1. Spirit Fanfics >
  2. A bela e a fera >
  3. A bela está no jogo

História A bela e a fera - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - A bela está no jogo


Na manhã seguinte bem cedo a gente entrou no quarto onde estava a menina, por de baixo das nossas máscaras usávamos bandanas pra disfarçar o tom de voz, ela nos encarava com ódio mortal, não parecia ter medo apenas raiva mesmo.
- Por que estou aqui? -perguntou ela
- Você está aqui porque a gente quer! - respondeu o Chefia olhando para nós.
- Parece que ela não vai ser muito útil! - O Lobão falou, pela primeira vez eu tive que concordar.
- Aa valeu, eu tô aqui! - Ela chamou a nossa atenção, era até uma cena cômica, 2 magrelo e um armário com máscaras estranhas. - Olha, só pra deixar bem claro, a política tá uma bosta, meu pai tá quebrado, então me soltem, eu vou embora.
-Acontece fofa, que não queremos dinheiro do seu pai! - falou o Chefia com uma ironia que só, ele se levantou, deu um tapa no braço do lobão e saiu, fomos logo atrás deixando a garota sozinha novamente, no Qg ele soltou o verbo.
-Porra onde fomos nos meter! Eu estou casado dessa merda! - falou Lobão batendo na mesa.
-Manda quem pode e obedece quem tem juízo - falou O Chefia com desprezo - E vc ainda tem não é?
Aquela frase foi pra nós três naquele quarto, a vontade de sumir era grande, na minha cabeça eu só pensava, "isso tudo é uma grande merda".
O Lobão saiu, assim como se nem tivesse uma refém com a gente, o Chefia foi assistir Futebol, a bomba sobrou pra mim, a coragem dela me impressionou, achei que ela estaria chorando, mais ela só falou pra soltarmos ela, como se isso fosse possível agora, putz...lembrei que a Júlia está amarrada, quando entrei no quarto ela estava de cabeça baixa, mais logo levantou o Olhar.
- Já era hora em! - Ela estava amarrada com cordas, não eram grossas, mais acredito que desconfortáveis, eu ia desamarrar ela, mas sei que ela é bem espertinha, então fui até o pequeno banheiro e peguei a corrente que o Chefia tinha preparado, não era muito longa mais seria mais confortável que ficar amarrada, tinha uma tornozeleira, confesso que as correntes eram um pouco pesadas, mais nada demais.
- Que exagero, eu não sou tão forte! - Ela disse olhando as correntes.
-As aparecias enganam.
- Como poderá saber?
-Observações! - Grrr ela ja tava falando demais, e eu também.
- Você me observava? - ela perguntou espantada.
-Você fala muito! - tentei mudar o foco.
- Sua mãe sabe?
- Que? - ela já estava fritando meu cérebro
- Ela sabe o que você faz?
- Nem tudo é o que parece ser, eu não estou aqui por espontâneos vontade.
- Que irônico, nem eu! - Ela me respondeu em seguida ficando calada enquanto eu verificava a corrente. - E se eu gritar?
- Primeiro que você não vai fazer isso, você nem sabe onde está, segundo que eu te amordaço! - Ela fechou a cara, devia estar pensando.
Voltei depois com o almoço da garota, e roupas pra ela tomar banho, é eu era a babá.
De noite perguntei se ela queria algo depois do jantar, ela só quis água, achei a solução perfeita, coloquei um calmante na água dela, eu costumo usar com o Lobão quando ele me perturba, mais hoje a Bela vai ser Bela adormecida pra mim recuperar meu sono perdido.
Dormi naquele projeto de sala, já tinha um dia que a garota estava com a gente, acordei com o Chefia furioso.
- Cadê o Lobão?
- Eu lá sou babá de marmanjo? - falei ainda cheio de sono.
Saímos de casa e olhamos alguns bares, nada do Lobão, pelo menos eu lembrei que a menina tinha que comer, algumas pessoas deviam achar que eu e o Chefia éramos uns casal, andávamos juntos e ficávamos na mesma casa, e somos misteriosos, é engraçado pensar o que as pessoas pensam, mas voltando pra casa e quando fomos ver a garota no quarto o Lobão estava amordaçado, ela usou um capacete pra golpea-ló, eu segui a corrente com os olhos e quando eu raciocinei ela deu um golpe no chefia com o capacete, eu pulei pro outro lado do quarto, o Chefia ficou resmungando de dor no chão, ela foi mais rápida que a gente e pegou a arma do Lobão e apontou pra mim, droga, será que ela sabe usar isso? Droga onde chegamos, falei que as aparecias enganam, eu tava furioso.
- Me dá as chaves! - Ela exigiu
- Eu não sei onde estão, entreguei para o Chefia, mas vc desmaiou ele. - Tentei ganhar tempo, olhei pro Lobão que estava com um olhar perdido.
- Se você tentar soltar ele, eu atiro!
- Ok, você sabe usar isso?
- Eu aprendo agora! - A voz dela continuou firme, garota de garra.
-Acho melhor me entregar, isso não é brinquedo...
Quando ela se distraiu com o Chefia que estava acordando, eu a agarrei pelo braço, tomei a arma e a joguei na cama.
- Eu vou ter que te amarrar de novo é? - Perguntei pra ela enquanto soltava o Lobão
- Merda, merda, merda!! - Gritava o Chefia, a cabeça dele sangrava com um pequeno corte. - Você é um idiota, por que trouxe a arma e um capacete pra cá em?
Eu tirei a corda da boca do Lobão pra ele se explicar, o pior de tudo era ela ter visto o focinho daquele idiota, enquanto isso eu lutava com os nós da corda, quando acabamos saímos do quarto, levando as cordas, capacete, cadeira, só ficou a garota e a cama.
- Chefia, eu tinha acabado de chegar, ela tava pedindo água, eu não Achei que ela fosse me atacar, não deu tempo de tirar nada.
- Porra, um homem que viveu no crime tanto tempo da um vacilo desse, que merda!! - O chefia estava realmente irritado.
- Calma cara, você também não se imaginou atacado por ela. - Eu entrei em defesa do Lobão e me arrependi na hora.
- Calma porra nenhuma, tem uma arma apontada pra cabeça da minha mulher e do meu filho, tem uma arma apontada pra sua mãe e quase que esse merda fode com tudo, presta atenção porra!
O Chefia saiu pro Qg e o Lobão foi atrás, e mais uma vez sobrou pra mim cuidar da garota.



Notas Finais


Perdoem qualquer erro😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...