História A Born Love Of Hate Jikook - ABO (Reescrevendo) - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfa, Amor, Bts, Drama, Jikook, Jimin, Jungkook, Ômega, Romance
Visualizações 2.759
Palavras 5.573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores...
Bom, como avisado no capítulo anterior esse P.O.V é do Jimin.
Terá mais três capítulos para termos o encerramento da Fic.
Decidi então Narrar os próximos para vocês entenderem melhor o final.
Hoje o capítulo e está diabético kkkk Bem docinho...
Bem, os próximos capítulos sairão a cada Quarta-Feira!!!
Assim eu poderei escrever os capítulos com mais calma e também ter uma história mais gostosa para se ler e não a mesmice chata de sempre.
Obrigada aos 569 Favoritos!!! 🎉🎉🎉🎉💜💜💜💜
Era só isso!!!
Boa leitura...📖😉

Capítulo 17 - Confissão


Fanfic / Fanfiction A Born Love Of Hate Jikook - ABO (Reescrevendo) - Capítulo 17 - Confissão

Nota : Leiam pleases 👆

*Minnie On*

/Quebra de Tempo/ Duas Semanas Depois/

Já havia se passado um mês e uma semana que eu estava vivendo com a família Jeon. Era até difícil de acreditar que eu havia sobrevivido intacto o primeiro mês. Pensei que seria pior a nossa convivência. Já estava imaginando até mesmo a Terceira Guerra Mundial aqui. De um todo, as coisas se tornaram bem mais tranquilas por assim dizer.

Jungkook e eu demos uma trégua nas nossas discussões e desavenças. Decidimos ser somente amigos e tentar conhecer um ao outro. Nisso eu já descobri muito sobre ele, também ele me contou mais a respeito de sua omma e sobre o que ele passou nesse tempo. Devo admitir que ele foi muito forte em não ter tido uma decaída e entrado em depressão.

Então ele viu essa vida depravada que ele leva como uma rota de fuga, ou uma válvula de escape, para se libertar da dor. Mas ao invés dele conseguir amenizar essa dor, ele estava fazendo o contrário. Agora ele sorri mais e ri com frequência. Até mesmo tem atormentado mais a Linda lhe pregando peças e a assustando como se ele ainda fosse um garotinho de sete anos. Não tem farreado mais, muito menos voltado a beber. Seu Appa não tem discutido mais com ele e nem coisa parecida.

Pode-se dizer que temos paz hoje!

Eu estava jogado em um sofá na sala vendo TV quando Jungkook chega descendo a escada rapidamente se aproximando da onde eu estava.

- Vai ficar o dia todo aí? – ele pergunta pulando em cima de mim e me esmagando no sofá.

- Aiii... Jungkook, sai de cima. – reclamei tentando o empurrar, mas sem êxito. – Desinfeta! – gritei com ele que só ria.

- Se levanta, vamos fazer alguma coisa, hoje é domingo. – ele reclama saindo de cima de mim e se sentando no chão olhando para minha cara. – Amanhã teremos que voltar as aulas novamente e eu já estou cansado de ficar enfunado dentro de casa. – ele fala fazendo carinha de pidão. – Logo a gente vai começar a cheirar mofo de tanto que ficamos aqui. – eu ri do seu comentário.

- Aish... Vai sozinho, estou sem vontade de sair de casa. – falo dando de ombros para ele voltando a assistir TV.

- Há Jimin, para de preguiça, vamos sair e ponto final. – ele fala se levantando e puxando meu braço e eu o puxava de volta.

- Eu não vou a lugar algum Jungkook, agora me larga. – falo firme conseguindo me soltar dele e ele franze o cenho me encarando bravo. – Porque você não chama um dos seus amiguinhos?! – perguntei e o vi ficar mais emburrado do que já estava. – Eu tenho certeza que um dos três patetas estarão livres para sair com você. – disse em sarcasmo me ajeitando novamente no sofá, sem encara-lo.

Jungkook ficou mudo de repente, se sentou no outro sofá bufando com a cara amarrada e os braços cruzados em frente ao seu peitoral estufado. Ele ficava fazendo barulhinhos irritantes soltando o ar de seus pulmões com força para me provocar, mas eu não vou dar esse gostinho para ele, simplesmente o ignorei. Notei que ele me olhava de soslaio vendo se eu iria ceder a sua birra, mas ele acabou se cansando primeiro.

- Okay Jimin, você venceu. – ele levanta de supetão me assustando, então o acompanho com o olhar. – Eu vou sair sozinho mesmo, quem sabe eu acho alguém mais interessante no caminho. – ele fala se aproximando da escada me deixando boquiaberto.

- Vai se embebedar novamente Jungkook? – perguntei sério perdendo a vontade de ver TV.

- De quê te importa? – ele pergunta irritado subindo o primeiro degrau.

- Jungkook! – falei em tom de reprovação o fazendo parar e me encarar. – Já se esqueceu da trégua? – perguntei e ele ri soprado.

- Não, mas acho que você sim. – ele fala me encarando sério, esfregando a sua mão direita em suas madeixas as deixando bagunçadas em sinal claro de frustração. – Poxa, o que custa você sair um pouco comigo?

- Eu estou cansado Jungkook, por isso não quero sair hoje. – expliquei me sentindo exausto. – Será que você não entende?

Passei o sábado todo na casa do Seokjin estudando para uma bendita prova que terá amanhã. Meus olhos estão queimando de sono, não tenho pique algum para sair de casa nesse estado. Mas também não podia permitir que ele saísse sozinho e acabasse fazendo alguma besteira.

- Claro, porque ontem você ficou o dia todo na casa do seu amigo dando atenção para ele, e hoje que eu peço só para você me dar um pouquinho de atenção, você não pode. – ele reclama visivelmente chateado.

Era muito engraçado esse lado “Kookie” que Jungkook começou a ceder e a me mostrar. Ele não aparecia com frequência, mas quando se mostrava... Jungkook ficava manhoso demais, pior que uma criança de cinco anos quando quer algo na loja de brinquedos e os seus pais não tem condições financeiras de comprar.

- Jungkook. – falei calmo e comecei a rir. – Eu fui estudar, não fui dar atenção a ninguém não. – ele bufou e deu de ombros.

- Não me importa. – ele fala irritado subindo a escada indo para o seu quarto.

Comecei a rir sozinho de sua atitude quando Linda entra na sala me assustando.

- Ele está com ciúmes de você. – olhei para trás com o susto a vendo parada na porta da sala sorrindo para mim.

- Ai Linda... – pus a minha mão sobre o meu peito afim de acalmar os batimentos do meu coração. – Você me assustou.

- Desculpe Jimin, mas não pude ignorar isso. – ela diz dando um risonho maroto.

- Jungkook está impossível, agora eu não posso nem mesmo estudar que já é motivo para ele reclamar. – digo frustrado, mas no fundo eu via graça nas atitudes dele.

- Ele reclama porque ele quer que você dê atenção a ele. – a encarei meio incrédulo. – Jungkook sempre foi muito manhoso e dengoso Jimin, isso está na essência dele.

- Estou vendo. – falo e suspiro me dando por vencido, suspiro e digo. – Eu vou lá falar com ele. – avisei e ela riu.

Subi a escada chegando em frente ao quarto de Jungkook. A porta estava meio aberta, então pude ver as costas desnudas de Jungkook. Seu porte físico, era, com toda certeza, de tirar o fôlego. Os traços de suas costas, as linhas que se formavam quando ele se movimentava, seus músculos bem definidos. Desci o meu olhar pelo seu dorso até chegar nas duas covinhas que ele tinha acima de suas nádegas.

Dizem que quem tem essas covinhas nas costas, é sinal de que a pessoa é boa de cama. Deve ser verdade, afinal, ele é desejado por vários(as) Betas e Ômegas. Mas no que é que eu estou pensando? Ele estava somente usando uma cueca box vermelha com o elástico preto. Essa cena me fez se lembrar da noite que caímos na piscina e eu tive de troca-lo. Chacoalhei minha cabeça para afastar esses pensamentos sórdidos. Bati na porta e recebi um “Entra” da parte dele.

- Podemos conversar? – perguntei vendo o mesmo já quase pronto.

Ele estava sentado na beira de sua cama, terminando de amarrar o cadarço de seu tênis e então olhou para mim.

- De novo? – ele ri soprado. – Pra quê? – ele me encara se levantando e se aproximando de mim. – Por acaso você mudou de ideia? – pergunta me fitando sério e eu desviei meu olhar do seu indo direto para o chão.

- Eu pensei que pudéssemos fazer algo aqui mesmo. – dei a ideia e o mesmo sorriu malicioso.

- O que podemos fazer aqui, você não vai querer. – eu havia entendido bem o que ele quis dizer com isso, então, revirei meus olhos. – Então não Jimin, minha resposta é não. – ele vira de costas para mim, para se olhar no espelho e terminar de se arrumar.

- Qual é? – reclamei. – Qual a sua necessidade de sair daqui? – perguntei e vi pelo reflexo do espelho o mesmo rir soprado e olhar para baixo, depois levantando seu olhar e fala.

- A mesma necessidade que você está tendo para não ter de sair. – ele pisca para mim com sarcasmo me olhando pelo reflexo do espelho também.

- Ok Jungkook, mas se eu for você promete que não vai demorar muito para voltar? – perguntei e ele me encarou com os olhos brilhando e assentiu freneticamente com a cabeça concordando com o meu pedido. – Tá, então eu vou me trocar. – quando virei de costas, senti meu corpo ser elevado para o alto, não sentindo mais os meus pés tocarem o chão, Jungkook começou a me jogar para o alto, me fazendo pular em seu colo. – Jungkook! – o repreendi tentando me soltar dele.

Jungkook me pôs no chão, mas não me solta. Agora ele permanecia com seu peito encostado em minha costa, me passando o calor de seu corpo, enquanto estava abraçado a minha cintura. Sinto sua respiração quente tocar a minha pele da nuca, me causando arrepios por todo o meu corpo. Me senti quente por um momento. Ele se aproximou do meu ouvido e disse com sua voz rouca.

- Obrigado. – ele ri soprado jogando o ar quente de sua boca em meu pescoço novamente me deixando eriçado e excitado, fazendo minhas bochechas aquecerem demais, meu rosto com toda certeza estava uma pimenta só.

- O-Okay Jungkook, agora eu preciso ir. – disse balbuciando, me soltando dele e corri para o meu quarto ouvindo ele dizer.

- Vou te esperar lá na sala, vê se não demora muito hein, “Princesa”. – ele diz a última palavra em tom de gozação para mim.

Baca. Como serei amigo dele sentindo essas coisas? Como teremos uma amizade normal se ele passa a maior parte do tempo me provocando? Amigos não sentem necessidade de sentir a pele do outro, muito menos o cheiro, os toques e os lábios do seu amigo. Isso está sendo mais difícil do que eu imaginava. Jungkook atiça a minha imaginação explícita.

Eu estava ainda encostado na porta do meu quarto mordendo o meu lábio inferior e pensando na imagem de Jungkook só de box. Aí me dei conta que estava com um volume em meio as minhas pernas. Ótimo! Era só o que me faltava, agora terei de me aliviar sozinho. Espantei meus pensamentos e fui para o banheiro tomar uma ducha, gelada de preferência.

Fiz minha higiene rapidinho e saí para me trocar. Optei por uma calça jeans preta com rasgos no joelho, uma camisa manga longa cinza de listras na vertical na cor preta e um converse preto. Deixei meu cabelo meio bagunçado.

Estava sendo difícil para mim descer e ter de encara-lo, não queria ter de olhar para a cara dele depois do que ocorreu dentro do banheiro do meu quarto, quando fiz “coisas” pensando nele. Isso é vergonhoso demais, mesmo assim, tomei coragem e desci. Eu vi Jungkook rir ao me olhar.

- O que foi? – perguntei confuso, logo percorrendo o meu olhar pela minha vestimenta observando se havia algo de errado com ela. – Ficou feio essa roupa? – perguntei preocupado de que estivesse brega.

- Não, pelo contrário, você está muito bem. – ele diz me fitando lascivo.

- E qual o motivo do seu riso então? – perguntei desconfiado.

- Nada não. – ele disfarça se encaminhando até a porta da sala. – Vamos?

- Vamos. – disse baixo, sem ânimo.

Saímos da casa e fomos caminhando sem destino, bom, pelo menos eu não sabia para onde estávamos indo, até porque, quem estava afim de sair de casa era o Jungkook e não eu. Ele estava o tempo todo resmungando alguma canção que não conseguia definir qual era.

Quando ele percebeu que eu estava o encarando demais, ele me encara também com um sorrisinho fechado e ladino me fazendo corar e olhar para o lado oposto ao dele. Já cansado de tanto andar sem destino e só vendo nós dois nos afastando demais de sua casa resolvi perguntar para onde nós estávamos indo.

- Jungkook... – o chamo e ele me encara.

- Hum. – murmura me encarando.

- Onde estamos indo? – perguntei o encarando também. – Eu já estou ficando cansado. – falo fazendo bico e ele ri.

- Já estamos chegando, aguenta só mais um pouco. – ele pede sorrindo.

Não pude negar, Jungkook estava feliz e isso me deixava feliz também. Então, somente assenti continuando a caminhar de boca fechada. Mais uns quinze minutos andando e finalmente chegamos. Jungkook me trouxe a um parque central, cheio de árvores e um lago maravilhoso enfeitando ao meio. Tinha várias pessoas fazendo caminhada, crianças brincando em um mini playground com areia, onde podiam erguer seus Castelinhos.

Outras pessoas somente descansavam embaixo de uma grande Sakura. Outras aproveitavam os carrinhos de Food Truck, onde se vendiam de tudo comestível, do doce ao salgado. Fiquei encantado em ver aquele belo jardim. Depois de um tempo percebi que me encontrava de boca aberta com cara de retardado e Jungkook estava olhando para mim rindo, me fazendo se sentir mais imbecil ainda. Fechei a cara ficando sério e o mesmo riu mais alto ainda.

- Idiota. – resmunguei o empurrando e ele parou de rir.

- Você fica engraçado quando está surpreso com algo, fica parecendo uma criancinha descobrindo algo novo. – ele fala apertando minha bochecha direita.

- Ahh... Você vai arrancar a minha bochecha desse jeito. – disse resmungando e afastando sua mão de perto de mim o fazendo rir novamente.

- Vem, eu vou te levar a um lugar legal. – ele diz pegando minha mão direita, me puxando e me levando com ele.

- Devagar Jungkook, minhas pernas estão me matando. – choramingo e ouço ele rir.

Jungkook e eu andamos mais um pouco até chegarmos embaixo de uma árvore bem grande de Bordo. Suas folhas estavam lindas em tom avermelhadas, estávamos próximos do outono e as plantas já estavam mudando de cores. Ela era imensa, mas muito linda.

Jungkook soltou da minha mão e se sentou embaixo dela com sua costa apoiada em seu troco. Ele deu sinal para eu me sentar também. Me aproximei, me sentando ao seu lado. Não contente, Jungkook me puxou para que eu ficasse sentado em meio as suas pernas. Fui tentar reclamar, mas o mesmo me interrompe.

- Jungkook o que voc...

- Shiiiiu... Não se preocupe. – ele diz baixo próximo ao meu ouvido. – Eu não estou fazendo nada, só pensei que seria mais confortável assim, já que você está cansado. – ele fala me aconchegando em seu peito.

- Jungkook, esse lugar é lindo. – falo deslumbrado com a infinidade de cores que tinha nesse parque.

- É mesmo. – ele confirma.

- Quando você o descobriu? – perguntei o sentindo respirar fundo.

- Quando eu tinha cinco anos. – me surpreendi, pois fazia muito tempo. – Eu vinha aqui todos os sábados com a minha omma. – ele diz um pouco nostálgico.

- Sinto muito, não queria te deixar triste. – falo sem jeito.

- Está tudo bem Jimin, nada que eu não supere algum dia. – ele sorri forçado e começa a afagar minha cabeça.

Foi tão relaxante que nem percebi que havia cochilado em seu colo. Acordei assustado sentindo meu corpo sendo abraçado pelos braços de Jungkook. Ele me apertava como se estivesse se assegurando de que eu não fugiria dali. Ele estava com seu queixo apoiado em cima de minha cabeça. Me soltei de seus braços e o encarei confuso vendo que o dia já estava indo embora.

- Boa tarde “Bela Adormecida”. – ele diz rindo.

- Quanto tempo eu dormi? – perguntei assustado.

- Hum... – ele olha em seu relógio de pulso e diz. – Acho que umas duas horas mais ou menos.

- Tudo isso? – perguntei arregalando meus olhos surpreso.

- Pelo visto você estava bem cansado mesmo, até mesmo roncou. – ele diz me provocando.

- Eu não ronco Jungkook. – me defendo.

- Há não? Parecia mais um trator. – ele diz fazendo um som irritante com a boca.

- Baca! – bato em seu braço esquerdo e ele ri esfregando sua mão no local atingido. – Porque não me acordou?

- Você estava muito fofo dormindo, preferi te deixar descansar. – ele sorri ladino.

- Já está tarde. – digo bocejando. – Precisamos voltar.

- Mas já? – ele faz cara triste e um biquinho nos lábios. – Nem aproveitamos, você dormiu, já descansou um pouco.

- E o que você quer fazer? – perguntei cedendo à vontade dele, já que o mesmo me deixou descansar, nada mais justo que atender ele também.

- Pensei da gente ir tomar um sorvete, o que você acha? – perguntou e eu neguei o fazendo me olhar atento.

- Mas já está esfriando Jungkook, se eu tomar sorvete agora vou ficar rouco ou ficar com as amídalas inflamadas. – falo e ele concorda.

- Hum... – ele pareceu pensar por um momento e logo sorriu. – Já sei, podemos comer um lanche, tem uma lanchonete aqui perto e faz uns hambúrgueres deliciosos, podemos ir lá.

- Tudo bem. – me dei por vencido e me levantei.

Jungkook se levantou e foi andando ao meu lado, senti ele ir se aproximando devagar de mim até conseguir segurar minha mão. Jungkook estava me fazendo se sentir em um encontro ele. Andamos uns sete minutinhos e chegamos em frente a lanchonete. Já era de se desconfiar que Jungkook chamaria a atenção das(os) Ômegas e das(os) Betas que estavam ali dentro.

Alguns Alfas que estavam acompanhados se sentiam ameaçados por verem seus acompanhantes suspirando ao sentir o cheiro de Jungkook. Me senti incomodado, pois, elas(es) olhavam para mim com descaso. Jungkook deu uma rosnada baixa me fazendo encara-lo. Ele estava olhando para um canto onde havia um grupinho de Alfas e eles estavam olhando para mim.

Quando notaram a feição de desgosto de Jungkook, logo eles se viraram parando de nos olhar. Jungkook fechou a cara e buscou uma mesa mais afastada que pode. Parecia até que estávamos nos escondendo de alguém. Ele fez questão de se sentar ao meu lado, ao invés de se sentar de frente para mim como todos estavam se sentando. Logo a garçonete veio nos atender.

Era uma Beta, loira de olhos castanhos, seios fartos atarracados dentro de seu sutiã preto, com uma Baby Look branca super atarracada. Usando um batom vermelho chamativo em plena luz do dia, com o sorriso mais falso que eu já havia visto na minha vida. Meu radar de vadia foi detectado. Ela estava se oferecendo na cara dura para o Jungkook, e ele estava totalmente neutro perante a conduta dela. Ele fez nossos pedidos e ela saiu rebolando, aquilo me fez rir.

- O que foi? – Jungkook pergunta me olhando com uma expressão de confusão.

- Me lembre da próxima vez de nunca mais me trazer aqui. – falei balançando minha cabeça em desaprovação.

- Hum... – ele chega próximo ao meu ouvido e diz. – Então quer dizer que terá uma próxima vez?

- Baca. – reviro meus olhos.

- Foi você quem falou. – ele diz rindo e ergue seus braços em forma de rendição. – Mas até que de todo ruim o lugar não é de todo mal.

- Não... com certeza, se tirarmos os clientes sem noção, as funcionárias vadias atiradas e mais uns detalhezinhos a lanchonete realmente não é de todo mal, ela só seria vazia. – falo irônico revirando meus olhos.

Jungkook olhou para mim e começou a gargalhar me fazendo rir de sua própria risada.

- Mas bem que tinham muitos Alfas aqui de olho em você, isso você não pode negar. – ele fala me encarando, me fazendo ficar tímido.

- Com coisa que as(os) Ômegas e as(os) Betas não estavam me olhando com desprezo por eu estar junto com você. – falei o encarando também com ar de acusação.

- Sério? – ele pergunta com o aspecto de surpreso, como se não tivesse visto e eu assenti. – Eu nem reparei. – ele se senta relaxado na cadeira ao meu lado e para me olhando por um momento.

- Que foi? – perguntei confuso e Jungkook deu somente um sorriso fechado.

- Nada. – ele nega com a cabeça novamente desviando seu olhar do meu.

Jungkook estava estranho demais e fazendo coisas que antes ele nunca se atreveria a fazer. Deixo meus pensamentos de lado vendo nossos lanches prontos chagando a nossa mesa. Logo os lanches chegaram e foi a mesma oferecida quem veio entrega-los. Ela me olhou fazendo pouco caso da minha presença. Então tive a ousadia de provoca-la, já que Jungkook estava sentado ao meu lado seria mais fácil ainda.

Levei minha mão direita até a coxa esquerda de Jungkook, começando o caminho pelo seu joelho e fui subindo enquanto olhava para a oferecida que mantinha seus olhos fixos em minha mão e o caminho que a mesma percorria e eu recebia um olhar surpreso de Jungkook que logo se tocou do que eu estava fazendo e sorriu ladino se controlando para não rir na frete da garçonete.

- É-É... somente is-so que irão... querer...? – ela ficou perdidinha com os movimentos que eu fazia com a minha mão se aproximado do membro de Jungkook e depois apertando sua coxa.

Vi Jungkook morder seu lábio inferior e me encarar com luxúria. Ele estava se excitando com meus movimentos e sem perceber eu acabei humedecendo meus lábios com a língua, o fazendo segui-la com seus olhos repetindo o mesmo processo em seus lábios. Senti meu rosto esquentar de vergonha ao ver o que estávamos fazendo. Desviei o meu olhar do dele me recuperando e encarei a garçonete.

- É, somente isso mesmo. – falei a encarando com um sorrisinho vitorioso por ter conseguido desestabiliza-la.

Ela engoliu seco e saiu de perto da gente, eu não me contive e comecei a rir, fui tirar minha mão da perna de Jungkook, mas o mesmo a segura mantendo-a ali com sua mão sobre a minha. O encarei confuso e o mesmo sorri me mandando uma piscadela.

- Muito abusado você né Sr. Park?! – ele fala sorrindo malicioso.

- Ela mereceu, estava tratando a minha presença como insignificante, como se eu fosse invisível, quem ela pensa que é? – falei emburrado.

- Okay, você mostrou para ela qual é o seu lugar, satisfeito? – ele pergunta e eu assenti.

- Melhor impossível. – nós dois rimos.

Decidimos comer nossos lanches antes que eles esfriassem. Nossos lanches estavam muito gostoso, parece que pelo menos nisso eles acertaram e capricharam. O duro é que eu não sei comer lanche sem me lambuzar todo de ketchup ou maionese. Jungkook me encarou rindo, ele estava visivelmente se divertindo ao me ver todo sujo.

- O porquinho. – ele me chama e eu franzo meu cenho por ele ter me chamado de porco. – Você está com a cara toda suja de molho. – ele avisa rindo de mim.

Peguei um guardanapo e passei pelo meu rosto, tentando limpar a sujeira.

- Saiu? – perguntei e o mesmo negou ainda rindo.

Passei novamente e vi ele se aproximar de mim tirando o papel da minha mão.

- Deixa que eu limpo. – ele fala se aproximando de mim.

Quando vi Jungkook havia segurado o meu rosto e não deu tempo de fazer nada, só senti a textura da língua dele percorrendo o canto da minha boca tocando de leve uma parte dos meus lábios me deixando de olhos arregalados. Ele me olhou com um sorrisinho ladino e disse.

- Prontinho. – ele diz se afastando de mim, me deixando com cara de besta.

- Porque fez isso? – perguntei atônito o encarando.

- Porque? Não gostou?

- Baca, agora as pessoas estão olhando para nós. – falei envergonhado ficando cabisbaixo. – Você não devia ter feito isso.

- Okay Jimin, me desculpe tá legal, não faço mais. – ele fala aborrecido terminam de comer o seu lanche.

- Me senti agora um filhotinho de cachorro cujo a mãe lambe para limpar os pelos dele. – pensei em voz alta e Jungkook começou a rir.

- Sério que você se sentiu assim? – ele me olha incrédulo. – Você é mesmo muito inocente Jimin.

- Termina de comer e cala a boca Jungkook, está ficando tarde e precisamos descansar, bom, pelo menos eu preciso já que terei prova pela manhã. – bufo frustrado.

- Calma, vai dar tudo certo, você é nerd Jimin.

- Eu sou o que? – perguntei o encarando raivoso e vi o mesmo me olhar assustado.

- N-Não foi bem isso que eu quis dizer Jimin... – ele tenta se explicar, mas só acaba piorando tudo e minha carranca fica maior ainda.

- Cala a boca Jungkook, eu não sou nenhum nerd, eu preciso estudar como qualquer outra pessoa, não sou um gênio, Einstein era um gênio na matemática, mas era péssimo em Humanas. – falo e o mesmo se surpreende.

- Sério isso? – eu afirmo. – Nunca iria imaginar tal coisa.

- Por isso você também precisa estudar, se você estudasse mais, saberia de muito mais coisas, sem a leitura e os estudos não somos nada, somos apenas pessoas vivas sem propósito algum na terra. – falo e o mesmo fica boquiaberto comigo.

- Já entendi, não precisa puxar minha orelha. – ele fala com sarcasmo.

- Mas é o que eu devia fazer, literalmente. – concluí e ele encolhe seus ombros se dando por vencido.

Terminamos de comer e Jungkook fez o papel de cavalo, ops... de cavalheiro e pagou a conta. Saímos da lanchonete e vi a cara de tacho que a garçonete ficou. Por dentro eu estava vibrando por ter deixado a mesma com a cara no chão. Mas quando estávamos já a um tempo andando, o cansaço me abateu de novo. Meus passos foram diminuindo gradativamente e Jungkook percebeu parando de costas na minha frente.

- Porque você parou Jungkook? – o encarei confuso.

- Sobe, eu te levo. – ele fala apontando para as suas costas.

Sério que ele queria me levar de cavalinho para a sua casa? Ele só pode ter ficado maluco.

- Não, eu posso ir andando... – ele me corta.

- Sobe logo. – Jungkook fala sério e eu fiz o que ele mandou.

Pulei em sua costa e ele me carregou até sua casa. Abracei o seu pescoço com os meus braços e minhas pernas envolveram sua cintura. Jungkook apoiou suas mãos em minhas coxas as firmando. Conforme ele ia dando seus passos e me chacoalhando me sentia ser embalado em um sono aconchegante. Apoiei minha cabeça no ombro dele e peguei no sono.

****

Acordei na manhã seguinte sobre a minha cama. Nem sei como cheguei até aqui, só me lembro de Jungkook estar me carregando ate a mansão. Provavelmente o mesmo me deixou aqui. Me espreguicei e me levante, me encaminhei até o banheiro onde fiz minha higiene matinal.

Vesti uma calça Skinny azul escuro, uma camisa azul manga longa e um tênis preto. Peguei a minha bolsa e desci. Jungkook ainda não havia chego para tomar café. Me sentei a mesa e Linda veio toda sorridente me cumprimentar.

- Bom dia Jiminnie, dormiu bem? – ela pergunta simpática.

- Bom dia Linda, dormi sim. – falo sorridente logo ouvindo os passos de Jungkook se aproximarem da cozinha.

- Bom dia, bom dia. – ela fala animado.

- Bom dia. – eu e Linda dissemos em uníssono.

Senti que devia agradece-lo por ontem, não era a obrigação dele me trazer em suas costas até aqui. Decidi dizer de uma vez antes que eu perdesse a coragem.

- Obrigado por me carregar ontem Jungkook. – falei e o vi manear a cabeça em sinal de que estava tudo bem e sorriu para mim.

Terminamos nosso café, nos despedimos de Linda e saímos. Rick já estava a nossa espera com a limusine parada em frente a mansão. Jungkook e eu entramos no carro seguindo para a faculdade. Chegando lá não encontramos nenhum de nossos amigos nos esperando, o que era muito estranho.

Decidimos ir até o refeitório, possivelmente alguém poderia estar lá nos esperando. No caminho vejo Chanyeol junto de Sehun e Suho. Os três me olham com desprezo por estar junto de Jungkook, desviei o meu olhar deles e segui em frente. Jungkook percebeu o que tinha acontecido e então apoiou sua mão direita sobre o meu ombro esquerdo sem dizer nada, era como se com somente o seu toque ele me dissesse que estava ali por mim.

Chegamos no refeitório e todos já haviam chego. Seokjin e Hoseok estavam sentados no meio de Namjoon, Taehyung e Yoongi. Olhei para Jungkook e sorrimos maliciosamente em cumplicidade e voltamos a olhar para eles.

- Grandes amigos vocês são hein?! – Jungkook fala assustando todos ali. – Nem esperam mais a gente, o que está acontecendo? Alguém pode nos contar?

- Ué, estamos esperando vocês a um tempo aqui. – fala Taehyung.

- Aqui? Vocês sempre nos esperam no portão da faculdade. – Jungkook reclama recebendo um olhar sonso de Yoongi.

- Nossa, agora vai dar um de mulher traída e abandonada pra cima da gente Jungkook? – Yoongi fala provocando Jungkook. – Vê se nos erra vai. – ele fala dando de ombros.

- E vocês? – falo apontando para Jin e Hoseok. – Porque não me esperaram também?

- Porque você não está sozinho. – Seokjin diz olhando para Jungkook.

Bufei e me sentei em um dos únicos lugares vagos que haviam ali, me sentando ao lado de Namjoon sendo acompanhado por Jungkook que se sentou do meu lado. Ficamos conversando um tempo até Jungkook se levantar em um sobressalto nos assustando.

- Eu... vou no banheiro. – Jungkook fala e percebo ele encarar Taehyung e apontar para trás dele.

Havia uma moça muito bonita, parecia ser uma Ômega. Ela era ruiva de olhos cor de mel, os mesmos olhos encontraram o de Jungkook a fazendo se assustar. Jungkook saiu a passos largos e ela saiu correndo atrás dele.

- Xiii... vai dar ruim. – Tae fala preocupado.

- Porque Tae? – Namjoon pergunta confuso.

- Você não se lembra dela Nam? – ele pergunta e Namjoon nega.

- Quem é ela? – pergunto curioso vendo a mesma parar Jungkook e dizer algo para ele e logo se jogando em seus braços e o abraçar.

- Ela se chama Samira, acho que Jungkook já deve ter lhe dito quem ela foi para ele no passado não é mesmo Jimin...? – ele fala em expectativa de que eu me lembrasse de algo.

- Samira? Passado? – busco em minha memória esse nome, mas não me lembro de ninguém. – Não, não me recordo desse nome.

- E Sammy? – logo me veio em minha mente esse nome. – Isso te lembra alguma coisa? – ele pergunta sorrindo malicioso.

“Sammy foi o primeiro amor da minha vida e também a pessoa que destruiu quem eu fui”. – Jungkook.

Meus olhos se arregalaram e voltei a olhar para eles. Jungkook estava nervoso tentando se soltar da mesma e ela nem se movia, ela estava tentando a qualquer custo beija-lo. Meu peito se contorceu, eu estava odiando vê-lo grudado a ela e não poder fazer nada. O que também eu poderia fazer? Não sou nada dele, somente somos... “amigos”.

- Se eu fosse você Jimin, eu agiria logo. – Tae diz rindo me tirando dos meus pensamentos, ele estava visivelmente se divertindo com o que estava acontecendo.

- Não, e se ele ainda gosta dela? – questionou vejo o mesmo me encarar. – Quem sou eu para afasta-lo dela? – falo voltando a encarar os dois e ouço Taehyung rir debochado.

- Jungkook não gosta dela a muito tempo. – ele diz confiante.

- Como sabe? – perguntei incrédulo.

- Você quer mesmo que eu te responda? – fala me encarando com malícia.

Olhei para os dois e vi a mesma tascar-lhe um beijo e Jungkook a empurrou retribuindo um olhar raivoso para a mesma. Me levantei para sair dali quando ouço Jungkook gritar com ela usando sua voz de Alfa me fazendo se encolher na hora.

- NUNCA MAIS FAÇA ISSO SUA VAGABUNDA! – ele grita irado e vem em nossa direção.

Jungkook pega a sua bolsa e agarra o meu pulso me puxando consigo. Resolvo não questiona-lo, até porque ele não me segurou brutalmente, muito menos estava me machucando. Somente estava com seu semblante sério.

Chegamos a um lugar distante no pátio da faculdade. Jungkook jogou sua bolsa no gramado sem se soltar de mim e se sentou embaixo de uma árvore me fazendo se sentar da mesma forma que no parque.

Ele me fez ficar no meio de suas pernas e abraçou minha cintura me fazendo encostar a costa em seu peitoral. Jungkook afundou seu nariz em meu pescoço e começou a fungar meu perfume. Me atrevi a chama-lo.

- Jungkook... – ele me interrompe.

- Só... me deixa sentir o seu cheiro por favor. – ele pede. – Seu perfume me acalma.

Fiquei imóvel esperando até que ele se sentisse melhor. Jungkook tremia seus braços em volta de mim, ele se excedeu muito aquela hora gritando com ela. Com certeza ele despejou toda a raiva e frustração que ela o fez passar em cima de si mesma.

- Foi ela não foi? – perguntei e ele assentiu.

- Foi ela quem me destruiu e me fez se tornam que eu sou hoje. – ele fala magoado.

- E quem é você Jungkook? – pergunto sentindo o mesmo se afastar de mim.

- Sou esse Alfa desprezível que você conhece.

- Você não é desprezível Jungkook. – digo me virando de frente para ele e o encarando. – Só passou por problemas acima do comum. – falo acariciando seu rosto vendo seus olhos vermelhos se fechando enquanto sentia o meu carinho.

- Eu gosto de você Jimin. – confessa me fazendo arregalar meus olhos.

Nessa hora senti meu coração se acelerar muito e meu peito se aqueceu com suas palavras. Ele confessou... Jungkook acabou de confessar que gosta de mim. E agora? O que eu faço?

...Continuo?...


Notas Finais


Uma pitada de tensão no final com uma confissão para fechar com chave de ouro!!! Kkk
Desculpem algum possível erro...
Ainda não revisei para postar logo para vocês!!!
Espero que tenham gostado...
Até semana que vem...
Bjokass 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...