1. Spirit Fanfics >
  2. A Brasileira em Minha Vida >
  3. Gabriela

História A Brasileira em Minha Vida - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Gabriela


Fanfic / Fanfiction A Brasileira em Minha Vida - Capítulo 3 - Gabriela

Já fazia alguns meses que Jacob me recheava de carinho e me dava amor e atenção.

Nunca havíamos dormido juntos. Os Paparazzi nos perseguiam em toda parte. Tem uma vez quando ele me deu um selinho e vários fleches voltaram à vida. Só para pirraçar Jacob. Dei tchauzinho para as câmeras. Ele ficou uma fera, mais depois começou a rir comigo.

Eu estou super preocupada com a minha irmã. Minha mãe ligou e disse que ela queria vir morar comigo a qualquer custo. Eu aceitei e disse que eu cuidaria dela com muito prazer. Até agora só a Bella e o Edward sabem disso.

Ela iria chegar hoje e eu não poderia me atrasar, pois ela reclamava quando se esqueciam dela.

Seu nome é Anna Gabriela Akarrayne. Ela é totalmente diferente de mim. Ela puxou o lado paterno da família. Ela é uma morena mais clara, cabelos negros e olhos piscina de petróleo. Seu sorriso é perfeito e inocente.

Inocente ela não tem de nada. Já com os seus dezesseis anos, eu tive que livrar ela de muita burrada. Ela deve estava sentindo a minha falta para esse lado.

Vesti uma roupa confortável e levei mais um casaco, pois sabia que ela nem se lembraria disso, pois na capital onde morávamos, é quente e abafado.

Peguei o carro de Jacob que ele deixou na garagem antes de ir trabalhar, e fui para o aeroporto. Cheguei a tempo. O avião estava pousando.

Eu a vi pegando suas malas na esteira. Caminhei até ela e ela deu aquele sorriso “ainda bem que não vou esperar”

Oi maninha. – ela me abraçou e dei um beijo nos seus cabelos.

Oi. E os namorados? Vieram nas malas? – ela fechou a cara mais depois deu um sorriso.

Vamos embora, estou com fome e ainda quero conhecer aquele parque que você falou. – dei um sorriso e a ajudei com as malas. Ela não havia trazido muito, pois “eu” ia comprar coisas para ela aqui em Nova York.

Vamos. – ela ficou admirando o carro e entrou.

Já ta rica pra comprar um carro desce? – dei um sorriso e eu não queria falar de quem era, pois eu ia apresentá-la pessoalmente a Jacob Black.

É de um amigo. Agora fica quieta, pois dirigir nesse lugar é complicado. – ela olhava tudo. Mais minha vida virou de cabeça pra baixo quando os Paparazzi começou tirar fotos nossas dentro do carro, o carro estava parado no semáforo.

Levanta o vidro. – levantei a minha janela e nem esperei o sinal abrir e pisei no acelerador.

O que aconteceu? Por que eles estavam tirando foto nossa? – olhei pra ela por segundo, mais voltei à atenção na rua.

O dono do carro é filho do governador. – ela deu um sorriso e entendeu tudo.

Ta dormindo com ele? – olhei incrédula pra ela.

Eu não sou assim Gaby. – pisei mais no acelerador e cheguei mais perto do Central Park.

Vem. – desci do carro e ela fez o mesmo. O meu celular tocou e na tela estava a foto do Jake e o toquinho que ele amava estava tocando.

Atende. – Gaby me viu ficar encarando a foto e me incentivou a atender.

Alo. – começamos a andar pelo parque de braços cruzados por causa do frio.

Quem é a garota Mery? Está no noticiário – respirei fundo e não acreditava nisso.

Já? Esse povo é fofoqueiro. Ela é a minha irmã, Jake. Ela acabou de chegar, estamos no Central Park. – Gaby não entendia nada do que eu falava. Claro. Eu falava inglês.

Eu estou indo pra ai. Beijo. – ele desligou e eu guardei o celular no bolso.

Você vai ter que me ensinar a falar. Eu não entendi merda nenhuma do que você falou. – com essa eu tive que rir.

Ele esta vido pra cá. Você vai conhecer Jacob Black. O queridinho do estado e das mulheres. – suspirei continuamos andando.

Você gosta dele. – ela me acusou, mais nem liguei.

É... Eu gosto. – continuamos andando e de longe eu o vi vindo correndo na minha direção. Fazia duas semanas que nós não nos víamos. Dei um sorriso e ele chegou perto de nós e Gaby se soltou de mim e me empurrou para ele.

Meu abraço. – dei um sorriso largo e o abracei. Eu o senti puxando o ar perto do meu pescoço.

Ai que lindo. Eu quero ser a madrinha. – ela disse. Mais que droga.

Gaby. – a repreendi e ela deu um passo pra trás recuando.

Aproveitando que VOCE... – ela apontou pra mim.

Me entende... – ela deu um sorriso.

Que dia você vai contar pra ele que gosta dele? – rangi e ela se assustou com o meu ato.

Você gosta de mim? – Jacob me perguntou falando em inglês.

Sua idiota. Eu o ensinei a falar e entender português. – ela arregalou os olhos e ele me abraçou forte.

Vou dar uma volta. Cuida dela. – Gaby saiu andando e Jacob me olhou nos olhos.

Fala. – ele me esperava falar, e pela primeira vez na vida eu tinha certeza que corei.

Eu... Estou apaixonada por você Jacob Black. – dei um sorriso de lado e tímido, ele juntou as mãos perto do queixo e deu um sorriso que para falar a verdade, me deixou cega.

Eu também Mery. Eu também me apaixonei por você. – dessa vez ele disse em um português claro.

Serio? Eu pensei que... – eu sempre achei que ele queria era fazer como ele fez com as outras. Só usar.

É. É a pura verdade. – ele chegou mais perto de mim. Minha respiração está completamente ofegante e meu coração estava disparado, como se ele estivesse prestes a sair pela boca de tanta ansiedade.

Sinto-o puxando o meu rosto e colando seus saborosos lábios nos meus, explorando cada canto da minha boca, sem ao menos pedir passagem com a sua língua. Suspirei alto e fecho os meus olhos, sinto as suas mãos em minha cintura e seus lábios se moldando nos meus ainda mais. Entrelacei os meus dedos nos seus cabelos e pedi passagem da minha língua em sua boca com uma urgência que eu nunca tinha tido.

Eu notava fleches, mais eu não ligava.

Desculpa interromper, mais eu estou morta de fome e a comida daquele avião era horrível. – Gaby, sempre Gaby.

Na próxima vez que você for viajar, diz para as aeromoças te servirem uma comida de verdade, pois você é cunhada do filho do governador. – com essa eu engasguei. Como assim cunhada?

Cunhada? – ele deu um sorriso.

Você acha que depois que nos declaramos, vou te deixar? Eu quero é ser feliz do seu lado, meu amor. – ele me deu um selinho e Gaby bateu palminhas.

Eu sabia. Mais onde tem comida de verdade aqui? – com essa eu ri mais.

No restaurante da Bella. – ela ficou seria e arregalou os olhos.

Da Bellita? Não brinca? – ela deu um sorriso mais largo e me deu um abraço.

Ah. Vou pedir pra ela deixar você preparar aquela omelete que só você sabe preparar, pois foi você que criou?! – ela emendou uma frase numa pergunta.

Fui eu mesma. Jake? – ele me olho e abraçou minha cintura por trás e beijou o meu ombro.

Oi meu amoré. – com essa eu tive que rir.

Vai ao seu carro que estava no meu apartamento, e leva as malas da Gaby pro meu apartamento. – ele deu um sorriso e segurei a mão da minha irmã.

Vai andando? – afirmei e ele deu um sorriso e segurou minha cabeça e me deu um selinho demorado.

Eu te amo. – Gaby começou a me puxar e Jacob se foi depois de pegar a chave comigo.

Eu sei o que significa o que ele acabou de falar. Eu te amo Clara. – ela e suas gracinhas.

Não! Ele disse “eu te amo”. – ela deu uma gargalhada e vi os paparazzi.

Olha as câmeras. – apontei com a cabeça e ela olhou para a direção. Seu sorriso aumentou e os paparazzi vieram até nós.

Então? Qual é o nome da estrangeira que sempre esta com o grande Jacob Black e até hoje não disse o nome? – Gabriela olhou indignada para mim.

Você nunca falou o seu nome? – ela deu um sorriso de “não acredito”.

O nome dela é Maria Clara. E é brasileira. – Gaby falou e deu uma vontade de bofetada na cara dela.

E você quem é? – o mesmo cara perguntou. Eu saia puxando ela e eles nos perseguindo.

Irmã dela. Chamo-me Gabriela. – a puxei de novo e corremos até o restaurante. Entramos e eles pararam.

Gaby. – Bella saiu cortando o marido e veio abraçar a pentelha.

Oi Bellita. – as duas se abraçaram e ainda tinha fleches.

To com fome. Mais deixa a Maria preparar aquela omelete que ela inventou? – Bella deu um sorriso e puxou Gaby para a cozinha. Fui atrás, e comecei a separar os ingredientes. Farinha de mandioca, milho verde, queijo, ovos, tempero, azeitona preta, presunto, bacon.

Que saudade. – Gaby e Bella disseram juntas. Edward ficou encantado pela omelete e mandou colocar no cardápio.

Vamos. Temos que arrumar as coisas lá em casa. – me levantei da cadeira e Bella olhava para trás de mim. Quando eu ia me virar, um grandão me abraçou. Peguei a sua mão e dei uma mão de vaca nele.

Ai. – era Jacob. Soltei-o e tampei a boca.

Perdoa-me Jake. Eu não sabia. – ele olhou para a mão dele e Gaby caiu na gargalhada.

Nunca faça isso quando ela estiver desprevenida. – ela disse e se levantou da sua cadeira.

Perdoa-me mesmo. – dei um passo pra trás e abaixei o olhar.

Gaby? – ele chegou perto da minha irmã e falou alguma coisa com ela e ela deu uma gargalhada e concordou.

Pode deixar. – ela olhou pra mim e eu fechei mais ainda a cara.

Eu sei fazer coisas muito piores, ta? – ele olhou pra mim e ergueu uma sobrancelha.

Serio? – levantei a cabeça e empinei o nariz.

Se quiserem ficar, fiquem. Gaby. Você quer ficar ai? Depois o Jake te leva. – peguei o meu casaco e me virei e fui embora.

Clara. – eu já estava fora do restaurante, na verdade, do outro lado da rua.

O que foi? – me virei e Jacob estava com a cara de “o que aconteceu?”.

O que aconteceu meu amor? – ele chegou perto de mim e segurou o meu rosto com as duas mãos.

Nada. Estou cansada. Você pode levar a Gaby pra mim? – ele me soltou e respirou fundo e olhou para o céu.

Tudo bem, eu levo. Mais primeiro eu quero o meu beijo. – olhei pro outro lado e cheguei perto dele e dei um selinho que nem durou um segundo.

Direito. – fechei a cara e dei um sorriso. Selei os nossos lábios com carinho e ele me abraçou me puxado para mais perto.

Eu te amo Mery. – olhei dentro daqueles olhos de piscinas negras e dei um sorriso de lado.

Eu te amo Jacob Black. Agora eu preciso ir. Tchau meu amor. – ele me deu outro selinho e me soltou. Virei-me e dei quatro passos para frente e dei uma olhada pra trás. Ele ainda me observava. Virei-me novamente e apresei o passo. Eu ainda tinha que pegar o metro e caminhar muito.

Quando cheguei a casa, a sala tinha sete malas.

Fui ao meu quarto, tomei um banho, vesti um vestido floral, amarrei o cabelo, fui ao meu closet, peguei um jogo de cama de casal. Fui para o quarto de hospedes, arrumei a cama, lavei o banheiro do quarto, e instalei uma TV e um som no quarto. Depois fui à sala e comecei a pegar as malas e as levei para o quarto que agora era da minha irmã.

Fui para a cozinha e preparei uma lasanha e deixei assando. Enchi uma taça com vinho, e liguei o som. Eu havia encontrada uma mala da minha irmã, CDs de cantores brasileiros. Coloquei Hugo pena & Gabriel – estrela.

Voltei na cozinha e verifiquei a lasanha. Estava pronta. Desliguei e voltei a degustar a minha taça de vinho. Já era a sétima. Olhei no relógio e já era onze da noite. E Jake e Gaby até agora.

Peguei o meu celular e disquei o numero do MEU NAMORADO.

Alo. – ele atendeu caindo na gargalhada. Deve estar bombeando à noite lá.

Jake, onde vocês estão? – minha voz saiu toda bolada.

Daqui a pouco a levo. – ele parece que saiu de perto do barulho que era grande para falar no telefone.

Onde vocês estão? – minha voz saiu mais péssima ainda. Eu bebi demais.

Você ta bêbada? – ele me perguntou e parecia preocupado.

Na-não. – droga.

Bebeu sim. Estamos numa festa na casa de uma amiga minha. – ah não.

Passa pra Gaby. – demorou um pouco e a gargalhada da minha irmã preencheu o fone do meu celular.

Oi Mery. – ela havia saído da festa, pois o silencio dominou a chamada.

Você vai pegar um taxi agora mesmo. – ela deu uma gargalhada e isso me irritou.

O Jake vai me levar... – um ranger escapou dos meus lábios e isso a fez parar.

Se você não pegar um taxi agora mesmo sem o Jake saber... eu te ponho no avião amanha mesmo de volta para o Brasil, ANA GABRIELA. – ela notou que eu falava serio e respirou quieta.

Está bem. Já to indo. – ela desligou depois de pegar o meu endereço. Eu desliguei o celular e enchi novamente a minha taça.

Trinta minutos depois ela chega. Eu olhei pela janela e ela descia do taxi. Ela me viu pela janela e entrou no prédio.

Eu abri a porta depois dela bater. Ela entrou de cabeça baixa.

Vai jantar, depois vai tomar banho e direto pra cama. – ela concordou e eu me sentei no sofá. Desliguei o som e fiquei olhando e admirando a minha taça cheia novamente pelo vinho.

Maria. – eu olhei na direção de onde veio a voz da minha irmã e ela já tinha tomado banho e trocado de roupa.

Oi. – ela caminhou até mim e se sentou no sofá na minha frente.

Desculpa-me. Eu devia ter convencido o Jacob a não ir à festa. – eu desviei o olhar e encarei a taça.

Está tudo bem. Que amiga era essa? – ela fez uma careta.

É uma de cabelo curto, ela se chama Leah. – olhei pra ela e soltei um suspiro alto.

Não chega perto dela. Ela já me ameaçou. – ela concordou.

Eu também. Ela me ameaçou. Disse pra eu ficar longe do futuro namorado dela. Ela achou que eu e o Jake... – ela deu um sorriso de sapeca.

Não acredito. Ela achou? – gargalhamos e ela olhou pra minha taça.

Quer experimentar? – ela concordou e eu entreguei a taça. Ela deu um gole e me devolveu.

É bom. – eu concordei e dei um gole.

É a minha bebida favorita. – ela se levantou e ligou o som.

Eu conheci o irmão do Jacob. – eu conhecia a irmã, não o irmão.

Irmão? Eu conheço só a Rachel. A irmã dele. – ela pegou o seu celular e começou a procurar algo. Entregou-me e eu vi um menino lindo.

Qual é o nome desse gatinho? – ela deu um sorriso e eu notei ela corar.

Seth. Ele tem dezoito anos. Ele acabou de se formar num colégio interno. – está explicado porque eu não o conhecia.

Seth? – eu perguntei e ela abaixou a cabeça e deu um sorriso tímido.

É. Eu gostei dele. – os integrantes da família eram tudo interesseiro, eu não queria ele aproveitando da minha irmã.

Se vocês ficarem juntos, e ele fazer qualquer coisa... me avise. – ela concordou e eu me levantei. O vinho da taça já estava acabando.

Toma. Termina. Depois lave a taça. Vou tomar um banho. – peguei o meu celular na mesa de centro e fui pro meu quarto. Tomei outro banho e vesti uma camisola.

Mery posso dormir com você? – Gaby estava parada na porta do meu quarto. Eu me deitei na cama e a chamei. O meu celular começou a tocar e no visor estava JACOB BLACK.

Oi Jacob. – eu observava cada movimento da minha irmã.

Oi. É... – ele não sabia o que falar.

A Gaby ta aqui em casa. Pode ficar despreocupado e curta a festa, pois hoje é sexta-feira né? Tchau. – desliguei e depois desliguei o celular. Coloquei o celular no criado mudo e me deitei.

Dormi depois de deixar escapar algumas lagrimas. Leah está conseguindo acabar comigo. Mais não vai conseguir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...