 

— Como quiser. 

 

Olhei para o tal garoto, e ele de fato era bonitinho, mas não preciso de status para sobreviver. Se eu quero amigos nesse lugar tenho que deixar a minha vida pessoal para trás, e ainda mais depois de tudo que eu passei. Preciso esquecer, tenho uma nova vida agora, e até que aquele teste saia o resultado prefiro aproveitar ao máximo tudo isso.

— Olá Hyna, pessoal. — Os garotos sentam na nossa mesa e cumprimentam a todos. — Quem é ela?

 

— Mary Maeve, ela é novata aqui.

 

— Sei. — Concorda o outro garoto.

 

Kim Taehyung era um garoto que eu poderia julgar diferente. Não um diferente de ''ser o cara mais lindo da escola'' um diferente como alguém misterioso. Posso dizer isso, pela forma que ele se adapta ao grupo e pela sua seriedade e gesto de amizade incomum.

Desde que entrei nesta escola tudo que notei é o quanto as pessoas são superficiais, e quando eu olho para ele não consigo enxergar isso. O quão bizarra eu devo ser para ficar analisando as pessoas e julgando elas assim que as vejo?

Só sei que eu deveria me enturmar mais com esse grupo, eles tem uma conexão interessante por onde eu quero me meter e ver onde tudo isso vai dar.

 

 


Notas Finais


Desculpe qualquer erro <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...