História A Brasileira - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Rin, Sesshoumaru
Tags Rin, Sesshoumaru
Visualizações 226
Palavras 2.002
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá novamente! Essa fanfic era para ser uma one, mas me empolguei e fiz dos grandes capítulos! Espero que vocês gostem!


A força não vem de vencer. Suas lutas desenvolvem suas forças. Quando você atravessa dificuldades e decide não se render, isso é força.

Arnold Schwarzenegger



Boa leitura!

Capítulo 1 - A cor do destino


Fanfic / Fanfiction A Brasileira - Capítulo 1 - A cor do destino

Em um pequeno apartamento no centro de Tóquio, uma garota de longos cabelos negros, pele clara levemente bronzeada e olhos castanhos escuros se levanta sonolenta, e caminha até a varanda. Ela abre a janela e fica à observar os primeiros raios de sol da aquela movimentada cidade.



_Bom dia Tóquio.



Fala a morena com um grande sorriso nos lábios, a felicidade estava estampada no seu rosto.


Há oito meses me mudei para o Japão, não pense que sou rica ou que ganhei uma bolsa para esta aqui, nada disso aconteceu. Nasci no Brasil e fui abandonada recém-nascida no hospital, após fui encaminhada para um lar temporário da família Õkami. Eles são japoneses que se apaixonaram pelo Brasil em suas férias e decidiram viver aqui, como ambos eram assistentes sociais decidiram criar um lar adotivo. E assim nós  encontramos em meio a tantas crianças que estavam ali temporariamente, eles viram algo em mim, e me deram a honra de ser a sua primeira filha. Eu cresci repleta de amor e alegria, graças a eles aprendi a falar duas línguas Japonês e Inglês, não domino muito bem o inglês, mas o japonês sou praticamente japonesa.


Graças aos meus pais sempre me incentivarem, eu entrei para a faculdade de administração. Eu sempre trabalhei para juntar dinheiro e ir morar no Japão, já trabalhei lavando louças em restaurantes, babá, secretária e até mesmo como assistente de portuário.


Meus pais não são ricos e eu nunca quis ser uma carga para eles. Então após os quatro anos de faculdade juntei tudo que eu tinha e vim morar no Japão. Meus pais haviam alugado o apartamento deles aqui quando foram para o Brasil, então como estava desocupado no momento, eles me deram para que eu já tivesse um bom começo.


Foi difícil, principalmente conseguir um emprego na minha área, mas enquanto eu não era selecionada em alguma empresa, sempre procurei fazer bicos em lojas e restaurantes, até que um dia recebi uma ligação da multinacional Taisho. Eu finalmente havia conseguido um emprego como assistente administrativo, em poucos meses surgiu uma nova oportunidade para ser assistente da presidência, então me escrevir e fiz uma prova, e aqui estou há quatro meses nesse cargo.


Desde o meu nascimento passei por dificuldades, mas se eu tivesse de passar por tudo isso novamente para esta aqui no Japão, eu passaria. Finalmente encontrei o meu lugar no mundo e principalmente tenho pais maravilhosos.


Após aquele longo sorriso a morena é despertada do seu momento de reflexão e corre para se arrumar. Em poucos minutos ela já estava devidamente arrumada, com um conjunto de saia mediana e blazer preto, um pouco justo ao corpo. Ela faz um coque com dois fios soltos em seus cabelos e passa um leve maquiagem que se consistia em: Base, blush rosado, máscara de silío e batom cor de boca. Rin não gostava de maquiagem chamativas, mas também não gostava de sair sem maquiagem.


Ela pega sua pasta e bolsa marrom, após corre para o trabalho, que ficava há três quadras do seu apartamento, para a sua sorte.



Não demora muito e a morena chega ao trabalho, onde encontra sua amiga Omazo Mei, as duas entraram no mesmo dia e fizeram amizade desde a seleção.



_Bem que dizem que as brasileiras estão com tudo.



Fala Mei rindo ao se aproximar de Rin.



_Você já está me assediando pela manhã, Senhorita Omazo?



Fala a morena tirando sarro da amiga.



_ Você é ridícula, olha! Todos os homens daqui ficam te secando da cabeça aos pés, esses seus atributos chamam atenção demais. Bem que você poderia se divertir um pouco comigo a noite, nós duas íamos arrasar na balada.



Fala Mei fazendo gestos de dança. Isso que tira altas risadas da morena.



_Nunca que vou em uma balada com você, Mei. Não vou passar vergonha no Japão por sua causa, além de que eu não sou boa em dançar, ao contrário do que vocês pensam dos brasileiros, nem todos são dançarinos e jogadores de futebol.



Diz a morena rindo.



_Não quebre o meu encanto, por favor. Agora me diga uma coisa senhora assistente do CEO.



_Digo até duas, senhora assistente do vice presidente.



As duas entram no elevador e clicam no quadragésimo sexto andar.



_Você já viu o nosso grande CEO? Ontem ele estava aqui, na verdade eu estava levando uns documentos para a sua mesa, quando vi aquele lindo prateado entrar no meu campo de visão com um assistente anão. Rin, você é a assistente da aquele deus e nunca me falou que ele era um gato.



Fala Mei indignada.



_Você deve tá falando do senhor Jaken, ontem eu estava resolvendo os preparativos da festa da sexta, então não vi o senhor Taisho, só tenho contato com o senhor Jaken que é meu chefe, mas fora isso nunca falei e tão pouco vi o senhor Taisho. Tá mais tranquila agora?



Fala a morena rindo.



_Então minha amiga saiba que você é uma sortuda o cara é lindo de morrer, Rin você tem que vê o homem mais lindo do Japão!



Diz Mei toda arrepiada.



_Isso com certeza vai mudar a minha vida.



Debochando da amiga. Mei dá um tapa no ombro de Rin e as duas riem, após chegam ao seu local de trabalho e começam a trabalhar.



Com Rin...


_Bom dia senhorita Õkami.



Fala um senhor de pele alva e cabelos castanhos escuros, que mais parecia um anão.



_Bom dia senhor Jaken.



_Coloquei em sua mesa, todos os documentos que a senhorita precisa corrigir e analisar hoje, quero na minha mesa até o final do dia.



Rin olha para a pilha de documentos na sua mesa e o olha séria.



_Antes mesmo do final do dia, tudo já estará pronto, senhor.



_Ótimo.



Jaken entra na sua sala e Rin segue para sua mesa, pois ela teria um longo trabalho.


Antes mesmo do almoço toda a documentação estava em ordem e corrigida. Rin se encaminha até a sala de Jaken e bate na porta, ele nem ao menos se espanta ao vê que tudo estava pronto e lhe entrega ainda mais documentos, a morena o pega e vai para sua mesa.



Finalmente o relógio marca 12:00 era a hora do almoço, a  morena guarda todos os documentos na sua gaveta e a tranca assim levando as chaves consigo. Ela pega o elevador e assim como todos os dias encontra Mei no térreo, porém para sua surpresa Mei estava saindo com um colega de trabalho.




_Olha para isso, me abandonou para sair com o Sasaki, você me pega Mei.



Fala a morena Rindo, ela passa uma mensagem para amiga: “Boa sorte na caçada.” E rir em seguida, após vai até o restaurante da empresa comprar o seu almoço e segue para o terraço teto.

 Rin se sentia incomodada por almoçar em meio a tantas pessoas, principalmente os homens. Eles sempre a olhavam de forma maliciosa e até mesmo já haviam feito propostas estranhas para ela.

 A morena era linda, tinha um corpo e rosto de dá inveja a qualquer uma, mas isso nunca fez o ego de Rin subir ao contrário, ela nem ligava para isso.



A morena finalmente chega ao terraço do teto, ela senta em um banco de madeira que lá se encontrava e já iria começar a almoçar, quando um homem de mais ou menos 1,80 senta-se ao seu lado, Rin o olha de canto de olho e nota como ele era lindo, cabelos prateados, lindos olhos âmbares e traços de um verdadeiro príncipe. Ela não se intimida  e volta a dá atenção a sua refeição.

O silêncio dominava o local até...



_Você gosta de arroz vermelho e barriga de porco?



Diz aquele homem olhando-a. Rin para de comer e o olha, nesse momento uma eletricidade irradia o seu corpo, de uma forma que ela não sabia explicar, mas tenta ficar calma e o olha de forma amigável.



_Na verdade prefiro arroz, feijão e uma boa bisteca, mas também gosto de arroz vermelho e barriga de porco.



Diz sorrindo. O homem sorrir e faz Rin corar.


_Você quer dividir comigo? Não consigo comer toda essa porção.



O homem a olha e pega o hashi das mãos de Rin, após um pouco de arroz vermelho, ela se aproxima mais dele e sorrir, ela pega outro hashi e os dois começam a comer.



Embora a mente de Rin diga que aquilo era loucura, o seu corpo e coração estavam confortável com aquela situação, ela sempre dividiu sua refeição com os outros, e aquele homem parecia uma boa pessoa.


Os dois começam uma conversa sobre a vida de ambos, Rin contava como chegou ali e aquele homem contava algumas coisas da sua vida, mas nada afundo.



_Não é estranho para você está em outro país, em uma empresa tradicional e rígida como a Taisho?



Pergunta o prateado.



_Meus pais adotivos são japoneses, cresci sendo criada com essa educação, além de que eles amam tanto Japão que esse sentimento passou para mim, foi difícil no começo, mas agora que estou na Taisho tudo começou a melhorar, trabalho no que amo e fico feliz de ter vindo para o Japão, eu sinto que encontrei o meu lugar no mundo.



Fala Rin o olhando sorrindo.



_Eu sinto o mesmo. Todas as vezes que passo pelos portões dessa empresa sinto que realizei um sonho.



Os dois se olham e Rin fala:



_Sinto o mesmo, acredito que esse nosso sentimento seja mútuo, só de estarmos aqui, sabemos que valeu a pena passar por todas as dificuldades, não é?



Rin se notar toca a mão do homem e este sorrir e aperta com carinho.



_Com certeza.



Os dois se olham profundamente e algo inesperado acontece, o celular de Rin alarma como aviso que seu horário de almoço chegou ao fim. Ela já iria se afastar dele quando ele segura o seu pulso e em um gesto rápido quebra o contato entre eles e a beija profundamente.


Aquele beijo era diferente de tudo, suas línguas se chocam em uma dança perigosa e cativante. O homem a puxa para os seu colo e faz Rin permanecer ali como hipnose, suas mãos atrevidas tocam as coxas grossas e torneadas da morena, mas não passam dali. Tudo que é bom dura pouco, a falta de ar invade e os dois se afastam um pouco, ambos se olham profundamente.



_Isso não era para acontecer...



Fala Rin se levantando rapidamente do colo do homem. Mas ele a segura e faz olha-lo diretamente.



_Mas aconteceu, e quero que aconteça mais vezes Rin.



Ela se assusta com aquelas palavras e principalmente porque ele sabia o nome dela, e em momento algum ela o tinha falado.



_Como você sabe o meu nome?



Se afastando dele. Ele simplesmente sorrir sedutoramente e Rin se afasta e pega suas coisas.



_Você logo irá saber.



Com essas palavras ela sai da aquela situação rapidamente e vai embora sem olhar para trás. E o homem fica lá a observando partir. A morena chega como um foguete em seu andar e praticamente se tranca na sua sala.



_O que foi isso? Eu devo estar ficando louca! Se esse homem espalhar que eu estava me pegando com ele na empresa, minha carta de demissão vai chegar sem dó alguma!



Rin estava enlouquecendo em sua sala, quando um homem de cabelos negros e olhos  castanhos entra na mesma sem pedir permissão.



_Õkami, o senhor Jaken a espera na sala dele.



Nesse momento Rin treme da cabeça aos pés, mas agradece ao rapaz e rapidamente vai para a sala de Jaken.



_Senhor Jaken, o senhor me chamou?



_Sim Õkami, eu tenho que sair e você ficará essa tarde dando assistência ao CEO, deixe aqueles documentos para o Houjo terminar e vá diretamente para a sala da presidência.



Rin suspira silenciosamente e agradece a Deus por não ser sua demissão.



_Como quiser senhor.



Ela se retira e passa tudo para Houjo que se instala em sua sala e prossegue seu trabalho, em seguida ela vai para a sala do CEO e o secretário libera a sua entrada.



Quando ela entra...



_Eu disse que nós veríamos de novo, Rin. Desculpe não falar meu nome, não achei que fosse importante no momento, chamo-me Taisho Sesshoumaru, mas para você será apenas Sesshoumaru.



Fala este sorrindo indo de encontro a ela.



_Senhor Taisho…



Fala Rin em choque.





Notas Finais


O próximo será o último! Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...