História A Branca de Neve ainda sofre pelo Príncipe do Gelo. - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 17
Palavras 1.490
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 14 - Me sinto perdida.


Fanfic / Fanfiction A Branca de Neve ainda sofre pelo Príncipe do Gelo. - Capítulo 14 - Me sinto perdida.

P.O.V Yang Si.

As gravações estão indo bem até agora. Taehyung não fez nenhum mal ainda, eu continuo tentando cumprir minha promessa e crivelmente, estou conseguindo. Kim tem se mostrado uma boa pessoa, até melhor que o seu primeiro "eu" que conheci no ensino médio antes de me decepcionar. (Mesmo que ainda insistisse em mandar mensagens com declarações.)

Não confio totalmente nele ainda, pois ainda tenho medo do que pode acontecer e tenho uma visão de como tudo vai acabar de novo. De certa forma eu não quero que ele consiga completar o combinado das 5 chances. Se ele suplicar demais, até aceitaria ter uma "amizade", mas não um relacionamento amoroso. 

O problema desse pensamento é que quanto mais eu quero acreditar nisso, mais eu sinto o contrário. Prometi a mim mesma que não amaria alguém novamente e consegui cumprir isso por anos, mas agora isso me parece tão difícil. 

De todas as chances, Taehyung já conquistou 2. Eu não quero acreditar nisso e nem vou falar para ele, mas é o que algo dentro de mim diz essa afirmação. Detesto o fato que posso voltar a amar ele.

Estava revisando minhas falas para a última cena da gravação de hoje. Esse dorama está me trazendo muitas sensações de nostalgia durante as filmagens. Taehyung está me fazendo passar por situações do passado muitas vezes, e claro, enquanto eu estou tendo diversas sensações de pelo menos um déja vu por capítulo, o diretor está amando o que acontece.

Dessa vez, o correto seria Taehyung chegar quando eu fosse ser espancada e depois de me salvar, me daria muitos sermões. Pena que não é isso que vai acontecer.

Enquanto treino pela última vez (inevitavelmente, já que o Kim mudaria tudo), sou chamada e me avisam que iríamos gravar a última cena de hoje em 10 minutos. Vou imediatamente ao lugar em que filmamos, mas no meio do caminho começo a sentir um presságio, se é bom ou ruim, nem eu sei dizer.

Infelizmente, quase perto de chegar ao local acabo tropeçando em um pequeno recipiente transparente e bato minha perna em um pedaço de metal que seria utilizado na gravação. Ótimo, eu já ia ser meio que espancada no dorama e agora, quase destruo o set de filmagem comigo de brinde.

Se não fosse por Taehyung, teria acabado com muito mais do que apenas um arranhão no braço e cortes um palmo e meio acima do joelho. Ok, o Universo gosta de me ver sendo salva pelo Kim.

- Yang Si! Por favor, tome mais cuidado! Odeio te ver com ferimentos. - diz em um tom extremamente desesperado, na verdade quase choroso ao mesmo tempo.

- Eu estou bem. - tento amenizar a situação. - Poderia estar pior.

- "Bem" uma ova! Vamos cuidar desses arranhões agora. - se levanta e tenta ajudar a me equilibrar. Nesse exato momento, o diretor apareceu para ver o que aconteceu.

- O que houve aqui? - pergunta com preocupação.

- Apenas um pequeno acodente. Diretor, por favor, pode esperar um pouco para gravarmos?

- Vocês 15 minutos. Caso precisem de ajuda, avisem. - responde.

- Obrigado, senhor. - agradece de forma rápida. - Venha, vou cuidar de você. - me puxa delicadamente na direção contrária.

***

- Nem está doendo tanto, não precisa ficar desse jeito. 

- Eu queria me afobar menos, mas simplesmente não consigo. Além do mais, e seu não tivesse te segurado? Quem garante que não seria mais que alguns cortes e um arranhão? - diz fazendo tendo fazer um curativo. Eu não disse nada, apenas fiquei quieta.

O semblante preocupado dele me assustou. Seus olhos estavam sérios e os lábios permaneciam calados caso eu não dissesse nada. Mesmo assim, o silêncio era mais confortável que a agitação.

- Levante um pouco a saia. - corei nesse momento mas eu sabia porque ele pediu isso.

Os cortes na coxa estavam um pouco piores do que o arranhão, e pela cara de Taehyung, deu para perceber que ele deve ter ficado bravo por eu ser descuidada. Não que eu me importe.

Mais de 10 minutos haviam se passado desde que estávamos ali, até que eu me toquei de uma coisa. Pensei em guardar para mim mesma, mas resolvi perguntar:

- Taehyung, você me chamou de Yang Si?

Ele parou de fazer o curativo e me olhou. Não sei dizer o que ele estava expressando. Suas faces são indecifráveis às vezes.

- Olhe, me desculpe se eu te chamei pelo seu verdadeiro nome, mas eu estava desesperado então... - começo mas não deixo ele terminar.

- Esqueça. Se quiser me chamar assim, então chame. Quer dizer, tanto faz. Se quer fingir que aquela Lee Yang Si ainda existe, isso não é da minha conta. - digo olhando para o lado e demonstrando uma falsa indiferença.

Ele não diz nada, voltando a fazer meu curativo que ele tanto insistiu em cuidar, e eu me calei também. Quando olhei para seu rosto, parecia esboçar um sorriso mínimo.

- Terminei. - diz me acordando de meus devaneios.

- Obrigada. - me levanto lentamente, e quando ia voltar para o set de filmagem, Taehyung me chama:

- Soo Ah, não lhe chamarei de Yang Si mais. Não agora. Por mais que você tenha permitido, primeito quero conquistar as 5 chances e o verdadeiro direito de fizer seu nome, aí sim, irei te chamar dessa forma. Se bem que o certo não seria conseguir só as chances... - percebi um tom brincalhão.


- Aish. Prefiro você preocupado. Vamos logo, já demoramos demais aqui. - falo e saio com pressa, sem ligar para os pequenos cortes que agora estavam cobertos por curativos.

***

Terminamos a filmagem e muitos vieram me perguntar se eu estava bem. A cena em que eu seria espancada foi feita com muito mais cuidado do que o previsto, e mesmo estando totalmente concentrada na minha atuação, percebi que Kim estava olhando fixamente para os "agressores". Quase gritei para lembrá-lo de que eles eram atores e precisavam fazer isso.

Como eu previ, a cena mudou um pouco. Demorei mais para ser salva e quando isso aconteceu, todos os que estavam me batendo saíram do local. No fim, incrivelmente aquele garoto conseguiu atuar se descupando por ter chegado tarde e chorou. Após isso, não mudou muita coisa, apenas que além de sermões - como estava escrito no script - houveram lamentações de brinde.

Quando tudo acabou, saí do lugar com o intuito de voltar para casa rapidamente e desabar na cama, mas após ligar para o motorista me buscar, uma pessoa se aproximava de mim e eu sabia quem era. Taehyung.

Respiro fundo e me viro para encará-lo. Ele olhava diretamente para o curativo que havia feito.

- Ei, obrigada pela ajuda, mas não precisa ficar desse jeito. Vou voltar para casa e descansar. - falo tentando acabar logo com o assunto.

- Não finja que não dói. Mesmo que seja pouco, não há como não doer com a batida que levou.

Suspiro, estava sim doendo um pouco, mas memso assim, tem como ele não estar certo nessas horas? 

- Ok, está doendo bem pouco, mas é uma dor tão mísera que nem faz diferença. Com uma boa noite de sono estarei melhor.

Ele se calou, mas logo voltou a me perguntar um turbilhão de perguntas:

- Já chamou alguém para te buscar?

- Sim.

- Vai se lembrar de trocar o curativo?

- Sim.

- Não está fingindo que essa dor é pouca certo?

- Sim...

- Tem certeza de que...

- Taehyung, - interrompi. - não é nada grave. Poderia ter sido pior, mas felizmente, não foi. Obrigada por ter me ajudado de novo e esfrie a cabeça. 

- Ok... - diz meio receoso em acreditar. Por algum motivo não quis que ele ficasse com aquele semblante, e por impulso disse:

- Se te faz se sentir melhor, então você já tem 3 chances conquistadas. 

Nessa hora, percebi que havia falado demais, pois o seu sorriso quadrado (que não sei porque me afetava de alguma forma) estava a mostra. Logo ele diz:

- Posso fazer uma última pergunta? 

- Fale. 

- Aceita sair comigo? 

Ok. Ele falou isso com uma naturalidade indescritível, mas logo de cara assim, me chamar para sair? 

- Eu... - naquele momento eu estava mais vermelha do que nunca.

- Por favor, sei que pedir isso tão cedo não é lá muito agradável, mas eu realmente quero ir a um encontro com você. 

Se eu aceitasse, provavelmente seria o mesmo que deixá-lo dar um passo a mais nessa..., nessa... Aish, nem sei dizer se isso é uma relação de amizade, colegas de trabalho ou uma coisa que se chama amor.

- Bem Kim, eu... - sou interrompida por um barulho que indicava apenas uma coisa, minha salvação havia chegado. 

- Susu! - era a voz de Bong-unnie. - Entre no carro! 

- Eu lhe responderei depois por mensagem. - falo e me despeço, após isso, entrei rapidamente no automóvel.

"Me sinto perdida assim como anos atrás. Perdida em meus próprios sentimentos e acusada por meu orgulho."  


Notas Finais


A Yang Si é confusa mesmo. Não liguem para esse pequenino detalhe. Espero que tenham gostado do capítulo! ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...